Banheiro Feminino

Banheiro Feminino é uma coluna onde seis mulheres experientes (Oi?!) dão suas opiniões (nada certas) sobre coisas da vida. Se você é daqueles que gosta de fofocar no banheiro, vem ler e fofocar com a gente.

 

Conheça as participantes:

,Escrevi um livro sobre não se apegar, se apegaram. Escrevi um livro sobre não se iludir, se iludiram. Acho que agora vou escrever um livro sobre ser trouxa, pra gente parar de ser trouxa. Que tal? Moro um pouco em Juiz de Fora, um pouco em Presidente Prudente, e um pouco no aeroporto. Tenho 24 anos, mentalidade de 17, e sou uma eterna apaixonada pela vida. ,Podem me chamar de Carol, só pra eu me sentir mais em casa. 21 anos, virginiana, nada normal, com um coração enorme, pseudo-engenheira (que só é exata na parte da faculdade, porque na parte sentimental…), tentativa de blogueira, intensa demais, sincera demais, romântica demais, conselheira demais, individualista demais, amiga demais, sonhadora demais só que incrivelmente realista (por mais irônico que pareça), viciada em snaps, em fotos, em sorrisos, em flores, em pessoas, em palavras, mas principalmente em atitudes.,tem 20 anos, é carioca, estudante de direito, metida a escritora (http://annaluizaschmidt.blogspot.com) nas horas vagas e Fluminense de carteirinha. Envolvida por 36 séries de TV, pelo twitter (http://twitter.com/annasschmidt_), por música de todos os tipos, livros em todas as suas formas, por filmes sci-fi e pelo Rio. Impulsiva, confusa, piadista em horas inapropriadas, frequentadora oficial da noite carioca, apaixonada por tudo e por nada e pra resumir: libriana na essência da palavra.,25 anos. Gaúcha, contadora, pós graduanda e de quebra técnica em enfermagem com o jaleco já aposentado. Teimosa de doer e de personalidade forte, não é a toa que carrego o sangue alemão. Faço jus a ele. Amo demais o meu trabalho, livros, gatos, música rock e indie, viajar, whisky, vinho e churrasco do meu papis. Ah, e defendo o ideal da mulher independente e o completo poder de escolha sobre todos os aspectos da sua vida. Polêmica.,odeio quando pronunciam meu nome errado. Tenho 19 anos, sou mineira, curso Administração e quero passar a minha vida administrando minhas viagens pelo mundo. Sou apaixonada por livros, pessoas bem humoradas e dormir. Consigo me expressar melhor na escrita do que na fala. Mudo de opinião constantemente, mas não permito que isso me torne influenciável. Sou o que costumo chamar de pessoas “bagunças”, ninguém me entende e muito menos eu.,18 anos, carioca e amante de sorvete de pistache. Faladeira, baladeira, bagunceira e todas as “eiras” que vocês conhecerem. É super amiga da Beyonce, já foi à Lua, teve um caso com o Ryan Gosling e às vezes é um pouco sonhadora demais. É sagitariana com ascendente em áries com muito orgulho, com muito amor.

1- Qual foi a atitude mais escrota que você já fez em relação a relacionamentos?

,Hoje em dia acredito que a maior escrotice que eu faço é “terminar do nada” e sempre por mensagem ou ligação. Acontece que antes de terminar um relacionamento eu já “terminei” ele há tempos na minha cabeça. Então a pessoa fica surpresa, mas eu já tava maquinando aquilo, entende?. E quanto a não conseguir terminar pessoalmente, cara, é o meu jeito. Sou emotiva, sei lá… Não sei machucar as pessoas olhando nos olhos delas. =/ Meio covarde, eu sei. Mas de antigamente? Vixe. Posso citar inúmeras escrotices: namorar dois ao mesmo tempo, ficar com um cara alternativo na frente dos amigos do meu namorado e mandar eles contarem pra ele, ir pra cidade do meu namorado sem contar pra ele que eu tava lá e ficar me escondendo, me esconder no dia dos namorados pra não encontrar com o cara, já criei provas pra me fazer de vítima de uma traição só pra poder sair do relacionamento como a vítima, enfim. Eu era atriz da novela das 9 quando era adolescente, falar que ia dormir numa quarta feira e ir pra balada (MEU DEUS ESSA MENTIRA ME CONSUMIU ATE HOJE, OBRIGADA DEUS POR ESSA OPORTUNIDADE DE EXTRAVASA-LA). Hoje em dia se minto, como fiz nesse dia da balada (ressaltando que não fiz na-da na balada, apenas dancei mesmo), eu fico me corroendo. Aproveitem a adolescência pra mentir, porque a gente vira adulto e fica responsável, fofo, fiel, um monte de coisa linda que hoje me orgulho em ser <3,resumo minha filha da putisse em: 'MINHAS DESILUSÕES AMOROSAS ME TRANSFORMARAM NUM MONSTRO... Ou melhor NUM HOMEM' hahaha eu tinha tido duas desilusões amorosas pesadas, as duas eu já contei pra vocês: 1- meu príncipe com a minha prima vaca e 2- meu amor que foi pra Califórnia mas que hoje é meu amigo. A gota d'Água foi quando essa minha última desilusão viajou e foi morar 1 ano fora, confesso que tive um leve surto e comecei a agir que nem homem: montei um rebanho. Consegui manter 3 caras ao mesmo tempo e descartava-os quando via que eles estavam querendo algo mais sério. ME JULGUEM! Cheguei a estar no mesmo ambiente com os 3 caras sem que um soubesse do outro e digo para vocês : COMO É DIFÍCIL SER FDP! ,Nossa, tem tanta coisa... Mas acho que a pior de todas foi ficar com dois melhores amigos ao mesmo tempo. Passei por essa experiência tenebrosa quando eu era mais nova. Foi um inferno. Eu era completamente apaixonada por um deles e gostava muito do outro cara, então quando o meu carinha era babaca comigo, me maltratava e etc, eu fugia pro outro, que era um doce, romântico, carinhoso. Acho que nunca fiz uma coisa assim tão intensa e ferrada como essa de novo. Foi punk até pra fugir da situação. Hoje em dia o clima fica horrível sempre que encontro com o tal romanticozinho, o babaca que eu curtia, ri da situação, mas na época... Quando um descobriu do outro... Nossa. Me senti a Angel com um RajGrey de um lado e um GuiMaravilha do outro, a diferença é que eu queria matar os dois e dar pros peixes de sobremesa. Desejo isso pra ninguém!,Este que vou comentar não é algo - NOSSA, QUE ESCROTA MATHERFUCKER VOCÊ É - mas foi um divisor de águas no envolvimento amoroso que eu estava e me marcou muito como algo muito babaca pelo lado sentimental. Depois de uma tarde de discussão, o rapaz finalizou dizendo que nos amávamos muito e isto era o mais importante. Naquele momento eu senti vontade de vomitar e minha língua coçou para dizer: Nhéé, acho que não é para tanto. Literalmente ouvi o PLIN da ficha caindo de que "não baby, não te amo mais". Óbvio que não falei isto, muito ao contrario, concordei com tudo igual manda o figurino da escrotice. Mas eu entendi o recado sentimental daquela situação e pouco tempo depois não estávamos mais juntos.,Beijar outro na frente do ex só para fazer ciúme, quem nunca né mesmo?Bloquear nas redes sociais, virar a cara ao ver o outro. Todas essas coisas atitudes babaquinhas eu já fiz. Mas sem dúvida a coisa mais escrota que já fiz foi trair a confiança de uma das melhores pessoas que conheço. Não estava completamente errada na história, porém falhei na missão de como-ser-uma-pessoa-boa. Falava uma coisa e fazia outra e depois decidi ficar com uma pessoa apenas para ATINGIR a outra. Eu cheguei tão fundo no poço da babaquice que tenho vergonha de falar, me arrependo horrores. Olho para trás e só consigo pensar NÃO PODE SER QUE EU FIZ ISSO! A Julie do passado é sem dúvida a pior versão de mim. ,Foi entrar em um. Brincadeira hehe. Cara, já fiz bastante coisa escrota... já peguei o amigo do ex mozão na frente dele, já saí com um carinha só pra ele pagar o coisas pra mim (eu tinha 15 anos, acho importante ressaltar rs), já sumi da vida da pessoa (bloqueei em redes sociais, celular, etc., sem avisar, de um dia para o outro) só porque eu não sabia como dar um fim no relacionamento, já lancei o famoso "Claro que você é o único que eu saio", sendo que eu estava aplicando a "Teoria da Branca de Neve" na minha vida, entre 1000 outras coisas, mas acho que nenhuma supera a que eu vou falar agora: vocês tão ligados na Summer de "500 Dias com Ela" e o jeito que ela se relacionou com o Tom? Ficou sério com uma pessoa, sem estar envolvida? Então, acho que essa foi a pior. É muito injusto tu usar a pessoa e os sentimentos dela, só porque você não quer ficar sozinha ou coisas desse naipe. Mas se a vida fosse justa, ela não se chamaria "vida", não é mesmo?

2- Depois de ser uma babaca, você se arrepende?

,Antigamente, não. Eu era babaca e ainda saía rindo da situação. Hoje em dia fico extremamente chateada comigo mesma. O lance da balada por exemplo, foi com meu ex-ex-namorado. Eu nunca traí ele, nunca nem pensei em fazer nada que o desrespeitasse. Mas ele era muito ciumento, estávamos brigando sem fim, eu tava triste, e eu não podia sair pra dançar tipo com amigos se quisesse. Então eu fui sem avisar, fiquei de boa a noite toda, e menti. Mas cara… Como isso me corroeu durante o resto do relacionamento. Vai entender, né? ,Hoje eu penso inúmeras vezes antes de aprontar com alguém. Passei esse ano pelo o que, provavelmente, os caras que eu fui fdp passaram e foi terrível. Claro que quando o cara merece é super válido ser fdp, mas causar com pessoas ‘inocentes’ tem consequências e usar o ‘foda-se tudo, vou agir como homem’ para deixar de se magoar nem sempre é a melhor opção. ,Cara, depende. Na época dos rolinhos de escola, por exemplo, eu era muito nova, fazia parte do que eu precisava passar pra amadurecer! Já acabei confundindo alguns sentimentos e magoando outros caras no decorrer da vida (como o lance desses dois amigos), aí sim, fico super sentida porque eu penso “maldito signo de Libra, se eu não fosse tão carente, mimimi, nada disso teria acontecido”, mas sempre tem aquele babaca que merece que a gente pise e pise com salto fino 30cm, né? Esses aí eu sentia um prazer absurdo em sacanear. Quem nunca usou e abusou de um bad boy que atire a primeira pedra… (aceito rúbis, esmeraldas, diamantes também, muito grata.),Então, do eu te amo meio que a força pela situação, sim. Eu sempre excomunguei, crucifiquei, desejei o mármore do inferno para quem diz estas três palavrinhas tão inocentes porém que fazem aquele estrago sem de fato senti-las. Me ver nesta situação, cuspindo um “eu te amo” só para não ficar em más lençóis não é algo que me orgulhe. A-g-o-r-a, outros regues que fiz, sendo bem verdadeira mesmo, na sinceridade, NÃO.
Nossa Carol, como você é escrota – sou mesmo e tenho raiva de gente meiga feat bocó que engole tudo. Já fui dessas e acredite, seja escrota quando necessário. Nem que seja ignorando a pessoa por mil anos ou não atendendo suas ligações. Ser escrota para aprenderem a não te fazer de gato e sapato é libertador 😀
,Posso ser bem sincera? Depende! Depende MUITO. Quando faço algo por impulso eu me arrependo sempre e tenho aquelas ressacas morais
com as piores crises existências. Fico me martirizando durante dias, semanas e se bobear até meses. Quando sou uma completa babaca gratuita eu me arrependo, porém quando sou babaca por um motivo eu não me arrependo não. Não acho que devemos pagar a maldade na mesma moeda, mas ver alguém que tanto me magoou e me chorar sofrendo um pouco faz bem pro ego. É um pensamento babaquinha? É sim, mas não me arrependo. Desculpa mundo, mas não sou tão boa assim.,Sim. Não muito. Mais ou menos. Não. Acho que sim. Não sei. Parece que eu to brincando, mas é exatamente assim que eu me sinto, depois de ter feito uma cagada com alguém. Por um lado, eu penso que a gente vem nesse mundo pra evoluir, pra ser uma pessoa melhor, que se você agir de tal maneira, você vai se igualar às pessoas que você critica, penso em tudo de bom que a pessoa me fez e aí bate a bad. Mas por outro lado, o capeta baixa em mim e eu penso “to nem aí, tem mais é que se ferrar mesmo, quem ele pensa que é pra me tratar assim???? Eu fiz é pouuuuuco, quero ver ele implorar perdão pra mim!! Chora, mas chora mesmo, chora mais que tá pouco.”. E saio desfilando pela casa que nem a Angel no último capítulo de “Verdades Secretas”. Tudo o que eu tenho a declarar é: perdoa minha Lua e meu ascendente em Áries e não desiste de mim, gato.
O meu conselho é que a gente não deve machucar as pessoas para satisfazer nossos caprichos, como eu já fiz. Demorei a aprender que não se machuca alguém, e vira as costas como se isso sequer tivesse acontecido. Temos que ter sentimentos, empatia, amor ao próximo, mesmo que nem exista mais amor. Se você quer trair, termina. Se você sente necessidade de mentir, repense o que está errado. Se você sente vontade de machucar, machuque a si mesmo, não ao outro. E o mais importante, as pessoas podem sim mudar. Eu mudei, mesmo que algumas pessoas não acreditem, mas o mais importante não é o mundo todo saber que você mudou, é você olhar para dentro de si e sentir orgulho do que você se tornou.,

3- Conta uma história em relação ao tema, ou deixe um conselho!

,vou contar pra vocês o que me fez não ser mais fdp. No começo do ano conheci um amigo do meu melhor amigo e começamos a sair. Até aí ok, eu estava apenas curtindo e esperava que o boy também estivesse, só que ele começou a falar de levar o nosso lance mais a sério, começou a perguntar se eu estava pronta pra largar a vida de solteira e ficar com ele (foge que é cilada, bino) e isso me deixou meio assustada. Perguntei para alguns amigos nossos em comum e todos falaram que ele não era fdp, que eu podia deixar as coisas caminharem e foi justamente o que eu fiz. Só que o que ninguém esperava aconteceu: ele mantinha dois relacionamentos! SIM! DUAS! EU E MAIS UMA! COMO PODE ? Só que eu só percebi isso quando já estava apaixonada pelo fdp, que estava fazendo justamente o que eu já havia feito no passado com caras inocentes. Isso durou doentios 5 meses e nesse meio tempo ele chegou a JURAR, JURAR! que não estava mais com ela, que era pra gente tentar ficar junto, que ele gostava realmente de mim (ele gritou isso no meio do fumódromo de uma balada), que tinha ciúmes dos nossos amigos, que a novinha (a outra era menor de idade, bjs enquanto o boy tem 24 #olhaapedofiliaaigente) não servia pra ele e que eu sim, conheci a mãe dele e tudo, mas ele sempre cagava na segunda feira e voltava com ela. Mas finalmente eu me livrei dessa praga e hoje sou mais eu, bjs no ombro de novo ! Exagero a parte, hoje eu me livrei dele sim, me sinto bem melhor e sei as consequências de brincar com os sentimentos das pessoas e aprendi que ser fdp só é válido com quem merece. ,0 histórias pra contar, mas tenho um conselho pra dar: sejam babacas quando o mundo der a oportunidade. Não falo isso pra fazer gracinha, digo isso porque toda menina merece um carinha que mova montanhas por ela e não há mal nenhum em curtir alguém que é apaixonado por você. Não vale usar as pessoas, mas na boa? Tirar uma casquinha daquele príncipe encantado que não é tecnicamente o seu, mas que tá ali, dando bobeira do lado da carruagem, não é nada demais!
Faz bem pra alma, aquece o corpo e alivia o coração das mágoas passadas… Vai que você se apaixona? Eu que o diga…,Entre perdidos em festas e coisas do tipo, a maior escrotice que eu fiz na verdade foi no fim de um relacionamento antigo. Faz muitos anos. A coisa já estava de mal a pior então nas férias do fulaninho disse a ele para aproveitar beeeeeem a viagem – com sangue nos olhos do tipo “você não sabe o que te espera filha da puta”. A situação para ele: viajou achando que estava tudo bem e que quando voltasse tudo seria resolvido (acredito eu) . A situação pra mim: baixou um exu revoltado em minha pessoa e mal defunto esfriou eu estava caindo de cabeça na gandaia livre, leve, solta e solteira. A realidade: Eu considerei toda a treta como um término e cai na bagaceira, já ele não. Eu acabei por ficando com um rapaz neste período pouco me importando com toda a nossa história e blá blá blá (escrota ON). Estava de saco cheio mesmo e mandei tudo a merda. Resumindo: ele diz que o trai, o que eu não considero – afinal – chifre trocado não dói. Só dei a ele o gostinho de um sapo dos vários que engoli durante todo nosso envolvimento.
Por fim, eu fiquei muito de boa com tudo (nada de guardar rancor e etc ), apenas eliminei todo este circulo de pessoas e situações que não estavam me fazendo bem. Fui escrota especificamente, fui. Mas foi a melhor decisão que fiz apesar da “filhadaputagem” que tem no meio, tirei um peso imenso das costas e segui minha vida.,Gente, todo mundo precisa ser e ter um babaca, pelo menos uma vez na vida. É com o cafajeste que você aprende a ter a melhor pegada; que não se deve confiar em meia dúzia de palavras; que não adianta dar o mundo pra pessoa, porque se ela não estiver afim de compromisso/cativada por você, nada vai mudar isso; que a melhor maneira de lidar com um coração partido é entrar na fossa, sim, mas quando sair, não voltar mais; resumindo, você amadurece. E quando você é o cafa, você aprende a respeitar o sentimento das pessoas; que ninguém é cego/trouxa pra sempre; que é muito gostoso ter a situação sobre seu controle e o porquê de todo mundo gostar de ter/ser um cafa, etc. O problema não é ser canalha, inclusive, sou! Caô hehe. O problema é quando o nível de canalhice do casal, não é compatível. ,

E vocês? Qual a maior escrotice que já fizeram num relacionamento? E o que acham disso tudo? Vamos fofocar nos comentários 🙂

30 comentários

Isabela Freitas tem 25 anos, mineira, atualmente em São Paulo, mas vive mesmo no mundo da Lua. Gosta do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas. Ah, ela adora signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. Autora dos livros "Não se apega, não" e "Não se iluda, não", e você pode comprá-los aqui. Juntos eles já venderam 500.000 exemplares e até hoje eu não acredito nisso.

Banheiro Feminino é uma coluna onde seis mulheres experientes (Oi?!) dão suas opiniões (nada certas) sobre coisas da vida. Se você é daqueles que gosta de fofocar no banheiro, vem ler e fofocar com a gente.

banheiro-feminino-redes-sociais-influenciam

Conheça as participantes:

 

,Se você tá aqui no meu blog e ainda não sabe que eu gosto do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas, tá no lugar errado. Ah, eu adoro signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. 24 anos, mora em Juiz de Fora, mas vive mesmo no mundo da Lua. Se você tá aqui no meu blog e ainda não sabe que eu gosto do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas, tá no lugar errado. Ah, eu adoro signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. 24 anos, mora em Juiz de Fora, mas vive mesmo no mundo da Lua. ,Podem me chamar de Carol, só pra eu me sentir mais em casa. 21 anos, virginiana, nada normal, com um coração enorme, pseudo-engenheira (que só é exata na parte da faculdade, porque na parte sentimental…), tentativa de blogueira, intensa demais, sincera demais, romântica demais, conselheira demais, individualista demais, amiga demais, sonhadora demais só que incrivelmente realista (por mais irônico que pareça), viciada em snaps, em fotos, em sorrisos, em flores, em pessoas, em palavras, mas principalmente em atitudes.,tem 20 anos, é carioca, estudante de direito, metida a escritora (http://annaluizaschmidt.blogspot.com) nas horas vagas e Fluminense de carteirinha. Envolvida por 36 séries de TV, pelo twitter (http://twitter.com/annasschmidt_), por música de todos os tipos, livros em todas as suas formas, por filmes sci-fi e pelo Rio. Impulsiva, confusa, piadista em horas inapropriadas, frequentadora oficial da noite carioca, apaixonada por tudo e por nada e pra resumir: libriana na essência da palavra. ,25 anos. Gaúcha, contadora, pós graduanda e de quebra técnica em enfermagem com o jaleco já aposentado. Teimosa de doer e de personalidade forte, não é a toa que carrego o sangue alemão. Faço jus a ele. Amo demais o meu trabalho, livros, gatos, música rock e indie, viajar, whisky, vinho e churrasco do meu papis. Ah, e defendo o ideal da mulher independente e o completo poder de escolha sobre todos os aspectos da sua vida. Polêmica. ,odeio quando pronunciam meu nome errado. Tenho 19 anos, sou mineira, curso Administração e quero passar a minha vida administrando minhas viagens pelo mundo. Sou apaixonada por livros, pessoas bem humoradas e dormir. Consigo me expressar melhor na escrita do que na fala. Mudo de opinião constantemente, mas não permito que isso me torne influenciável. Sou o que costumo chamar de pessoas “bagunças”, ninguém me entende e muito menos eu.,18 anos, carioca e amante de sorvete de pistache. Faladeira, baladeira, bagunceira e todas as “eiras” que vocês conhecerem. É super amiga da Beyonce, já foi à Lua, teve um caso com o Ryan Gosling e às vezes é um pouco sonhadora demais. É sagitariana com ascendente em áries com muito orgulho, com muito amor.

