Conte Sua História

beijei-o-ficante-da-minha-melhor-amiga

“Minha melhor amiga ficava com um menino. Eles ficaram 2 vezes apenas, mas ele se apaixonou por ela. No entanto, ela não quis nada com ele.

Então, em uma festa, eu o beijei. Isso já faz 2 semanas e eu não contei para ela. Ele contou para algumas pessoas e eu estou com medo dela descobrir, afinal é a minha melhor amiga e eu não quero perder essa amizade.

Mesmo ela não estando nem aí para ele, ela ficaria muito chateada por eu não ter contado.

Estou com medo dela descobrir, o que faço?”


Oi!

Bem, merdas acontecem. Quem nunca fez alguma, ainda mais em uma festa?

Não estou dizendo que foi certo, claro que não, mas já passou. Então não adianta ficar se culpando por isso.

O que você deve fazer – aliás, já deveria ter feito – é contar pra ela o quanto antes por vários motivos.

O primeiro é que, independente se ela gosta dele ou não, é (ou foi) o ficante dela. E você não deveria tê-lo beijado sem perguntar se ela se importaria.

Então se fez algo assim, tem que contar na hora.

O segundo motivo é que ela é a sua amiga e amizades valem mais que qualquer homem (ou mulher) com quem você se relacione. Amizades verdadeiras duram a vida inteira e não é um beijo que vai mudar isso.

Mas sabe o que pode mudar? A mentira e sim, omitir é o mesmo que mentir.

Você não pode esconder algo desse tamanho dela.

Mas o que mais me incomodou foi o fato que parece que você só pretende contar a ela porque tem risco de ela descobrir. Em momento algum, falou que poderia machucá-la ou fazê-la se afastar ou que está arrependida de tê-lo beijado.

Repense que tipo de amiga você é. Amigas de verdade contam as coisas, mesmo correndo riscos de se prejudicarem.

Sei que nesse momento várias “amigas” devem estar dizendo que é melhor não contar, que se falar pode acabar com a amizade, que “foi só um beijo”, que não vão ficar mais, etc.

Não dê ouvido às más influências. Fale com ela e peça desculpas por não ter contado antes.


Envie também a sua dúvida para: contesuahistoria@alexandrechollet.com Quem sabe ela não é respondida aqui?  Mas lembre-se: Eu talvez não fale o que você quer ouvir (ler), mas com certeza, vai ser o que precisa.

6 comentários

Consultor de relacionamentos. Fala a realidade "na lata", sem mimimi ou enrolação. Conta a mais pura e simples verdade, doa a quem doer. Criador do blog Cérebro Masculino. Envie sua dúvida para: contesuahistoria@alexandrechollet.com que ela pode ser respondida aqui no blog :)

“Estou namorando há 3 anos e 10 meses. Nesse tempo todo estou sou apaixonada pelo meu namorado, porem ele é todo ao contrário de mim. Sempre sai pra balada sozinho com os amigos (a) e nunca me avisa. Quando reclamo, ele sempre fala que é drama. Antes sempre conversávamos sobre tudo agora parece que tem uma barreira pra poder falar com ele… Eu faço de tudo por ele, agrado de todas as formas, quero ficar por perto dele, mas simplesmente se afasta de mim. Sempre dá prioridade aos amigos. Brigamos todo dia por causa disso e sinto que estou completamente perdida. Isso fere meu orgulho, pois me rebaixo tanto, chego a fazer o impossível para que ele tenha consciência. Mas tudo que faço é em vão. Não aguento mais ficar nesse “vai e volta” por sempre ter outra mulher para atrapalhar… O que faço pra tirar essa dor que está me afligindo?

L.”

Opa!

Deixa eu ver se entendi. Você está namorando com um cara que é solteiro. Digo isso porque ele tem atitudes de solteiro. Sai sem te dar satisfação, mal te vê, nem conversa e quando você reclama, diz que é drama.

Pra você conseguir sequer conversar com o seu namorado tem que implorar. Você faz tudo por ele, quer a sua companhia, mas ele prefere sair com os amigos do que ficar com você. E pra finalizar com chave de ouro, volta e meia aparecem outras mulheres para “atrapalhar”…

Brigam todos os dias, você se rebaixa fazendo o possível e o impossível para ele perceber que está agindo errado, mas é em vão.

Desculpe falar isso, mas sabia que você está em uma situação pior do que uma amante? Isso mesmo. A amante sabe que nunca será a “oficial”, que ele não estará presente em datas especiais, que não poderão ser nada sério nunca e nem será apresentada aos amigos ou familiares dele. Mas sabe o que ela tem e você não? O carinho do traidor fdp. Ele a trata muito bem e a faz feliz. E é por isso que ela aceita ser “a outra”. Agora você, aceita ser a oficial e não tem nada? Nem sequer o que uma amante tem? Mas que merda passa na sua cabeça?

Por que ainda fica com ele? É pelo sexo? É pelo beijo? Por carência ou você é tão ruim assim que nunca vai encontrar ninguém?

Você se acha tão pouco pra tolerar um otário desses? Você realmente acredita que ele não sabe que é errado o que ele está fazendo? Sério mesmo? Você também espera presente do Papai Noel no Natal?

É CLARO QUE ELE SABE! E ainda digo mais, provavelmente ele ainda comenta com os amigos o quanto você é submissa e ele pode fazer o que quiser contigo. E todos riem da tua cara felizes enquanto estão na balada pegando todas.

Eu nunca recomendo ninguém terminar um relacionamento, pois acho uma decisão pessoal.

Mas hoje direi com todas as letras:

A-C- A-B- E com esse moleque de merda.

Ele não merece o seu amor, o seu carinho e muito menos uma namorada como você. Sim, você vai se sentir mal, vai sofrer, vai bater a saudade. E sei que pode parecer difícil acreditar nisso no momento, mas pior do que você está não fica. Essa dor que sentirá longe dele será temporária e quando passar, você vai ser feliz como nunca foi. Garanto.

