mulher

Escute enquanto lê: 

Hoje é o Dia da Mulher, né?

Eu já fui aquela que bate no peito e diz que “dia da mulher é todo dia!”, e que certas coisas deveriam ser feitas todos os dias. Deveriam. Mas cara, convenhamos, de todos os namorados que tive (e eu tive muitos!), nenhum-ou-quase-nenhum me fazia sentir especial todos os dias. Isso é “besteira”. Isso é papo pra boi dormir. Uma hora ou outra o relacionamento acaba caindo na rotina, vocês tem seus empregos, estudos, vidas diferentes, problemas o tempo todo, e o conto de fadas de que devemos conquistar a pessoa ao nosso lado todos os dias é deixado de lado.

Mas fato é que eu já tentei ser a pessoa que conquista o outro todos os dias. Deixava bilhetes de bom dia no banheiro, colocava na mochila que ele levava pro trabalho, mandava uma música no meio da tarde, postava uma declaração supresa no Instagram, comprava aquele livro que ele tanto queria sem data especial alguma… Tentava fazer ele se sentir especial, mesmo que com um gesto mínimo, entende? O problema é que a gente sente falta da famosa reciprocidade, e simplesmente para de querer ser assim. Começa a agir automaticamente, sem sentimento algum. Eu já tive namorado que não me deu nada nem no dia do meu aniversário! Mas que absurdo. Nem um papel de bala Icekiss? Nem uma carta? Nem um canto rasgado de uma folha de caderno escrito “Eu te amo”? Não. Nada disso. Ele simplesmente não viu a necessidade. Achou que eu não me importava com isso. Imagina! Demonstração de carinho? Ninguém gosta, né? E nessas pequenas coisas o amor vai se perdendo. Você vai se perdendo. O outro vai se perdendo. E quando percebem, são estranhos vivendo lado a lado. Só soltar as mãos.

Em um dos meus livros favoritos li a seguinte frase “A gente aceita o amor que acha que merece”. E essa frase me marcou tão positivamente… Eu, que diversas vezes não me achava suficiente . Eu, que já fui levada a me culpar pelos erros de outra pessoa. Eu, que já chorei por pessoas que sequer se importavam em me machucar. Eu, que já me entreguei para quem só me via como um prêmio. Eu, que já vivi relacionamentos abusivos achando que era a coisa mais normal do mundo. Eu, que já me senti culpada por estar com uma roupa curta e deixar meu namorado com ciúme. Eu, que já aceitei muito menos do que eu mereço…

Que nesse Dia da Mulher, você, mulher, saiba que não deve aceitar migalhas. Que você, mulher, saiba o quão necessária você é para o mundo. Que você, mulher, saiba que apesar do padrão que nos é empurrado dia após dia pela mídia, toda mulher traz dentro de si uma beleza única. Que você, mulher, saiba que esse amor que te machuca, que destroça seu peito, te põe maluca, te impõe limites, te faz refém de si mesma, não é amor… Você merece MUITO mais do que um pouquinho. Do que quase nada. Do que um carinho raro. Do que um beijo apressado. Não aceite menos daquilo que te faz transbordar.

Que você, mulher, saiba da sua força. Porque mulher é bicho que sorri mesmo despedaçada por dentro. Mulher se segura com um sorriso em cima de um salto, mesmo com vontade de chorar sentada no meio fio. Que você, mulher, nunca se esqueça do poder que tem dentro de si… O poder do amor. Do sorriso que ilumina. Do coração que sempre está pronto para abrigar mais um. Da bondade de querer sempre ver o melhor das pessoas. Que você nunca perca isso, mulher.

Que você, mulher, continue lutando apesar das derrotas. Que você permaneça guerreira quando tudo ao seu redor te impulsionar a desistir. Que você se decepcione e levante cada vez mais forte. Que você, mulher, seja a mulher que quiser ser. Sem nenhuma imposição. Um dia princesa da Disney, outro dia a Bruxa do Mar. Você quem sabe! Que você, mulher, saiba a hora de se permitir ser frágil um pouquinho. Que você, mulher, não deixe de acreditar nos filmes da Disney. Tem dias que podemos sim, nos sentir um pouco princesas. Que você, mulher, nunca deixe de acreditar no amor. Ele acredita em você. Que você, mulher, nunca perca a doçura da menina-moleca que existe dentro de você.

Que você, mulher, se olhe no espelho e veja o quão incrível você é. Que você, mulher, se apaixone por alguém que também é apaixonado por você. Alguém que enxergue o mundo através dos seus olhos. Alguém que enxergue uma beleza que você nem mesmo vê. Alguém que permaneça ao seu lado, te dê as mãos, e te passe toda a segurança que um amor tranquilo deve passar.

Mas enquanto não encontra esse amor, mulher, me promete uma coisa? Que você, mulher, se ame. Muito. Profundamente. Inteiramente. Cada pedacinho de si.

E que você irradie felicidade.

Porque o sorriso de uma mulher é como se fosse um pedacinho do céu bem aqui…

Parabéns a todas nós! Eu amo vocês.


Deixe seu comentário. Ele é muito importante pra mim 😀

7 comentários

Isabela Freitas tem 25 anos, mineira, atualmente em São Paulo, mas vive mesmo no mundo da Lua. Gosta do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas. Ah, ela adora signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. Autora dos livros "Não se apega, não" e "Não se iluda, não", e você pode comprá-los aqui. Juntos eles já venderam 500.000 exemplares e até hoje eu não acredito nisso.