1- O que mais te incomoda no comportamento das pessoas em redes sociais?
 

,O que mais me incomoda são pessoas que querem limitar o comportamento das outras pessoas. Mas como ninguém é de ferro, e eu vim aqui pra criticar: odeio homem que tira foto sem camisa em frente ao espelho, e mulher que posta foto da bunda com legenda de Salmos. Desculpa, não consegui.,Eu acho incrível como as pessoas são completamente corajosas quando estão de frente pra um teclado, acham que são os donos da razão e podem falar de tudo, só que elas não têm a mínima ideia de que palavras machucam mais do que uma própria agressão física. Por mais livre que sejam as redes sociais, as vezes falta um certo bom senso no que postar.,Eu. não. suporto. gente que reclama de tudo o dia todo. Sério! Nada é mais chato do que você ler 120 tweets do mesmo ser humano sobre como a vida dela tá uma droga, horrorosa e como ela tá num buraco sem cordinha pra subir até a saída. Também não gosto de gente que usa pra compartilhar coisa de Deus, nada contra, eu tenho as minhas crenças e tal, mas cara, sério? Principalmente quando você sabe do comportamento dessa pessoa no mundo real, é tipo “Hello, querida, você acha que falar sobre Jesus vai apagar os dez caras que você pegou na night ontem?”, mas como eu sou libriana, super cheia de classe, me recolho à minha insignificância e me contento com o “Unfollow”. É aquilo, né? Todo mundo tá livre pra falar sobre o que quiser, bobo é quem fica seguindo pra não ser indelicada, dou unfollow mesmo porque se tem uma coisa que eu não sou, essa coisa é obrigada. ,Bah, com certeza é o sentimento de impunidade dentro das redes sociais e por causa disto escrevem merda a rodo pensando que está tudo bem. Bem é o caralho. Surgiu na internet de uns quatro, cinco anos para cá uma espécie de projetos de demônios que NADA TA BOM, tudo é motivo de ódio gratuito em forma de comentários, tudo é razão para alfinetar no instagram, ser indelicado no twitter, expor ideias preconceituosas e extremistas no facebook; ou seja, ser um bosta na internet ao ponto de você revirar os olhos só de ver na atualização da sua página o nome da criatura. Geral estão confundindo liberdade de expressão com escrotice. Não seja babaca na internet. Compartilhem amor e coisas boas.
,INDIRETAS!! CORRENTES!! FOTO DE DESGRAÇA ALHEIA! Muita coisa me incomoda no comportamento das pessoas em redes sociais, Vejo tanto escrotice que dá vontade de mandar inbox ou comentar “Você faz esforço para ser tão boçal ou é natural?”. Mas existe uma opção chamada block que é muito amor. Não gosto do que fulano faz, vou lá e bloqueio/excluo/paro de seguir e pronto agora nada pode me abalar hahahahha
,Cara, eu acho que depende mais de como eu acordei no dia, do que da atitude das pessoas, em si. Hoje, por exemplo, acordei toda desalinhada, então, o “Bom dia, faces” vai me incomodar, o textão falando sobre coisas politicamente incorretas, os caras comentando “Linda :p” nas fotos das inimigas, os “sdv” no Instagram e várias outras coisas, vão me fazer ter vontade de jogar o celular na parede. Mas geralmente eu to de boa, então, tirando os mimimi nos posts polêmicos e os textões, nada me incomoda muito. Vocês qualquer coisa é noOoOoOossa.
,

2- A rede social do cara é relevante na hora de você decidir se investe ou não?
 

,Ah, é pra ser sincera? PRA CARALHO. Se o cara tem mais de 1000 amigos, já acho excroto. Se tira foto sem camisa, já vomito. Se tem foto abraçado com um monte de mulher com combo de vodka na mesa, já atravesso a rua. Se usa Abercrombie, já corro. Se curte foto de mulher desesperadamente no instagram, já dou unfollow. Percebam que não sou nada fácil. ,GATO, SE VOCÊ 3SCR3V3 T1P0 4SS1M, NÓS NÃO TEREMOS NENHUM TIPO DE FUTURO JUNTOS ! E sim, eu tenho problemas com erros de português, principalmente quando expostos em redes sociais, ah e ‘tu serás julgado pelas fotos de raparigas que curtis’ HAHAHA brincadeira… não acho que as redes sociais devem ser levadas como forma de definir a personalidade e o caráter de uma pessoa, mas elas podem te ajudar a prever o quão tediosa pode ser sair com essa pessoa hahaha O cara ter vários comentários de mulheres em suas fotos, várias ‘amigas’ no facebook e etc não me fazem desistir dele, mas se os comentários continuarem quando estivermos juntos, ai eu começo a rever certos conceitos
,Sim, mucho. Não porque eu quero que ele seja popular ou descolado, mas quero saber se ele é aquele tipinho chato que comenta todos os tweets das mulheres que segue, principalmente se ele faz aquela pose de galã sem vergonha que abre espaço pra tudo que é galinha ciscar no milho dele. Pra mim não funciona assim. O cara pode ser simpático, pode ser descolado, mas tem que saber que se tá comigo, a simpatia tem que ser BEM diferente da conversinha fiada. Rede social é tudo quando você quer desabafar, mas também é suficiente pra destruir relacionamento hoje em dia… Então calma lá, o navio é grande, mas Titanic também afunda. Tem que saber a hora de parar e começar a vigiar o que anda rolando… Principalmente quando o lance já é sério.
,Sim. Pessoas dirão que eu sou superficial, HAHAHAHA. Não é isto galera, é mais no sentido de que é na internet que a pessoa se mostra verdadeiramente. É aqui que ela escracha tudo que a de melhor ou pior nela. Pergunta: mas se a pessoa não é flor que se cheire por que ela se auto sabota nas redes sociais? Porque é um acéfala. Em algum momento ela postou, compartilhou, reproduziu – resumindo – fez cagada na internet e meu amor, se esta na internet é para todo o sempre. É ali que se descobre que a pessoa é preconceituosa, machista, psicopata ou só um tapado que curte fotos de mulheres seminuas para todo mundo vê.
,Comecei a responder essa pergunta umas 15 vezes e ainda não cheguei a um consenso. É relevante, porém não é o fator determinante.
,For sureeee. Parceiro, se um cara é arroz nas redes sociais, imagina no mundo real???? Não dá. Sem contar que, pelos posts do cara, dá pra ter uma ideia das opiniões dele, de como ele encara o mundo, se vocês tem coisa em comum, etc. Convenhamos, se não fosse relevante, a gente não ia stalkear o perfil do cara e saber o que ele achou do evento do Bonde da Stronda em 2007, né…,

Gostaram do novo formato do Banheiro Feminino apenas com duas perguntas? Acho que assim fica mais legal de ler e interagir, né? E vocês o que acham do tema? Vamos fofocar nos comentários!

22 comentários

Isabela Freitas tem 25 anos, mineira, atualmente em São Paulo, mas vive mesmo no mundo da Lua. Gosta do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas. Ah, ela adora signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. Autora dos livros "Não se apega, não" e "Não se iluda, não", e você pode comprá-los aqui. Juntos eles já venderam 500.000 exemplares e até hoje eu não acredito nisso.

Oi, gente! Quanto tempo não temos Banheiro Feminino por aqui, né? Digamos que nossas meninas e meninos tiraram umas férias… Mas já estão de volta. O tema de hoje é pra ser engraçado, polêmico, e um pouco revelador. HEHEHE. Vamos falar da família do namorado/ficante/rolinho, enfim, a família da pessoa amada/desejada/querida. Porque sinceramente, isso rende booooas histórias. Quem aí está animado pra ler? Vem com a gente!

banheiro-feminino-a-familia-do-namorado

Conheça as participantes:

banheiro-feminino-a-familia-do-namoradoIsabela Freitas Se você tá aqui no meu blog e ainda não sabe que eu gosto do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas, tá no lugar errado. Ah, eu adoro signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. 24 anos, mora em Juiz de Fora, mas vive mesmo no mundo da Lua. Siga no twitter/Assine no Facebook/Siga no Instagram isabelaafreitas

 

 

 

 

banheiro-feminino-a-familia-do-namoradoCaroline Monteforte Podem me chamar de Carol, só pra eu me sentir mais em casa. 21 anos, virginiana, nada normal, com um coração enorme, pseudo-engenheira (que só é exata na parte da faculdade, porque na parte sentimental…), tentativa de blogueira, intensa demais, sincera demais, romântica demais, conselheira demais, individualista demais, amiga demais, sonhadora demais só que incrivelmente realista (por mais irônico que pareça), viciada em snaps, em fotos, em sorrisos, em flores, em pessoas, em palavras, mas principalmente em atitudes. Leia o blog/ Siga no twitter/Facebook/Snap: camonteforte/ Instagram: @camonteforte

 

 

banheiro-feminino-a-familia-do-namoradoAnna Schmidt tem 20 anos, é carioca, estudante de direito, metida a escritora (http://annaluizaschmidt.blogspot.com) nas horas vagas e Fluminense de carteirinha. Envolvida por 36 séries de TV, pelo twitter (http://twitter.com/annasschmidt_), por música de todos os tipos, livros em todas as suas formas, por filmes sci-fi e pelo Rio. Impulsiva, confusa, piadista em horas inapropriadas, frequentadora oficial da noite carioca, apaixonada por tudo e por nada e pra resumir: libriana na essência da palavra. Siga no instagram: annaluizaschmidt/ Snap: annasschmidt

 

 

 

banheiro-feminino-a-familia-do-namoradoCaroline Redlich 25 anos. Gaúcha, contadora, pós graduanda e de quebra técnica em enfermagem com o jaleco já aposentado. Teimosa de doer e de personalidade forte, não é a toa que carrego o sangue alemão. Faço jus a ele. Amo demais o meu trabalho, livros, gatos, música rock e indie, viajar, whisky, vinho e churrasco do meu papis. Ah, e defendo o ideal da mulher independente e o completo poder de escolha sobre todos os aspectos da sua vida. Polêmica. Siga no instagram: cbredlich/ Twitter/ Leia o blogFacebook

 

 

 

 

banheiro-feminino-a-familia-do-namoradoJulie Cordeiro, odeio quando pronunciam meu nome errado. Tenho 19 anos, sou mineira, curso Administração  e quero passar a minha vida administrando minhas viagens pelo mundo. Sou apaixonada por livros, pessoas bem humoradas e dormir. Consigo me expressar melhor na escrita do que na fala. Mudo de opinião constantemente, mas não permito que isso me torne influenciável. Sou o que costumo chamar de pessoas “bagunças”, ninguém me entende e muito menos eu. Siga no Twitter/ Leia o blog/ Instagram: julieecordeiro/ Facebook

 

 

 

banheiro-feminino-a-familia-do-namoradoNathália Caroline, 18 anos, carioca e amante de sorvete de pistache. Faladeira, baladeira, bagunceira e todas as “eiras” que vocês conhecerem. É super amiga da Beyonce, já foi à Lua, teve um caso com o Ryan Gosling e às vezes é um pouco sonhadora demais. É sagitariana com ascendente em áries com muito orgulho, com muito amor. Siga no snap: nathcarol/ Twitter/ Instagram: nathcaroles/ Facebook

 

 

 

 

banheiro-feminino-a-familia-do-namorado

1- Você sempre teve relações boas com sogras e família do namorado? 

banheiro-feminino-a-familia-do-namoradoIsabela Freitas Sempre tive. Até aparecer uma louca que atormentou minha vida por um bom tempo. Foi assim, eu entrei na casa dela, respirei, e ela já me odiou. O santo não bateu MESMO. Depois de uns meses com esse meu namorado, um dia do nada ela me tirou de dentro do banho e expulsou eu e filho dela da casa dela. Foi tipo, OI?! Ficamos por um bom tempo sem conversar, o filho dela pegou meu lado na história, mas depois de uns meses ela me pediu desculpa e ficamos “amigas”. Sabe, isso me chateava muito, porque eu nunca tive problemas com família de namorado nenhum, todas sempre gostaram muito de mim. E essa mulher fez da minha vida um inferninho. Mas o perdão é a melhor coisa que existe, e eu a perdoei e seguimos em frente.

 

 

banheiro-feminino-a-familia-do-namoradoCaroline Monteforte Meninas, não sei se já contei isso pra vocês, mas namorar, namorar, namorar sério, tipo de colocar no facebook, comprar aliança e fazer declaração naqueles carros que tocam música parecida com a de carro de gás e com um locutor de liquidação das casas bahia, eu nunca namorei (coloquei esses dias que tava namorando no facebook mas foi só pra causar polêmica no dia dos namorados, bjs), mas já conheci a família de vários caras que eu estava ficando (não ao mesmo tempo, né?! Pelo menos não que eu vá assumir isso aqui, vai que causa intriga…mentira). Nunca tive problema com nenhuma delas, muitas das mães preferiam a mim do que aos filhos e quando deixávamos de ficar, elas se revoltavam contra eles hahaha #bjsprasimpatia mas nem sempre é facil, principalmente quando o cara era o ‘filhinho da mamãe’ (momento sono e tédio do dia).

 

banheiro-feminino-a-familia-do-namoradoAnna Schmidt Olha, nem sempre… Já namorei um cara que tinha uma mãe que MEU DEUS DO CÉU. A mulher era uma megera! Era daquelas que era só sorrisos e amores na frente, mas quando virava as costas, a princesa se transformava em vilã e metralhava todo mundo com críticas e frases pretensiosas. Acho que a maior sorte que tive na vida foi a de ter terminado com o cara uma semana depois de começar! Imagina se eu ia conseguir conviver com uma família assim? (Mentira, além da sogra-dragão, ele também era um completo babaca).

 

 

 

banheiro-feminino-a-familia-do-namoradoCaroline Redlich Primeiro queria expor que eu estava com uma PUTA SAUDADE DE VOCÊS (êêêêê)! Vamos lá: Se “relações boas” para você é ser cumprimentada sempre que chega na casa e ser convidada para almoços e jantares, então SIM. Acontece que ser recebida com educação é o mínimo que as pessoas fazem e isto não quer dizer necessariamente, com sorriso no rosto, o que elas acham de você. Aparentemente eu fiz a minha lição de casa e sai em paz com todos meus (ex) sogros e (ex) sogras. Sou para casar 😉

 

 

 

 

banheiro-feminino-a-familia-do-namoradoJulie Cordeiro, Conheçam agora a menina que nunca teve sogra: EUZINHA!!!!!Sortuda? Que nada, gente. Acontece que meu pai me proibia de namorar e quando me achei madura o suficiente para ter um relacionamento não me apaixonei por ninguém. Eu não me preocupo com isso, sei que um dia o amor irá passar por mim e será lindo o nosso encontro. Torçam por mim! 

 

 

 

 

banheiro-feminino-a-familia-do-namoradoNathália Caroline Então, como eu só tive um namorado, eu só tive uma experiência com esse tipo de situação e não posso reclamar nem um tico. A família do cara sempre foi de boas comigo, a mãe dele sempre foi muito fofa comigo, me dava um monte de coisas (colar, pulseira, doces, batom da MAC!!!!!!!), a irmã dele sempre foi muito simpática comigo, a mãe dele me deu um batom da MAC, o pai sempre tentava me deixar a vontade e a mãe me deu um batom da MAC (gente, não dá pra odiar ninguém que te dá um batom da MAC, sério. RSRS ex sogrinha, se você estiver lendo isso, é brincadeira hehe). Eu era tratada muito muito muito bem. Deles só tenho a elogiar. 

 

 

 

banheiro-feminino-a-familia-do-namorado

2- Já aconteceu alguma situação chata em relação ao tema?

banheiro-feminino-a-familia-do-namoradoIsabela Freitas A situação da primeira resposta. Já aconteceu situações do tipo, a-ex-sogra-me-ligar-porque-estava-com-saudades-e-queria-que-eu-voltasse-com-o-filho-dela. Errrr, deixa eu pensar aqui… Não.

 

 

 

 

 

 

 

banheiro-feminino-a-familia-do-namoradoCaroline Monteforte Situação chata ? Ah pelo menos pra mim foi, eu me senti um tanto constrangida. Eu estava na casa de um cara que eu ficava, no quarto dele (RELAXEM, GALERA, NÃO ESTÁVAMOS FAZENDO NADA QUE NÃO É PERMITIDO PARA ESSE HORÁRIO), eu ainda não conhecia ninguém da família dele porque estávamos no começo ainda. Fui para a casa dele porque até então a mãe dele estava TRABALHANDO e depois íamos juntos pra faculdade. DO NADA! DO NADA! DO NADA ! Quem entra no quarto e nos vê na cama ? QUEM? QUEM? A mãe do dito cujo. Ela ficou meio surpresa quando nos viu mas foi simpática, porém não conseguiu disfarçar a cara de ‘QUEM É ESSA RAPARIGA COM O MEU FILHO, NO QUARTO DELE??’ Fiquei sem graça e o cara achou graça porque eu fiquei parecendo um pimentão de tão vermelha. Sorte que não estávamos fazendo nada demais. 

 

banheiro-feminino-a-familia-do-namoradoAnna Schmidt Sim… Minhas sogras (tirando essa gracinha mencionada acima) sempre foram incríveis. Sempre me dei bem com elas e a maioria sempre acabava se apegando muito a mim, e eu sempre achei que isso era a melhor coisa do mundo! Quem não quer ter um bom namorado e de quebra uma sogra fantástica? Pois é. Eu tinha os dois quando morei fora. Até dispensar o cara quando ele (choquem) me pediu em noivado. Eu tinha 18 anos. Morava em outro país. Tinha acabado de perder a virgindade. Eu não conhecia nada do mundo. Como casar com um cara assim? Tudo bem, a mãe dele ficou chateada. Bastante! O ápice mesmo foi quando a avó dele (dois anos depois), me deu de presente de aniversário uma passagem de volta pra Michigan (me escreveu que não ligava pro fato de eu não estar mais envolvida com o neto, ela só queria que eu fosse feliz e que fosse visitá-la sempre que possível), voltei e não quis nem ver o cara. A mãe dele ligou pra TODOS os meus amigos pra falar que eu era a pior pessoa do mundo. Disse que eu tinha feito o filho dela sofrer e me infernizou durante meses… As pessoas realmente não sabem diferenciar! Fiquei me sentindo numa briguinha de colegial, versão americana… Péssimo!

 

banheiro-feminino-a-familia-do-namoradoCaroline Redlich Há um episódio em especial que particularmente me chateou muito, não guardo rancor porque né, tenho mais com o que me preocupar. Mas ouvi caladinha –pausa para comentário: mãe obrigado pela educação que me destes, em outra vida teria jogado meu prato na cara dele – de que eu poderia, assim sem mais nem menos, desistir da minha faculdade e do meu sonho de ser contadora A-F-I-N-A-L, ele não conseguiu atingir o sonho dele… E a vida tem destas coisas mesmo e desiste logo que dói menos. Desiste agora. DESISTE PORRA! Ok, o final dei um levezinho exagero, mas sim, eu ouvi isto e não, a pessoa com que me relacionava nada falou diante desta situação bisonha.

 

 

 

banheiro-feminino-a-familia-do-namoradoJulie Cordeiro, A única coisa que já me aconteceu foi a mãe de um menino que eu ficava tomar nojo da minha cara, muito raiva mesmo, quando descobriu que a gente tinha ficado. Aquelas loucas, não é? 

 

 

 

 

 

banheiro-feminino-a-familia-do-namoradoNathália Caroline Chato, chaaaaato, não. Desconfortável, sim. Eu lembro quando eu fui apresentada à família e, sério, é muito ruim. Foi mais ou menos: “Não esquecer de respirar; não derrubar nada (a mão fica 10x maior nessas horas); não tropeçar em nada (surgem uns 1000 buracos do além); fingir ser tudo o que eu não sou (fofinha, educada, ter risinho bonitinho, usar uma roupa que não seja nem ‘oi, acabei de entrar pro convento’, nem uma ‘oi, sou stripper e só cobro $5 por isso’, etc)”

 

 

 

banheiro-feminino-a-familia-do-namorado

3- E ciúme de alguém da família, já teve?

banheiro-feminino-a-familia-do-namoradoIsabela Freitas Não. Eu sou bem tranquila em relação a ciúmes, sério. Dificilmente vocês irão me ver dando ataque, brigando, batendo boca por isso. Eu deixo a pessoa livre pra fazer o que quiser, e se fizer merda, que aguente as consequências (tipo eu indo embora dando tchauzinho).

