Listas

Viajar é sempre bom, renova nossas energias, nos transforma em aventureiros, sem falar no milhão de descobertas que fazemos ao encontrar um lugar diferente. Mas como viajar se o cofrinho está vazio? Não se desespere, com essas dicas você irá economizar sem sentir dor no bolso e no final poderá viajar sem ter que fazer muito esforço!

1 – Diminua os rolês – Todo mundo gosta de sair né? Restaurantes, cinema, shopping. Mas é necessário fazer isso todos os fins de semana? Às vezes inovar é bacana. Tente mudar seus programas, fazer algo em casa, reunir a galera. Serão experiências novas e irá economizar uma boa grana, já que esses rolês são meio caros.

2 – Corte gastos extras – Sabe aquele pacote de TV que você assinou mas nem para em casa pra assistir? Você não precisa dele. Tem gente que tem pacote de TV, Netflix, entre outros e mal vê um programa na semana toda. É uma boa cancelar ou procurar pacotes mais em conta, já que você não assiste tanto e a viagem está em mente, né?

3 – Corte as brusinhas – Não estou falando para fazer todas virarem cropped e sim cortar os gastos. Estamos na era de economizar em roupas. Pra quê tanto cartão de loja? Você realmente irá usar todas essas roupas ou é apenas mania de comprar? Muitas roupas são compradas e esquecidas no fundo do armário e no final viram lixo.

4 – Troque o almoço em restaurante por uma marmita – Se no dia a dia você precisa almoçar fora, que tal levar sua comida de casa? Sai muito mais barato comprar um pacote de arroz, carne, macarrão e etc do que comprar almoço em restaurantes todos os dias. Além de ser mais saudável ,você ainda melhora os dotes culinários e a saúde agradece também!

5 – Troque o carrinho pela cestinha – no mercado compre o que realmente for necessário. Aqueles docinhos, biscoitos e extras são gostosos mas nem sempre fazem bem à saúde e na maioria das vezes o preço é lá em cima. Faça uma listinha do que realmente precisa e se mantenha firme.

6 – Arrume um cofrinho – fazer uma poupança é essencial! Sabe quando você guarda o dinheiro e nem lembra dele? Você acaba esquecendo, ou seja, não gasta!! Vai colocando na poupança os trocos, o que economizou seguindo as dicas, o que foi extra e quando você for olhar para viajar, terá bastante dinheiro!

7 – Faça um bazar – Olhe no seu armário: tem muita coisa que você não usa, né? Tá na hora de passar para frente! Faça um bazar online ou na rua de casa, o que não é útil para você será útil para outra.

Depois de seguir essas dicas, olhe seu cofrinho e estará pronto para viajar! E se for procurar um destino, confira esse post sobre viajar sozinha  ou esse sobre perfis do instagram para quem ama viajar.

 

0 comentários

Técnica em Informática pelo Instituto Federal de Rondônia, estudante de moda na UFG, 22 anos e blogueira. Escrevo sobre moda, culinária, decoração, viagens e o que vier na cabeça no blog http://anastaciakaziuk.com.br/home Redes Sociais: @AnastaciaKaziuk

(imagem: @brandonwoelfel)

Nada melhor do que umas boas inspirações para quem ama fotografia, não é mesmo? Os fotógrafos citados neste post são voltados tanto para a natureza quanto para retratos, cada um com a sua visão e personalidade. São, sem dúvidas, perfis que vocês precisam urgentemente dar uma olhada!

Vale lembrar que não é necessário ter a melhor câmera do mundo em mãos para fazer clicks incríveis, uma prova disso é o fotógrafo brasileiro César Ovalle, @cesinha, que atualiza seu perfil do Instagram apenas com fotos tiradas de aparelho celular. Sim, é possível e é incrível, basta querer!

Vamos aos perfis?

@brandonwoelfel

@kat_in_nyc

@fursty

@alivialatimer

@dfreske

@samuelelkins

@cesinha


Vale ressaltar que clicando no user de cada um desses citados, vocês são direcionados diretamente ao perfil do Instagram de cada um, e também pra quem tiver interesse em conhecer outros, tem esse post aqui no blog: 6 fotógrafas viajantes para seguir no Instagram.

Não esqueçam de contar o favorito de vocês aqui nos comentários. Vejo vocês no próximo post, até mais!

0 comentários

Não tantas primaveras, mas muitas histórias. Carioca, futuro estudante de cinema, youtuber, fotógrafo nas horas vagas, escritor em outras, e pai de um bulldog francês, o Frederico. Apaixonado por compartilhar sentimentos em forma de imagens e de adquirir conhecimento sobre outros mundos. Se você se identifica, garanto que vai gostar de me acompanhar nas minhas redes sociais, te vejo lá!

Cada um de nós possui um estilo de livro que nos agrada mais, porém não há nada melhor do que protagonistas fortes que se tornam um exemplo para nós mesmos, certo? Na lista de hoje resolvi indicar para vocês cinco livros com temáticas e personagens diferentes, mas que possuem algo em comum: protagonistas cheias de personalidade.

Alina, a protagonista de Boa Noite, da Pam Gonçalves, quer deixar seu passado para trás. Boa aluna, boa filha, boa menina. Não que tudo isso seja ruim, mas também não faz dela a mais popular da escola. Agora, na universidade, ela quer finalmente ser legal, pertencer, começar de novo. O curso de Engenharia da Computação – em uma turma repleta de garotos que não acreditam que mulheres podem entender de números -, a vida em uma república e novos amigos parecem oferecer tudo que Alina quer. Ela só não contava que os desafios estariam muito além da sua vida social. Quando Alina decide deixar de vez o rótulo de nerd esquisitona para trás, tudo se complica. Além de festas, bebida e azaração, uma página de fofocas é criada na internet, e mensagens sobre abusos e drogas começam a pipocar. Alina não tinha como prever que seria tragada para o meio de tudo aquilo nem que teria a chance de fazer alguma diferença. De uma hora para outra, parece que o que ela mais quer é voltar para casa.

Em Perdida, Carina Rissi apresenta Sofia, uma mulher que vive em uma metrópole e está acostumada com a modernidade e as facilidades que ela traz. Ela é independente e tem pavor à mera menção da palavra casamento. Os únicos romances em sua vida são aqueles que os livros proporcionam. Após comprar um celular novo, algo misterioso acontece e Sofia descobre que está perdida no século dezenove, sem ter ideia de como voltar para casa ou se isso sequer é possível. Enquanto tenta desesperadamente encontrar um meio de retornar ao tempo presente, ela é acolhida pela família Clarke. Com a ajuda do prestativo e lindo Ian Clarke, Sofia embarca numa busca frenética e acaba encontrando pistas que talvez possam ajudá-la a resolver esse mistério e voltar para sua tão amada vida moderna. O que ela não sabia era que seu coração tinha outros planos…

Empoderamento define Poder Extra G, da Thati Machado. É por isso e a partir daí que a história de Nina — e de Nico, de Marcela e de Noah — existe. Nina não é uma mulher de tipos. E não apenas por causa dos seus noventa e dois quilos. Nina tem atitude e amor-próprio. Talvez não nessa ordem, mas quem se importa? Ao namorar Marco, ela achava que estava subindo mais um degrau rumo ao topo de sua autoestima. É claro que alguns sinais lhe alertavam do contrário, só que o ego pode ser bastante ensurdecedor quando nos convém. Depois de se dar conta da farsa que era o seu relacionamento, Nina deixa sua vida em São Paulo e parte rumo a Buenos Aires, para um mês regado a argentinos sedutores e muito doce de leite. Ela só não esperava que o país dos hermanos pudesse lhe trazer muito mais do que uns quilinhos extras.

