relacionamento


Eu não sei se você sabe, mas tá bem complicado do lado de cá. Do meu lado, do lado de quem não acreditava que isso aqui – a gente, nós dois, eu e você – poderia rolar outra vez. Meu estômago embrulha só de pensar em tudo que eu jurei de pé junto que não viveria mais. Eu não sei onde me enfiar quando me lembro das vezes em que enchi a cara e prometi – sem cruzar os dedos – que eu NÃO iria me apegar tão cedo

Merda. Eu sou muito ruim nesse negócio de “dar um tempo”

Eu até tentei, eu confesso. Tirei minha agendinha rosa do armário, anotei em letras garrafais todas as coisas que eu queria priorizar na minha vida. Pensei em fazer meditação, pintar o cabelo de outra cor, ir viajar para um lugar inusitado, mudar totalmente o meu guarda-roupa. Pensei até mesmo em começar a frequentar uma cafeteria aqui perto de casa todas as semanas só pra colocar minha pilha de livros em dia. Escrevi milhares de coisinhas, menos a possibilidade de me envolver novamente.

Mas aí, você apareceu.

Não era para ser nada, era pra ser apenas um encontro casual. Pelo menos, foi o que eu disse pro meu reflexo que seria. Eu prometi que seria apenas uma saída e que depois, não nos falaríamos mais, deixaríamos para trás um dia agradável e eu voltaria pros meus livros de romance. Não éramos para ser, mas fomos. Eu acabei gostando do seu beijo mais do que deveria, e vim me culpando no caminho de volta pra casa.

Sim, me culpando. Porque antes mesmo de chegar, meu celular já havia apitado com uma piadinha sua, e eu já tinha sorrido pra tela daquele mesmo jeito bobo. Exatamente, eu sabia onde estava me metendo. Sabia que meus dedos nervosos iriam te responder e que nós passaríamos a madrugada inteira conversando. Eu sabia que teria que encarar meu reflexo no espelho pela manhã e me desculpar por estar novamente me enfiando na mesma história.

Eu não estava dando tempo pro meu coração, me entende? Todos os sites da internet haviam me inspirado a respirar um pouco sem esse lance todo de ter alguém. Eu sabia que era o certo, que meu corpo estava mesmo precisando se curar de algumas cicatrizes. Não era pra eu entrar em outro relacionamento – não que isso seja um, porque não é – , não era nem pra eu estar perto de outra pessoa que tenha o potencial de me fazer sentir algo.

Mas o que eu fiz? O contrário. Corri pros seus braços! Isso parece tão estúpido em palavras, mas tão certo aqui dentro, que eu sei que estou ferrada. Nem tenho coragem de ver minha agendinha, porque de tempo, eu fui muito ruim. Eu ao invés de desviar, escolhi trombar com você, com o seu cheiro gostoso que ficou impregnado na minha roupa, com os seus olhos que me deixam completamente hipnotizada e com essa boca que – é melhor deixar pra lá.

Eu não deveria me apegar, mas é você. Como não me apegar quando alguém é tão lindo internamente e tão legal como você é? Você está tornando minha missão de permanecer fria e distante uma coisa impossível. Cada vez mais eu me perco querendo te encontrar. Meus batimentos aceleram e eu sinto sua falta. Que droga! Fica difícil tentar me afastar quando você se torna tão presente.

Eu não quero me ver novamente apaixonada por alguém, mas por algum motivo eu sinto em todas as células que dessa vez não vai ter jeito. Você apareceu quando eu estava despreparada, quando eu definitivamente não queria nada com ninguém e de repente, boom.. Eu não sei o que eu quero, mas quero você.

E eu quero te socar por ter aparecido, mas ao mesmo tempo, eu quero te beijar por não ir embora.

O que diabos você veio fazer perto de mim? Você não estava nos meus planos.

0 comentários

19 anos de muita história para contar, autora do blog duzentaslinhas.com.br, residente do país das maravilhas e escritora nas horas vagas - nas outras também. Geminiana, sonhadora, avoada, estudante de psicologia, especialista em matérias impossíveis e completamente apaixonada por pessoas, flores e tudo que há de belo no mundo. Acredita em fadas, sereias e em um amor que cura todos os males. Quer conversar comigo pelas redes sociais? Fácil, só me chamar em @duzentaslinhas  Ou quer desabafar secretamente? Me chama no snap duzentaslinhas ou pode me mandar sua história pelo e-mail duzentaslinhas@gmail.com (juro que sou boa em conselhos)  


Você sabe que eu poderia ter sido a mulher da tua vida, não sabe? Porque eu poderia sim ter sido muito mais do que você me permitiu ser. Eu teria virado sua cabeça e seus lençóis do avesso, mas ao invés disso, você preferiu ir embora. Você deixou que eu me aproximasse, deixou que eu observasse seu modo de falar, de andar, de agir. Deixou que eu gostasse do que via, do que sentia, do que vivia. Você até mesmo me ofereceu um pedacinho seu, só para arrancá-lo de mim em seguida.