 

 

 

 

 

 

banheiro-feminino-a-familia-do-namoradoCaroline Monteforte Já sim, quem nunca ? Hahaha primeira observação: SE CUNHADO FOSSE BOM NÃO COMEÇAVA COM AQUELAS DUAS PRIMEIRAS LETRAS LÁ!  Du ficava com um cara que a irmã dele era da minha sala e nós não nos dávamos bem nem por decreto da rainha da Inglaterra, vivíamos em pé de guerra e a atividade preferida das duas era provocar diariamente o estresse e a conturbação uma da outra, a coisa piorou quando ele assumiu que estava comigo. Ela faltava voar no meu pescoço toda vez que eu ia na casa deles, mas a minha sorte é que vaca não voa, senão eu não estaria aqui agora hahahaha mas ela foi obrigada a me engolir, bjs de novo. 

 

banheiro-feminino-a-familia-do-namoradoAnna Schmidt Olha, sim. Um dos meus ex tinha uma história meio esquisita com outro membro da família. Não posso dar muito detalhe porque vai ficar óbvio, mas eles ficaram quando eram novos e a menina ainda dava indícios de querer mais, aí já viu, né… Eu detestava. Não queria ele perto dela, mas a coisa era inevitável. Fazer o que? Todo castigo pra corno é pouco! Acabei me incomodando por nada, hoje em dia, eu sei que ele não faria nada pra me magoar…

 

 

 

 

banheiro-feminino-a-familia-do-namoradoCaroline Redlich EU JÁ SENTI CIÚMES DA MINHA PRIMA MEGAFUCKER LINDA, DIVERTIDA, GOSTOSA, INTELIGENTE, ESPONTÂNEA, eu já escrevi LINDA? Sim, eu admito. Eu devia ter meus 14-15 anos e ficava #chateada quando o namorado dela queria ficar a sós com ela. EU AMO ELA gente. Ela é muito gente boa e por isto queria sempre estar perto dela, mas ele atrapalhava, a meu ver de adolescente 😀

 

 

 

 

 

 

banheiro-feminino-a-familia-do-namoradoJulie Cordeiro, Só daquela prima-linda-maravilhosa-que-vive-grudado-no-crush-desde-sempre. 

 

 

 

 

 

banheiro-feminino-a-familia-do-namoradoNathália Caroline Lek, eu mal tenho ciúme de gente da rua, vou ter da família??? Oi???? “Ah, mas e se ele tiver uma prima estilo panicat?”. Gente, continua sendo família. Se o cara não consegue te deixar segura nem com a família dele, desculpa, mas o problema tá nele, e não no fato dele ter uma prima capa de Playboy. 

 

 

 

 

banheiro-feminino-a-familia-do-namorado

4- Como são os seus pais em relação aos seus namoradinhos?

banheiro-feminino-a-familia-do-namoradoIsabela Freitas Meu pai é o brother-gente-boa-que-sonha-em-ter-um-genro-parceiro-pra-tomar-cerveja. Minha mãe, bem… Minha mãe, ela é legal. COMIGO. Mas com meus namorados, VIXXXXXXXXX. Odeia todos, arruma defeito em todos, critica, enche o saco, e quando eu termino fala “AINDA BEM QUE SE LIVROU DAQUELE ENCOSTO!”. Porém por incrível que pareça acho que o Rodrigo conquistou o coraçãozinho duro dela. Será um milagre? SERA JESUS DE VOLTA A TERRA?

 

 

 

 

20 comentários

Isabela Freitas tem 25 anos, mineira, atualmente em São Paulo, mas vive mesmo no mundo da Lua. Gosta do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas. Ah, ela adora signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. Autora dos livros "Não se apega, não" e "Não se iluda, não", e você pode comprá-los aqui. Juntos eles já venderam 500.000 exemplares e até hoje eu não acredito nisso.

Oi, gente. Tudo bom com vocês? Perguntei lá no twitter que tema vocês gostariam de ver nos próximos "Banheiros", e o que me sugeriram foi falar sobre relações de internet. Uhhhhhhhh. Quem aí já teve? Aposto que todo mundo já! Hahaha. Vem se divertir e dar boas risadas com a gente!

banheiro-feminino

Conheça as participantes:

banheiro-feminino-amizades-e-namoros-virtuaisIsabela Freitas Se você tá aqui no meu blog e ainda não sabe que eu gosto do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas, tá no lugar errado. Ah, eu adoro signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. 24 anos, mora em Juiz de Fora, mas vive mesmo no mundo da Lua. Siga no twitter/Assine no Facebook/Siga no Instagram isabelaafreitas

 
 
 

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte Podem me chamar de Carol, só pra eu me sentir mais em casa. 21 anos, virginiana, nada normal, com um coração enorme, pseudo-engenheira (que só é exata na parte da faculdade, porque na parte sentimental…), tentativa de blogueira, intensa demais, sincera demais, romântica demais, conselheira demais, individualista demais, amiga demais, sonhadora demais só que incrivelmente realista (por mais irônico que pareça), viciada em snaps, em fotos, em sorrisos, em flores, em pessoas, em palavras, mas principalmente em atitudes. Leia o blog/ Siga no twitter/Facebook/Snap: camonteforte/ Instagram: @camonteforte

 

image (1)Anna Schmidt tem 20 anos, é carioca, estudante de direito, metida a escritora (http://annaluizaschmidt.blogspot.com) nas horas vagas e Fluminense de carteirinha. Envolvida por 36 séries de TV, pelo twitter (http://twitter.com/annasschmidt_), por música de todos os tipos, livros em todas as suas formas, por filmes sci-fi e pelo Rio. Impulsiva, confusa, piadista em horas inapropriadas, frequentadora oficial da noite carioca, apaixonada por tudo e por nada e pra resumir: libriana na essência da palavra. Siga no instagram: annaluizaschmidt/ Snap: annasschmidt

 
 
 
Processed with VSCOcam with g3 presetCaroline Redlich 25 anos. Gaúcha, contadora, pós graduanda e de quebra técnica em enfermagem com o jaleco já aposentado. Teimosa de doer e de personalidade forte, não é a toa que carrego o sangue alemão. Faço jus a ele. Amo demais o meu trabalho, livros, gatos, música rock e indie, viajar, whisky, vinho e churrasco do meu papis. Ah, e defendo o ideal da mulher independente e o completo poder de escolha sobre todos os aspectos da sua vida. Polêmica. Siga no instagram: cbredlich/ Twitter/ Leia o blogFacebook
 
 
 

julieJulie Cordeiro, odeio quando pronunciam meu nome errado. Tenho 19 anos, sou mineira, curso Administração  e quero passar a minha vida administrando minhas viagens pelo mundo. Sou apaixonada por livros, pessoas bem humoradas e dormir. Consigo me expressar melhor na escrita do que na fala. Mudo de opinião constantemente, mas não permito que isso me torne influenciável. Sou o que costumo chamar de pessoas "bagunças", ninguém me entende e muito menos eu. Siga no Twitter/ Leia o blog/ Instagram: julieecordeiro/ Facebook

 

 
125Nathália Caroline, 18 anos, carioca e amante de sorvete de pistache. Faladeira, baladeira, bagunceira e todas as "eiras" que vocês conhecerem. É super amiga da Beyonce, já foi à Lua, teve um caso com o Ryan Gosling e às vezes é um pouco sonhadora demais. É sagitariana com ascendente em áries com muito orgulho, com muito amor. Siga no snap: nathcarol/ Twitter/ Instagram: nathcaroles/ Facebook
 

 

 

large-430

1- Você já teve um namoro virtual? 

 

banheiro-feminino-amizades-e-namoros-virtuaisIsabela Freitas Namoro virtual? NAMORO VIRTUAL? Cê tá de sacanagem com minha FACE né? Cara, óbvio que não. Eu mal confio num namoro real, quem dirá virtual. Mas tá, TÁ BOM, EU ADMITO. Já flertei horrores online, daquele tipo de ficar conversando no skype até 5 horas da manhã com cara de idiota apaixonada por um garoto que eu nunca vi na vida, e que falava um monte de coisas fofas pra mim só pra me enganar. Porra. #aindadói
 

 
 

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte Claro, preciso compartilhar com vocês, quando eu tinha uns 14 anos me apaixonei por um gaaaaato, só que ele morava muito longe, tipo em outro país, mas mesmo assim eu mantive a relação, não podia largá-lo, mas não durou muito. Ele tinha muitos compromissos devido ao trabalho e ele acabou se relacionando com uma colega que até trabalhava com ele, fiquei mal mas passou e foi assim que eu namorei o Zac Efron por um bom período da minha vida Hahahahaha mentira! Já sim, na época do orkut e do msn (#saudade) eu tinha uns 12 anos e acreditava nas juras de amor de um carinha do interior, mas não deu certo, afinal pré adolescência, distância e um namoro virtual não são uma boa combinação.

image (1)Anna Schmidt Nossa, gente, não dá pra lacrar esse tema porque eu só fui virar um "ser" virtual quando já tava mais velha! Já tive um namorado virtual, sim, e gente, eu fui uma mega fura olho… Eu conhecia uma menina que jogava handball comigo e ela sempre falava do namoradinho virtual dela, todo mundo implicava, mas sempre na brincadeira, eu juro que não entendia porque é que ela gostava do tal cara virtual, até eu "conhecer"… O cara era TU-DO de bom, gatinho, simpático, inteligente, pronto, eu tava virtualmente xonadassa na do cara e ele na minha, já viu, né? Ela aproveitava os treinos pra descontar a raiva em mim, eu voltava dolorida pra casa, mas voltava feliz porque ia ficar no skype por horas com o tal carinha… Me julguem, vai!

 
Processed with VSCOcam with g3 presetCaroline Redlich Não. Eu considero que não participei muito desta geração relacionamentos amorosos virtuais, além do medo da porra que eu sempre senti em "construir" algum vinculo a mais virtualmente. Vai que o cara é um serial killer?! Instinto de sobrevivência da magrela aqui . Nem fudendo mesmo, até me desculpem pelo linguajar, mas tenho maior cagaço disso, hahahaha.
 
 
 
 
 

julieJulie Cordeiro, Não, nunca namorei virtualmente, mas cada dia eu tenho uma paixão nova. Quem nunca? Se apaixonar por aquele desconhecido lindo? Nem sei se o cara fede, se conversa errado ou é  real, porém já imagino o nosso encontro,  casamento, filhos, lua de mel.

 

 

 
 
 
125Nathália Caroline Já!!! Com direito a *beijando*, *andando de mãos dadas* e essas coisas bem toscas da época de Orkut. Era uma parada mais pra agregar status na baladinha fake e ganhar depoimentos, nunca me envolvi sentimentalmente com nenhum deles. Sim, "delessss", com bastante ''. É a famosa "Teoria da Branca de Neve, pra que só ter um, se eu posso ter 7?", né, gente? BRINCADEIRAAAAA
 

 

 

large-431
2- E amizades virtuais, você cultiva?

banheiro-feminino-amizades-e-namoros-virtuaisIsabela Freitas Porran, muitas. E várias delas se tornaram amigas na real também. Acho legal que a internet nos aproxima de pessoas muito bacanas, e que pela distância nunca conheceríamos e teríamos oportunidade de conversar tanto. Então você conversando nem que seja um pouco a cada dia, você acaba tendo um amigo de verdade que vai te ajudar quando você manda mensagem 5 horas da manhã bêbada caída na sarjeta. 

 

 
 

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte Na mesma época do relacionamento (não com o Zac e sim com o boy do interior) mas parei quando eu percebei que ter amigos reais é bem melhor do que virtuais, mas as redes sociais são uma boa forma de manter os amigos que não estão presentes por terem se mudado pra outros estados, países, planetas e acabam transformando-os em pseudovirtuais.

 

 

image (1)Anna Schmidt Eu não costumo conhecer muitas pessoas pela internet, mas eu tenho uma amiga desde os tempos em que eu escrevia fanfic que eu AMO! A gente se fala sempre, contamos muitas fofocas uma pra outra e nunca nos conhecemos! Então não posso dizer que é algo que eu cultivo MUITO, até porque eu morro de medo de me apegar a alguém que possa vir a fazer alguma coisa ruim pra mim, mas a que eu tenho, é minha joia preciosa!

 
 
 
Processed with VSCOcam with g3 presetCaroline Redlich Ai o papo é diferente! Amizade eu tenho, são poucas mas são especiais. Inclusive entra nesta "tchurminha" o time do BF. Todas  meigas gente. Se eu pudesse as colocaria em uma caixinha e andaria para cima e para baixo com elas no meu bolso. Outra é a dona do Blog Cólica Mental (Nathália) que depois de anos voltou a ativa [pulos de alegria]. Eu topei ela no face e na tietagem mesmo "pô me adeda ai, gosto tanto do seu blog, me identifico taaaanto <3" e ela aceitou. Depois de um tempo de curte aqui e curte ali fomos trocando ideias e poxa vida, ela é muito jóinha e temos muitas coisas em comum, como por exemplo, o empoderamento das mulheres *___*

Amizades virtuais eu recomendo sem medo. É muito legal ter contato com gente nova completamente diferente de você e que vive em outro mundo (região, costumes, etc).
 
 
 

julieJulie Cordeiro, SIM!!!Tenho vários amigos virtuais e às vezes me sinto criança por isso, entretanto eu amo os migos(é migos mesmo) que a internet me deu. Eles me fazem muito bem e tem hora que eu prefiro desabafar, contar os problemas e fazer drama com eles. Já perceberam como distância complica tudo? Você vai conhecer pessoas incriveis(uhul obrigada). PORÉM eles irão morar a 9000km de você. Valeu, vida, agora para que eu vou descer. Eu costumo falar que ter amigo virtual é olhar para o mapa e lembrar que seu coração habita em vários lugares.

 

 
125Nathália Caroline Então, tiveram duas fases da minha vida que eu cultivei amizades virtuais: a época do Orkut e a época em que eu usava Tumblr. No Orkut, eu era "amiga" de uma galera porque eu escrevia fanfics e os escritores e leitores, geralmente se falavam nas comunidades, era bem legal e tal, mas tudo muito superficial. Já no Tumblr, como é um site em que você, digamos assim, expõe mais seus sentimentos, eu fiz menos amizades (Rafael, Maria, Vinicius e Bruno), mas que eu mantive por anos! Só que, não sei por que cargas d'água, a gente parou de se falar ): mas eles me ajudaram muuuito com questões pessoais, a gente se ligava, combinava de ver filme junto e comentar pelo msn, era tipo amigo "de verdade"! Ai, bateu saudade agora…
 

large-432

3- Acha que relações que surgem na internet podem ser verdadeiras?

banheiro-feminino-amizades-e-namoros-virtuaisIsabela Freitas Claro (em relação a amizade porque namorar pela internet NAAAAAAO DAAAAAAAAA!! TEM QUE TER BEIJO AMASSO NOSSA SENHORA JOGAR NA PAREDE). Relações são verdadeiras se as pessoas são verdadeiras. Na verdade a internet pouco importa. Se a pessoa é falsa ela vai ser falsa na internet, na vida real, na puta que pariu…

 
 
 
 
 

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte Acho que em todas as relações, pessoais ou virtuais, a gente tem que manter os pés no chão, não ir com muita sede ao pote, ainda mais nas virtuais. Quando se tem os pés no chão, as amizades virtuais podem sim dar certo. 

 

 

 

image (1)Anna Schmidt Sim e não. Vou explicar a minha teoria pra vocês: pra mim, pelo menos, confiar em alguém requer convivência, tempo… E uma coisa que é muito importante, na minha cabeça, é observar as reações das pessoas quando a coisa aperta! É aí que a gente descobre quem realmente é quem, e acho que pela internet raramente você consegue ter esse tipo de contato, raramente você consegue observar reais atitudes… Porém, eu também acho que uma coisa que começa na internet e vem pra "vida real" é super válida… Acho que o que eu quero dizer é: não sou muita fã do que permanece no virtual pra sempre (mesmo amando a "Cecília", a minha amiga de internet)… 

 
Processed with VSCOcam with g3 presetCaroline Redlich Tudo que tem sentimento e reciprocidade será verdadeiro. O problema é que o mundo esta cheio de gente filhas da puta querendo na melhor oportunidade te fuder. Seja para pegar seus dados, ou saber do seu passado (e usa-lo contra você) ou até coisa pior. Há muitas  pessoas assim no mundo e é por isso que sou um pé atrás com relacionamentos virtuais (mais com amorosos do que com amizades). Só que assim, temos que mesmo no fundinho de nossos corações, acreditar que espalhado por ai há muitas pessoas boas, legais, interessantes e sem más intenções. Temos que acreditar na humanidade apesar da coisa estar caótica.
 
 
 

julieJulie Cordeiro não respondeu essa pergunta. Esqueceu! haha

 

 
 
 
 
 
 
125Nathália Caroline Depende do tipo de relação… Amizade eu acho super tranquilo de dar certo e ser verdadeira, porque, sei lá, amizade é uma coisa pura, sabe? Livre de cobranças, responsabilidades e compromissos. Agora, namoro definitivamente, não. Claro que existem exceções, mas eu nunca vi nenhum dar certo. Namoro é uma coisa que requer presença, beijo, abraço, sentir o cheiro, é uma relação que precisa muito mais do físico do que a amizade. Vai parecer um pouco maníaco o que eu vou falar, mas lá vai: você não sabe o que a pessoa tá aprontando à 325489764654 km de distância de você, sabe? É muito fácil enganar, ser persuadido por outras pessoas, entre outras coisas. Eu, Nathália, não iria conseguir manter um namoro assim, mas vai de cada um. 

large-434

4- Já namorou ou foi enganada por um fake? (quem nunca)

 

banheiro-feminino-amizades-e-namoros-virtuaisIsabela Freitas Sim, namorei por 3 anos um fake do Ian Somerhalder jurando que era ele. Ai, gente, qual é. Achei que ele fosse tímido e por isso não aparecia na webcam!!!!!! HEHEHE Não. Me senti meio mal por não ter uma história legal pra contar aqui então inventei uma idiota mesmo. 

 
 
 
 
 

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte Que eu lembre, não! Nunca fui muito encantada ao ponto de acreditar em fakes perfeitos dos colírios da capricho que vinham dar em cima de mim, fazendo juras de amor e falando que eu era a menina mais linda da vida deles (porque quando eu tinha uns 14anos eu era bem sofrida mas tinha os pés no chão hahaha) 

 

 

 

22 comentários

Isabela Freitas tem 25 anos, mineira, atualmente em São Paulo, mas vive mesmo no mundo da Lua. Gosta do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas. Ah, ela adora signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. Autora dos livros "Não se apega, não" e "Não se iluda, não", e você pode comprá-los aqui. Juntos eles já venderam 500.000 exemplares e até hoje eu não acredito nisso.