 

Por que alguém escolheria uma orquestra se pode ter uma banda de rock? Essa sempre foi a dúvida de Valentina Gontcharov, protagonista de Sonata em Punk Rock, da Babi Dewet. Entre o trabalho como gerente do mercado do bairro e as tarefas de casa, o sonho de viver de música estava, aos poucos, ficando em segundo plano. Até que, ao descobrir que tem ouvido absoluto e ser aceita na Academia Margareth Vilela, o conservatório de música mais famoso do país, a garota tem a chance de seguir uma nova vida na conhecida Cidade da Música, o lugar capaz de realizar todos os seus sonhos.No conservatório, Tim, como prefere ser chamada, terá que superar seus medos e inseguranças e provar a si mesma do que é capaz, mesmo que isso signifique dominar o tão assustador piano e abraçar de vez o seu lado de musicista clássica. Só que, para dificultar ainda mais as coisas, o arrogante e talentoso Kim cruza seu caminho de uma forma que é impossível ignorar. Em um universo completamente diferente do que estava acostumada, repleto de notas, arpejos, partituras, instrumentos e disciplina, Valentina irá mostrar ao certinho Kim que não é só ele que está precisando de um pouco de rock’n’roll, mas sim toda a Cidade da Música.

O que um governo poderia fazer se pudesse viajar no tempo? Quem ele poderia destruir antes mesmo que houvesse alguém que se rebelasse? Quais alianças poderiam ser quebradas antes mesmo de acontecerem? Todos os Nossos Ontens, de Christin Terril, apresenta Em, uma mulher que vive em um futuro não tão distante, onde a vida como a conhecemos se foi, juntamente com nossa liberdade. Bombas estão sendo lançadas por agências administradas pelo governo para que a nação perceba quão fraca é. As pessoas não podem viajar, não podem nem mesmo atravessar a rua sem serem questionadas. O que causou isso? Algo que nunca deveria ter sido tratado com irresponsabilidade: o tempo. O tempo não é linear, nem algo que continua a funcionar. Ele tem leis, e se você quebrá-las, ele apagará você; o tempo em que estava continuará a seguir em frente, como se você nunca tivesse existido e tudo vai acontecer de novo, a menos que você interfira e tente mudá-lo…

 Alguém aí já leu esses livros? Se quiserem saber mais sobre eles, é só passar lá no canal e, se quiserem deixar mais dicas nos comentários, fiquem à vontade!

0 comentários

Mariana Mortani é uma carioca apaixonada pelo mar. É aquariana, poliglota, vascaína, faixa-verde de karatê, bailarina, desenhista, blogueira e estudante de Jornalismo. Graças ao blog Magia Literária (criado em 2011), teve a oportunidade de mediar diversos eventos de autores nacionais e internacionais, além de ser uma das organizadoras da primeira Feira Literária da Zona Norte do Rio de Janeiro em 2014. Hoje, Mariana se dedica ao blog (magialiteraria.net) e ao canal do YouTube (youtube.com/magialiteraria) e espera continuar espalhando o amor pela literatura por aí.

7-perguntas-que-todos-deveriam-fazer-a-si-mesmo

Parar para refletir sobre as nossas vidas é um tanto quanto importante. Muitas vezes, esquecemos de nos perguntar coisas tão simples, que faz, sim, falta na hora de reavaliar alguns pontos e botar as coisas no lugar. São perguntas bem curtinhas, mas que vão te botar pra pensar. Aliás, é bom pensarmos bastante antes de tomarmos quaisquer decisões.

 

1. Eu teria um relacionamento sério comigo mesmo?

Mas e então, você teria um relacionamento sério consigo se fosse outra pessoa? Pois, se a resposta for não, é bom parar pra analisar o que você acha que incomodaria o seu parceiro ou sua parceira, talvez seja preciso repensar algumas coisinhas, não acha? Não que você precise agradar a todos, nem muito menos mudar por alguém, mas se é algo que nem você aceitaria em si mesmo se fosse outra pessoa, é algo que deve ser SIM pensado.

2. Sou feliz no meu trabalho?

A infelicidade no trabalho é uma das coisas que mais se vê por aí e essa é, sem dúvidas, uma pergunta muito importante para se fazer. Claro que, de vez em quando, temos que abrir mão de algumas coisas e topar outras pra chegar em um objetivo. Mas você realmente faz o que gosta, é feliz fazendo o que faz ou, simplesmente, faz para chegar em algum objetivo que vá lhe trazer felicidade? 

Quando fazemos o que gostamos, o significado da palavra “trabalho” deixa de existir, é algo que iremos ter o prazer de fazer e acredite, quando fazemos com amor, as recompensas surgem naturalmente.

3. O que espero do meu futuro?

Mesmo que vivamos numa completa caixinha de surpresas, é sempre bom nos questionarmos sobre nosso futuro, aliás, se trata da nossa vida, só que daqui há algum tempo. Como você se imagina daqui há alguns anos? Quais seus objetivos e metas? Como você espera estar, aonde, como, com quem?

4. O que me faz feliz?

Se a resposta for “muitas coisas”, o primeiro passo já foi dado. O segundo deve ser tentar aumentar a frequência com que essas “coisas” ocorrem, pois se te faz feliz, é bom que faça sempre, né?

5. Tenho sido uma pessoa boa?

Ser uma boa pessoa é saber lidar em sociedade e no mínimo respeitar. NO MÍNIMO. Respeitar as opiniões alheias é fundamental e que, infelizmente, faz falta em alguns seres humanos. 

Uma das maiores realizações que podemos ter é a de ver alguém sendo grato a nós por algo que tenhamos feito de bom. É muito bom fazer o bem. Além de você ajudar algo ou outra pessoa, você acaba ajudando a si mesmo. São atos recíprocos e que deveriam ser costumeiros. Façam mais o bem.

6. Esse problema de hoje vai ter qual importância daqui há um tempo?

De tempos em tempos, alguns probleminhas vão surgindo em nossas vidas, mas o quão importante ele é para que nos preocupemos tanto? Às vezes, o problema precisa de uma importância maior, mas sempre estamos tentando problematizar e piorar algo que talvez nem faça tanta diferença no futuro. 

7. O que eu faria se te tivesse apenas 1 ano de vida restante?

Pergunta difícil, né? Mas o ponto dessa pergunta é: não deixe para fazer amanhã o que você poderia fazer hoje. Já dizia Pitty: “Não deixe nada pra semana que vem, porque semana que vem pode nem chegar”. Temos que viver o HOJE. Fazer tudo o que pudermos e tivermos vontade com máxima intensidade. Isso é viver, isso é ser feliz.

Como se sente ao se perguntar isso tudo? Conta aqui nos comentários!

