despedida

Eu queria deixar de te amar.
Briguei com meu fraco coração várias vezes.
Enfrentei conflitos entre razão e emoção e não cheguei à lugar algum.

Precisei dizer que não,
Disfarçar o meu desejo,
E tentar deletar você da minha mente.

Menti para mim mesma,
Escondendo a verdade,
Dizendo por aí que não queria mais você.

Tudo foi um grande erro.
Como pensei que saberia apagar tudo o que vivemos,
Os momentos e os abraços,
Quando não consigo apagar o número do seu telefone ou nossas fotos juntos?

Nessa loucura de tentar te esquecer,
Apenas me lembrei que não sou tão forte,
Que meu coração está amarrado ao seu,
Com nós tão resistente, que não consigo quebrar.

Quantas vezes ri para não chorar,
Iludindo a todos e a mim mesma,
Com uma falsa alegria.

Apesar de tudo,
Sigo firme no propósito de não te buscar.
Também não quero procurar outros braços para suprir seus carinhos.

Não estou pronta,
Não sei se um dia estarei.

Mas se faço isso, é por amor.
Amor a mim,
Amor a nós,
A tudo que vivemos.

Para não me quebrar,
Não quebrar nossa promessa de “amar para sempre”.

Se, ao acaso, lembrar de mim,
Não esqueça que eu nunca deixei de te amar.

0 comentários

Mineira, 24 anos, extremamente pisciana, advogada por graduação, blogueira e escritora no Vigor Frágil, colunista nos blogs Isabela FreitasEscritos Meus e Me Apaixonei. Quer conversar comigo? É só me adicionar lá no meu perfil, Grazielle Vieira, curtir a fanpage, Vigor Frágil, ou enviar um email para vigorfragil@gmail.com. De todas as formas, você é muito bem-vindo <3