E aí, como vocês exxxtão? Eu to bem. Muito bem. E hoje é dia deeeeee? Banheiro Feminino! o/ Dia de fofocar, colocar o papo em dia, abrir o coração… Vamos falar sobre primeira vez. Primeiro beijo, primeira vez no sexo, primeira vez que choramos por amor… Ai. São tantas emoções. Vamos ver?

banheiro-feminino

Conheça as participantes:

banheiro-feminino-primeira-vez-2Isabela Freitas Se você tá aqui no meu blog e ainda não sabe que eu gosto do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas, tá no lugar errado. Ah, eu adoro signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. 24 anos, mora em Juiz de Fora, mas vive mesmo no mundo da Lua. Siga no twitter/Assine no Facebook/Siga no Instagram isabelaafreitas

 
 
 

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte Podem me chamar de Carol, só pra eu me sentir mais em casa. 21 anos, virginiana, nada normal, com um coração enorme, pseudo-engenheira (que só é exata na parte da faculdade, porque na parte sentimental…), tentativa de blogueira, intensa demais, sincera demais, romântica demais, conselheira demais, individualista demais, amiga demais, sonhadora demais só que incrivelmente realista (por mais irônico que pareça), viciada em snaps, em fotos, em sorrisos, em flores, em pessoas, em palavras, mas principalmente em atitudes. Leia o blog/ Siga no twitter/Facebook/Snap: camonteforte/ Instagram: @camonteforte

 

image (1)Anna Schmidt tem 20 anos, é carioca, estudante de direito, metida a escritora (http://annaluizaschmidt.blogspot.com) nas horas vagas e Fluminense de carteirinha. Envolvida por 36 séries de TV, pelo twitter (http://twitter.com/annasschmidt_), por música de todos os tipos, livros em todas as suas formas, por filmes sci-fi e pelo Rio. Impulsiva, confusa, piadista em horas inapropriadas, frequentadora oficial da noite carioca, apaixonada por tudo e por nada e pra resumir: libriana na essência da palavra. Siga no instagram: annaluizaschmidt/ Snap: annasschmidt

 
 
 
Processed with VSCOcam with g3 presetCaroline Redlich 25 anos. Gaúcha, contadora, pós graduanda e de quebra técnica em enfermagem com o jaleco já aposentado. Teimosa de doer e de personalidade forte, não é a toa que carrego o sangue alemão. Faço jus a ele. Amo demais o meu trabalho, livros, gatos, música rock e indie, viajar, whisky, vinho e churrasco do meu papis. Ah, e defendo o ideal da mulher independente e o completo poder de escolha sobre todos os aspectos da sua vida. Polêmica. Siga no instagram: cbredlich/ Twitter/ Leia o blogFacebook
 
 
 

julieJulie Cordeiro, odeio quando pronunciam meu nome errado. Tenho 19 anos, sou mineira, curso Administração  e quero passar a minha vida administrando minhas viagens pelo mundo. Sou apaixonada por livros, pessoas bem humoradas e dormir. Consigo me expressar melhor na escrita do que na fala. Mudo de opinião constantemente, mas não permito que isso me torne influenciável. Sou o que costumo chamar de pessoas "bagunças", ninguém me entende e muito menos eu. Siga no Twitter/ Leia o blog/ Instagram: julieecordeiro/ Facebook

 

 
125Nathália Caroline, 18 anos, carioca e amante de sorvete de pistache. Faladeira, baladeira, bagunceira e todas as "eiras" que vocês conhecerem. É super amiga da Beyonce, já foi à Lua, teve um caso com o Ryan Gosling e às vezes é um pouco sonhadora demais. É sagitariana com ascendente em áries com muito orgulho, com muito amor. Siga no snap: nathcarol/ Twitter/ Instagram: nathcaroles/ Facebook
 

 

 

large-415

1- Como foi seu primeiro beijo?

banheiro-feminino-primeira-vez-2Isabela Freitas Eu contei em vídeo lá no meu canal do Youtube. Assista o vídeo e se inscreva no canal 😀

 
 
 
 
 
 

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte Geeeeente, meu primeiro beijo foi ridículo! Sem mais ! Eu separo em primeiro beijo com sentimento e sem sentimento: sem sentimento – eu estava na 6a série e na época era super normal brincar de verdade e desafio e sim, eu perdi o BV num jogo babaca HAHAHAHA com sentimento – eu tava no ensino médio e foi meio de repente, durante a troca de aula, uma troca de saliva e batida de dente que me fez ter trauma daquele tipo de beijo HAHAHAHA #primeirobeijodesentupidordepia quem nunca ?! Depois disso o beijo foi ficando fofo e eu fiquei xones #cagadajuvenil 

 

 

image (1)Anna Schmidt Super-ultra-mega-power esquisito. Tudo bem, eu era mega afim de um cara mais velho, mas ele era experiente, sabe? Pegador! O "Thiago" era o gatinho da escola! Tive a brilhante ideia de perder o BV com o meu melhor amigo (assim eu ia praticar e ficar ó, excelente pro Thiago). Péssima ideia. Fiquei com vergonha, mudei com o meu melhor amigo e me senti muito estranha. O clima não era muito de pegada, não rolava sentimento, muito menos aquela vontade gostosa. O beijo em si foi legal, peguei o esquema de primeira e quando decidi dar uns beijos no Thiago… Descobri que o meu melhor amigo, o bobo que tinha crescido comigo, mandava muito melhor. Não sei o que me deixou mais decepcionada, se foi o beijo do Thiago ou a falta de vontade de beijar o meu amigo de novo. Injusto demais.

 
Processed with VSCOcam with g3 presetCaroline Redlich Eu era nova na cidade, cheguei brincando de barbie e em menos de seis meses só falava de meninos, beijos e quem estava pegando quem. O que uma cidade grande não faz com a cabeça de uma criança. O meu primeiro beijo em si foi uma bosta, desconexo, você não sabe se põe língua ou tira língua, hahahaha. Horrível! Tínhamos que nascer já sabendo beijar porque a experiência primeiro beijo é uma porcaria. Ressalva: ruim não por culpa do rapaz! Eu sou muito destrambelhada para a primeira vez em algo.
 
 
 

julieJulie Cordeiro, Foi um dos melhores beijos que eu já tive, mas na hora a única coisa que eu pensava era QUE-QUE-EU-TÔ-FAZENDO. Será que ta certo? É assim mesmo? O que ele está pensando? AI MEU DEUS!!Estou fazendo errado e ele vai saber que é o meu primeiro beijo. Foi uma mistura de não sei o que estou fazendo, porém vou continuar. Segue o fluxo.  Eu fui a última do meu grupinho a beijar então imaginem a pressão que não rolava, a frase que eu mais ouvia era "Ahhh, mas a Julie não beija". Sim, eu sempre sofri bullying. Fiquei muita nervosa, mas deu tudo certo porque o menino até me elogiou depois. 

 

125Nathália CarolineFoi um misto de tensão e aventura! O amigo de um amigo meu falou que queria ficar comigo e, apesar do "medo" de dar umas beijocas, eu aceitei. Depois de treinar o beijo com laranja, pesquisar tutorial no YouTube e beijar meu próprio pulso (SENTE A SEQUELA), ao contrário do que eu achava, meu medo foi só aumentando; na real, nem é medo, é só insegurança. Depois de alguns dias, nos encontramos na festa julhina da minha escola e ficamos. No mesmo dia, eu fiquei com um outro garoto que era amigo de uma amiga minha e foi pura tensão porque ninguém podia saber! Mas depois daquele dia, todas as tensões passaram e hoje eu sou uma beijoqueira profissional rs.
 

large-416

2- E como foi sua primeira vez? 

banheiro-feminino-primeira-vez-2Isabela Freitas Pai, por favor, me perdoe. Eu te amo. Então, pra começo de conversa foi uma bosta. O meu namorado não acreditava que eu ainda era virgem (sim, e eu namorava ele por que? Sei lá!), e não me tratou como uma. Não que ele tenha sido grosso, não foi. Mas doeu pra caramba, e não foi nada romântico. E eu nem queria nada romântico, sabe? Só que poderia ter tido um pouco mais de carinho. E por um longo tempo eu não gostava de sexo. PRONTOFALEI. Achava sexo uma bosta, do tipo, AHN, É ISSO QUE AS PESSOAS GOSTAM? SERIO? Mas ai aprendi que sexo bom tem que ter sentimento. Então vão por mim. Não façam por fazer

 

 

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte (tem como bloquear o site para o meu pai não ler isso? hahaha) poouts, minha primeira vez? Posso dizer que foi na hora certa, demorei um bom tempo pra perder a virgindade, sério, bom tempo mesmo comparado ao resto das minhas amigas (não estava esperando o amor da minha vida aparecer, não acredito nisso) porque queria que fosse algo que eu não me arrependesse. Foi com um cara que tava longe de ser um príncipe encantado mas que eu confiei o suficiente para que rolasse. NÃO FOI PERFEITO, NÃO FOI QUE NEM FILME, mas era o momento certo. 

 

image (1)Anna Schmidt Nada do que pensei que seria. Perdi a virgindade com um cara que era um príncipe, incrível mesmo, mas o tesão nele não era dos melhores. Na hora H, ele tentou ser cuidadoso, mas, no final, eu nunca chegava "lá", era sempre sobre o que ele achava melhor, sobre o que trazia prazer pra ele e assim funcionava. Com o tempo, comecei a achar que eu não curtia sexo, que tinha alguma coisa errada acontecendo comigo. Aí conheci o meu segundo. O meu segundo foi incrível. Ele era um cara carinhoso, amoroso, bom de cama e eu amava tudo o que a gente fazia. Por isso sempre digo por aí: esse tabu da primeira vez precisa ser quebrado. Nossa primeira transa não é, necessariamente, a mais marcante. A mais especial. Falo pra quem quiser ouvir: o meu segundo apagou absolutamente tudo o que eu costumava pensar sobre sexo. Não é sobre a primeira vez… É sobre o primeiro orgasmo, sobre o primeiro cara que te fez sentir desejada de verdade…

 
Processed with VSCOcam with g3 presetCaroline Redlich Foi normal. O que vou escrever sobre isso? Hahaha. Não teve pétalas no chão, nem música romântica nem momento mágico. Na verdade tinham que parar de criar esta expectativa nas adolescentes que ainda não tiveram sua primeira vez. É um misto de tesão pela coisa, com pitada de medo e expectativa do “vou gostar?”. Não existe primeira vez boa, existe primeira vez relax que é basicamente o cara não ser um coelho em cima de você, porque né, vc não é obrigada. Doer doí sim, mas não é este monstro que pintam. Se doeu ABSURDOS MEU DEUS QUASE MORRI já é um claro sinal que escolheu errado, ele basicamente NÃO SE IMPORTOU COM VC, ou seja, te tratou como um buraco para o pau dele.
 
 

julieJulie Cordeiro, Posso dar um conselho aqui? Bom, meninas e meninos, só façam quando sentirem que estão preparados e não fiquem apressando as coisas só porque todas as suas amigas já transaram e você não. Cada um tem o seu tempo, esqueça os outros. 

 

 

 

 

125Nathália CarolineFoi bonito, foi…….. foi intenso, foi verdadeiro….. mas sincero……… 

 

 

 

 

 

large-417

3- Você acha que já se apaixonou? Como foi? 

banheiro-feminino-primeira-vez-2Isabela Freitas Acho que a paixão pode ser definida de diversas formas na nossa vida. Posso citar aqui a vez em que conheci um menino chamado Guilherme em Porto Seguro quando eu tinha apenas 12 anos. E sim, eu me apaixonei por ele perdidamente. Passamos uma semana conversando, aquela paixão de criança, infantil. Ele me deu uma pedra, uma concha, uma cartinha. E no final nos despedimos, e sequer um beijo foi dado. Mas eu ainda lembro dele, e da sensação que senti quando o conheci. Claro que eu não sabia nada sobre o amor, eu era uma criança. Mas por que não dizer que foi uma paixão? Porque foi. A paixão surge dos lugares mais inesperados, e cara, um dia você vai olhar para uma pessoa e perceber que está perdidamente apaixonado por ela… E que é ela. Sempre foi ela. Vai ser ela. Mesmo que vocês se conheçam a anos, ou a horas. A paixão precede o amor.

 

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte já sim, umas três vezes e quebrei a cara nas três ! Dedo podre? Uns não tem, outros adquirem com o tempo, já eu, nasci com, aperfeiçoei com o tempo e hoje em dia tento conviver com esse 'dom'. A primeira vez, que eu achava que tinha me apaixonado, eu tinha 8 anos, menos 3 dentes na boca, uma janela que dava pra colocar canudinho, usava um óculos que pareciam dois bambolês e tinha uma bolsa de poodle achando que arrasava e o boy me trocou por outra menina só porque ela era loira. COMECEI BEM A MINHA VIDA AMOROSA. A primeira realmente eu já contei pra vocês, foi a do meu príncipe de 15 anos e a minha prima bovina no meio, a segunda foi logo que eu entrei na faculdade, me apaixonei por um cara que não tinha NADA A VER comigo e que vinha com um brinde chamado EX NAMORADA DOENTE, PSICÓTICA E QUE ME AMEAÇAVA e ele era um BUNDÃO que não sabia por um ponto final nas histórias e a terceira eu contei como eu conheci ele num dos primeiros post, mas resumindo o depois: vivíamos em pé de guerra, nunca nos entendíamos, quando começamos a nos entender , ele foi morar 1 ano na Califórnia e voltou namorando. FIM. ~ POR ISSO QUE EU TENHO TRAUMA DE RELACIONAMENTOS ! 

image (1)Anna Schmidt Acho… E foi incrível. Encontrei nele tudo aquilo que eu só ouvia falar nos filmes: um cara maravilhosamente engraçado, uma companhia gostosa de se ter por perto, um homem que era carinhoso com a mãe, que me respeitava como mulher e que me completava como namorado. O "Felipe" me fez sentir amada de um jeito muito nosso, muito íntimo. Acho que, pra mim, se apaixonar é estar numa ponte altíssima, onde o final é totalmente desconhecido. Pode ser água, pedra, fogo, pode ser uma queda infinita, mas, mesmo assim, você pula. Se joga de cabeça. Esse cara me segurou quando eu cheguei lá embaixo. Hoje em dia, a gente mudou. Sabe o que é mais engraçado? Se eu voltasse no tempo, pularia de qualquer forma. Se isso não é amor, então realmente não sei o que mais pode definir…

 
Processed with VSCOcam with g3 presetCaroline Redlich   Óbvio! Um monte de vez! Paixão é leviano, é rápido, certeiro. Começa tão ligeiro que quando perceber já foi embora. Todo amor primeiro foi uma paixão mas, nem toda paixão vira amor. Filosofei agora. Paixão eu sinto pelos meus livros, pelo meu gato (que foi roubado e ainda dói lembrar, snif), pelas minhas roupas, minha cama e minhas maquiagens. Senti paixão pelo rapaz que beijei pela primeira vez, pelo meu colega de classe da 6°, 7° e 8° série. Cada ano uma paixão nova para suspirar. Ter este sentimento é ter vida. Tem que se apaixonar por tudo mesmo, é o que dá adrenalina aos nossos dias (y).
 
 

julieJulie Cordeiro, Olha aquele menino ali. Nossa, que cara lindo. Nunca vou saber o nome? Confere. Nunca minha vida irá cruzar a dele novamente? Confere. Ele é bonito?Confere. Opa, acho que apaixonei. Sou cheia de paixões platônicas, mas paixão, paixão mesmo eu tive apenas uma durante minha vida toda. É um ex-amigo que estudou comigo desde que me entendo por gente e eu fui crescendo e a paixão continuava. Éramos amigos, mas eu nutria sentimentos maiores porque ninguém manda no coração. Ele não sabia, ninguém sabia, mas eu sempre senti. Tive oportunidades de ficar com ele, porém eu era tão criança que ficava com medo dele não gostar de mim (oi?). No ensino médio eu mudei de escola e aos poucos a paixão acabou. Fim. 

125Nathália CarolineCara, foi muito gostoso! Não tem coisa mais gostosa que aquele friozinho na barriga ao ver a pessoa, escutar uma música e mandar um "Aqui, lembrei de você", ter um beijo roubado, receber e mandar uma mensagem às 3 da manhã, escrito "eu tr amp" (eu te amo em álcoolês), sentir um perfume e lembrar do dito cujo, fazer coraçãozinho no caderno, etc. Até quando não é correspondido é gostoso (na hora, não, mas futuramente, sim) porque você amadurece. Todo mundo que quebra a cara por causa de relacionamento, muda. E, ao passar dos anos, quando você olha pra trás e vê a pessoa que você é hoje, compensa. Eu diria que se apaixonar é tipo beber um chocolate quente: você sabe que vai queimar a língua, vai doer, mas mesmo assim, você sabe que vai valer a pena, porque é bom. 

large-418

4- Já mudou o grupo de amigos alguma vez? Se viu sozinho e teve que começar tudo de novo?

banheiro-feminino-primeira-vez-2Isabela Freitas Já. Com certeza já. Mas eu gosto de mudanças, e não me importo de ser "sozinha". Eu até que gosto dos meus momentos sozinha, sabe? Me sinto independente, dona de mim. 100%. Claro que quando me vi sem minhas amigas me senti um pouco mal, mas logo depois encontrei minhas duas melhores amigas atuais, Pati e Duda <3 e eu percebi que as vezes as pessoas certas estavam sempre ali, esperando para entrar na nossa vida, nós é que não demos nenhuma chance para que isso acontecesse. As duas estudaram comigo no colégio e não éramos próximas. Mas a vida nos aproximou <3 E HOJE TEM NOITE DO PIJAMA HEINNNNN!

 

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte JÁ! Já fui excluída e já tive que tentar me adaptar inúmeras vezes. Mudar de sala no colégio e de escola no ensino médio : meus dois traumas sociais. Mas fui aprendendo a lidar com isso, já que passava de grupo em grupo pra tentar achar um em que eu me encaixasse. Hoje eu vejo que, mesmo depois de todos os traumas, isso me fez bem, eu aprendi a me adaptar em diversas situações e a aturar vários tipos de pessoas. 

 

 

image (1)Anna Schmidt Incríveis várias vezes. Demorei muito pra encontrar as minhas melhores amigas. As pessoas são naturalmente esquisitas. Se você não agir/falar/andar/pensar da forma como elas fazem tudo isso, você é automaticamente cortada… Finalmente encontrei um grupo de amigas incríveis que, magicamente, são completamente diferentes umas das outras! O importante mesmo é saber entender que você não pode se contentar com amizades falsas… Com pessoas que só te colocam pra baixo… Tem sempre alguém disposto a te aceitar e amar pelo que você é!

 
 
Processed with VSCOcam with g3 presetCaroline Redlich Fiz isso umas 7 vezes no mínimo por mudar de cidade. Isto que foram 3 cidades diferentes mas toda vez que ia embora e retornada o círculo de amigos mudavam, exceto por algumas amizades. Quando eu digo que sou gente fina vocês tem que acreditar em mim (EHuHEUhUHE) eu nunca me vi sozinha, sem amigos, sem uma alma penada para conversar. Sou fácil de se relacionar. Por isso tenho muitos círculos de amizades e na verdade eu sempre estou entrando em contato com novas pessoas, formando novos vínculos e mantendo os velhos (e bons) claro. Eu gosto porque estou sempre aprendendo algo novo, seja exercendo a minha paciência com o tipo da pessoa ou crescendo como ser humano.
 
 

Isabela Freitas tem 25 anos, mineira, atualmente em São Paulo, mas vive mesmo no mundo da Lua. Gosta do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas. Ah, ela adora signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. Autora dos livros "Não se apega, não" e "Não se iluda, não", e você pode comprá-los aqui. Juntos eles já venderam 500.000 exemplares e até hoje eu não acredito nisso.

Oi, gente. Sei que o futuro assusta, nos deixa inseguros, sem saber o que fazer… Então esse é o tema do Banheiro Feminino de hoje. Vamos discutir nosso futuro, e nos abrir um pouco a mais com vocês.

banheiro-feminino

Conheça as participantes:

E2QU9jK-Isabela Freitas Se você tá aqui no meu blog e ainda não sabe que eu gosto do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas, tá no lugar errado. Ah, eu adoro signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. 24 anos, mora em Juiz de Fora, mas vive mesmo no mundo da Lua. Siga no twitter/Assine no Facebook/Siga no Instagram isabelaafreitas

 
 
 

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte Podem me chamar de Carol, só pra eu me sentir mais em casa. 21 anos, virginiana, nada normal, com um coração enorme, pseudo-engenheira (que só é exata na parte da faculdade, porque na parte sentimental…), tentativa de blogueira, intensa demais, sincera demais, romântica demais, conselheira demais, individualista demais, amiga demais, sonhadora demais só que incrivelmente realista (por mais irônico que pareça), viciada em snaps, em fotos, em sorrisos, em flores, em pessoas, em palavras, mas principalmente em atitudes. Leia o blog/ Siga no twitter/Facebook/Snap: camonteforte/ Instagram: @camonteforte

 

image (1)Anna Schmidt tem 20 anos, é carioca, estudante de direito, metida a escritora (http://annaluizaschmidt.blogspot.com) nas horas vagas e Fluminense de carteirinha. Envolvida por 36 séries de TV, pelo twitter (http://twitter.com/annasschmidt_), por música de todos os tipos, livros em todas as suas formas, por filmes sci-fi e pelo Rio. Impulsiva, confusa, piadista em horas inapropriadas, frequentadora oficial da noite carioca, apaixonada por tudo e por nada e pra resumir: libriana na essência da palavra. Siga no instagram: annaluizaschmidt/ Snap: annasschmidt

 
 
 
Processed with VSCOcam with g3 presetCaroline Redlich 25 anos. Gaúcha, contadora, pós graduanda e de quebra técnica em enfermagem com o jaleco já aposentado. Teimosa de doer e de personalidade forte, não é a toa que carrego o sangue alemão. Faço jus a ele. Amo demais o meu trabalho, livros, gatos, música rock e indie, viajar, whisky, vinho e churrasco do meu papis. Ah, e defendo o ideal da mulher independente e o completo poder de escolha sobre todos os aspectos da sua vida. Polêmica. Siga no instagram: cbredlich/ Twitter/ Leia o blogFacebook
 
 
 

julieJulie Cordeiro, odeio quando pronunciam meu nome errado. Tenho 19 anos, sou mineira, curso Administração  e quero passar a minha vida administrando minhas viagens pelo mundo. Sou apaixonada por livros, pessoas bem humoradas e dormir. Consigo me expressar melhor na escrita do que na fala. Mudo de opinião constantemente, mas não permito que isso me torne influenciável. Sou o que costumo chamar de pessoas "bagunças", ninguém me entende e muito menos eu. Siga no Twitter/ Leia o blog/ Instagram: julieecordeiro/ Facebook

 

 
125Nathália Caroline, 18 anos, carioca e amante de sorvete de pistache. Faladeira, baladeira, bagunceira e todas as "eiras" que vocês conhecerem. É super amiga da Beyonce, já foi à Lua, teve um caso com o Ryan Gosling e às vezes é um pouco sonhadora demais. É sagitariana com ascendente em áries com muito orgulho, com muito amor. Siga no snap: nathcarol/ Twitter/ Instagram: nathcaroles/ Facebook
 

 

 
large-406

 1- Qual é o trabalho dos sonhos para você?