Eu não sei se você sabe, mas rapaz… isso foi cruel. 

Você me prometeu uma tentativa e se foi sem nem me avisar que ia. Jogou suas palavras no lixo assim como todos os momentos gostosos que havíamos tido. Pegou suas coisas e me largou tão fácil, que eu duvido que um dia você tenha mesmo pensado em se permitir. Seu ego e seu medo conseguem ser maiores do que você, e mais uma vez, você acabou quebrando uma garota que estava pronta para ser sua.

Se você não é do tipo que planeja, me perdoe por ter sido. Porque eu via em você tanto carinho, que planejava sem perceber. Sem perceber que você, bem, não estava tão afim assim. Você me deu corda e sabe disso, mas não me puxou para perto, só largou sua ponta e me deixou segurando a outra atoa. Sem saber que você já tinha planos de me deixar. Vai ver você se esqueceu.

Vai ver você esqueceu de avisar que eu era a única que via futuro naquele relacionamento que não foi, mas poderia ter sido.

Se você tivesse ao menos tido a decência de me enxergar, saberia que eu poderia ter te feito um cara feliz para caralh*. Saberia que a diversão que a gente tinha era capaz de preencher o vazio que você abriga. Se você tivesse olhado para mim mais uma vez antes de me descartar como um produto usado, você teria visto que meus olhos brilhavam quando encontravam os seus. Teria notado que sua cena preferida pela manhã seria me ver descabelada, usando a sua blusa velha e gargalhando alto no seu quarto.

Se você não fosse tão cego para as coisas que verdadeiramente importam, você teria sido completo.

Mas você ainda vive em um mundo particular seu e do mesmo modo que não me deixou entrar, não vai deixar ninguém. A fila de mulheres que poderiam ter sido suas só vai aumentar junto da culpa que você vai sentir toda vez que uma delas chorar. E infelizmente, porque acredite ou não, eu te desejo muito bem, você vai acabar sozinho. Sim, sem ninguém.

Você vai se esconder atrás das suas piadas, ironias e do sarcasmo presente nas suas falas. Vai se esconder atrás do seu sorriso lindo que eu tanto admirei um dia, mas não vai ser suficiente. Porque sua procura é inútil e impossível. Sua futilidade vai ser sua única companhia e um dia, daqui bastante tempo, você vai desejar voltar atrás.

Voltar naquela noite fatídica em que você me beijou e poucos minutos depois, me deixou. Vai lamentar ter sido apenas um cara babaca que passou pela minha vida, vai lamentar não ter vivido tantas outras coisas incríveis.

Vai lamentar o fato de que você poderia ter sido meu grande amor e preferiu não ser.

E eu? Eu já vou ter superado o que você poderia ter sido para mim e não foi. Eu vou estar vivendo minha vida plenamente sabendo que você foi um caminho torto pelo qual eu tive que passar e vou estar me curtindo, me amando e me entendendo. Eu já vou ter lido esse mesmo texto mais de dez vezes e vou ter aprendido que não fomos e ponto. Vou estar de cabeça erguida, salto 15 e muito bem resolvida.

Se eu vou lembrar de você? Bem vagamente, até porque quem perdeu foi você, eu vou estar ocupada demais me escrevendo pra ficar me preocupando com uma página descartada.

Eu poderia ter sido a mulher da sua vida, e teria sido perfeito. Mas não fui e quer saber? Ainda bem. Agora é com você, au revoir. 

1 comentário

19 anos de muita história para contar, autora do blog duzentaslinhas.com.br, residente do país das maravilhas e escritora nas horas vagas - nas outras também. Geminiana, sonhadora, avoada, estudante de psicologia, especialista em matérias impossíveis e completamente apaixonada por pessoas, flores e tudo que há de belo no mundo. Acredita em fadas, sereias e em um amor que cura todos os males. Quer conversar comigo pelas redes sociais? Fácil, só me chamar em @duzentaslinhas  Ou quer desabafar secretamente? Me chama no snap duzentaslinhas ou pode me mandar sua história pelo e-mail duzentaslinhas@gmail.com (juro que sou boa em conselhos)