Você já sofre todos os dias e chegou a hora de acabar com toda essa palhaçada.

Pra facilitar, siga as dicas desse post: Como esquecer um otário

Beijos.

Ah, e se você, leitora, também quiser enviar a sua dúvida, mande pra contesuahistoria@alexandrechollet.com. Quem sabe ela não sai aqui. Mas lembre-se: Eu talvez não fale o que você quer ouvir, mas com certeza, vai ser o que precisa.

8 comentários

Consultor de relacionamentos. Fala a realidade "na lata", sem mimimi ou enrolação. Conta a mais pura e simples verdade, doa a quem doer. Criador do blog Cérebro Masculino. Envie sua dúvida para: contesuahistoria@alexandrechollet.com que ela pode ser respondida aqui no blog :)

ele-acabou-de-sair-de-um-relacionamento-longo

Oii Alexandre, tudo bem? Vi um texto seu e adorei! Gostaria de compartilhar com você um acontecimento do meu último relacionamento. Conheci um rapaz que tinha acabado de terminar um namoro de 4 anos e logo nos envolvemos. Ele passou a vim aqui em casa, conheceu minha família, conheci a dele e ele estava tão seguro sobre nós dois que queria algo sério. Eu, com muita expectativa em relação a isso. Passaram alguns meses e ele falou que estava confuso sobre nós dois. Pediu um tempo porque queria pensar melhor e fazia comparações entre eu e a ex. Pior ainda, disse na minha cara que sentia falta dela!!! COMO ASSIM? Me iludindo! Fiquei muito magoada e ainda não superei isso. Me fala algumas verdades porque eu estou precisando mesmo, por favor! Aguardando uma resposta sua, bjs!


Oi V, Tudo bom? Fico muito feliz por gostar dos meus textos. Vamos lá à sua resposta. Veja bem, eu não acho que ele te iludiu, sabia? Eu acho que ele SE iludiu. Calma, não estou falando que você não é uma boa namorada, mas que ele fez besteira. Deixa eu explicar melhor.

Quando alguém sai de um relacionamento longo, por mais que ache que não sente mais nada pela ex, ele vai sofrer um “baque”, afinal, a pessoa com quem ele passou tanto tempo simplesmente deixou de fazer parte da sua vida. Com isso, ele vai se sentir mal. Muito mal!

Então ele faz o que?

Fica em casa, passa um tempo com os amigos, fica bem e depois conhece gente nova, né? Bem, deveria, mas não! Ele vai pra balada, conhece alguém novo, se identifica e é aí que o problema acontece…. Passa a projetar nessa pessoa o relacionamento anterior e tudo que sentia pela ex. Como ele está acostumado com um relacionamento mais sério, vai querer isso também. Rapidamente. Ele precisa preencher o vazio que a ex deixou.

É por isso que as pessoas que passam por essa situação geralmente querem namorar logo, conhecer família, amigos e fazem planos futuros. Na cabeça dele, essa nova pessoa é simplesmente perfeita. Tem todas as qualidades da ex e nenhum dos defeitos dela. É muito melhor. Pra ele, encontrou o amor da sua vida e não poderia estar mais feliz. Ele realmente acredita nisso (e faz de tudo para acreditar), não está tentando iludir ninguém. Na verdade, só está tentando idealizar alguém para remendar o seu coração despedaçado. É uma espécie de fuga da dor.

Só que….. ninguém é perfeito e depois que essa ilusão que ele mesmo criou passa, e ele cai na realidade. Passa a ver os pequenos defeitos que todos temos e percebe que nem tudo era como ele imaginava… obviamente. Então finalmente percebe que estava imaginando uma pessoa perfeita – o que não existe –, enquanto na realidade estava projetando a ex na atual. Aí começa a ficar comparando (se não falar, ao menos na cabeça dele) as duas em tudo: comportamentos, atitudes, relacionamento e sexo. Inclusive alguns até imaginam a ex enquanto transam com a atual.

Horrível, né? Mas é o que acontece.

Depois disso, bate uma confusão na cabeça dele e o passo mais óbvio é pedir um tempo ou terminar. A história é sempre assim e acontece todas as vezes. 

Cansei de ver isso se repetir com amigas e amigos próximos, inclusive. Por isso que sempre digo: NUNCA, JAMAIS se relacione com alguém que acabou de sair de um relacionamento longo. Ele não está pronto. E também não se relacione assim que terminar um.

Então, pra você, recomendo ler o meu texto: “Como esquecer um otário” 

Beijos,

Alexandre

1 comentário

Consultor de relacionamentos. Fala a realidade "na lata", sem mimimi ou enrolação. Conta a mais pura e simples verdade, doa a quem doer. Criador do blog Cérebro Masculino. Envie sua dúvida para: contesuahistoria@alexandrechollet.com que ela pode ser respondida aqui no blog :)

Recebi esse email e decidi que seria legal compartilhar aqui no blog pra gente poder dar mais valor ao que realmente tem valor. Leia a história da nossa leitora e mude alguns pensamentos 🙂

“Oi, Bebela. Tudo bom? Eu sou a A.B. e tô aqui pra contar uma história. Um capitulo da minha vida que eu gostaria MUITO que você lesse. 

Eu tenho 16 anos e no meio do ano passado o meu cabelo caiu. Não de forma normal porque cabelo cai, né?  É que eu tive uma doença e ela me trouxe muita tristeza na época, porque eu não conseguia ver o quanto aquilo estava me fazendo amadurecer. Com o tempo meus fios foram caindo, e por onde eu passava tinha um mar de fios a minha volta. O inicio talvez não tenha sido a pior parte. Não que eu não tenha me desesperado, porque foi a primeira coisa que eu fiz. Mas é que, eu tive que aprender a lidar com isso. Eu  não sabia me acostumar com ele caindo, nem queria. E  por que ele caia? Simples, era uma doença relacionada ao sistema nervoso. Toda vez que eu ficava triste, ansiosa ou com raiva, ele caía. E caía fazendo estrago. Fios e fios no chão. 