E2QU9jK-Isabela Freitas O meu trabalho atual já é o trabalho dos meus sonhos. Fazer aquilo que eu amo: escrever. Seja aqui no blog, livros, em um jornal, revista… Estou vivendo meu sonho, não tenho do que reclamar. Só agradecer!

 
 
 
 
 

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte Trabalhar na beira da praia com um secretário bem gato, um massagista em tempo integral, um outro cara gato me abanando com folha de bananeira e dando uvas na minha boca, e ganhando zilhões pra fazer o minimo possível sem precisar estar formada (ÔÔÔ CREA que nunca vem #chateada). Tá, essa é a hora que eu acordo do meu sonho e lembro como realmente funciona o mercado de trabalho. Acho que o trabalho dos sonhos pra mim é acordar todos os dias com animo de ir trabalhar, independente se as coisas estão bem ou não (principalmente independente da minha tpm), mas que eu nunca perca aquele brilho nos olhos de fazer algo que eu sou completamente apaixonada, porque quando há paixão no que se faz, o trabalho se torna o dos sonhos. 

 

image (1)Anna Schmidt Sem dúvida alguma, ser escritora… Não existe nada no mundo mais gostoso do que poder colocar as suas experiências, sonhos e pensamentos no papel e fazer isso pro resto da vida! Amo o Direito, mas acho que se eu pudesse, largava tudo pra escrever sobre as coisas que eu mais amo! A experiência de poder transformar a vida das pessoas com as minhas palavras é algo que me parece incrível!

 
 
 
Processed with VSCOcam with g3 presetCaroline Redlich Tenho a seguinte concepção de trabalho dos sonhos: aquele que você sente que acordará todo santo dia as seis da manhã para tomar seu banho e NÃO SENTIR aquela sensação miúda e incomoda, o velho mal humor porque PUTA QUE PARIU JÁ É SEGUNDA-FEIRA DE NOVO! Esta ai uma teoria que defendo bastante – quem odeia a segunda-feira não ama o seu trabalho. Troque-o urgentemente e vá se feliz amigo, afinal, ninguém é pago para aguentar a sua cara ranzinza em pela segunda.
 
 
 

julieJulie Cordeiro não enviou as respostas essa semana.

 

 
 
 
 
 
 
125Nathália Caroline, Uma vez, quando eu era pequena (ainda sou, mas pula essa parte), uma velhinha com uns 60 e poucos anos ficou conversando comigo e eu disse à ela que queria ser uma bailarina muito famosa. Ela me olhou e disse "você vai ser famosa sim, mas como atriz. Você leva jeito!" e, como eu sempre quis ser uma Mia Colucci da vida, fiz daquele o meu sonho: ser atriz. Já fiz peças, ensaiei muito mentalmente, planejei fazer curso, mas como é uma carreira muito incerta, acabei desistindo (mentira, no fundo, no fundo, eu ainda acredito nisso). Então, como sempre quis trabalhar com falando gente, dando atenção, e por outros motivos pessoais, eu escolhi fazer medicina. Claro, se algum dia, alguém quiser me pagar pra eu comer e dormir, eu não vou reclamar. 

 

large-405

2- Como foi escolher o que fazer na faculdade? Foi difícil? Você acertou?

E2QU9jK-Isabela Freitas Eu mesma escolhi fazer Direito, mas eu me arrependi. Não vou falar muito disso aqui hoje, porque amanhã 12:30 sai vídeo no meu canal falando exatamente sobre isso! 😀 Se inscrevam, lá!

 
 
 
 
 
 

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte Foi facil! Eu faço engenharia de produção e até hoje tem gente que se espanta com isso, não sei porquê. Meu pai também é engenheiro, então desde pequena eu vejo ele lidando com o dia a dia de uma empresa, se desdobrando em mil pra resolver problemas, falando em casa sobre a rotina dele. Vejo isso desde os meus 13 anos, e desde lá eu tinha a certeza que eu queria seguir os passos dele e percebi que ser veterinária não era pra mim (sério, gente, acho que toda criança sonha em ser veterinária durante uma fase, a minha durou até eu descobrir como que via se o cachorro tava com febre ou não, serio, NÃO É PRA MIM). Muita gente me pergunta até hoje se os meus pais me forçaram a fazer engenharia, se eles impuseram isso pra mim, mas não, muito pelo contrário, os meus pais sempre lidaram com isso com muita tranquilidade comigo, sempre me apoiando nas decisões que eu tomasse. Confesso que tentei relutar, cheguei a me formar em técnico de turismo mas nunca exerci a profissão, porque depois de ter o diploma na mão, vi que não era aquilo que eu queria pra minha vida e que sim, era a engenharia que fazia meu coração bater mais forte.

 

image (1)Anna Schmidt Muito mega power complicado! A princípio, eu queria ser médica… Escolhi isso quando o meu irmão passou por uma experiência de quase morte e um dos médicos conseguiu salvar o meu pequenininho. Logo depois, perdi a minha avó pra um erro médico e foi o que eu precisava pra escolher a medicina como carreira, mas nem sempre as coisas funcionam da forma que a gente sonha! Acabei aprendendo a amar o Direito e hoje sei que é algo que, definitivamente, faz parte do meu coração! O problema maior é que eu sou libriana e sabe como é, né… Eu peso TUDO ao extremo! Então qualquer decisão leva um tempo surreal pra ser tomada… Chatíssimo!

 
 
 
Processed with VSCOcam with g3 presetCaroline Redlich  Foi uma novela. Mas bem resumido foi mais ou menos assim: MEUS PAIS = POUCA GRANA e CURSO INTEGRAL = MUITA GRANA, logo, FÍSICA = CURSO INTEGRAL = SONHO DA CAROL – (MEUS PAIS = POUCA GRANA) = ZERO, SE FUDEU OTÁRIA. Então como eu não podia fazer o que eu amava pois a limitação financeira era clara (não tinha como eu parar de trabalhar e meus pais manter uma segunda casa em outra city), eu fui até onde a minha perninha dava e que no mínimo possuísse cálculo (eu manjo os paranauê da matemática). Fiquei com Ciências Contábeis e esta virou minha nova paixão. Não me vejo fazendo outra coisa na vida e sendo feliz, era para ser Contabilidade <3
 
 
 

julieJulie Cordeiro não enviou as respostas essa semana.

 

 
 
 
 
 
 
125Nathália CarolineNo momento, eu to fazendo vários nadas na minha vida, então escolhi certinho, sim. Brincadeira hehe. Pra felicidade dazinimiga, eu ainda não estou na faculdade, to fazendo cursinho. Eu demorei muuuito pra decidir o que fazer na facul, pelo simples fato de querer fazer mais de 20 cursos, querer ter 1000 empregos, viver trocentras experiências… mas como isso não é possível, acabei escolhendo medicina, como já disse, por vários motivos, entre eles o desejo de querer ser uma profissional diferente da maioria, querendo realmente cuidar do paciente, etc., massss eu tenho muito muito medo do curso ser barra pesada ao ponto de eu acabar desistindo no meio e ficar sem rumo na vida. Ironicamente, o foco da minha vida é minha maior insegurança, que é a profissão.

 
large-409

3- Um sonho ainda não realizado…

E2QU9jK-Isabela Freitas Nossa, eu sou muito sonhadora. Ter meu livro publicado em outros países, publicar toda a trilogia do "Não se apega, não", ter minha própria casa, meu próprio carro, e viajar o mundo <3

 
 
 
 
 
 

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte GANHAR O OSCAR ! mentira (se bem que as vezes eu acho que eu mereço só por fazer a simpática com quem não merece) NAMORAR O MARC-ANDRÉ TER STEGEN (Ele é goleiro do Barcelona e paaaaalmas pra ele, não vou falar que esse sonho é mentira porque nunca se sabe, né?) Mas falando serio: ME FORMAR ! Está quase chegando hahaha mais dois aninhos. Acho que o meu maior sonho não realizado, que não foi realizado porque ainda não chegou a hora e não por não correr atrás, é daqui a alguns anos olhar pra trás e ver que todas as decisões que eu tomei, mesmo não sendo as mais certas, foram as melhores pra mim e que eu fiz tudo o que eu tinha que fazer, que eu não me tornei uma profissional frustrada por ter se iludido com algo, que eu seja uma engenheira renomada, que eu tenha atingido pelo menos 85% das minhas metas pessoais e profissionais, mas as que eu não tenha atingido que não frustrem, afinal certas coisas na vida não são pra acontecer do jeito que a gente planeja, senão a vida deixa de ter graça, mesmo que esse humor seja um tanto ironico.  

 

image (1)Anna Schmidt Publicar um livro, me mudar pra Londres, mudar a vida de alguém, ter dinheiro o suficiente pra criar um abrigo pra animais, viver um amor desses de cinema… Tanta coisa! Sou uma pessoa muito nada pé no chão e totalmente cabeça nas nuvens! Se eu pudesse, com certeza viveria uma vida muito diferente da minha, ajudaria mais pessoas, escreveria muito mais… Juro que sou uma sonhadora de carteirinha! Ainda não sei bem se isso é um defeito ou não…

 

 
 
 
Processed with VSCOcam with g3 presetCaroline Redlich  Auditoria *__________________*

Mas eu já estou estudando para isso e sei que é um sonho a longo prazo pois são necessários muitos anos de estudos, especializações, pós-graduações e oportunidade… Um dia chego lá e eu chegarei!
 
 
 
 
 
 

julieJulie Cordeiro não enviou as respostas essa semana.

 

 
 
 
 
 
 
125Nathália CarolineEu sou o tipo de pessoa que pensa muito mais no futuro do que no passado, então, tenho vários sonhos não realizados. Quero fazer vários trabalhos voluntários, viajar sozinha para o exterior, fazer uma performance bem diva num karaokê com direito a vento no cabelo e tudo, comer sorvete direto da maquininha do Mc Donalds, dirigir com o som bem alto numa estrada vazia, e o principal deles, sempre dar orgulho pra minha família. 

 
 
 

large-407

4- Na outra pessoa você procura alguém que seja bem realizado profissionalmente? Isso te atrai? 

E2QU9jK-Isabela Freitas É importante diferenciar. Vejo muitas pessoas chamando mulheres de interesseiras, isso e aquilo, mas cara, não é isso. Eu quero ao meu lado uma pessoa que queira crescer comigo, que queira ganhar o mundo comigo, que tenha vontade de vencer. Porque eu me preocupo muito com o lado profissional da minha vida, então o ideal é ter uma pessoa preocupada com trabalho ao meu lado também. 

 

 
 
 

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte COM CERTEZA! O cara não precisa ser um Christian Grey de tão gostoso e bem sucedido (tá, de gostoso pode até ser), mas ele tem que ter foco de querer ser alguém na vida, ninguém merece um filhinho de papai que tem como meta ter 30 anos e ser bancado pela mesada, tipo isso não dá, ou então encontrar um cara que jura que vai ser bancado pela esposa (contanto que a tal esposa não seja eu). Acorda, porque essa ideia de querer que o mundo acabe em barranco pra morrer encostado não rola. 

  

 

image (1)Anna Schmidt Com certeza, eu sou o tipo de pessoa que baseia a pessoa nas aspirações dela, não sei se consigo me ver com um cara que não tem objetivos, que não corre atrás dos sonhos e que não se esforça pra crescer! Eu sonho muito, mas procuro ao máximo crescer na medida em que posso, corro atrás daquilo que eu quero e espero encontrar alguém que tenha essa mesma força de vontade! Nada é mais sexy do que um homem que tem ambições! Bonito mesmo é casal que alcança as coisas juntos, né?

 
 
11 comentários

Isabela Freitas tem 25 anos, mineira, atualmente em São Paulo, mas vive mesmo no mundo da Lua. Gosta do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas. Ah, ela adora signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. Autora dos livros "Não se apega, não" e "Não se iluda, não", e você pode comprá-los aqui. Juntos eles já venderam 500.000 exemplares e até hoje eu não acredito nisso.

Oi, gente! Que mulher nunca teve uma amiga traíra? Homem também. Acho que isso faz parte do ser humano. Sermos idiotas com amizades, e nos fudermos até não aguentar mais. O tema de hoje é sobre isso. Sei que o Banheiro Feminino não saiu semana passada (me cobrem, viu), mas hoje ele volta com tudo. Eu to meio away aqui do blog porque to com dor no pulso esquerdo de tanto escrever (LER), então to gravando vídeo todos os dias no Youtube (me acompanhem por lá!). Mas prometo não sumir mais, viu? Mesmo com dor.

banheiro-feminino

Conheça as participantes:

banheiro-femino-amiga-trairaIsabela Freitas Se você tá aqui no meu blog e ainda não sabe que eu gosto do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas, tá no lugar errado. Ah, eu adoro signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. 24 anos, mora em Juiz de Fora, mas vive mesmo no mundo da Lua. Siga no twitter/Assine no Facebook/Siga no Instagram isabelaafreitas

 
 
 

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte Podem me chamar de Carol, só pra eu me sentir mais em casa. 21 anos, virginiana, nada normal, com um coração enorme, pseudo-engenheira (que só é exata na parte da faculdade, porque na parte sentimental…), tentativa de blogueira, intensa demais, sincera demais, romântica demais, conselheira demais, individualista demais, amiga demais, sonhadora demais só que incrivelmente realista (por mais irônico que pareça), viciada em snaps, em fotos, em sorrisos, em flores, em pessoas, em palavras, mas principalmente em atitudes. Leia o blog/ Siga no twitter/Facebook/Snap: camonteforte/ Instagram: @camonteforte

 

image (1)Anna Schmidt tem 20 anos, é carioca, estudante de direito, metida a escritora (http://annaluizaschmidt.blogspot.com) nas horas vagas e Fluminense de carteirinha. Envolvida por 36 séries de TV, pelo twitter (http://twitter.com/annasschmidt_), por música de todos os tipos, livros em todas as suas formas, por filmes sci-fi e pelo Rio. Impulsiva, confusa, piadista em horas inapropriadas, frequentadora oficial da noite carioca, apaixonada por tudo e por nada e pra resumir: libriana na essência da palavra. Siga no instagram: annaluizaschmidt/ Snap: annasschmidt

 
 
 
Processed with VSCOcam with g3 presetCaroline Redlich 25 anos. Gaúcha, contadora, pós graduanda e de quebra técnica em enfermagem com o jaleco já aposentado. Teimosa de doer e de personalidade forte, não é a toa que carrego o sangue alemão. Faço jus a ele. Amo demais o meu trabalho, livros, gatos, música rock e indie, viajar, whisky, vinho e churrasco do meu papis. Ah, e defendo o ideal da mulher independente e o completo poder de escolha sobre todos os aspectos da sua vida. Polêmica. Siga no instagram: cbredlich/ Twitter/ Leia o blogFacebook
 
 
 

julieJulie Cordeiro, odeio quando pronunciam meu nome errado. Tenho 19 anos, sou mineira, curso Administração  e quero passar a minha vida administrando minhas viagens pelo mundo. Sou apaixonada por livros, pessoas bem humoradas e dormir. Consigo me expressar melhor na escrita do que na fala. Mudo de opinião constantemente, mas não permito que isso me torne influenciável. Sou o que costumo chamar de pessoas "bagunças", ninguém me entende e muito menos eu. Siga no Twitter/ Leia o blog/ Instagram: julieecordeiro/ Facebook

 

 
125Nathália Caroline, 18 anos, carioca e amante de sorvete de pistache. Faladeira, baladeira, bagunceira e todas as "eiras" que vocês conhecerem. É super amiga da Beyonce, já foi à Lua, teve um caso com o Ryan Gosling e às vezes é um pouco sonhadora demais. É sagitariana com ascendente em áries com muito orgulho, com muito amor. Siga no snap: nathcarol/ Twitter/ Instagram: nathcaroles/ Facebook
 

 

 

large-397

1- Voce já teve uma amiga traíra? Como ela era ?

banheiro-femino-amiga-trairaIsabela Freitas Traíra? Não. Não. Magina… Eu já tive amiga que se fazia de sonsa, fofa, owntibebexinho, e na verdade era UMA NAJA TRAVESTIDA DE SER HUMANO! Ela me alfinetava na frente de todo mundo, dava em cima de todos os meus namorados, fazia intriga no meu grupo de amigas, e no fim dava um sorriso fofinho e me abraçava como se fossémos bests. Um amor de pessoa. Indico.

 
 
 
 
 

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte QUEM NUNCA TEVE NÃO SABE O QUE É VIVER A BEIRA DE QUEBRAR A CARA A QUALQUER MOMENTO!  Já sofri com isso mais de uma vez, mas a que mais me irritou foi quando uma individua (prometi usar menos ‘vaca’ nas minhas respostas, então vou tentar aprimorar o meu vocabulário para usar outros termos) da faculdade se fez de amiga do tipo ‘vou te apoiar’, ‘nossa pode contar comigo’, ‘ai cat’ (é, ela queria ser ‘dexxxxxcolada’ e chamava todo mundo de cat, tipo, oi ?!) . Até ai a tonta aqui nunca tinha desconfiado da cara de pau dela. Quando o meu ex affair se transferiu para a mesma faculdade que eu e ela estudamos, contei para ela, tanto a historia minha e dele quanto o fato dele estar estudando lá e o que isso impactava na minha conturbada parte emocional, e ela toda amiga, participativa, querendo saber das coisas e a idiota aqui contando. Um belo dia eu percebi que a quidam (gente, também é individuo, acabei de achar no google) estava cada vez mais assanhada pra cima dele, já que a babaca aqui havia apresentado um ao outro, mas eu tentava não entrar em parafusos para não surtar e meter a mão na cara dela. Eu e o meu ex bofe acabamos nos desentendendo e ficamos um período sem nos falar, foi ai que a criatura começou a se jogar pra cima dele mesmo, chegando ao ponto de , mesmo sabendo que estávamos brigados, falar para ele: ‘ai, cat, você ta procurando o seu amor? Ela deve estar perto da cantina, vai la com a Carolzinha, ela deve estar te esperando’ #vaca . Claro que eu só fiquei sabendo disso depois, quando voltei a falar com o bofe e soube também que ela espalhava barbaridades pela faculdade, fazia questão de contar para meio mundo com quem eu ficava ou deixava de ficar (isso porque eu nem contava mais nada pra ela, então conclui-se que boa parte das coisas ela inventava). Mas se vocês acham que para por ai… eu sou do tipo que tenta relevar, então durante uma viagem para jogos universitários, iriamos ficar na mesma barraca, até um primo que não era primo dela aparecer e ela me expulsar da barraca, AAAH MAS NÃO ACABOU AINDA, nessa mesma viagem, eu estava morta de cansaço e precisava dormir antes de ir para a festa que teria num dos dias, então pedi para a ‘cat’ #eca encomendar o meu lanche (todo mundo fazia um mega pedido toda vez que ia comer) e que quando chegasse (o que demorava uns 40min) ela fosse me acordar, claro que a bonita concordou e fez a amiga, só que ela NÃO ME ACORDOU! Acordei sozinha depois que todo mundo já estava pronto pra festa e já tinha comido, inclusive comeram o meu lanche, e a gata teve a cara de pau de falar “nossa, cat, fui te acordar, mas você não tava no quarto” SENDO QUE, desde o momento que eu acordei, ela não tinha saído do refeitório, que ficava beeeeem longe de onde eu estava dormindo.  Conclusão: EU ERA TROUXA, NÃO SOU MAIS, BJS SOCIEDADE! Além de falsa, oferecida e sem sal, ela ainda teve a capacidade de me deixar de mau humor por causa de comida. 