 

0 comentários

Não tantas primaveras, mas muitas histórias. Carioca, futuro estudante de cinema, youtuber, fotógrafo nas horas vagas, escritor em outras, e pai de um bulldog francês, o Frederico. Apaixonado por compartilhar sentimentos em forma de imagens e de adquirir conhecimento sobre outros mundos. Se você se identifica, garanto que vai gostar de me acompanhar nas minhas redes sociais, te vejo lá!

Hoje vou contar uma bela história de amor: Eu tenho um grande amigo, meu melhor amigo se chama Michel. Michel foi traído e eu não sei como contar para ele o acontecido. Como você sabe que ele foi traído, Cal? Ahhh… Todo mundo acaba sabendo! Menos os traídos! 0bs: Traidores, disfarcem mais! Seje menas na cara da sociedade! Sejam discretos! (Não, eu não estou apoiando os traidores. #sintonojodisso #muitonojo)

Como sou uma ótima amiga, estou procurando um jeito menos doloroso de informá-lo sobre a traição. Caso vocês estejam passando pela mesma situação que eu, pode usar das minhas sugestões para contar ao seu amigo que ele possui um belo par de chifres na cabeça. Então, vamos lá!

Nossa lista com as FORMAS DE CONTAR PARA SEU AMIGO QUE ELE FOI TRAÍDO:

PROGRAMA CASOS DE FAMÍLIA

Nosso amigo estará sentado no palco (sem saber o porquê), a apresentadora fará a chamada para o caso do dia: MINHA CABEÇA NÃO AGUENTA MAIS CHIFRE!

Acontecerá uma dramatização contando toda a história e nos poupará de fazer o mesmo. Um modo discreto de tratar o assunto.  

Sugestão de atores para dramatização: Rodrigo Simas fazendo o traído. Cléo Pires fazendo a namorada safadênha e o Bruno Gagliasso sendo o amante.

Pode ser assim, produção? Não? Então, tá!

 

CARRO DE MENSAGEM

Outra maneira seria colocar um carro de mensagem, sem tirar a parte dos fogos de artifício e a entrega do buquê de flores. O carro deve parar na frente da casa do amigo em questão, depois o locutor vai narrar como aconteceu a traição (trilha sonora: Kenny J e seus solos de sax).
“Rodrigo, era um sábado à noite quando Cléo chegou na balada. Ela disse que ia dormir cedo e você, tão inocente, acreditou. Foi nessa oportunidade que ela conheceu o Bruno, aquele seu amigo gato, e os dois selaram a traição com um beijo apaixonado. De lá para cá, os dois são vistos juntos em atitudes suspeitas. Tudo começou em novembro de 2011…”

 

FAZER UMA REDE SOCIAL

Uma boa opção para fazer seu amigo descobrir que foi traído pode ser convidando-o para entrar em alguma rede social nesta temática. Caso você queria, podemos criar um aplicativo novo, como:

What’sWrong, Chifer ou FaceCorno. Nestas mídias você só pode se inscrever caso tenha sido traído, mas só o fato de você enviar o convite para seu amigo já o deixará com a pulga atrás do chifre… ops, orelha!

 

PESQUISA DATA-FOLHA

Contrate algum agente do IBGE para fazer um questionário com seu amigo a respeito de traição. Acrescentando no questionário algumas perguntas pessoais, por exemplo:

– Quantas vezes você chamou sua namorada para sair sexta à noite e ela disse que estava ocupada ou com dor de cabeça?
– Você já desconfiou que a sua namorada estivesse te traindo?
– Quantas vezes sua namorada Cléo beijou o Bruno (na balada das 23 horas da praia da Barra, toda sexta-feira)?
– Quantas vezes vou ter que dizer que você é corno para você acreditar?

Independente das respostas, o resultado sempre será:

99% de chance de você ter sido traído

99% de possibilidade de você continuar sem acreditar

E aquele 1% é vagabundo, safadão e elas gostam. No caso, o Bruno, o cara que fica toda sexta, às 23 h na balada da praia da Barra com a sua namorada! (ficou claro?)

Margem de erro, 1 ou 10 chifres para mais ou para menos. 

 

CARTAZ EM FINAL DE CAMPEONATO DE FUTEBOL

Prático e fácil. Escreva o nome e o sobrenome do seu amigo, para não correr o risco dele pensar que o recado é para outra pessoa. Peça para a torcida mais animada abrir o recadinho singelo durante a final do campeonato com o seguinte dizer:

Filma, Eu! Meu brother é corno e não sabe, Olá Michel Bahia, essa é pra você!

 

COMPRAR UMA SAVEIRO (O FLAGRANTE)

Leva seu amigo para dar o flagrante (descubra o local e vá preparado!). Se você for muito amigo, grave o flagrante. Vai que rola uma briga e você registra um bafafá inédito que vai te render bons views e likes na rede. Sempre bom ter novos memes na internet.      

 

PLAYLIST

Faça o download de algumas músicas e presenteie seu amigo. O CD deve conter canções como:

João Neto e Frederico – Chamam Isso de Traição

“Quer saber por onde andei
Quer saber por que cheguei tão tarde
Porque ando tão distante assim
Tá na cara a verdade

Me entreguei as carícias e os beijos de outro alguém
No meu corpo trago cheiro de outra cama
Te avisei, não me ouviu e não me compreendeu
A culpa é sua, fui buscar na rua o que não me deu”


Mamonas Assassinas – Bois Don’t Cry

“Ser corno ou não ser? És a minha indagação…

Ela é uma vaca, eu sou um touro”


 

Reginaldo Rossi – O Dia do Corno

“Hoje é o dia do corno, foi bom te encontrar 
Vamos tomar um bom porre pra comemorar”


 

Los Hermanos – A Outra

“Paz, eu quero paz
Já me cansei de ser a ultima a saber de ti
Se todo mundo sabe quem te faz
Chegar mais tarde
Eu já cansei de imaginar você com ela (e)”

Los Hermanos – Tenha Dó (escute aqui)

Obs2 : Coloquei o link por que a letra inteira será suficiente para os nossos amigos cornos entenderem!


 

Bruno e Marrone – Vidro Fumê

“Foi num telefonema anônimo
Uma voz disfarçada
Me falou que eu estava sendo traído
Eu nem quis acreditar
Pensei que era só um trote
Mas no fundo do meu peito
Já desconfiava dessa minha sorte…”


 

Calipso – A Lua Me Traiu

“… acreditei que era pra valer, a lua me traiu!”


 

Silvano Salles – Eu Levei Foi Gaia

“Eu levei foi gaia, daqueles que a gente se atrapalhar…”

Precisa dizer mais alguma coisa? As canções falam por si!

 

 

CHAMAR O AMIGO POR UM NOVO NICKNAME (APELIDO CARINHOSO)

Rei do Gado

Joelma

Rodrigo Santoro (joga no Google a história dele com a Piovani)

Jornal de Ontem

Malévola

Seu amigo, logicamente, vai querer saber o porquê do apelido e então você aproveita a oportunidade para contar os fatos.