A parte mais difícil foi ver que o tratamento era lento. Eu não iria ficar careca, mas ele só caía. Fui em médicos e todos diziam a mesma coisa. É alopecia, você tem que ficar calma. Mas poxa, ficar calma? Naquela época eu sentia cada vez mais desespero quando ele caía. Eu olhava no espelho e via aquelas falhas enormes. Essa doença estava tirando de mim uma das partes que eu mais amava, o meu cabelo. MEU cabelo. E ele era enorme, sabia? Mesmo. Até que um dia eu quis doá-lo. Doei tudo e isso até ajudou no meu tratamento. Me vi tomando remédios e mais remédios todo dia. Passando creme e loções na cabeça. Fazendo exames. Ate que um dia, ele cresceu. E foi umas das notícias mais felizes que eu tive. Desculpe informá-la, mas essas palavras me trazem lágrimas. Não de tristeza, mas por um filme estar passando na minha cabeça e ver por quantas dores tive que passar. Doeu muito, viu? 

Ele crescia, mas caía. Aquela luta ainda não tinha terminado. Infelizmente. Mas eu procurei me ocupar e esquecer. Deixei os fios irem. Fui tratada por médicos e residentes que só me deram mais certeza da profissão que eu queria seguir. Medicina. Eles tiveram tanto carinho comigo, por que não fazer o mesmo?

Mas ele caía e caía. Cada vez que eu ficava mal, vários fios iam para o chão. E as falhas? Pior parte. Eu queria que ninguém visse, que ninguém sentisse pena de ver aquele cabelão se tornando pequeno. Me chamavam de maluca por ter cortado, mas pra mim, eu só tinha feito bem dando para quem precisava. 

Hoje estou aqui, algum tempo depois. Naquela época eu tinha na cabeça que doenças só serviam para nos machucar, mas não só por fora e sim, por dentro. Passei bastante tempo machucada. Tive ajuda de um anjo chamado amigo, e que está comigo até hoje  (namorando até, hahahaha) e de outros anjos da minha familia, mas encontrei meu remédio na felicidade. Meu cabelo só iria crescer e parar de cair se eu deixasse esse sentimento tomar conta de mim. É claro, ninguém é feliz o tempo todo. Mas procurei ser feliz e despreocupada. Me divertir e principalmente, ver o lado bom das coisas. Com o tempo fui descobrindo que existia outras coisas que faziam ele cair, mas eu estou feliz, sabe? Ele cresceu e eu quase não vejo falhas. Essa doença me fez ser a pessoa forte que sou hoje. Me ajudou escolher a profissão que eu vou amar. E eu posso dizer, transmito felicidade e amor. Sou controlada e não me desespero tão facilmente, graças ao meu cabelo. Infelizmente a doença atacou a minha parte mais amada: meu cabelo. Hoje ele está aqui cheio de brilho. 

Então se um dia alguém ousar em falar que o cabelo te irrita, quer cortar, não gosta dele porque não é do jeito que você queria. Pode ter certeza, ele é exatamente do jeito que deveria ser. Eu aprendi na dor, mas quero passar pra você que está lendo e pra outras pessoas que não precisa ser assim. Basta se amar. Amar cada parte de si. E deixa o resto acontecer. Parecia ser até injusto ficar tão mal naquela época, porque eu sei, existe tantas doenças piores por ai. E eu não tive nada pior, graças a Deus. 

Então, Bebela, se você chegou até aqui e leu isso tudo. Muito obrigada. Por cada palavra do seu livro que me ajudou bastante nessa fase. Você é uma escritora e tanto e merece todo sucesso do mundo! Queria sua ajuda para mostrar para as pessoas que elas deveriam se amar mais, se cuidar mais e amar   cada parte de si. 

Com amor, de uma fã.”

31 comentários

Isabela Freitas tem 25 anos, mineira, atualmente em São Paulo, mas vive mesmo no mundo da Lua. Gosta do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas. Ah, ela adora signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. Autora dos livros "Não se apega, não" e "Não se iluda, não", e você pode comprá-los aqui. Juntos eles já venderam 500.000 exemplares e até hoje eu não acredito nisso.

Para os que não conhecem, a coluna Conte Sua História é o espaço onde eu publico algumas histórias que recebo por email com meus conselhos, e convido os leitores do blog a aconselharem também. Vamos ler a história de hoje?

,

“Olá Isa, me chamo M, tenho 23 anos e meu namorado também. Já faz um tempo que preciso de uma opinião, ou melhor, tomar uma atitude. Namoro há 5 anos, e meu namorado hoje em dia está muito diferente. Ele sempre foi carinhoso, legal, mostrava que se importava e hoje em dia é como se ele não gostasse mais de mim e estar comigo seja apenas algo cômodo para ele… Não me liga nunca, mensagem só manda quando ele precisa de alguma coisa, quando brigamos ele me ofende e nem pede desculpas mais, e na última briga que tivemos ele chegou a me dar “meio que um tapa” no rosto. Ele tem Facebook e Instagram, mas eu sou bloqueada nos dois porque ele diz que eu só coloco merda no meu face, e ele não quer ver. Mas eu acho que não é isso não, porque no antigo face dele tinha fotos nossas e tudo mais.. aí ele excluiu e fez outro, e adivinha? Nesse não tem nada de fotos da gente juntos! Parece um solteirão. Parece que ele não quer que ninguém saiba que ele namora. E tudo que eu faço pra ele, só o fato de perguntar  “Ei, que horas vem aqui pra casa?” ele já se irrita e diz que eu só encho o saco. Já falei várias vezes: quer largar? LARGA de uma vez! E ele diz pra eu não encher o saco, e que se ele quisesse largar já teria largado. Hoje sou uma pessoa que nunca fui, sou insegura, ciumenta, mas me seguro ao máximo para não demonstrar… Sou tudo que ele era no começo, é como se os papéis tivessem se invertido, sabe? Eu acho que ele gosta de mim, mas não faz mais questão… E quando eu penso em largar me dá uma agonia monstra, fico mal! E isso é tão ruim =/ Ah, esqueci de dizer: eu sei a senha do face dele e ele não sabe que eu sei. Esses dias vi uma conversa dele com um amigo e ele disse que queria ficar “maromba”, que estava fazendo academia naquele lugar porque tinha “mais carne pra olhar” e em outra parte perguntou, “as minas piram num maromba?”, não gostei disso e não posso falar nada porque senão ele descobre que eu sei a senha dele. Eu acho que quando se ama você não fica se importando se outras pessoas se interessam por você, certo? O que você acha Isa? Estou tão perdida e minha autoestima está cada dia mais baixa… Nesses 5 anos eu engordei uns 25 kilos e hoje estou focada em eliminar tudo e ter minha autoestima de volta. As vezes acho que é isso! Não consigo largar dele por medo de ficar sozinha.  Nesses 5 anos já terminamos 2 vezes, mas sempre ele vinha atrás e eu voltava… Tivemos uma briga esses dias e perguntei se ele tinha se arrependido de ter voltado pra mim, e ele disse que sim, mas depois disse que falou isso apenas porque eu fiquei enchendo o saco dele. O que você acha de tudo isso? Me ajudem!”