 

image (1)Anna Schmidt Nooossaaa, flashback alucinante pra história do meu primeiro BF, com a coisa mais preciosa que dormiu com o meu namorado, por favor! (Nesse minutinho, se a vida fosse tão legal como eu gostaria, a memória aparecia no cantinho da tela e vocês ficariam: "ca.ce.ta."). Eu já tive muitas histórias horríveis com amigas traíras, já tive um grupo de amigas no ensino fundamental que simplesmente PAROU de falar comigo. Do dia pra noite. Não sei se naquela época rolava mensagem de grupo no Oi Xuxa, ou como é que funcionava, mas de manhã, as graciosas já nem olhavam mais pra mim, tudo sem motivo, quer dizer, "tem motivo, mas a gente não lembra": foi o que ouvi quando elas resolveram reaparecer. E sabe qual é o pior? Eu aceitei todo mundo de braços abertos (como sempre faço depois que me machucam, sou MUITO trouxa com perdão). Já tive amiga traíra de todos os tipos, aquela que dá em cima do namorado pra tentar provar um ponto pra ela mesma, a que quer ser você de qualquer forma (e acaba confundindo seu namorado com o dela "Ih, não é que esse cara que eu to beijando é o seu namorado? Caramba, foi mal, amiga"), já tive amiga que roubava as minhas coisas, que tentava fazer as outras brigarem comigo, já tive amiga que me afastou porque começou a namorar, e por aí vai… Sou azarenta demais com amizades, total culpa dessa mania horrível de toda libriana de se entregar de corpo e alma pra todas as pessoas. No entanto, de cara digo pra vocês: não existe maior crescimento pessoal do que esse que você obtém depois de sofrer nas mãos de amizades ruins (principalmente quando você acreditava que essas amizades eram muito valiosas), então agradeçam às "donzelas", vocês são mais fortes hoje por causa delas! (Beijo no ombro pro pessoal do oi Xuxa no ensino fundamental). Graças a Deus, hoje em dia a minha melhor amiga é tipo a minha pessoa, sabe? Um beijo especial e babado pra você, Thata!

 
Processed with VSCOcam with g3 presetCaroline Redlich Aham. Era linda, tinha uns peitões, coxões, bundão, tudo ÃO e de quebra uma barriga sarada. Tudo isso com 14 anos. Eu estava mais para a minhoca do MIB Homens de Preto, só que sem aquela pancinha bizarra: Alta, muito magra, pernas compridas, secas… Enfim. Amiga arrasa quarteirão venenosa, quem nunca teve uma né? Descobri depois de anos que ela mentia descaradamente na minha fuça e de quebra falava mal de mim. MIMIMI. Ingratidão eu não perdoo. Cortei ela da minha vida e tudo virou flores. Ela murchou e não deu para muita coisa.


 

julieJulie Cordeiro, Se eu ganhasse 1 real por cada amiga falsa que já passou pela minha vida eu estaria milionária. Vocês já perceberam que eu tenho uma queda pelo exagero, né? Bom, vou definir minha história com amizades: minhas "melhores amigas" sempre tinham outras melhores amigas. Mas o problema era eu porque eu  sempre acreditei em amizade verdadeira e por isso me entregava de alma e coração para os meus amigos. Claro que amizade verdadeira existe, mas não é fácil de encontrar , eu, por exemplo, demorei para achar reciprocidade em uma.

 
 

125Nathália Caroline, Até onde eu sei, nenhuma amiga minha foi traíra comigo no sentido literal da palavra. Porém, já tive algumas "amigas" que eu sabia e sentia que não eram verdadeiras comigo. Eu ia toda animada contar alguma coisa boa que tinha acontecido comigo e a pessoa, apesar de parecer feliz, deixava transparecer no olhar que estava com raiva/inveja; todo menino que eu ficava, ela ia correndo falar com ele, ser toda amiguinha e forçar intimidade; me copiava, entre outras coisas… E era triste porque quem nasceu pra ser c****, nunca vai ser pica, BEIJÃO AÍ, GATAS.   
 

 

large-396

2- Amiga que fica com ex namorado seu, que quer os mesmos homens que você, que quer te diminuir na frente das pessoas… Por que vocês acham que muita gente mantém esses elementos por perto mesmo sabendo o tipinho delas?

banheiro-femino-amiga-trairaIsabela Freitas Eu sempre quis cortar essa garota da minha vida (e eu cortei!). Acho que o problema maior é o grupo de amigos, sabe? Os amigos relacionados. É complicado você parar de conversar com uma pessoa que eventualmente você vai ter que encontrar depois por fazer parte do mesmo círculo. Mas corte. Porque vai te fazer bem. Eu prometo.

 
 
 
 

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte VACA, NO MINIMO! (sim, eu tinha prometido falar menos vaca, mas não da é um dos poucos xingamentos que da pra usar aqui). Primeira coisa: não entendo o que faz uma pessoa querer tanto ser a outra, caramba qual a dificuldade dela ser ela mesma? Segunda coisa: vai gostar de restos assim na casa do baralho! Tem tanto homem no mundo ai solto e ela vai querer justo os que eu também quero, serio, não da.  É um nível de falta de caráter que nem a ciência explica.  Terceira coisa: Cat (em homenagem a minha abiga), não venha querer me diminuir ou tentar me fazer passar vergonha, porque quando você ta indo buscar o fubá, eu já voltei com o bolo pronto e decorado.  Acho que a pessoa querer expor a outra ao ridículo é uma prova de que ela é insegura e se sente intimidada com você, então precisa tentar fazer com que você se sinta menor do que ela (o que normalmente é difícil, já que essas pessoas, por conta própria já são pequenas de alma). Acho que toda relação que não tem futuro e mesmo assim é mantida (tanto namoro quando amizades) é por puro comodismo, já que são relações autodestrutivas e os ‘viciados’ se apegam em algum detalhe bom, mesmo que seja o mais babaca possível, só para não se libertar. 

 

image (1)Anna Schmidt Cara, eu tinha uma amiga quando estudava na cidade dos meus pais, a "Laura", que tinha um super corpo pra idade. Coisa que nem eu, nem as outras meninas tínhamos (era aquela fase esquisita onde a gente quer usar sutiã, mas não tem absolutamente nada pra segurar) (continuo nela até hoje, por sinal). Ela sempre fazia questão de falar disso na frente dos meninos que a gente gostava. Era uma situação MUITO mala, imagina, você tá lá, paquerando no melhor estilo "ai, para" e dando tapinha no cara, dai chegava a Laura e falava que o nosso cabelo tava péssimo, que a gente tinha engordado, etc, dava vontade de chorar mesmo! Como eu mesma já alimentei muitas amizades assim, digo de antemão que é total insegurança. Eu acreditava em tudo que me era falado. Quando tentavam me diminuir, eu acabava aceitando que aquele era mesmo o meu lugar, fui escrava de amizades ruins assim por muito tempo. Coisas assim só são curadas com amizades verdadeiras. Hoje o meu grupo de melhores amigas é maravilhoso. A gente se respeita, se ama e, o principal, sempre incentiva o crescimento umas das outras. Pra gente não ser vítima de uma amizade que é muito mais bullying do que qualquer outra coisa, tem que ter o gostinho de como uma amizade verdadeira realmente funciona… Aí sim, a gente consegue se desprender das amigas sanguessugas e cultivar pessoas que realmente gostam da gente pelo que a gente é!

 
Processed with VSCOcam with g3 presetCaroline Redlich Sadomasoquismo psicológico responde? A gente pode ser otária uma vez, que é quando se leva um tapa de realidade na cara vendo a que ponto chega a pessoa que “dizia” ser sua amiga. Continuar com estes tipos de amizade é para cair os butiás do bolso. Saio correndo de gente que sinto o olho gordo pular da orbita ocular para cima de mim. Cruz credo.


 

 

julieJulie Cordeiro, Porque elas acreditam em amizade verdadeira. Às vezes é melhor encontrar desculpas que cair na real. É difícil acreditar que apenas você gosta, confia, cuida e quer estar junto.  Ela pegou o cara que eu estava a fim, mas ela estava bêbada. Ela falou mal de mim, mas eu errei. Ela não me chamou para a festa? Meu celular estava descarregado, tenho certeza que ela tentou me ligar. Adivinhem quem já teve um encosto desse na vida? EUZINHA. Eu não desistia porque acreditava que aquele coleguismo era uma amizade. Demorou para ver que apenas eu fazia questão. Dói descobrir que não há ninguém do outro lado, que a amizade se resume a você e às suas expectativas. 

 
 

125Nathália Caroline, Cara, tem várias coisas que levam uma pessoa a aturar esse tipo de situação… por experiência própria, eu sei que é muito complicado! Tem gente que só descobre que a pessoa é assim depois de um tempo de amizade e, por não querer cortar relações com essa amiga por conta de tudo de bom que elas já passaram, acaba aceitando essa situação "você não vale nada mas eu gosto de você"; outros casos, a pessoa é praticamente obrigada a engolir a situação porque ninguém presta no ambiente que ela frequenta (esquece aquele ditado 'Antes só do que mal acompanhado'); outras vezes, porque é bom ter as INIMIGAS™ pertinho pra ver o que elas podem aprontar, e por aí vai…

 

  large-398

3- Você é daquelas que vai até o fim por uma amizade?

banheiro-femino-amiga-trairaIsabela Freitas Eu já carreguei amiga bêbada no colo. Deu pra entender o tipo de amiga que eu sou? Pois é. Então sim, eu vou até na puta que pariu a pé por uma amizade. Eu tenho é pena de quem não valoriza isso, e prefere ser uma puta falsa vadia vaca filha de uma puta. 

 

 
 
 
 

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte Maaaaagina, só escalei o monte Everest pra colocar uma bandeira com uma foto minha com uma amiga, isso tudo de biquíni e havaianas, só pra ver ela com um sorriso no rosto. Sou do tipo intensa demais (mas sem sufocar, pfv), gosto de fazer o possível e o impossível por uma amizade, me desdobro em mil só pra ver um sorriso na cara de um (a) amigo (a), às vezes (bem às vezes, porque tenho o dom de ser bocuda) acabo até engolindo sapos pra evitar brigas (mas deixo a perninha do sapo pra fora pra quando a amiga me irritar, bater nela com o ele).  Acho que quando você sente que a amizade é sincera, vale a pena se entregar, viver aquela relação ao máximo, mesmo que depois de um tempo você veja que aquilo não era reciproco, porque a sua consciência vai estar tranquila, tipo ‘fiz tudo que estava ao meu alcance”.

 

image (1)Anna Schmidt Cara, como eu disse antes, eu cresci tendo amizades horríveis, a minha maior lição do que é amizade verdadeira começou quando fui pros Estados Unidos e conheci a Ally (o nome dela é esse mesmo), o que a gente construiu foi bizarro! Tenho certeza que se algum dia eu caísse da cama psicopata, numa manhã qualquer, e matasse um cara, ela me ajudaria, sem dúvidas, a pensar num lugar estratégico pra esconder o corpo (péssimo exemplo, não me escutem). De lá pra cá, eu conheci a Thais (também é o nome dela), e, cara, não tenho nem palavras! Vou até o fim por todas as minhas amigas hoje em dia, mas na semana passada, quando a Thata precisou esconder um corpo, adivinha quem escolheu o lugar? Pois é! Eu sou libriana na essência, sempre me entrego de coração aberto pras pessoas, mas pelas minhas amigas, não existe nada, nada mesmo, que eu não esteja disposta a fazer! (Amo vocês). Acredito que todo mundo devesse ser assim, é bom demais saber que existe alguém aí fora que tá disposto a matar e morrer pra te ajudar e te apoiar, então procuro demonstrar o máximo possível o carinho e a admiração que eu sinto pelas meninas, gosto de pensar que alguém me considera esse tipo de "porto seguro".

 
Processed with VSCOcam with g3 presetCaroline Redlich Se eu contasse todas as tretas que já me enfiei por amizades, você chora de rir. Ou de pena. Sou sim amiga para todas as horas e que principalmente se enfia nas piores enrascadas com “azamigas”. Mas como eu dou um beijo em cada ombro deste corpo, só vou quando sei que a pessoa faria o mesmo por mim. Amiga é amiga, fdp é fdp.


 

 

julieJulie Cordeiro, Sinceramente?Não. Eu não sou muito boa em correr atrás das pessoas. Já mendiguei muita amizade, quebrei a cara e acabei aprendendo com os tapas da vida. Quer minha amizade? Eu dou de todo meu coração. Não quer? Tudo bem, seguirei minha vida normalmente. Mas eu tomo atitudes para não precisar correr atrás, me esforço para o fim não chegar nem perto. Se o amigo fez algo que não gostei eu tento resolver na hora para não desgastar a relação. É meio " Que merda é essa que você fez? Não é assim que a banda toca, meu amor. Vamos conversar." Porém quando percebo que não tem salvação ai é TCHAU E BENÇA. 

 
 

125Nathália Caroline, Sim, 1000x sim! Pra mim, amizade é uma das coisas mais valiosas que existem, quando é verdadeira, então… É muito bom saber que tem gente ali, torcendo por ti, que quer teu bem, que tá com você pro que der e vier, enfim, é gostoso demais ter amigos sinceros ao seu redor. E no mundo maluco de hoje, é raro ter esse tipo de relação, né? Pena que muita gente por aí, não valoriza isso. Só que eu valorizo (e muito!!) e, por conta disso, eu defendo, compro briga, viro a noite dando conselho, sou sincera e faço o que tiver ao meu alcance pra ser uma boa amiga. Aliás, beijos, G4ST4D0R3S, love u all!

 

large-399

4- E a amiga que sempre quer caras comprometidos. Você confiaria nela mesmo sabendo disso?

banheiro-femino-amiga-trairaIsabela Freitas Cara, minha amiga faz o que quiser se ela é solteira! O errado dessa situação é o cara comprometido. Então sim, eu confiaria nela. Mas se ela fosse do tipo que SO se interessa por caras comprometidos, confesso que teria um pé atrás, porque aí já é filhadaputagem, né?

 
 
 
 
 
 

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte Ai vai à sua própria avaliação sobre a amizade. Claro que só pelo fato da amiga gostar de ser ‘a outra’ já dá pra desconfiar da conduta dela, mas se ela é realmente sua amiga, tipo de longos anos, dá pra dar um voto de confiança (confiar desconfiando sempre, afinal não coloco a mão no fogo nem por mim, quanto mais pelos outros), mas se a amiga é recente e já soltou comentários do tipo ‘nossa, se ele fosse solteiro eu pegava’ ‘ai amiga, divide ele comigo’ e fica toda aberta perto dele, pode colocar um alarme antifurto porque tem uma ladra por perto (me desculpem o trocadilho ruim).

 
 

image (1)Anna Schmidt Acho que a base de uma amizade não é ligada ao que a pessoa gosta ou desgosta, eu tenho amigas mais "danadinhas", assim como tenho amigas que namoram há anos e são muito centradas e isso nunca influenciou na confiança que eu sinto por uma ou outra. O que importa mesmo é o respeito, eu tive uma amiga na quinta série que tinha essa mania de sempre se interessar por caras que ela sabia que ia precisar se desdobrar pra ter (caras mais velhos, caras com namoradas, caras que nem olhavam pra ela), mas os que namoravam meninas mais velhas eram os favoritos dela. Ela nunca fez nada pra mim, nunca mesmo. Sempre respeitou os meus namorados e inclusive sempre me falava que não tinha que ser amiga deles, que a amiga dela era a namorada, não o cara. Então eu confiaria sim, desde que a pessoa fosse sempre muito respeitosa comigo! Se a garota é piriguete e quer ser piriguete com o meu namorado, aí, meu bem, são outros quinhentos… Os quinhentos onde apanha ela, o meu digníssimo namorado e de brinde, quem estiver junto! (Não, brincadeira total…! Só ela mesmo).

 

Isabela Freitas tem 25 anos, mineira, atualmente em São Paulo, mas vive mesmo no mundo da Lua. Gosta do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas. Ah, ela adora signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. Autora dos livros "Não se apega, não" e "Não se iluda, não", e você pode comprá-los aqui. Juntos eles já venderam 500.000 exemplares e até hoje eu não acredito nisso.

Você conhece alguém que vive em um relacionamento abusivo?  Que sofre nas mãos de outra pessoa? Isso te incomoda? Ou você é essa pessoa que não consegue largar daquele que te faz mal? Vem ler nossas opiniões sobre o assunto 😉 Vai que te dá uma luz…

banheiro-feminino

Conheça as participantes:

E2QU9jK-Isabela Freitas Se você tá aqui no meu blog e ainda não sabe que eu gosto do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas, tá no lugar errado. Ah, eu adoro signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. 24 anos, mora em Juiz de Fora, mas vive mesmo no mundo da Lua. Siga no twitter/Assine no Facebook/Siga no Instagram isabelaafreitas

 
 

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte Podem me chamar de Carol, só pra eu me sentir mais em casa. 21 anos, virginiana, nada normal, com um coração enorme, pseudo-engenheira (que só é exata na parte da faculdade, porque na parte sentimental…), tentativa de blogueira, intensa demais, sincera demais, romântica demais, conselheira demais, individualista demais, amiga demais, sonhadora demais só que incrivelmente realista (por mais irônico que pareça), viciada em snaps, em fotos, em sorrisos, em flores, em pessoas, em palavras, mas principalmente em atitudes. Leia o blog/ Siga no twitter/Facebook/Snap: camonteforte/ Instagram: @camonteforte

 

image (1)Anna Schmidt tem 20 anos, é carioca, estudante de direito, metida a escritora (http://annaluizaschmidt.blogspot.com) nas horas vagas e Fluminense de carteirinha. Envolvida por 36 séries de TV, pelo twitter (http://twitter.com/annasschmidt_), por música de todos os tipos, livros em todas as suas formas, por filmes sci-fi e pelo Rio. Impulsiva, confusa, piadista em horas inapropriadas, frequentadora oficial da noite carioca, apaixonada por tudo e por nada e pra resumir: libriana na essência da palavra. Siga no instagram: annaluizaschmidt/ Snap: annasschmidt

 
 
 
Processed with VSCOcam with g3 presetCaroline Redlich 25 anos. Gaúcha, contadora, pós graduanda e de quebra técnica em enfermagem com o jaleco já aposentado. Teimosa de doer e de personalidade forte, não é a toa que carrego o sangue alemão. Faço jus a ele. Amo demais o meu trabalho, livros, gatos, música rock e indie, viajar, whisky, vinho e churrasco do meu papis. Ah, e defendo o ideal da mulher independente e o completo poder de escolha sobre todos os aspectos da sua vida. Polêmica. Siga no instagram: cbredlich/ Twitter/ Leia o blogFacebook
 
 
 

julieJulie Cordeiro, odeio quando pronunciam meu nome errado. Tenho 19 anos, sou mineira, curso Administração  e quero passar a minha vida administrando minhas viagens pelo mundo. Sou apaixonada por livros, pessoas bem humoradas e dormir. Consigo me expressar melhor na escrita do que na fala. Mudo de opinião constantemente, mas não permito que isso me torne influenciável. Sou o que costumo chamar de pessoas "bagunças", ninguém me entende e muito menos eu. Siga no Twitter/ Leia o blog/ Instagram: julieecordeiro/ Facebook

 

 
125Nathália Caroline, 18 anos, carioca e amante de sorvete de pistache. Faladeira, baladeira, bagunceira e todas as "eiras" que vocês conhecerem. É super amiga da Beyonce, já foi à Lua, teve um caso com o Ryan Gosling e às vezes é um pouco sonhadora demais. É sagitariana com ascendente em áries com muito orgulho, com muito amor. Siga no snap: nathcarol/ Twitter/ Instagram: nathcaroles/ Facebook
 

 

 

large-389

1- Você já viveu um relacionamento que existia abuso de uma das partes? Como era?

E2QU9jK-Isabela Freitas Abuso, abuso, não. Mas já sofri uns "puxões'', uns ''apertões'' no braço. Não se enganem, nunca fui a donzela sofrida. A vez que meu ex me encostou a mão eu joguei ele na mesinha de centro aqui de casa na frente da minha mãe e do meu pai. Ele quase quebrou as costas e eu achei foi é pouco. Ninguém me encosta…

 
 
 
 

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte JAMAIS!  Já quase entrei numa furada dessa, mas cortei logo no começo pra não dar corda pra eu mesma me enforcar, não da pra se envolver com uma cara que tem ciúmes de tudo e de todos e que quer te controlar. 

 

 

 

 

image (1)Anna Schmidt Cara… Nunca. Sei que rola mesmo, tenho até uma amiga que sofre com esse problema, mas acho que o importante é saber dizer não desde o começo. Se o cara sonha em levantar a mão pra mim, já vou estar de mala e tudo, atravessando a porta… Nessa hora ele vai estar atrás, sabe? No chão. Estéril. (brincadeira) (não, verdade mesmo). AMOR PRÓPRIO, tenho e tenho muito, me submeter a isso tá fora de cogitação.