 

EM OFF

Uma boa opção é chamar seu amigo discretamente e contar o que está acontecendo. Nada como uma conversa face a face. Seja simples e fale sem rodeios a respeito da traição. Se ele for seu amigo, confiará nas suas palavras e dará credibilidade aos seus argumentos. Mas tenha cuidado para não ferir o coração dele, afinal, estamos falando de sentimentos e relacionamento. Conte de uma maneira suave para amortecer o impacto e a dor. #quedó  

Tá… não é lá das melhores opções. Então, vamos para a ultima sugestão.

 

ONLINE

Se inscreva em algum concurso para colunista de alguma escritora famosa. Quando você passar no concurso, você vai criar um texto falando sobre COMO CONTAR PARA SEU AMIGO QUE ELE FOI TRAÍDO. Ou melhor, compartilhe esta publicação no Facebook e marque seu amigo que está passando por este perrengue. Pronto, feito! Entendeu agora, Michel Carlos Bahia?

#filhoteeuteamo #meumelhoramigo #seliganacléo  #mentiragente #michelégay  #xerudacal

 

Obs3: Não façam o que eu digo, nem façam o que eu faço!

Obs4: Miga, sua louca! É tudo brincadeira, môdels!!!

Obs5: Diga, Michel. Sou ou não sou sua melhor amiga?

4 comentários

Sou musicista (sem banda) Escritora (sem livro) Professora de Educação Física (que ama batata... frita!) Dependente química em Seriados e chocolates (sim, no plural!) Colecionadora de livros, gibis e cds (aceito presentes!)  Apaixonada por Beach Tennis (meu escritório é na praia;) Adoro escrever (principalmente escrever o que penso entre parenteses).  Soteropolitana, nascida e criada em Salvador-Bahia (com grande antipatia por axé e cia. ltda)  Ciumenta com meus familiares, amigos e amores  #soudessas #adorohashtag #xerudacal Agora sim, me fale mais sobre você? ... 

Sabe quando nada dá certo? Você vai, insiste, mas sempre há a maldita pedra no caminho. Parece que não há saída, mas todos temos que ter um jeito de lidar com isso, você só precisa encontrar o que te conforta e esperar. E calma, dias como esses são normais e são com eles, que a gente sabe quando está bem, aliás, tudo bem não estar bem, ok?

  • A ROTINA

Hora de achar o que te leva a esquecer todos os problemas. Será que talvez desconstruir um pouco da rotina, se possível, não ajudaria? Rotina é bom, mas de tão repetitiva, tem horas que cansa. Tente um novo programa, busque sair da mesmice e explorar novas atividades. 

  • TER UM TEMPO PRA VOCÊ

Com toda correria, às vezes, esquecemos de tirar um tempo só pra nós. Separe alguns minutos ou horas, se conforte em algum lugar sozinho, sem barulhos, sem nada e pare para refletir. Refletir sobre a vida e tudo ao seu redor. Talvez isso possa ajudar você. Se tiver que gritar, grite até não ter mais voz. Se tiver que chorar, chore até acabar todas as lágrimas. Seja intenso, simplesmente faça o que tiver que ser feito. Lembre-se sempre que só sabemos que um dia está sendo feliz, porque existe o dia triste, se não nunca conseguiríamos diferenciá-los. 

  • A PROBLEMATIZAÇÃO

Um grande defeito do ser humano é nunca estar satisfeito com nada e viver reclamando e problematizando tudo. A verdade é que as coisas só começam a dar certo quando a gente começa a acreditar nelas. Problematizar só vai piorar as coisas. Se uma coisa está boa, mas não perfeita, pense que poderia estar bem pior. Transforme todas essas turbulências em uma força para continuar crendo no amanhã. 

  • DÊ TEMPO AO TEMPO

Parece clichê, mas ele é o melhor remédio e só ele poderá dizer qualquer coisa sobre o futuro. Somos uma completa caixinha de surpresa, nunca sabemos o que vai acontecer no próximo dia, então, quando acordar, agradeça a seja lá qual for sua força maior. Agradeça por mais um dia, por mais um céu, sendo ele branco, cinza, azul ou qualquer cor.

Todos temos problemas e nem tudo são flores, busque seu refúgio dos dias ruins, que já já tudo se resolverá. Vamos chutar as pedras do caminho, pois o dia há de ser lindo, pra mim, pra você e pra todos. 

Parece um post de autoajuda, mas interprete como sendo só um simples texto sobre dias comuns que todos temos, não vamos querer problematizar mais ainda, né? Qual o seu refúgio? Conta aqui nos comentários!

15 comentários

Não tantas primaveras, mas muitas histórias. Carioca, futuro estudante de cinema, youtuber, fotógrafo nas horas vagas, escritor em outras, e pai de um bulldog francês, o Frederico. Apaixonado por compartilhar sentimentos em forma de imagens e de adquirir conhecimento sobre outros mundos. Se você se identifica, garanto que vai gostar de me acompanhar nas minhas redes sociais, te vejo lá!

Quando estamos apaixonadas queremos de algum modo demonstrar esse amor. Com palavras e atitudes, o importante é fazer com que algo invisível como o sentimento, tome forma e seja visto. As loucuras de amor são uma forma de fazer com que o amor ganhe formas. Às vezes de modo bem sucedido ou um fiasco total. O importante que demonstrar é uma das coisas mais prazerosas no amor, independente do resultado. E quem nunca fez uma loucura de amor? Quem nunca fez, não sabe o que está perdendo! #euadoro #eumeamarro

Por isso, conversando com meus amigos, encontrei um bando de loucos (que nem sempre são corinthianos), mas que me contaram seus casos. Como eu não sou cofre para guardar segredos, vou espalhar! #isittoolatenowtosaySORRY

  • CONHECER A FAMÍLIA

Desde quando conhecer a família do (a) namorado (a) é uma loucura de amor? É uma forma de dar forma ao amor pelo outro e uma loucura por motivos que irei destacar. Namoro se resume a duas pessoas e lá vai você conhecer pai – mãe – tio cachaceiro – prima – cunhado tarado – vizinha fofoqueira – cachorro que já morreu-cachorro que está vivo – cunhada – madrasta – a amante – o filho bastardo da família do seu atual. Se você está namorando sério ganhou de brinde a família do seu amor para opinar no namoro de vocês, a “obrigação” em ter que participar dos eventos coletivos, amigos secretos sem a menor graça, quando não aquelas ligações para desejar feliz aniversário para alguém que você tem pouca intimidade para falar um Oi que dirás o resto.

Um bom caminho é a amizade, sem forçar barra. Na amizade todos esses brindes indesejados do relacionamento vão se tornar verdadeiras gostosuras! Agora, para conquistar essa amizade não vá inventar de fazer bolo com a mãe do namorado se você nem sabe cozinhar para fazer média com a coroa que NÃO VAI DAR CERTO! Ou você, que quer conquistar o sogrão, chama o velho para fazer um churrasco, sendo que você não sabe nem a acender uma brasa! Tenta a amizade de maneira suave e sincera, sendo VOCÊ MESMO. Por mais babaca-imbecil-legal-gente boa que você seja, elas têm que gostar de você do jeito que você é (e vice-versa).

Obs: Se o namoro não tem chance de vingar, não faz isso, sua louca! Por que além de terminar com o boy, você tem que terminar com os familiares dele também!

Obs 2: Conquista logo a sogra, que todo o resto fica fácil.