 

,

O MEU CONSELHO?

Oi, M, tudo bem? Pra começo de conversa, vamos focar em você. Você disse que nesses últimos anos engordou 25 quilos. Não sou nenhuma juíza para dizer que estar mais gordinha, ou mais magrinha é o certo, mas com certeza esse ganho de peso nesse pouco tempo é assustador em termos de saúde. Você deve estar com algum problema além do seu relacionamento, seja hormonal, seja na cabeça (muitos problemas começam aqui!), enfim. Primeiramente você deve se cuidar, sabia? Pode parecer que não, mas relacionamentos não devem estar em primeiro lugar na nossa lista de objetivos. Então procure um médico, um endocrinologista, veja com ele se está tudo certo. Se preciso vá a um nutricionista, e tente focar em alguma dieta que vá te fazer bem, que vá te motivar. Sei que quando estamos com a autoestima baixa sequer temos vontade de levantar da cama. Quem dirá de ir malhar, se cuidar… Mas você precisa tentar. Até porque, e não me entenda mal, não estou apoiando as atitudes do seu namorado, mas ninguém gosta de uma pessoa “entregue”, uma pessoa que não se cuida, que não se ama. Certo?

Seu namorado com certeza se importa com você, de alguma forma bem estranha. E é por isso que ele não tem coragem de terminar o relacionamento de vocês. Ele ainda quer tê-la por perto, e provavelmente o dia que perder você de vez, vai ver o quanto faz falta. Mas é claro! Onde no mundo ele vai arrumar uma namorada que aceite o que ele faz com você? Que aceite ele viver uma vida de solteiro, te ter bloqueada no Facebook, e ainda por cima poder dar uma passadinha na sua casa pra um sexo casual mesmo depois disso tudo? Que namorada vai aceitar que ele dê um tapa nela, levante a voz pra ela, e critique tudo o que ela faz? Entende? O que você faz por ele, NINGUÉM deveria fazer por ninguém no mundo. Porque ao fazer isso, você se anula, você grita ao mundo que não se importa em ser tratada como um lixo, porque você é mesmo.

Então voltamos ao ponto inicial dessa conversa, MUDE. Mude você. Mude o seu sentimento por você. Se ame, se valorize, saiba o seu valor. Saiba que você não é chata, não é idiota por ter essas inseguranças, e por falar o que pensa. Você está certíssima! Não se deixe ser manipulada de tal forma a achar que não vale ser quem você é. Você é incrível! 

E para começar a sua nova vida, e se salvar desse buraco sem fim em que você se enfiou: deixe esse cara pra trás. Sério. Termine o relacionamento e corte todos os laços existentes com ele. Porque se quer saber, é ele que está te colocando pra baixo. E você, M, merece MUITO MAIS!

,

E você? Já passou por isso? Qual o seu conselho para a M.? Deixa ai nos comentários! Vamos fofocar 😛

136 comentários

Isabela Freitas tem 25 anos, mineira, atualmente em São Paulo, mas vive mesmo no mundo da Lua. Gosta do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas. Ah, ela adora signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. Autora dos livros "Não se apega, não" e "Não se iluda, não", e você pode comprá-los aqui. Juntos eles já venderam 500.000 exemplares e até hoje eu não acredito nisso.

Para os que não conhecem, a coluna Conte Sua História é o espaço onde eu publico algumas histórias que recebo por email com meus conselhos, e convido os leitores do blog a aconselharem também. Vamos ler a história de hoje?

conte-sua-historia-nao-sei-o-que-fazer-da-vida

“Olá Isa, meu nome é A., tudo bem? Amo muito seu trabalho e te admiro demais por ser quem é. Enfim, sei que não é nenhuma psicóloga mas sei que pode me ajudar como tem ajudado tantas outras, não vim falar sobre amor, coração partido nem nada disso. A questão é a seguinte: tenho 20 anos e estou sem saber o que fazer daqui pra frente. Terminei o ensino médio e não entrei em faculdade alguma por não saber o que fazer, ou até sabia o que fazer porém minha mãe me desanimou totalmente do que eu queria. Mas agora essa ideia do que eu queria fazer voltou com toda a força, e agora sei que posso bancar pelo menos uma parte do curso pois estou trabalhando. Queria muito seu conselho pois estou muito em dúvida se devo ou não fazer o curso, sinto que minha vida está parada e não me sinto nem um pouco feliz por isso. Espero que leia meu email e obrigada desde já!”

O MEU CONSELHO?

Oi, A. Tudo ótimo, e espero que com você também. Vou dizer de uma vez: quase nenhuma pessoa sabe o que está fazendo da sua vida aos 20 e poucos anos. Eu “me descobri” aos 21 anos, e até hoje agradeço a tudo o que me levou a percorrer esse caminho, porque se eu tivesse percorrido o caminho que julgava ser o certo (faculdade de Direito), eu nunca descobriria meu verdadeiro dom (o da escrita, e comunicação), e nunca saberia quem eu sou de fato.

