sem conto de fadas

Eu estava conversando com meus amigos, quando percebi repetidas afirmações para o final de um namoro, afirmações como: Não sei porque não deu certo! Éramos perfeitos um pro outro. Ele era o meu príncipe encantado!
Sério? Eram mesmo perfeitos? Me explique esta afirmação ai, “na moral”!
Vem cá, quantas pessoas você já se esbarrou na sua vida? Quantas você encontrou acidentalmente nos mesmos lugares por diversas vezes? Quantas vezes alguém já bateu o olho em você na rua e pensou:  pode ser o amor da minha vida ou eu não fui com a cara dela? Um zilhão de vezes!
Por que temos a mania de querer que tudo em nossas vidas seja uma grande novela ou um conto de fadas?

Mas Cal, eu tenho uma linda história de amor. Eu encontrei meu príncipe e ele tem um cavalo branco! E eu salvei minha princesa da torre encantada. Eu respondo à vocês: E dai?
Todo esse espetáculo não faz o meu romance “café com leite” ser pior que o seu! Sim, romance normal e sem confete como muitos por ai. Aquele que uma amiga sua simplesmente te apresenta alguém legal e, pronto, vocês estão juntos pra valer. Café com leite do tipo: Te achei legal, por isso estou te adicionando. E paaaah! Vocês casados à 10 anos. Namoros comuns sem a cara da novela do Manoel Carlos ou o dramalhão de Shakespeare. Maaaaaasss… não estou aqui querendo dizer que os namoros comuns duram mais que os contos de fadas (ou vice- versa). Estou falando que nós temos a mania de valorizar os contos e esquecer do básico. Nessa mania de supervalorizar os contos de fadas, idealizamos nossos amores e isso pode ser determinante para não dar certo. Simplesmente os namoros terminam porque criamos expectativas demais e esquecemos que ninguém é perfeito!!! Ninguém é! Temos que tentar ser o melhor possível em tudo, mas nunca exigir a perfeição nos outros. Vamos errar, vamos falhar, normal, somos humanos tentando acertar nas nossas escolhas.
O conto de fada não é perfeito e o príncipe,  ahhhh… Quem sabe o príncipe  virou um chato ou um sapo! Mas, sabe o que mais, às vezes é exatamente isso que nos falte, um chato ou um sapo! E sabe o que você fez? Você focou na ideia do príncipe encantado, que tem que ser assim, tem que ser assado (tem que agir assim, senão não presta!) e vai resultar na pergunta clássica de sempre:
Por que a gente não deu certo?

Que tal parar de mirar em projeções e em idealizar (nem café com leite, nem caviar) e investir se permitir viver? Um esbarrão pode ser só um esbarrão. Uma pessoa perfeita pode ser apenas uma pessoa. E, quem sabe, nessas tentativas de encontrar sua cara-metade você vai descobrir que o segredo do sucesso é não criar expectativas. Como diria algum pensador (talvez eu e a Clarice Lispector): Expectativas engorda, tira o sono e borra a maquiagem.
E nós não queremos nada disso!

0 comentários

Sou musicista (sem banda) Escritora (sem livro) Professora de Educação Física (que ama batata... frita!) Dependente química em Seriados e chocolates (sim, no plural!) Colecionadora de livros, gibis e cds (aceito presentes!)  Apaixonada por Beach Tennis (meu escritório é na praia;) Adoro escrever (principalmente escrever o que penso entre parenteses).  Soteropolitana, nascida e criada em Salvador-Bahia (com grande antipatia por axé e cia. ltda)  Ciumenta com meus familiares, amigos e amores  #soudessas #adorohashtag #xerudacal Agora sim, me fale mais sobre você? ...