 

  • FAZER TATUAGEM

Já vi tantos casais que resolvem demonstrar o amor fazendo uma arte no corpo e a tatuagem é em 99,9999% dos casos a opção mais escolhida. Contudo, em 99,999999% não é lá a melhor coisa a ser feita. Você poderá se arrepender e cobrir tatuagem, que é um processo doloroso e traumático. Apagar então, uma fortuna. Então, pense muuuuuuuuuuito antes de fazer este tipo de loucura. Agora, amigo, se você estiver decidido a fazer uma tatuagem para sua amada, faça um símbolo, um desenho, por que caso o namoro termine, você não estará com o nome de um ex no seu corpo. Seja louco, mas não BURRO! #jápasseiporisso

 

  • GÊMEOS SIAMESES

Nada de ir para os programas do namorado com os amigos dele. Acha mesmo legal ver o boy jogando bola e falando bobagens e você lá na arquibancada com cara de cão de guarda? Piorou, imagine só, ele, indo ao shopping contigo quando você vai fazer compras ou ir ao cinema com suas amigas! Vamos parar com isso??? Casais! Melhorem! Mas Cal, se eu parar ele vai ficar muito solto, ele pode me TRAIR!

Anota ai:

“Trair e coçar é só começar e pode ser em qualquer hora e qualquer lugar.” Crispim, Cal, 2016.

Queridos, não adianta dar uma de siamês que traição é desvio de caráter e não oportunidade! Se o cara quer estar contigo, ele vai estar. Se quiser trair, vai trair. O importante é vocês viverem como um casal, ter seus momentos de amor, mas sem aquela cena clássica: Amor, vou ao banheiro, vamos comigo?

E lá estão os dois de mãos dadas no toilette. #mepoupem #piorqueéverdade

Muito cuidado na quantidade de aproximação, não podemos querer ser o outro. Apesar de vocês serem um casal, a individualidade de cada um deve ser preservada. Cadê a personalidade? Cadê ser VOCÊ MESMO? Você deve participar da vida do seu namorado e ele da sua, mas não se esqueça que você é você , e ele é ele.   

Entendam a diferença entre estar com o outro, e estar contido no outro. Estar contido, aonde você for, vai ter o seu (a) amado (a) dentro de você, e isso é suficiente para serem um bom casal.

  • SE DECLARAR PARA SEU MELHOR AMIGO

Quem nunca se apaixonou por um amigo?  #quemvaiseapaixonarpeloinimigo #temqueseroamigomesmo

Pior do que se apaixonar por seu melhor amigo é tentar demonstrar que está apaixonada. Geralmente, escondemos o sentimento, enterramos a sete chaves e a última opção é confessar. Só que nós não fazemos parte da minoria, nós, as pessoas que fazem loucuras românticas, nos declaramos! Compramos o perfume ou uma roupa que ele goste muito. Ou (na lata!) um coração que vem escrito: Eu te amo. Cartões com mensagens de amor e ele… NADA DE PERCEBER!

Aos garotos apaixonados pelas melhores amigas: vocês levam a garota na porta de casa, seguram a respiração quando abraçam, rola um beijo no rosto, e você confessa que você ficou com vontade de nunca mais lavar a bochecha na vida. Compra o chocolate que ela gosta, faz piadas para a amiga rir até chorar, e ela… NADA TAMBÉM!  Quem nunca? #eunão #mecontaram

Depois de viver tudo isso o que lhe resta é a certeza que ou ele (a) ainda não sacou seu sentimento ou tão somente finge-se de desentendida (o). Pode bater na pessoa para ela sacar? NÃO! E o que acontece depois? Você vai fazer o que não fez, falar a verdade, que pode ser assim: Você é linda (o), eu gosto de você, mais do que eu queria gostar. Eu sei que você é meu (a) amigo (a), mas eu não consigo mudar o que sinto. Eu gosto de você, mais do que um sentimento de amizade. Acho que é amor.

Não tem como saber se ele (a) vai gostar, se vai se afastar de você ou casar contigo daqui a duas décadas. Fato é que às vezes externar o que sentimos é melhor do que ficar guardando dentro da cabeça e do coração. Se você não falar, a resposta sempre será NÃO. Ao passo do fazer, abrem as portas para mais duas opções, o TALVEZ e o (tão sonhado) SIM. #confessojáfiz #comigodeucerto #prontosoulouca

 

  •  PRESENTES INUSITADOS

As vezes exageramos na dose do gostar de alguém. Queremos tanto que a pessoa amada saiba do seu amor por ela que acabamos errando na medida. Alguns exemplos: colocar carro de som na frente da casa da namorada, com direito a música romântica, fogos de artifício e buquê de rosas (hêeeeee coisa mar brega! môdels). Tem também os presentes bizarros como dar um dente seu para seu namorado. (HÃM?), uma mecha do cabelo cortado #desculpameubem, até um pingente com gotas de sangue (se você namorar um vampiro, pode dar). Pra que isso mesmo, hein gente?  

Ainda tem aquele grupo de loucos que gostam de ser românticos com a conta bancária, como se pudesse comprar o amor. Esses são do tipo que compram um cachorro de raça rara e presenteiam. Ou aquele gato caríssimo e feio “bagarai” e entrega no dia dos namorados. Ou do tipo que gasta o salário inteiro em um presente, mesmo ficando o resto do mês na pindaíba.  Compra um celular lançamento, um carro para a namorada (eu quero um namorado desses, que dá o carro, o gato eu dispenso!) e por ai vai…

Gente, vamos com calma. Existem milhões de formas de fazer loucuras ao presentear, mas na maioria das vezes seu parceiro quer atitudes e nem sempre presentes mais caros são os melhores. Sabe, aquela ligação telefônica? Só para dizer que gosta mesmo, que ama de verdade, aaaaaaah, essa loucura vale mais que um perfume caro.

Mas não vou ser hipócrita, eu aceito qualquer presente. Não estou aqui para recusar! Repetindo: Qualquer presente, menos o gato!

  • RECONQUISTAR UM EX

Loucura, romantismo, chame do que quiser, mas tem coisa mais insana do que tentar reconquistar alguém? Se o amor valeu a pena, se existe a possibilidade de volta, corra atrás do que você quer! Se ele (a) é seu (a) ex, você saberá bem exatamente o que fazer. Se você quem pisou na bola durante o namoro, saberá também o que não fazer para dessa vez dar certo. Agora se ele (a) não lhe quer de jeito algum, pare de dar asas em um relacionamento sem futuro. Nenhuma loucura será suficiente e você sairá menos machucado (a). Não vai nessa de “eu confio no meu taco”. Talvez ele (a) nem goste de taco! Perde tempo não! #focanadica

  • AUTORAL

Tem presente melhor do que dar algo inédito? Algo que ninguém poderá presenteá-lo (a) de igual modo? Por isso que apostar na produção própria é um trunfo inalcançável. Sou suspeita para falar, pois das loucuras de amor, essa é a minha favorita. Então gata, vá por mim, não há nada mais sincero do que tirar de dentro de você uma ideia e colocá-la em forma concreta. 