Você me disse ali em cima que sabe o que quer, e que desanimou pois sua mãe não te encorajou. Olha: nossos pais nem sempre sabem o que é melhor pra gente. Às vezes eles projetam o que eles queriam ser, o que eles queriam que nós fossemos, e só quem sabe o que é melhor pra gente, é… Adivinha? Nós mesmos. 

Se você pode bancar uma parte do curso, converse com sua mãe de mulher para mulher. De peito aberto. Diga suas vontades, seus desejos, coloque as cartas na mesma, e peça para que ela te ajude a realizar a sua vontade. Ela é sua mãe, e apesar de tudo, vai te apoiar sempre! 

Não estagne a sua vida por medo de arriscar. Arrisque. E se não der certo… Arrisque de novo. Comece de novo. Nunca é tarde para ser feliz! Lembre-se disso.

E você? Já passou por isso? Qual o seu conselho para a A.? Deixa ai nos comentários! Vamos fofocar 😛

44 comentários

Isabela Freitas tem 25 anos, mineira, atualmente em São Paulo, mas vive mesmo no mundo da Lua. Gosta do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas. Ah, ela adora signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. Autora dos livros "Não se apega, não" e "Não se iluda, não", e você pode comprá-los aqui. Juntos eles já venderam 500.000 exemplares e até hoje eu não acredito nisso.

 

conte-sua-historia-acho-que-meu-namorado-era-um-psicopata

 

Oi Isa, sou apaixonada pelo seus livros e estou sempre acompanhando o seu blog e te acho muito linda. Tenho certeza que a minha história é a mais estranha já lida por você. Bom, me chamo P, tenho 18 anos e namorei por 9 meses (a distância), devo assumir que foram os meses mais complicados da minha vida. Para entender melhor tudo o que passei vou descrever como era o meu ex namorado. Ele era muito machista, prepotente, ciumento, autoritário e soberbo, enfim, eu era obrigada a aceitar todas as suas exigências e caso o contrário eu era punida. Antes de pedir para me namorar ele disse que nosso relacionamento seria uma ditadura, isso mesmo: DITADURA. Eu era louca e apaixonada e caí de cabeça. No começo era tudo mais fácil, mas com o tempo as coisas só pioraram, fui obrigada a excluir meu instagram, parar de postar fotos no facebook e nada de snapchat. Mas apesar de tudo isso eu ainda era louca por ele, me agarrei nos momentos bons e ignorei totalmente essas coisas. Até que minha ficha caiu, eu chorava praticamente todos os dias e minha vida começou a girar em torno dele. A todo momento eu era manipulada e ele controlava a minha vida toda. Fazem algumas semanas que ele terminou comigo por causa de escola, porque ele viria me ver com menos frenquencia, chorei muito mas senti um grande alívio. Um dia após o término fiquei sabendo de muita coisa, ele me traía com meninas de 13 anos, ia para festas escondido e bebia horrores. Ao descrevê-lo esqueci de dizer que ele era famoso por ser MUITO galinha. Me senti uma completa idiota, porque eu realmente fui, nunca tive coragem de terminar com ele. Passei 9 meses da minha vida obedecendo um cara que me traía. Bom Isa, muita gente me disse que ele estava comigo só por eu ser muito bonita, mas ninguém sabe desse jeito que ele era comigo, mas 9 meses é muito tempo (na minha opinião), o que esse cara realmente queria comigo?  OBS: Ele disse que me amava.

Oi, P, tudo bem? Posso ser cruel com você assim de cara? Dizer que te ama não quer dizer nada. Muitas pessoas falam isso da boca pra fora, acredite. Eu mesma já falei "eu te amo" da boca pra fora quando era mais nova. É muito fácil "amar" quando somos jovens, amamos num dia ardentemente, e no outro vemos que não é nada disso. Como você mesma disse, você é muito bonita. Ele pode ter ficado esse tempo todo com você porque te achava bonita, legal, e mais várias qualidades que você deve ter. Mas o problema não era a sua parte do relacionamento, o problema estava nele. Não acredito que ele era/é um psicopata, você sabe a definição de um?

Um psicopata é caracterizado pelo sentimento de desprezo por obrigações sociais ou falta de empatia para com os outros. 

Pode ser que ele seja, pode ser que ele não seja. Mas um cara ser babaca com você, não necessariamente o caracteriza como um psicopata.

É desumano escutar histórias como as sua, de meninas que se submetem a viver como escravas dos homens, e a fazer tudo que eles mandam. Você realmente achava que focava nas coisas boas? Que coisas boas? Ele te beijar, e falar que te amava? Essas eram as coisas boas? E a sua submissão? E a ditadura? E a sua vida (que já não existia mais)? As coisas ruins sobressaiam sobre as boas. As boas, que sinceramente, eu sequer enxergo. Não vou dizer que você foi culpada disso tudo, porque você estava cega, mas antes de abaixar a cabeça para as pessoas, lembre-se do que estou te falando: você não deve fazer isso para estar ao lado de alguém. A pessoa tem que te aceitar 100%. Com todos seus defeitos, qualidades, e toda sua VIDA. Seus amigos, suas redes sociais, seus sorrisos nas fotos, TUDO. Nunca mude para conquistar alguém, porque a consequência disso pode ser você ''sumindo'' dia após dia. 

Espero que você não volte para esse louco, e para que ele amadureça, cresça, e ache alguém que o faça sofrer tanto quanto você sofreu. Ele te traía porque não dava valor algum a relação, ou a você. Mas isso você já sabia, não é? A partir do momento em que ele te proíbia de ter a sua independência, te trair já não era tanta surpresa assim. 

Fica bem, se valorize, se ama. Não se submeta a mais ninguém. Bola pra frente que você vai achar um relacionamento de verdade, porque isso que você teve, sequer foi um relacionamento. Um relacionamento é formado por duas partes, e sinceramente no seu eu só conseguia enxergar uma. A dele. 