 
 
 
Processed with VSCOcam with g3 presetCaroline Redlich Já. Não é algo fácil de admitir mas não podemos mais nos calar. Temos que gritar para todos os cantos, mostrar o quanto isto é real e esta acontecendo nos mais diversos relacionamentos (idades), falar da nossa experiência para outras pessoas e mostrar que relacionamento abusivo não se limita a agressão física. Exemplo: O que você faz nunca esta bom, diz que não irá alcançar os seus sonhos (terror psicológico mesmo), tira este batom vermelho porque esta parecendo uma puta, troca esta saia que esta curta demais, não aceita a palavra “término” que fala que vai se matar… É, isso também é relacionamento abusivo. Mas sendo bem direta: o cara ficava me diminuindo, fazendo-me sentir a bosta do cavalo do figurante do filme.
 

julieJulie Cordeiro, Agradeço a Deus por nunca ter vivido um relacionamento abusivo. Eu odeio gente mandando na minha vida e quando percebo que isso está acontecendo eu me afasto da pessoa. Tenho o defeito de desistir muito fácil das pessoas, eu acredito no melhor delas, mas não tenho é paciência para ficar lidando com algumas atitudes. Eu sou muito "bola pra frente tem outros caras". Infelizmente 🙁 

 

 

 
125Nathália Caroline, Cara, não. Não, não, não e não! Eu não gosto de gente com jeito abusado e é pior ainda gente que abusa das pessoas, quando vejo esse tipinho já vou pra longe. E me incomoda muito o fato de sentir que estou me "aproveitando" dos outros. Quando eu peço um favorzinho (alguma coisa boba emprestada, por exemplo) eu já acho que estou invadindo a pessoa, já to fazendo a coitada de escrava, etc., só pra vocês terem uma noção do tamanho da minha paranoia ! Eu pra cá e os abusados bem longe de mim. 

 

 

large-390

2- Algum homem já levantou a mão pra você? Como foi? 

E2QU9jK-Isabela Freitas Já. Parece que atraio esse tipo de pessoa *como o citado da primeira resposta*. Tive um namoradinho quando era mais nova que era tipo MUITO agressivo. E na frente das pessoas ele era eleito facilmente o próximo padre da paróquia da cidade dele. Cara, ele socava tudo quando eu irritava ele, parede, volante do carro, a própria perna (??), e eu tinha certeza que ele imaginava meu rostinho nesses objetos. Mas ai eu terminei com ele e ficou tudo bem. Também já voltei de uma micareta aqui de Juiz de Fora toda roxa, de VERDADE, porque os homens retardados não sabem o significado da palavra NAO. Agarrar uma mulher contra sua vontade é estupro. Só pra conscientização da galera ai. Hoje eu sei disso, mas na época eu só fiquei pensando "Será que a culpa é da minha roupa?". Merda de sociedade.

 

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte NUNCA! Quando chega ao ponto do cara levantar a mão pra você é porque perdeu todo e qualquer tipo de respeito na relação. Onde já se viu isso, um cara tentar bater numa mulher e pior ainda, numa mulher que ele ta se relacionando? Sério, gente, não da. 

 
 

 

 

 

 

image (1)Anna Schmidt Já. O cara não era meu namorado/ficante, mas era um ex namorado de uma amiga, no meio do calor de uma briga dessas de night, o tal do "Caio" foi pra cima do atual dessa minha amiga, na hora de separar, fui tentar ajudar e o babaca veio com tudo pra cima de mim. A sensação é de medo, o cara era muito maior que eu, mas é aquilo, né… Não da pra abaixar a cabeça e deixar o garoto achar que você sempre vai ser submissa diante de uma coisa assim. Eu podia até perder um dente importante (esses da frente mesmo), mas que ele ia perder uns bons fios de cabelo… Ah, isso ia.

 
 
 
Processed with VSCOcam with g3 presetCaroline Redlich Já! (vou ali pegar um lenço porque, né, esta difícil gurias) E foi a coisa mais sem noção da minha vida que passei. Fiquei tão pasma com aquilo que não tive reação. A pessoa desceu a lapada nas minhas costas porque pedi licença para uma amiga grávida sentar na cadeira, isto na minha casa, no meu aniversário e com o meu pai em casa. Passou tanta coisa na minha cabeça mas a principal era: Que merda ele esta pensando que esta fazendo?! Gente, nem meu pai nunca me bateu e UM ZÉ RUELA VAI FAZER ISSO? AH VÁ. Nesta hora eu queria ter aquele pó mágico de conto de fadas para tacar na cara da pessoa e fazer ela sumir do meu aniversário e de quebra da minha vida. Claro que aquilo foi a gota d’agua de um balde que já estava transbordando, porque né, não sou obrigada.
 

julieJulie Cordeiro, Nunquinha, nem o meu pai. Inclusive, Pai, eu te amo <3. Mas o mais importante é que eu nunca levantei a mão para um homem. Respeito tem que ser recíproco, não adianta querer receber algo que você não dá. 

 

 

 

 
125Nathália Caroline, Bater de palmada, soco, etc., não, mas já agarraram bem forte numa balada da vida, papo de deixar meu braço marcado (isso aconteceu no Carnaval também). Alguns seres que possuem piu-piu (me recuso a chamá-los de homens) acham que se a mulher fala "não", ela está fazendo doce (??????) e que se agarrarem a coitada a força, vão conseguir um beijo caloroso da mesma. Cara, só no mundo imbecil desses seres que isso faz sentido. Não é não e acabou. Ainda bem que esses trastes são minoria. 

 

 
large-391

3- Qual a melhor forma de sair de um relacionamento assim? Por que acha que algumas pessoas não conseguem largar nunca e são escravas disso?

E2QU9jK-Isabela Freitas A melhor forma é dizer para si mesma em frente ao espelho "EU MERECO MAIS DO QUE ISSO, EU POSSO MAIS DO QUE ISSO, EU VOU CONSEGUIR ALGO MUITO MELHOR DO QUE ISSO". O que percebo de meninas e meninos que se mantém em relacionamentos doentios (com muito ciúme, traições, agressões, desprezo), é que elas/eles acham que não vão encontrar mais ninguém, e preferem ter aquele pouco (nada), do que o nada (que pode ser tudo o que você precisa). Por favor, pensem nisso. Tem tanta gente no mundo querendo cuidar, querendo amar, querendo te fazer a pessoa mais feliz do mundo… 

 
 

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte Cortando o mal pela raiz. Não tem como manter uma relação doentia assim, não tem respeito, não tem consideração, não tem carinho e muito menos amor, afinal pra chegar ao ponto de ter agressão física, é porque a agressão verbal já não é mais suficiente pra machucar o outro. As pessoas que mantem esse tipo de relacionamento ainda, levam esse envolvimento como uma droga, se torna um vicio e estar com a pessoa vira comodismo, já que muitas pessoas tentam se prender a alguma coisa boa na relação (seja por algum tipo de conforto que o outro proporciona, por se prender a família ou até mesmo pelo sexo, por achar que nunca vai encontrar alguém que tenha essa química na cama como vocês têm #BALELA), mas a partir do momento que o cara não te respeita, não vale a pena dar murro em ponta de faca pra tentar salvar uma relação que já afundou faz tempo.

 

image (1)Anna Schmidt Acho que eu penso da seguinte maneira: a melhor forma de sair de um relacionamento assim, é simplesmente não entrar, não se deixar permanecer dentro de um convívio doentio/tóxico, mas também entendo que a maioria dos casos de abuso rolam com caras que eram príncipes no começo e do nada começaram a se mostrar completamente psicóticos, então a mulher tá ali, apaixonada, mas vítima do amor (literalmente). O segredo pra quem já tá envolvida num lance desses é o amor próprio. Não tem como dizer diferente. Acho que uma mulher que se olha no espelho, machucada, e mesmo assim fica com o cara (não por medo, esse lance do medo entra em outro assunto muito mais intenso) é um ser humano que pensa não merecer ser apreciada, bem tratada, amada. Não consigo pensar em nada além disso, além da ausência de respeito próprio… Essa minha amiga que sofre bastante por causa disso, já disse em alto e bom tom "sou horrível com ele, mas sem ele, eu não existo, eu não me amo tanto assim". Então se você sofre com algo parecido, pense nisso: você merece alguém que saiba apreciar a garota incrível que você é. A violência nunca é fruto do amor (mesmo que 50 tons de cinza pense um pouquinho diferente). Brincadeiras à parte, entendam que pra sair de algo vil assim, vocês precisam ter força de vontade… Precisam se amar o suficiente pra se libertar dessa corrente imaginária que só traz angustia, sofrimento e dor.

 
 
Processed with VSCOcam with g3 presetCaroline Redlich Olha bem nos olhos dele(a) e fala: Perdeu playboy! (hehe) Não tem fórmula pronta ou menos dolorosa, é o bom e velho acordo de  um entrar com a bunda e outro com o pé. “Se é tão fácil Carol por que muitas mulheres não terminam logo?”. Primeiro porquê quem esta vivendo um relacionamento abusivo acha que não esta vivendo um relacionamento abusivo. A pessoa nega de pé junto que NÃÃÃO, VOCÊ NÃO SABE O QUE ESTA FALANDO, EU E ELE TEMOS UM RELACIONAMENTO LINDOOO E SÓ NÓS SABEMOS O QUE VIVEMOS E NÃO QUERO SER MAIS SUA AMIGAAAA. Eu enxerguei que passei por um relacionamento abusivo muitos anos após estar fora dele! Mas basicamente é isso: O indivíduo não consegue ver o mal que a pessoa esta fazendo a ela. Outra pessoa tem que dar um sacode e esfregar a verdade na cara dela, doa a quem doer. E não tenha medo de ser esta pessoa que irá abrir os olhos de outra, cai dentro!
 

julieJulie Cordeiro, Não existe fórmula, a salvação de um pode ser o enterro do outro. As pessoas são diferentes, possuem relacionamentos diferentes. Falta de confiança, amor próprio e auto estima são fatores, na minha humilde opinião, que permitem o aprisionamento a um relacionamento ruim.  Eu acredito que quem se prende a um relacionamento abusivo carrega o medo de ser sozinho, de perder essa pessoa M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-A e nunca mais encontrar outra pessoa que a faça tão feliz quanto o seu parceiro(a), porém ele(a) só te faz feliz em algum lugar perdido dentro da sua imaginação. Vamos tomar um chá de realidade? VAMOS 😀

 

125Nathália Caroline, Terminar num local seguro e com gente por perto que, de preferência, saiba que você está sendo abusada (o). E sem essa de manter relações de "amizade" ou qualquer coisa que estabeleça laços pós relacionamento, tem que cortar o mal pela raiz, gente, é sério! Eu sei que às vezes é meio difícil se desfazer de um relacionamento (é nessa hora que vocês leem "Não se apega, não" 😉 ) que vocês gostam da pessoa, blá blá blá, mas cara, a partir do momento em que você está se sentindo incomodado de alguma forma, *Teletubbies's voice* ~é hora de dar tchau~ pro HELLacionamento. Mais pra frente farei um apelo.  

 

large-392

4- Aquele ciúme doentio, que você não pode ter amigos, conversar com ninguém, já aconteceu? Ou você já foi essa ciumenta? 

E2QU9jK-Isabela Freitas Mano, eu só tive namorado psico-ciumento-louco-da-pá-virada. Mas eu sou meio insuportável, porque NaO ObEdEçO NeM MeUs PaIs QuEm DiRa Um NaMoRaDiNhOoOoO???? Nunca fiz nada do que me mandaram fazer. Simplesmente entrava num ouvido, saia no outro, e se ficasse putinho podia terminar. A porta era serventia da casa. Tem gente que acha que pra namorar tem que ficar monitorando as redes sociais do outro, celular (GENTE NAO QUERO VIVER NUM MUNDO ONDE MEU NAMORADO LE MINHAS CONVERSAS COM AS MINHAS AMIGAS, PORRA!), etc. Nasci livre, sou livre, serei para sempre livre. O que posso fazer é compartilhar minha liberdade com alguém 🙂

 

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte Não sou ciumenta a esse ponto! Acho ridículo uma pessoa tentar controlar a outra, do tipo exclui-la dos amigos dela e até mesmo da família. Eu já passei por isso, mas cortei logo no começo, antes da coisa piorar. Eu estava ficando com um cara da faculdade que me conheceu no bar e eu fiquei muito amiga dos amigos dele (gravem essa informação: ME CONHECEU NO BAR). Eu andava com os amigos dele, todo dia estávamos lá e tava tudo normal, só que eu via que ele ficava um pouco incomodado de eu estar brincando e conversando com os meninos, mas como ele não disse nada, então fiquei na minha. Num dia, eu não tinha a ultima aula e tava indo para o bar, no caminho, encontrei com ele, quando eu falei onde estava indo, ele fechou a cara e disse que não gostava quando eu ia para o bar sozinha, que ele tinha ciúmes (DOS AMIGOS DELE, PORQUE ATÉ ENTÃO ERAM COM ELES QUE EU ANDAVA) e que era pra eu avisa-lo quando fosse pra ele ir junto. ALOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO? TIPO SEGURANÇA? CÃO DE GUARDA? VAI QUERER POR UM CHIP TAMBEM, GATO? VAI QUERER RASTREAR O MEU CELULAR? NÃO, NÃO DAVA! Na hora eu já cortei ele e paramos de ficar, afinal não tem como tentar começar uma relação na qual o cara tem ciúmes dos próprios amigos e não confia em você. 

 

image (1)Anna Schmidt Já. Eu tive um namoradinho lá pela sexta série (talvez sétima) que era maluco. O "Guilherme" era doente mesmo. Eu não podia conversar com nenhum outro garoto, muito menos sonhar em ir pra casa de uma amiga se os meninos da minha sala tambem fossem (ele era um ano mais velho), demorou uns cinco meses pra eu me tocar de que ele precisava de uma boa surra de cabo de vassoura… Saí correndo da vida do Gui e, cara, ele não fez a menor falta. Depois de um tempinho, percebi que além de psicopata, o Gui também era bem covarde… Dois anos depois, ele espancou um menino bem mais novo porque o cara furou a fila na hora do recreio (só de pensar que eu podia sofrer algo do tipo nas mãos desse cara, sinto um arrepio desses esquisitos na nuca).

 
 
Processed with VSCOcam with g3 presetCaroline Redlich Esta não, ufa, achei que ia ser a Maria do Bairro sofredora do BF desta semana. Eu só fui aquela que o cara precisava transformar em uma formiguinha para se sentir bem, ser xingada de vez em quando de burra ou imbecil para não perder o costume e, é, isso aê. NÃO mulheres! Não aceitem: ciúme doentio, pressão psicológica, falta de respeito e/ou agressão física. Juntos ou isolados não diminui o problema e o fato de isto não é normal e que não deve ser aceito.

 

 

julieJulie Cordeiro, Eu já fui daquelas que tem ciúmes até do travesseiro que dorme toda noite com a pessoa. Mas com o tempo percebi que é bobagem e perda de tempo, não adianta querer colocar a pessoa em uma jaula sem contato com a humanidade(até que seria legal, né?). Todo mundo precisa de ter a sua intimidade,  ter amigos,  fazer coisas sozinho, ter uma vida independente.  Conviver com pessoas muito ciumentas é chato e só agrega coisas negativas para qualquer relacionamento. 

 
 

 

125Nathália Caroline, Só de ler essa pergunta, já me deu umas coceiras aqui, DEUS ME LIVREM ISOLA, QUEIMAAAAAA. Ciúme "normal" já é uma coisa que me incomoda muito (vocês já devem ter percebido), ciúme doentio, então, nem se fala. E eu jamais, nunca, em hipótese alguma, fui/serei esse tipo de pessoa. Espaço num relacionamento é fundamental, gente! Do mesmo jeito que dizem que "é impossível ser feliz sozinho" (discordo totalmente) é impossível ser feliz com alguém 24 horas no seu pé (e isso vale tanto pra quem gruda tanto pra quem sofre com isso). Então, a campanha #XôCiúmes continua firme e forte.

large-394

5- Concorda que sempre existirão novas pessoas, novas oportunidades, e que ninguém pode ser pior do que alguém que abusa de você?

E2QU9jK-Isabela Freitas Eu que escrevi a pergunta, então sim. Sempre existirá alguém ai que daria o mundo para te ver sorrir, não duvide disso. Então pra que perder o seu tempo com quem não te traz nada além de lágrimas, peso no coração, e uma vida limitada? A vida passa num piscar de olhos. O ano começa, quando vemos já estamos em abril, e assim se vai uma vida… Desperdiçada.

 

 
 
 

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte No mundo tem muita gente incrível para conhecer, não é necessário ficar preso a um(a) babaca. Todo desapego no começo é um tanto complicado, mas precisa ter coragem, vontade e, acima de tudo, antes que querer amar alguém, amar a si mesma, porque o amor próprio é o grande salvador de enrascadas como se envolver com caras que não te um pingo de respeito por você.

 
 
 
 

image (1)Anna Schmidt Sem dúvida alguma! A maioria das pessoas acha que não vai mais encontrar alguém que as ame (como se um cara louco que te espancasse fosse o candidato mais perfeito pro cargo) se decidir colocar fim num relacionamento abusivo. A verdade é que o tempo carrega em si uma das coisas mais incríveis do mundo: a possibilidade de mudança. O mundo muda constantemente, sempre trazendo pessoas novas pras nossas vidas, costumo dizer que o destino prega peças dramáticas e deixa os contos de fadas pro final, pra que a gente aprenda a apreciar o que é bondoso e bonito antes de realmente recebê-lo. Então saiam do drama… Sei que não é simples, que falar &eacut

18 comentários

Isabela Freitas tem 25 anos, mineira, atualmente em São Paulo, mas vive mesmo no mundo da Lua. Gosta do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas. Ah, ela adora signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. Autora dos livros "Não se apega, não" e "Não se iluda, não", e você pode comprá-los aqui. Juntos eles já venderam 500.000 exemplares e até hoje eu não acredito nisso.

Vai dizer que as redes sociais não influenciam nos relacionamentos? É claro que sim. Um ciúme aqui, outro ali, uma vaca aqui, outra ali… Incrível como a tecnologia nos aproxima e nos afasta ao mesmo tempo. Pensando nisso resolvemos trazer o assunto pro Banheiro Feminino e colocar a fofoca em dia. Vamos ver o que achamos disso?

banheiro-feminino

Conheça as participantes: 

banheiro-feminino-redes-sociais-x-relacionamentoIsabela Freitas Se você tá aqui no meu blog e ainda não sabe que eu gosto do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas, tá no lugar errado. Ah, eu adoro signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. 24 anos, mora em Juiz de Fora, mas vive mesmo no mundo da Lua. Siga no twitter/Assine no Facebook/Siga no Instagram isabelaafreitas

 
 

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte Podem me chamar de Carol, só pra eu me sentir mais em casa. 21 anos, virginiana, nada normal, com um coração enorme, pseudo-engenheira (que só é exata na parte da faculdade, porque na parte sentimental…), tentativa de blogueira, intensa demais, sincera demais, romântica demais, conselheira demais, individualista demais, amiga demais, sonhadora demais só que incrivelmente realista (por mais irônico que pareça), viciada em snaps, em fotos, em sorrisos, em flores, em pessoas, em palavras, mas principalmente em atitudes. Leia o blog/ Siga no twitter/Facebook/Snap: camonteforte

 

image (1)Anna Schmidt tem 20 anos, é carioca, estudante de direito, metida a escritora (http://annaluizaschmidt.blogspot.com) nas horas vagas e Fluminense de carteirinha. Envolvida por 36 séries de TV, pelo twitter (http://twitter.com/annasschmidt_), por música de todos os tipos, livros em todas as suas formas, por filmes sci-fi e pelo Rio. Impulsiva, confusa, piadista em horas inapropriadas, frequentadora oficial da noite carioca, apaixonada por tudo e por nada e pra resumir: libriana na essência da palavra. Siga no instagram: annaluizaschmidt/ Snap: annasschmidt

 
 
 
Processed with VSCOcam with g3 presetCaroline Redlich 25 anos. Gaúcha, contadora, pós graduanda e de quebra técnica em enfermagem com o jaleco já aposentado. Teimosa de doer e de personalidade forte, não é a toa que carrego o sangue alemão. Faço jus a ele. Amo demais o meu trabalho, livros, gatos, música rock e indie, viajar, whisky, vinho e churrasco do meu papis. Ah, e defendo o ideal da mulher independente e o completo poder de escolha sobre todos os aspectos da sua vida. Polêmica. Siga no instagram: cbredlich/ Twitter/ Leia o blogFacebook
 
 
 

julieJulie Cordeiro, odeio quando pronunciam meu nome errado. Tenho 19 anos, sou mineira, curso Administração  e quero passar a minha vida administrando minhas viagens pelo mundo. Sou apaixonada por livros, pessoas bem humoradas e dormir. Consigo me expressar melhor na escrita do que na fala. Mudo de opinião constantemente, mas não permito que isso me torne influenciável. Sou o que costumo chamar de pessoas "bagunças", ninguém me entende e muito menos eu. Siga no Twitter/ Leia o blog/ Instagram: julieecordeiro/ Facebook

 

 
125Nathália Caroline, 18 anos, carioca e amante de sorvete de pistache. Faladeira, baladeira, bagunceira e todas as "eiras" que vocês conhecerem. É super amiga da Beyonce, já foi à Lua, teve um caso com o Ryan Gosling e às vezes é um pouco sonhadora demais. É sagitariana com ascendente em áries com muito orgulho, com muito amor. Siga no snap: nathcarol/ Twitter/ Instagram: nathcaroles/ Facebook
 

 

 

banheiro-feminino-redes-sociais-x-relacionamentoDébora Carvalho Virginiana, desorganizada e apaixonada por cães, pássaros, borboletas e pessoas. Mas só algumas. Viciada em livros. Paranaense, 16 anos e completamente impulsiva e desatenta. Odeio chocolate branco. E só. Siga no twitter/ Instagram: uidebs/ Facebook

 

 

 

large

1- Você se importaria do cara ainda conversar com a ex (ou as ex) frequentemente? 