Faça uma música, demonstre o que você sente em palavras e melodia. Você não sabe cantar ou tocar? Escreva uma carta, um poema! Hoje em dia as pessoas têm se apropriado de textos de outras pessoas, pensadores como Caio Fernando Abreu, Clarice Lispector e por ai vai, para demonstrar seus sentimentos. É válido, mas sejamos autorais também! Coloque no papel o que você sente e mostre para seu (a) namorado (a). Se for tão difícil assim, está bem, escolha uma música que defina suas sensações e peça para que ela (e) ouça, deixando claro que seria como se fossem suas palavras para ela (e). Reúna fotos de vocês juntos e faça um álbum.  Em um quadro com imã magnético, talvez. #jáfizisso #sensaçãomaravilhosa Tente dar suas formas para seu amor e nada de control c + control v na ideia dos outros. Seja você autora das suas histórias e compositora das suas emoções.

  • VIAGEM

Vivemos em dias tão corridos, estressantes e sem muito momento para paz. Aproveite o caos para planejar um momento com seu amor. Viagem é uma das opções mais prazerosas e favoráveis. E desde quando viajar é loucura, Cal? Desde que essa bendita geração nossa se prendeu a mundos virtuais, relações cada vez mais distantes e jornadas de trabalho exaustivas.

Invista em vocês dois, em um momento longe dos seus amigos (pode ser com amigos também, mas faça a trip). Escolha um cantinho para vocês chamarem de SEU! Escolha uma cidade, um lugar que possam desfrutar da privacidade e do romantismo que viagens como essa pedem. Isso significa que você se preocupa com o relacionamento, que vocês precisam de momentos de muita paz e amor. E se possível for, com a menor quantidade de mídias/redes sociais possível.

 

  • ROMANTISMO A MODA ANTIGA

O romantismo virou algo brega ou fora de moda.  Ser romântico é constrangedor e embaraçoso (lógico, para alguns não). Para nossa geração, demonstrar sentimentos é equivalente a sinal de fraqueza emocional ou carência. E como vamos continuar assim? Como vamos amar assim? Tá ficando difícil, galerinha.

Tem coisa mais gostosa do que fazer alguém feliz? Por que o medo? Faça alguém sorrir, ainda mais se esta pessoa te faz feliz também. Nada como a reciprocidade! Aposte no romantismo, à moda antiga. Café da manhã na cama, andar de mãos dadas ou abraçados. Pétalas de rosas no chão, velas e vinho para uma noite de amor. Abra a porta do carro, deixe-a entrar primeiro nos ambientes e por que não a cordialidade ou o cavalheirismo?! Sem segundas intenções, ou talvez pela louca intenção de fazer o outro FELIZ E PRONTO! Diga: EU TE AMO! (quando tiver certeza que ama) Não tenha tanto medo dessas três palavrinhas. Faça se você tiver a sinceridade e a coragem de assim fazer! Lembremos que o amor não sai de moda!

 

  • PEDIDO DE CASAMENTO – MORAR JUNTOS

Uma das sensações mais deliciosas do mundo é você demonstrar que quer passar o resto dos seus dias com a pessoa que você ama. Como também é maravilhoso ter a certeza que tem alguém disposto a estar ao seu lado por toda a vida. Então, caso tenha certeza, compre as alianças, seja de alumínio, de coquinho, de prata, de ouro, seja se ajoelhando, colocando dentro de uma taça de vinho branco, de um pedaço de torta, seja como for o pedido, faça-o! Por que não fazer? Não perca a oportunidade de sentir seu coração ser tocado por alguém ou de tocar o coração de alguém, isso dá sentido a vida.


Passeamos por este manicômio emocional, vimos coisas a serem feitas e não feitas também. Agora você pode estar pensando: Mas essas coisas todas nem são tão loucas assim! E já que não são, por que não praticá-las? Encontre-se com seus medos, suas insanidades e equilibre-se na corda-bamba das emoções e dê o formato que achar melhor para seu amor. O tempo passa tão rápido e perdemos várias chances de sermos plenamente felizes por medo de simplesmente arriscar. Se ser feliz inclui algumas loucuras, como as citadas acima, sejamos loucos de vez em quando! De gênio e louco, todo mundo tem um pouco.  Não já citaram isso por ai?

Se você lembrou de alguma loucura que fez por amor, conte-nos nos comentários.

 

7 comentários

Sou musicista (sem banda) Escritora (sem livro) Professora de Educação Física (que ama batata... frita!) Dependente química em Seriados e chocolates (sim, no plural!) Colecionadora de livros, gibis e cds (aceito presentes!)  Apaixonada por Beach Tennis (meu escritório é na praia;) Adoro escrever (principalmente escrever o que penso entre parenteses).  Soteropolitana, nascida e criada em Salvador-Bahia (com grande antipatia por axé e cia. ltda)  Ciumenta com meus familiares, amigos e amores  #soudessas #adorohashtag #xerudacal Agora sim, me fale mais sobre você? ... 

Há cerca de 8 anos, eu ganhei de um dos meus melhores amigos um presente que mudou a minha vida. Assim veio a Maya, de roupinha rosa, carinha de pidona e andado torto.

Obviamente, minha mãe foi a primeira a vetar, maldizer, implicar com ela. Mas nós persistimos; eu com minha prepotência exagerada e a Maya com seu carinho demasiado. Logo de cara, aprendi uma das mais valiosas lições que tenho na vida: pra todo mal que te fizerem, retribua com o bem. Não há maldade que se apodere de um coração puro. E pouco a pouco, inevitavelmente, todos foram se apaixonando por ela. A Maya reconstruiu as relações da nossa casa, me uniu com minha irmã, conciliou minha relação com da minha mãe; ela definitivamente mudou as nossas vidas.

Eu tento não falar dela tanto quanto eu gostaria porque eu sei que nem todas as pessoas tem a capacidade de entender o que eu sinto. E, sinceramente, lamento por elas. É um sentimento tão forte, tão forte, como nunca senti algo parecido na vida. É um desespero de cuidar, de proteger realmente estarrecedor. É uma paz em vê-la acordar todos os dias, em ouvir a pressa de seus passos quando eu chego, em sentir sua alegria em me ver, francamente, inenarrável.

Hoje, eu vou escrever para quem entende o que eu digo, e pra quem infelizmente perdeu cedo demais um grande amigo. Hoje eu vou escrever pra quem aprendeu a amar com quem melhor ensina.

1)      Desfaça-se de seu orgulho.

Sabe quando dizem que quanto mais você esnoba, mais o cachorro fica no seu pé? É como se ele não tivesse um pingo de amor próprio. Mas, não, o que ele não tem é qualquer orgulho. O orgulho pode ser destrutivo pra uma relação duradoura porque, se pararmos pra pensar, isso nada mais é do que fazer birra, coisa de gente mimada, sabe? Pense em quantas coisas boas, quantas oportunidades e quantas pessoas você já perdeu porque não quis, simplesmente, dar o braço a torcer. Ter seu ego ferido, às vezes, compensa. Você se conhece, se confronta, se entende. As coisas que você aprende sobre si mesmo e sobre o mundo ao seu redor quando resolve engolir a seco valem a pena. Quem se acha sempre certo, inalcançável, ainda não aprendeu a colher os benefícios de seus percalços. Baixe a guarda, erga o peito, dê a cara à tapa. Você não vai encontrar uma relação que tenha sido bem sucedida sem que um dos dois, ou ambos, tenham posto o orgulho de lado em prol de algo maior. Se doer, tudo bem, porque vai passar.