E vocês, o que podem dar de conselho para a P.? Já passaram por isso? Deixa ai nos comentários pra gente conversar! Beijos

30 comentários

Isabela Freitas tem 25 anos, mineira, atualmente em São Paulo, mas vive mesmo no mundo da Lua. Gosta do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas. Ah, ela adora signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. Autora dos livros "Não se apega, não" e "Não se iluda, não", e você pode comprá-los aqui. Juntos eles já venderam 500.000 exemplares e até hoje eu não acredito nisso.

 

conte-sua-historia-meu-professor-da-em-cima-de-mim

Oi, Isa! Me chamo MM, amo seu trabalho e acompanho o canal e os posts no blog. To louca para comprar o próximo livro hehe. Então, estou passando por uma situação bem delicada e não sei como lidar com ela direito. Sou leonina (morra de inveja rsrs) com áries, tenho 14 anos, (faço 15 dia 4 de agosto), e estou no 1o ano. Sou muito comunicativa, gosto de brincar e também estudo muito. Meu professor de Geografia (também leonino) tem 31 anos, é muito brincalhão, tem uma tatuagem escrita "Jesus Cristo" enorme no braço e é meio "nem" (não sei se o pessoal aí conhece esse adjetivo… Mas aqui no Rio, "nem" é aquele estilo de pessoa que tira foto no espelho com flash e acha que tá sensualizando). Ele fala coisas até mesmo "sem noção", como por exemplo a marca da cueca que usa e sobre as namoradas. É do tipo de professor que gosta de ser engraçado. Todos os alunos o adoram, porque além das palhaçadas, conversa muito sobre a vida com a gente. Confesso que faz algum tempo que falo com o pessoal lá da turma que ficaria com ele, caso fosse mais velha. Eles adoram por pilha, e eu acabo entrando na onda. Na aula dele sou sempre o centro das atenções, o alvo das brincadeiras. Ele dá umas piscadinhas pra mim, vive me abraçando e dizendo que sou linda. Inclusive na festa Junina dançamos juntos, ele me pegou no colo e caímos feio no chão. Só que essa história já está passando dos limites. Ontem foi meu último dia de aula com ele do semestre. Então ele me chamou num canto e falou no meu ouvido "Queria muito ficar com você." Fiquei tremendo, sem reação, e falei "Você ta maluco né! Não, cara, não". Ele continuou e falou que é meu professor e isso envolve questões éticas, por isso não poderíamos ficar, mas que queria demais. Então eu falei que também há a questão da idade. Ele falou que isso é o de menos. Que se não fosse meu professor, poderíamos até dar certo. E ainda disse que sabe que a turma põe pilha mas que no fundo, é sério. Estou em choque até agora, não sei o que pensar. Mais tarde ele enviou uma mensagem dizendo que sou uma menina de ouro, que tem um enorme carinho por mim, e para não interpretá-lo mal, e repetiu que existem questões éticas envolvidas. Respondi que tenho uma grande consideração e carinho por ele também, e só. Sei que homens dessa idade só querem tirar vantagem de menininhas da minha idade. Estou muito confusa, porque apesar de tudo, ele agiu corretamente ao dizer que não poderia ficar comigo. O que ele fez de errado foi dizer que ficaria comigo se não tivéssemos a relação aluna-professor, sendo que ele ainda tem namorada (estão juntos há 3 anos em um vai e vem). Mas se ele chegar em mim no 3o ano, quando não for mais aluna dele?. Não sei se ficaria com um cara que ficaria/provavelmente comeria meninas de 15 anos. Mas apesar de tudo, sei que ele é uma pessoa boa e que realmente poderia dar certo daqui uns 3 anos. Não sei como me comportar nas aulas dele. Se é melhor ficar calada e ser grossa, ou continuar a brincar, só que sem brincadeiras de duplo sentido e chamá-lo para conversar e dizer que eu nunca ficaria com ele com essa idade. Talvez se eu for grossa e ficar calada, ele possa achar que a conversa me abalou muito. Nossa próxima aula é só depois das férias (provavelmente ele já tinha planejado essa nossa conversa no último dia), no dia do meu aniversário. Com certeza a turma vai cantar "com quem será" com ele. Não sei se é melhor contar para as pessoas da sala, ou é melhor ficar calada, apesar de já ter contado para os mais íntimos. Me ajuda!!!!! Não sei como me comportar, como agir, se posso confiar. O que devo fazer???? Ps: vou mandar esse e mail várias vezes até você me responder.

Oi, MM, tudo bom? Não sei se hoje estou com a pá virada, mas o que mais senti ao ler esse email foi um certo nojo… Não senti em momento nenhum que ele realmente se importa com você, ou que realmente gosta de você da maneira mais adequada e sincera. Poxa, você tem apenas 14 aninhos, falta um pouco de respeito da parte dele, e da sua parte também de colocar um certo limite. Essas zoações de turma não acontecem se você não quiser que aconteçam, você entrava na brincadeira, ria, e até gostava (entendo, nós mulheres gostamos de nos sentir desejadas), mas sinceramente?

Ele tem namorada! Namorada! E isso de que eles vão e vem, não acredite, porque ele pode muito bem dizer isso para passar uma certa imagem de que "ah, meu relacionamento não está bem… por isso eu te procuro, e quero ficar com você". MM, ele é um homem, e sabe muito bem como te enganar, e te levar no papo. Se ele está com a namorada até hoje, é porque gosta dela. E indo um pouco mais além, acho que se ele fez isso com você, nada impede de que ele faça com outra aluna. Você não precisa disso. Não mesmo. Não vá arrumar problemas com um cara comprometido e que provavelmente só está atrás de uma aventura, e de sexo com uma menina bonita a quem ele dá aulas. 

Acho que sim, você deve evitá-lo, ser grossa, e colocar seus limites. Converse com seus colegas e explique sua situação. Não faça nada de que você vai se arrepender no futuro. E se envolver com uma pessoa como ele, dificilmente será algo que dará certo e te trará coisas boas. Se realmente for verdade, o que duvido, no futuro vocês se encontram.