2)      Rancor não te leva a nada.

Se eu brigar com a Maya agora, em 5 minutos ela já vai estar implorando pelo meu carinho de novo. Ela é incapaz de guardar mágoa, incapaz de se ressentir. Ela confia e acredita que qualquer demonstração minha de afeto é verdadeira. Mas o mais importante não é isso: ela me ensinou a não guardar rancor. Quando ela me desobedece e me tira do sério, eu simplesmente não consigo nutrir a raiva por mais que alguns minutos. Não consigo! Eu a amo tanto, mas tanto, que aquilo não vai passar de um minúsculo obstáculo, um pequenino contratempo. Já perdi óculos, sandálias, roupas e até minha carteira de trabalho por conta de sua mania que comer tudo que via pela frente quando era filhote e, nem por um segundo, eu consegui me manter furiosa. Não vale a pena. Por ela, nenhuma mágoa vale a pena. Só consigo lembrar do quanto ela me faz feliz e que se eu tivesse que perder o mundo pra me sentir assim de novo, perderia. Se você puder adequar esse “fator de relevância” em outros aspectos da sua vida, garanto que será muito mais feliz. As adversidades, assim que ocorrem, têm um peso gigante sob nossas costas. Nos sentimos frustrados, cansados, quase injustiçados divinamente, mas respira. Res-pi-ra! O que é um tremendo fardo pra você nesse minuto, amanhã já será passado. Se ater ao que não podemos controlar ou aos empecilhos do dia a dia, de modo a torna-los denominadores de nossas tristezas, é realmente desgastante. Leve a vida leve!

3)      Perdoe, acima de todas as coisas.

Eu posso ter acabado de brigar com a Maya, mas se eu chama-la carinhosamente ela já se joga em meus braços. Ela me perdoa até quando eu mesma estou errada. Ela me perdoa sem sequer compreender a nossa diferença nas falhas. Ela me perdoa tão puramente que me pressiono pra ser merecedora desse perdão. Perdoar não é unicamente bom pra quem sente, se livra da mágoa. É um dos poucos sentimentos que bate no outro e reflete. É como diz o ditado “gentileza gera gentileza”, sabe? Quando você pede perdão a alguém é impossível que ela mantenha a guarda suspensa e não se sinta também envergonhada por coisas que fez ou disse. É impossível que ela não pense sobre suas próprias atitudes e, se ela se trabalhar pra engolir o orgulho, vai entender como as desculpas tem poder.

4)      Acordar com bom humor.

Pra mim, absolutamente todas as pessoas que se dizem mau humoradas pela manhã ou dizem detestar alegria matutina, além de fazerem questão de aparentar esse estereotipo ranzinza, nunca acordaram ao lado de um cão. Sério. Quando eu sei que meu dia vai ser puxado, difícil ou tenho que acordar muito cedo, é natural que eu me maldiga um pouco. Mas quando eu abro o olho e vejo um ser que só em me ver acordar pula da cama, balança o rabo e me “abraça”, eu não consigo manter qualquer chatice. A Maya todos os dias dá um bom dia desesperadamente feliz pra todo mundo aqui em casa. Ela faz questão de mostrar o quanto esperava que você acordasse por mais um dia, o quanto precisa de você acordado por mais um dia. Ela te dá um incentivo de palestras motivacionais só em se fazer presente com carinhos e mimos ao lado da cama. Não tem pra abuso matinal com um cachorro do lado.

5)      Não esperar pra dizer o quanto ama alguém.

Uma das coisas mais legais é você perceber a repetência das atitudes diariamente. Ela não sabe se quando a gente cruza a porta vai ser a última vez que vai nos ver ou se fomos somente deixar o lixo, então, ela não perde tempo em mostrar que nos ama, que vai sentir nossa falta, que já está com saudades. A Maya nasceu sabendo que a vida é curta e imprevisível, que o hoje se torna ontem muito rápido e que somos tão frágeis quanto efêmeros, ela não espera até amanhã pra demonstrar que nos ama. Ela não espera ser necessário, ser eterno. Ela não deixa passar em branco nenhum dia, nenhuma batida na porta. Ela já aprendeu que não pode controlar o tempo e tampouco as pessoas ao seu redor, mas pode fazer com que elas tenham motivos pra voltar.

6)      Sabedoria é ouvir e, não, falar.

Às vezes, tudo que você precisa é de alguém que esteja do seu lado. Só isso. Você não quer ouvir “eu te avisei” e nem conselhos infundados. Você apenas quer saber que não está sozinho. E o mesmo serve pra ser com os outros. Ouça, ouça, ouça de novo. É uma característica louvável nos homens, de puro altruísmo das mulheres e de naturalidade dos cães. O conforto que você precisa nem sempre vem das palavras mas, sim, do silêncio.

7)      Respeitar as diferenças.

Os animais simplesmente não enxergam-se como desiguais. Não tem essa capacidade de distinção e tampouco a arrogância de se acharem melhores que outras raças. Eles divertem-se com as diferenças, aprendem com elas, não se cobram qualquer competitividade. Eles já sabem que não precisa haver uma explicação – biológica ou moral – para que os outros sejam geneticamente ou opcionalmente diferentes. É natural.

8)      Superar-se todos os dias.

Quando ela era bem pequena todos os dias tentava subir na minha cama. Mais de uma vez por dia, inclusive. Eu achava lindo, mas não a ajudava. Eu queria vê-la se esforçar, tentar, cair e tentar de novo. Todo os dias, sem exceção, ela tentou. E quando conseguiu foi obviamente recompensada com a cama quentinha, a minha que se tornou nossa. Ela não se enxergava incapaz, não media racionalmente que seria impossível devido à altura da cama. Ela tentava, simplesmente. E assim, sem que pudesse ouvir que não conseguiria, um dia naturalmente conseguiu.

9)      Se nada der certo, faça cara de pena.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sempre funciona. Aposto como ela pensa “Humanos…pff! Trouxas!”

10) Não somos donos de nada.

“Um cachorro não liga se você é rico ou pobre, estudado ou analfabeto, inteligente ou lerdo. Dê a ele seu coração que ele lhe dará o dele.”

Desapegue-se da ideologia de que algo tenha que lhe pertencer. Não tem! Você é um ponto no infinito do universo igualmente insignificante a qualquer outro. O que você diz possuir na sua conta bancária, na sua roda de amigos, no seu apartamento, não representa absolutamente nada perante a magnitude do universo. É simples. Desapegue-se de teus valores materiais e morais na amplitude do que te cerca. Há muita coisa lá fora, há muita gente lá fora. O que quer que você ache que te pertença não passa da tua ínfima visão de mundo. Um cão não é ensinado a andar ao seu lado sem coleira, ele aprende naturalmente porque ele quer ESTAR ao seu lado. Você pode, claro, adestra-lo e se satisfazer na premissa de que ele o tem como dono ou você pode liberta-lo e entender que, na verdade, ele o segue por amor. Não somos donos de nada, nem de ninguém e tampouco há qualquer valor em citar os bens materiais que colecionamos ao longo da vida. O que realmente nos define são aqueles que escolheram nos acompanhar, que conquistamos a fino trato. De graça. Nós só nos tornamos mais que um grão de areia nesse universo que é a vida se formos, de alguma forma, responsáveis por cativar alguém.

4 comentários

Autora do site Bendita Cuca!, e Youtuber nas horas vagas. Não contém um sorriso ou detém um devaneio. Criou o BC! para conseguir suportar a convivência consigo mesma. Ou para um tratamento psicológico gratuito. Ou os dois. Acredita que todo mundo precisa de um grande amor para chamar de próprio.

Com o tempo, aprendi a selecionar e classificar melhor os amigos que fiz. Ainda me considero demasiadamente sortuda porque muito mais gente ficou do que passou ao longo dos anos, mas mesmo assim, algumas rupturas me doeram tão profundamente como o término de um namoro. Isso porque tem amizades que são realmente tóxicas, nos envolvemos de tal forma que sequer sabemos lidar com a proporção em que afeta nossas vidas.

  • Competitiva 

Aquela amizade que não te elogia, mas só te puxa pra baixo procurando salientar seus defeitos. Aquela em que nos sentimos inseguras de contar algo bom que nos aconteceu porque tememos que a pessoa evidencie o lado ruim. Aquela em que nos sentimos constantemente ameaçados ao conversar sobre um paquera, por exemplo. Por que valeria a pena manter ao nosso lado alguém que sempre nos fizesse sentir perdedores? Quem nunca comemorou vitórias que não eram suas perdeu uma das melhores formas de se sentir feliz. Ninguém cresce sozinho, ninguém é tão autossuficiente que, algum dia, não chegue ao ponto de duvidar de si mesmo. A gente precisa de quem nos estimule, nos inspire, e não, quem nos queira apenas como parâmetro pra se sentir melhor consigo mesmo.

  • Dependente

Já tive amizades que a nossa relação era tão depende quanto um casal de namorados nos primeiros meses. Dávamos satisfação de onde íamos, com quem, o que estávamos fazendo, a que horas fomos dormir e porque demoramos a responder sua mensagem. Sinceramente, está na cara que mesmo um casal jamais suportaria esse excesso de controle por muito tempo. Chega uma hora que nos sentimos saturados, sufocados. Uma amizade deve ser tua válvula de escape, que lhe faça sentir bem mesmo nos piores momentos, e não, agir como seu filho único. Não devemos viver em prol de ninguém, nem mesmo de nossos amores. A eternidade se concretiza em relações em que há harmonia, e não, dependência.

  • Possessiva

Gente boa é quem agrega! Tem coisa melhor do que suas duas melhores amigas se tornarem melhores amigas uma da outra por sua causa? Tem coisa melhor do que se sentir completamente à vontade pra falar da sua própria vida (ou soltar uma fofoquinha) em um grupo em que há confiança mútua? Não somos donos de ninguém, quem dirá, de nossos amigos! Ter ciúmes ou nutrir o sentimento de posse sob alguém só faz mal pra nós mesmos. Não devemos incumbir os outros de preencher as lacunas de insegurança dentro da gente. E uma amizade não substitui a outra, independente da intensidade. Se já conquistamos o lugar no coração de alguém, nem o tempo pode afasta-la da gente.

  • Individualista

Sou do tipo em que tudo que é meu, é nosso. Divido roupas, livros, sonhos e até escova de dente. Mas respeito que cada qual tenha seu espaço, nem todo mundo pensa e age como a gente e tudo bem quanto a isso. Às vezes, alguém que tem um certo egoísmo material tem um coração enorme em que sempre está pensando nos outros. Essa é a questão: amizade é também se pôr no lugar do outro. Não pensar só em si mesmo nas pequenas coisas. Buscar incessantemente fazer bem ao próximo tanto quanto a si mesmo. Quem faz isso de coração sequer enxerga como um esforço latente. Isso não quer dizer que se você pedir um determinado favor a alguém e ela negar é porque é egoísta, individualista ou mesquita. Nada disso. Você tem que reconhecer que cada um tem seus limites, cada qual dá o tem. O que devemos nos perguntar é se o que alguém nos oferece é aquilo que merecemos, afinal, em toda relação, mesmo de amizade, tem que haver reciprocidade.

  • Interesseira

Gente que só te procura quando precisa, que só fala pra pedir favor, que a falsidade fica nítida. Quem precisa de pessoas assim por perto? Um bom amigo se alegra com suas conquistas e te conforta nas derrotas. Quem só aparece quando estamos em uma boa fase acaba por nos sugar. Existe amigo de festa, amigo com segundas intenções, amigo de trabalho… Pra ser franca, todo tipo de amizade tem um fundo de interesse porque aquela pessoa lhe despertou algo que você queira, afinal, você quer ter ao lado pessoas que lhe acrescentam. Tudo bem, isso é normal. Quando o nível de interesse é maior que o carinho e cuidado envolvido é que devemos nos perguntar se vale a pena fingir que seja amizade verdadeira. Por que nos esforçaríamos pra manter em nossas vidas quem só está presente quando lhe convém?

 

Quando a gente encontra com as pessoas que nos ensinam a rir diante da derrota, a se sentir bonita quando nossa autoestima está ouvindo Los Hermanos no fundo do poço, a se apaixonar de novo quando tudo que queremos é nos afagar na solidão, então a gente sabe, lá no fundo, que esperou a vida inteira por elas. Que toda falsidade no trajeto, toda confiança desperdiçada, foi um mero erro de diagnóstico que nos trouxeram até elas. E a gente agradece baixinho, quando deita à noite para dormir, o simples fato delas existirem. A gratidão é a base de todos os sentimentos. Se alguém lhe faz sentir grato também lhe inspira o amor, o respeito e a consideração. A gente precisa de quem precisa da gente e nos aceita por quem somos. Isso é o que traz paz de espírito.

1 comentário

Autora do site Bendita Cuca!, e Youtuber nas horas vagas. Não contém um sorriso ou detém um devaneio. Criou o BC! para conseguir suportar a convivência consigo mesma. Ou para um tratamento psicológico gratuito. Ou os dois. Acredita que todo mundo precisa de um grande amor para chamar de próprio.

Oii gente! Como vocês estão? Em Fevereiro minha mudança foi tão corrida que nem tive tempo de fazer uma wishlist decente pra postar aqui pra vocês. Mas aqui estou, trazendo nossos desejos consumistas de cada dia pra vocês. 

Esse mês vocês podem reparar que coloquei alguns itens pra minha nova casa, e ultimamente tem sido assim. Durmo e acordo sonhando com roupa de cama, roupão, lençóis (não coloquei isso ainda porque não tenho cama!). Ah! Nem coloquei os móveis porque se eu for colocar móveis, visto que minha casa não tem nenhum móvel ainda, essa lista seria só deles. 

Vamos ver?

Lista dos itens:

Gostaram? Qual a lista de vocês? Comenta ai!

2 comentários

Isabela Freitas tem 25 anos, mineira, atualmente em São Paulo, mas vive mesmo no mundo da Lua. Gosta do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas. Ah, ela adora signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. Autora dos livros "Não se apega, não" e "Não se iluda, não", e você pode comprá-los aqui. Juntos eles já venderam 500.000 exemplares e até hoje eu não acredito nisso.