Um beijo, e espero que goste do conselho. Hoje eu to um pouco malvada. HEHE.

E você? Qual o seu conselho pra MM? Já passou por isso? Vamos conversar nos comentários!

60 comentários

Isabela Freitas tem 25 anos, mineira, atualmente em São Paulo, mas vive mesmo no mundo da Lua. Gosta do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas. Ah, ela adora signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. Autora dos livros "Não se apega, não" e "Não se iluda, não", e você pode comprá-los aqui. Juntos eles já venderam 500.000 exemplares e até hoje eu não acredito nisso.

Para quem não conhece, a coluna Conte Sua História é uma coluna onde eu pego uma história que me mandam por email (isabelafreitascontato@hotmail.com), coloco aqui no blog (sem divulgar nomes, fiquem tranquilos!), e dou um conselho como uma amiga/amigo faria com você. Só peço que não mandem histórias muito extensas senão fica difícil de responder e analisar. Contem o caso de uma forma geral, sem coisas do tipo "No dia 3/4 de 2012 ele me beijou". Hahahaha. Combinado?

large-443

Oi Bebela! Tudo bem? Sei que você já deve ter lido/ouvido/presenciado vários casos de meninas que nem o meu. Mas vamos lá. Sou a M.G, tenho 20 anos e nunca namorei na vida. No começo fui me sentindo a "anormal" afinal, todas as minhas amigas já namoraram ou namoram. Mas sabe? Depois de ler muitos textos escritos por você eu aprendi a me conformar com isso. O problema é que todo relacionamento que eu me envolvo eu nunca me entrego totalmente as pessoas. E acho que isso pode ser um problema né? E odeio isso. Nunca fui de me apaixonar por ninguém, nunca fui intensa demais e isso me prejudica. Canso fácil das pessoas, o que pode ser pior ainda. Estou ficando com um menino e tivemos um discussão exatamente por isso. Por eu nunca saber fazer o possível e o impossível pra nossa relação dar certo. E não é porque eu não demonstro, que eu não sinto, entendeu? A questão está ai, eu sinto. Só não sou de demonstrar. É simplismente o meu jeito de não ser intensa demais. Você poderia me ajudar? As vezes acho que eu sou a única do mundo que passa por isso e que nunca vou me apaixonar por ninguém. Obrigada desde já, te acho linda e incrível! Beijinhos ?
Oi, M.G, tudo bom? Me abraça, você é uma fofa. Te entendo completamente, eu já escrevi um texto aqui no blog que se chama "Demonstrar sentimentos ou provar com atitudes?". Escrevi esse texto a quatro anos atrás, nossa, parece que foi ontem. E a quatro anos atrás eu era exatamente como você. Não conseguia expressar para as pessoas o quanto gostava delas, não sabia "como sentir", ou como me manter interessada em alguém. Enjoava fácil, queria agora, daqui a pouco já não queria tanto… E isso é incrivelmente normal. Você não está sozinha, sei disso porque aposto um rim (OPAAA), que muitas meninas vão comentar aqui embaixo dizendo que sentem exatamente o mesmo. Da mesma forma que é um problema se entregar demais, e sentir demais, pode ser um problema também não sentir tanto. Sei disso.
 
Parte do meu texto de 2011.
 

"Odeio pessoas que cobram ouvir o dia inteiro o quanto gostamos delas. Acho que se parássemos pra prestar atenção em cada detalhe e em cada gesto, saberíamos muito bem como a outra pessoa se sente em relação a nós. Eu posso não ter capacidade de dizer "Eu te amo", mas se lembra quando eu te ligava de madrugada morrendo de saudades? Querendo te ver? Esse era meu jeito de dizer que eu te amava. Eu posso não ter a capacidade de dizer que morreria por você,  mas lembra quando você arranjou uma briga no meio da boate e eu entrei na frente? Pois é. Posso não conseguir dizer o quanto você é incrível e que te admiro demais, mas sabe quando eu fico te olhando com um sorriso bobo e você pergunta "Que foi?".. Esse é meu jeito de mostrar o quanto te admiro. Posso não ser a pessoa mais sentimental do mundo e nem a mais meiga das mulheres que você já conheceu, mas te garanto um carinho nas horas em que você estiver triste e um abraço quando você mais precisar. Nunca consegui te dizer que não queria te perder e que queria você para sempre, mas se lembra dos abraços apertados que eu te dava? Então. Gestos que demonstram tudo. Tudo aquilo que eu não consigo te dizer."

Não posso dizer que hoje sou uma pessoa extremamente sentimental, que digo aos quatro cantos o quanto amo quem está ao meu lado, e que sou romântica como nunca fui. Não. Eu ainda sou a mesma pessoa. Aquela que não sabe expressar direito o que está sentindo. Mas que tenta. Tenta porque sabe que fazer isso faz o outro feliz. E porque talvez eu tenha encontrado alguém que me desperta a vontade de dizer ao mundo o quão feliz eu sou.
 
Você ainda não encontrou essa pessoa. A pessoa que vai te arrancar palavras que você nunca imaginaria um dia proferir. A pessoa que vai aflorar todos os sentimentos bobos e tolos dentro de você. E enquanto isso, você continua vivendo. Do seu jeitinho. Demonstrando como pode. E quem não achar isso suficiente, bem, não é a pessoa "certa" para você. Vida que segue. 
 
Nesse meio tempo, escute a música "Please Dont Say You Love Me" da Gabrielle Aplin. Ela expressa bem tudo isso que você, eu, e todas nós sentimos as vezes.
 

E vocês? Já se sentiram assim? Vamos conversar e trocar ideias nos comentários 🙂 podemos nos ajudar dessa forma. Beijo!

 
42 comentários

Isabela Freitas tem 25 anos, mineira, atualmente em São Paulo, mas vive mesmo no mundo da Lua. Gosta do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas. Ah, ela adora signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. Autora dos livros "Não se apega, não" e "Não se iluda, não", e você pode comprá-los aqui. Juntos eles já venderam 500.000 exemplares e até hoje eu não acredito nisso.

Para quem não conhece, a coluna Conte Sua História é uma coluna onde eu pego uma história que me mandam por email (isabelafreitascontato@hotmail.com), coloco aqui no blog (sem divulgar nomes, fiquem tranquilos!), e dou um conselho como uma amiga/amigo faria com você. Só peço que não mandem histórias muito extensas senão fica difícil de responder e analisar. Contem o caso de uma forma geral, sem coisas do tipo "No dia 3/4 de 2012 ele me beijou". Hahahaha. Combinado?

large-414

Olá Isabela! Sou a LB. Antes de mais nada, quero dizer que sou péssima em português e em expressar. Talvez não vá entender muito o que eu quero te passar. E sinceramente se não entender, não tem problema, preciso desabafar. Tenho 25 anos, sou insuportável de viver perto, sou chata, ignorante, bruta, tudo que você possa pensar. Talvez nem seja isso tudo, mas consigo só enxergar isso em mim. Sempre tive crise existencial, juro que não entendo porque vim pra esse mundo, me acho inutil, e ultimamente tem sido cada vez mais presente e forte essas crises. Nem sei se posso me caracterizar como uma pessoa depressiva, mas hoje em dia só tenho vontade de chorar. Viu, não sou nada fácil. 

Tenho 3 irmãos, sou a terceira, perdi meu pai com 11 anos de idade, nunca consegui ter um relacionamento bom com ela, brigo demais, sei lá não sei explicar minhas atitudes em relação a isso, minha mãe é um amor de pessoa, todos a amam, querem tê-la por perto, mas eu não consigo estabelecer um relacionamento com ela onde eu possa confiar. Não sei te explicar. Eu queria tanto conseguir soltar o que está aqui dentro, conseguir colocar em palavras, preciso de ajuda, eu tô pra dar um fim em tudo…
 
Eu não consigo ter prazer de estudar, trabalhar, de viver, queria gritar pra todo mundo ME AJUDA! Mas não consigo. Eu sei que se eu gritar todos irão querer saber porque eu quero ajuda, mas eu não saberei explicar. Só nasci pra errar, juro que até nas coisas que acerto eu erro. Não tenho amigos, nunca tive. Sempre consigo escapar, tenho essas atitudes agressivas… Porque pra mim todos irão me trocar, me abandonar, cara… Eu to escrevendo agora enquanto algo aperta o meu peito, porque enquanto escrevo pra você, estou tendo outra discussão com a mulher que eu mais amo. Isabela, você entende isso? Eu amo ela demais, meu medo é perdê-la, um dia não ter ela mais aqui… Mas não consigo, não consigo expressar isso, e nesse momento Isabela, penso em dar um fim a tudo isso. Eu não nasci pra ser FELIZ…
L.B, tudo bem? Sei que não sou nenhuma profissional para diagnosticar você, mas posso te dizer como uma amiga que você deve procurar um médico psiquiatra para saber que mal que te assombra. Se é depressão, bipolaridade, não sei. Eu realmente não posso te dizer. Mas alguma coisa dentro de você fica te dizendo que você não é suficiente, que você é ruim, que você nunca vai conseguir ser feliz. OXI! Que absurdo. Você é uma garota magnifíca, não tenha dúvidas disso. Não tenha vergonha de ser quem você é, esse seu jeito de querer afastar as pessoas, de se dizer agressiva… Para com isso. Você não é agressiva. Me mandou um email, está pedindo ajuda… Você é uma garota como qualquer outra!
 
Só que você tem medo de não corresponder as expectativas das pessoas. E eu entendo isso. Entendo que pode ser assustador viver com o medo de não ser o que todos querem que nós sejamos. Mas você precisa colocar na sua cabeça que você pode mais. BEM MAIS. Você tem 25 anos, olha que idade maravilhosa. Por que não conhecer pessoas novas? Fazer amigos? Não é tarde para isso. Nunca é. Sabia que aos meus 19 anos todas minhas melhores amigas viraram a cara para mim? E o que eu fiz? Me repreendi? Me senti a pior pessoa do mundo? Me fechei para o mundo? Não! Eu fiz novas amizades. Entende? Nunca é tarde para começar de novo. Você pode começar de novo… Abandonar todas essas memórias que te assombram. Abandonar a imagem que você tem de você mesma. Seja quem você quiser ser.
 
Trabalhe, estude, se dedique a um hobby, faça aulas de alguma coisa, qualquer coisa. Tudo para que você se insira em algum meio social. E aí conheça pessoas… Se permita gostar das pessoas… Elas podem ser incríveis. Te garanto. E não vão te abandonar se você der boas razões para que elas continuem. 
 
Quanto a sua mãe, por que você não escreve uma carta para ela, dizendo tudo exatamente da forma em que você me disse aqui? Você não se abriu comigo? Então! Se abra com ela. Se você não consegue falar, que seja escrevendo… Mas você precisa dizer o quanto a ama. O quanto seus sentimentos se confundem as vezes. O quanto você precisa (e ela vai te ajudar com isso) de ajuda. Me promete que irá fazer essas coisas?
 
Nunca pense em dar um fim a sua vida. NUNCA. Você vai ver que com esse post muitas outras pessoas te dirão o mesmo, e quem sabe até não faz algumas amizades na internet? Sei que tem muita gente legal por aí 🙂 basta querer.
 

E você, qual o seu conselho para a LB? Fiquei preocupada com ela também. Toda a ajuda de vocês é indispensável. Comentem.

25 comentários

Isabela Freitas tem 25 anos, mineira, atualmente em São Paulo, mas vive mesmo no mundo da Lua. Gosta do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas. Ah, ela adora signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. Autora dos livros "Não se apega, não" e "Não se iluda, não", e você pode comprá-los aqui. Juntos eles já venderam 500.000 exemplares e até hoje eu não acredito nisso.