10523872_266747316866227_1525621936796281803_nIsabela Freitas Cara, eu não mando em ninguém, o cara faz o que quiser da vida. Mas saiba que sim, eu vou te admirar menos se você ainda conversa com sua ex. Sim, eu vou achar desnecessário ele conversar com a ex. Sim, provavelmente eu vou broxar totalmente se o cara ainda conversa com a ex. Acho que tem certas coisas que são desnecessárias, mané educação, sabe? Todo mundo sabe que papo entre ex namorados sempre acaba tendo um revival. Lembro que uma vez eu estava quase namorando um carinha, mas a ex dele vivia mandando mensagem, aparecendo do nada nos lugares que a gente tava, e tipo, ele não correspondia, não respondia, nem olhava pra ela. Mas eu acabei terminando porque esse é o meu ~~jeitinho~~ de ser. Deu no saco.

 
 

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte Claro que não, mas eu já falei que adoro jogos mortais? Brincadeira! Não me importo, contanto que ela esteja dentro de uma jaula de vidro blindada e ele do lado de fora (máéobvio) sem ter nenhum contato físico, tudo bem.  Aaah podemos também considerar o visual, ne? Então podemos colocar na vagaex, ops na vagabunda, ops de novo, na ex, aqueles óculos da banheira do Gugu, odeio flerte por olhares hahahaha Brincadeira de novo. Acho que existem casos e casos. Claro que saber que seu atual tem algum tipo de contato com a ex é algo pra tirar qualquer um do sério, principalmente se eles se falam por se falar, sem ter um motivo plausível. Porém, vários fatores estão envolvidos nisso, mas o principal pra ter paz quando isso acontecer é você confiar no seu taco, saber que o cara TA COM VOCÊ E NÃO COM A EX, maaaaaaaaas o cara tem que te passar confiança a ponto de você não se sentir intimidada com o fato dele ainda ter contato com ela. Outras coisas podem caracterizar a situação, principalmente quando esses ex-relacionamentos envolvem a família (uma amiga minha é madrinha da sobrinha do ex dela, então fica difícil excluir laços entre eles, mas isso não significa que eles vão voltar ou que o atual dela deve colocar um chip nela toda vez que ela for visitar a afilhada). Às vezes, dependendo do modo que o relacionamento acabou, se foi tranquilo, pode rolar uma amizade, é valido. Acho que nessa situação, quando há respeito não tem problema, o ciúme vai sempre existir e é normal quando ele é saudável, mas a questão é saber lidar com ele. 

 

image (1)Anna Schmidt Respeito. Acho que é o fundamental nessas horas. Sou super hipócrita com essas coisas, porque o meu primeiro namorado é meu amigo até hoje, mas não sei como reagiria se o cara que eu namorasse conversasse com a ex-namorada. Quando comecei a namorar o meu ex, tinha uma menina (super insuportável) que era completamente apaixonada por ele. Eu detestava a garota porque ela não tinha respeito pelo fato de que eu era parte da vida dele naquele momento, mas no final das contas, acho que depende do tipo de relacionamento dos dois. Se a ex fosse uma ex de um tempinho (milhões de anos) e os dois fossem amigos (quase irmãos), aí acho que eu não me ligaria muito, não, como eu falei no começo, é tudo uma questão de respeitar, se a garota é gente boa, me respeita como namorada e se coloca no lugar dela (de amiga), acho que eu levaria numa boa…

 
 
Processed with VSCOcam with g3 presetCaroline Redlich O meu "eu" lógico e racional tem pensamentos do tipo "de boa, afinal esta comigo e não com ela né" mas, todas as mulheres (ou a maioria delas) a versão louca Godzilla se instala e fujam para as montanhas porque o bicho pega. Antes de se culpar por ter agido desta forma, relaxa. É tipo chifre, se um dia você não tocou o terror, um dia tocará. É um karma, todas passamos por isso ao menos uma vez na vida. Agora, caramba… É realmente complicado esta situação porque depende muito de como aconteceu o término e outros detalhezinhos. 1) Sobre o término: Foi de boa? Foi no quebra pau? Rolava um flashback entre eles? E os detalhes: 2) como eles se tratam pessoalmente; 3) como se tratam nas conversas online 4) sobre o que conversam obviamente e 5) e não menos importante, como ela reage ao te ver. Tem que ter uma certa coerência entre os cinco pontos. Até concordo que pode sim construir uma amizade após o término mas cá entre nós, no meu círculo de amizade só vi uma amiga conseguir esta façanha e até acho que ela até vai para o céu por isto mas,  ex bom é ex enterrado. E fim de papo. Obs.: Um "bom dia, boa tarde e boa noite" basta para manter a boa vizinhança e conversas triviais de fato não me incomodam e, antes de ter um ataque tem que analisar friamente a situação. O que não rola também é dar show por uma gota d'agua.
 
 

julieJulie Cordeiro Pode conversar, pode até rolar da gente sair qualquer dia. Quem não gosta da ex do atual, né? Aqueles seres MARAVILHOSOS, meu sonho é ser melhor amiga da ex do meu futuro namorado HAHAH mentira Vamos combinar aqui: Ex tem que ficar longe, bem longe, mas muito longe mesmo. Não acho legal esse contato entre ex namorados. Terminou? The end, adeus, tchau, goodbye. O que está no passado tem motivos suficientes para não estar no presente. Ninguém merece ter alguém ao seu lado que fica de mimimi com ex. Quer ficar conversando com a ex? Então me poupe e volta pra ela porque odeio fazer papel de trouxa. 

 

 

125Nathália Caroline, Me importar muito, eu não me importaria, não… só iria matar todas de forma bem lenta e dolorosa. Brincadeira hehe. Cara, eu não vejo nenhum problema em conversar com a ex. É claro que se for muito papinho pra lá, muito mimimi pra cá, eu vou estranhar e não vou gostar, mas conversar em si, eu não vejo com maus olhos. Porém, há um grande "ps" nisso: ela (ou melhor, eles) têm que saber respeitar meu espaço como atual namorada. Essa coisa de "Meu ex é meu best" ou ter muita intimidade, não cai bem. É claro que eu não vou querer que ele esqueça tudo o que eles viveram, mas se é comigo que ele está, é comigo que ele tem que ter o "querer" de compartilhar e contar o que aconteceu no dia, ter as piadas internas, etc. Acho que é tudo questão da ex saber respeitar o espaço da atual e vice versa. 
 

banheiro-feminino-redes-sociais-x-relacionamentoDébora Carvalho Obviamente!!! Tenho um sério problema com isso de passado X presente e conversinha com ex namorada não dá!!! Mesmo que seja um oizinho na vida e outro na morte, mas, definitivamente, não! Quer conversar, conversa comigo, uai! hahaha acho que se ele volta a conversar com a ex, é porque sente saudade ou falta de alguma coisa. E aí eu me sinto inútil. De verdade. Eu sou muito radical em relação a isso e eu não vou ser hipócrita e dizer que acho normal e que existe amizade depois que acaba um namoro, porque, cara, não… Acabou, acabou. Sem papinho, literalmente.

 

large-27

2- Como conciliar essa vida online em um relacionamento? O que incomoda, o que você acha difícil, o que você acha válido…?

10523872_266747316866227_1525621936796281803_nIsabela Freitas Vamos lá mostrar o quão louca eu sou. Sempre que começo ter interesse por alguém, eu olho o Facebook, e vejo quantos amigos ele tem. Mais de 1000? Descarto. Odeio gente que é amigo de todo mundo, que é sorrisos pra todo mundo, que é best de todo mundo, que tem um milhão de amigas piriguetes da noitada, PELO AMOR DE DEUS. Menos de 300 amigos? Pra casar. Agora outra noia: curte foto de 99 mulheres diferentes no Instagram, tudo isso em 20 minutos = um bosta. Nunca gostei de gente muito aparecida, que atira pra todos os lados, e nas redes sociais essas pessoas são facilmente identificadas, né? Eu não sou ciumenta, mas não sou babaca que engole as coisas. O que não posso esquecer de dizer é que se relacionar comigo deve ser um saco =( porque eu trabalho com internet, e fico o dia inteiro me expondo aqui no blog, e nas minhas redes sociais. Tudo que eu faço é meio "documentado". Então se a pessoa noiar com isso, não tem como dar certo. Lembro que meu ex tinha ciúme quando eu ficava mexendo muito no celular, ai pediu pra escolher entre ele ou o celular, E O QUE EU FIZ? ISSO MESMO TO AQUI BEIJANDO MEU CELULAR KKKKKKKK. Brincadeira. Na verdade ele não pediu pra escolher, mas se tivesse pedido eu escolhia o celular mesmo. Bjssss.

 

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte Toda vez que me envolvo com alguém, contrato um hacker, mas vamos deixar isso em off (atuais e futuros, esqueçam de ler isso, tipo ignorem o link quando eu compartilhar, ok?). Hoje em dia é complicado, sempre vai ter uma vaca ou um fdp pra incomodar casais felizes.  Quando não tem vestígios do meu envolvimento com o cara nas redes sociais, é até normal ter alguma vaca comentando em fotos e até mesmo mandando mensagem, o problema é quando o cara, estando com você, começa a dar corda pra elas, mas ai não é culpa da rede social e sim da falta de vergonha na cara dele.  Acho valido ter uma certa tolerância a isso, quando o relacionamento é realmente serio, vale a pena mandar jogar uma bomba na casa da adorável hahaha [mentira, já falei que não sou dessas], mas só é difícil de lidar quando não há confiança, quando o cara da indícios de ser fdp,  em todos os casos tem que ter confiança e respeito na relação, vai ser isso que vai determinar o nível de dificuldade, mas sempre considero a possibilidade de contratar um hacker, só pra tirar aquela pulga detrás da orelha (meninas depois se vocês quiserem eu passo o contato, ele descobre senha até do banco do cara e ‘sem querer’ bane a lazarenta da vagaba que está dando em cima do boy das redes sociais, até daquelas que ainda não foram inventadas) hahahaha

 

image (1)Anna Schmidt Acho que nesse Banheiro Feminino, as pessoas vão começar a achar que eu sou total psicopata. A verdade é uma só: eu não sei lidar com ciume porque nunca tive um namorado que me fez sentir 100% segura de mim, e não é pra levar pro lado do "caraca, ela precisa de um cara, pra se sentir segura", porque não é nesse sentido, juro juradinho! A segurança que eu falo é no sentido de ser segura dentro do casal, ter confiança no cara pra entender que se ele tá curtindo foto de outras garotas, ou conversando com outra garota pela internet, independente da rede social, não quer dizer que ele esteja afim dela ou interessado em alguém de fora. Pra ser bem sincera, a parte mais difícil pra mim é ver o cara que eu tô namorando curtindo as fotos daquela menina em particular que eu simplesmente DETESTO. Acho o fim da picada, a gente compartilha os segredos, ele sabe que eu tenho um problema pessoal com ela e mesmo assim curte? É quase uma provocação direta! Já cometi muitos erros por ciúme, mas aprendi que o cara tem que ter o espaço dele, por mais que a gente namore, as redes sociais são dele, ele pode e deve ter liberdade pra fazer o que bem entender, falar sobre o que gosta, com quem gosta e tudo isso (menos com a piriguete que tá doidinha pra dar uns pegas nele, aí vira guerra). Então o importante mesmo é respeitar a individualidade de cada um.

 
 
Processed with VSCOcam with g3 presetCaroline Redlich Primeiro, cara que sai curtindo foto de mulher igual um louco varrido em rede social é a mesma coisa que estar escrevendo na testa "eu sou um babaca". Entendam, não é foto comum… São aquelas fotos, estas mesmo que você imaginou. Tem coisa mais sem noção que isso? E aqueles que curtem reportagens "como satisfazer uma mulher" e coisas do tipo esquecendo que curtidas aleatórias em sites vão para o seu feed, hahaha. De morrer. É revelar para todo mundo o quanto pervertido você é.  Eu sentiria muita vergonha alheia se meu namorado fizesse isso e convenhamos, não estaria com ele se agisse assim. Acho uma completa falta de respeito, até porque se for você (mulher) curtir foto deste naipe de homem só não irão te chamar de santa, não é verdade?  Acredito que rede social atrapalha no só no início do relacionamento, mais pelo fato de você ter que aturar todas aquelas periquitas piscando para cima do teu namorado/ficante que ainda não sabem que ele já amarrou o burro em uma árvore, e que não esta mais na pista. Mas depois que a notícia corre e se instala esta situação incômoda acaba. Se não acabar é porque tem coisa errada e quem procura, sempre acha.
 
 

julieJulie Cordeiro Uma pergunta: Amor, me passa a senha de todas as suas redes sociais? Simples assim. Não, não e não. Acho desnecessário essa troca de senhas, mas se a pessoa quiser me dar, então, tudo bem. Mas nunca irei pedir e não darei as minhas, não que eu tenha algo a esconder, porém acho mega desnecessário.  Acredito que um dos pilares de qualquer relacionamento é a confiança. Se você não confia no seu namorado(a)… vish. Tá na hora de trocar, não acha não? Para conciliar é necessário bom senso de ambas as partes, não vou ficar curtindo foto de amigos que ele tem ciúmes e espero a mesma atitude dele. Exemplo: Não vou comentar "ô maravilha" em um vídeo dos irmãos Rocha e não quero ver comentário dele na foto da Maju Trindade. Não vou terminar um relacionamento por uma curtida, curtir uma foto aqui outra ali não tem problema, mas quando ele curte TUDO da outra pessoa aí meus amigos não tem paciência que aguente. E acho bem complicado ver a pessoa conversando com pessoas que não sejam eu, curtindo fotos que não sejam minhas, fazendo qualquer coisa que não me envolva(psicopata). Brincadeira, galera!!!! 

125Nathália Caroline, Galera, a gente chegou no ponto em que existe um selfie service humano com serviço 24 horas (El polêmico Tinder), o Facebook que mostra da onde você está mexendo no aplicativo e o WhatsApp que mostra o último acesso. Daqui a pouco inventam um aplicativo que mostra o que os outros tão pensando (isso se já não inventaram). Então, acho que o segredo para não surtar no meio dessa exposição toda é o equilíbrio e o bom senso. Uma curtidinha na foto: ok. Uma mensagem no dia 12 de Abril de 2001: ok, também. O que não dá pra tolerar é quando o cara dá muita moral para as outras e quando as meninas dão em cima e o cara alimenta esse ibope (tão orkut essa expressão) que elas dão. Aí tá na hora de usar o famoso macumbaonline.com.br. Quero ver se as amiguinhas 🙂 vão continuar de gracinha e se ele vai continuar dando corda pra elas :).

 

 

banheiro-feminino-redes-sociais-x-relacionamentoDébora Carvalho Eu acho absurdamente normal, desde que não hajam aquelas curtidinhas indesejadas… hahahaha aliás, eu sou contra "unir" contas no facebook ou aquilo de "ai vou excluir minha conta aqui pq meu namorado mandou"…  Acho bem mais tranquilo quando há confiança mútua, a relação fica mais gostosa… E simples. É isso, gente!! Eu sempre tive redes sociais e eu sou eu, com direito à minha privacidade e à coisas muito comuns que eu definitivamente não preciso abrir mão pra conseguir ter um bom relacionamento. Só tem que haver respeito um com o outro e, como eu disse, confiança. O resto é tudo muito superficial, muito banal. 

large-387

3- O que mais te cativa em um homem? 

10523872_266747316866227_1525621936796281803_nIsabela Freitas Nunca fui muito fã de que os opostos se atraem simplesmente porque eu gosto de pessoas parecidas comigo no jeito de pensar, de agir, de ver a vida. Acho que dividir sua vida com uma pessoa requer muita sintonia, sabe? Então o que mais me cativa em um homem é: o carinho que ele tem pela família (acho isso a coisa mais linda e preciosa), a família em si importa também (já namorei garotos com famílias meio desestruturadas e confesso que isso me dava um ~~medo~~), a lealdade pelos amigos (sou muito leal, gosto de pessoas assim também), a independência e a vontade de vencer (eu sou muito independente, desde pequena. Então alguém pra me cativar tem que ser independente também!), a forma com que a pessoa conversa e se expressa (pessoas inteligentes <3 <3 <3 <3), e um plus: gostar de curtir a vida com intensidade como se tudo fosse acabar no dia seguinte. Porque eu sou bem dessas. Fisicamente eu diria que: cheiro, sorriso, olhar, e mãos. Resumindo: sejam o Nathan de One Tree Hill.

 

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte AMOOOOOOOO SORRISOS ! Mas como aparência não é tudo, caras que tem atitude e que não são galinhas me arrancam suspiros. Nada melhor do que um cara que sabe o que quer e não tem medo de demonstrar. Chove e não molha não me dá frio na barriga, muito pelo contrario, me da vontade de dar um murro na cara do individuo e falar pra ele virar gente. E aqueles caras que não podem ver um rabo de saia e já olham ou pior, está na balada com você e usa a musica ‘Vai no banheiro pra gente se beijar, bem lá no escurinho pra ninguém desconfiar’ como hino de acasalamento enquanto você está distraída ou não está por perto, só para ir ao ataque, não rola. 

 
 

image (1)Anna Schmidt O cheiro, o sorriso e as mãos. Sem dúvida alguma (ninguém entendeu as mãos, né?). Acho que todo cara cheiroso fica mais atraente, é uma coisa universal, se você colocar irmãos gêmeos um pertinho do outro, o cheiroso certamente vai ser o mais atraente! Gente, e sorriso? Tem coisa melhor do que aquele cara que além de ter uma gargalhada super gostosa, ainda sorri daquele jeitinho de tirar o fôlego? Não existe nada mais bonito do que um homem com o sorriso de contos de fadas. Sobre as mãos… Qual é, todo mundo sabe porque é que o cara tem que ter mãos maravilhosas (pra quem não sabe, é só me chamar no twitter que eu explico discretamente). Claro que essas são as coisas externas, todo cara tem que ser paciente, engraçado (que é um bônus incrível) e principalmente inteligente, acho que ninguém gosta de conversar com uma porta! Se ele carregar as mãos, o sorriso, o perfume gostoso, a inteligência, paciência, bom humor e ainda for bonito… Preciso mesmo concluir?

 
 
Processed with VSCOcam with g3 presetCaroline Redlich Não é beleza, nem os olhos, nem a cabeleira… pode até ser a barba, a altura (tenho um bloqueio mental para caras mais baixos que eu) hehe… O que me atrai primeiro é o papo, sem uma boa conversa não dá. Tem que saber conversar como gente, ter opinião formada, saber argumentar sem partir para a ignorância. Não suporto aquele tipo que se ofende só porque o outro não concorda. Depois são os gostos de forma generalizada. Pode parecer besteira mas eu não daria certo com alguém que ouve funk, nada contra aos que curtem mas esta não é a minha praia. Entende? Eu gosto muito de rock e já fui a alguns shows, gosto quando a pessoa é parceira e obviamente se os gostos são parecidos a parceria é facilitada. E ser esforçado, com certeza. Tenho preguiça de gente folgada, que só reclama da vida, que nada esta bom, MIMIMIMI. Argh! É uma merda estar se relacionamento com uma pessoa pra baixo, o bom e velho chato de galocha. Nada esta bom mas também não mexe um dedo para mudar a situação. Este eu dispenso.
 

julieJulie Cordeiro Ser bem humorado porque odeio ficar do lado de alguém que só sabe reclamar. Reclamar é legal, entretanto, não suporto gente que não ri, não faz piada com qualquer coisa boba. A vida é muito mais bonita quando se tem alguém que consegue arrancar uma risada sua até no fundo do poço. 

 

 

 

125Nathália Caroline, Cara, se ele tiver dois olhos, um nariz e estiver respirando, tá ótimo. Caô, nem tá. Tem que ralar muito pra conquistar a tchutchuca aqui. Chamar atenção, qualquer um pode chamar, é só colocar um bobes no cabelo e ir na farmácia que todo mundo vai te olhar (experiência própria). Agora, cativar é outra história. Tem gente que tem um jeito de pegar na caneta, de mexer na mochila, de olhar, de observar as opções do cardápio, de ler (!!!!!), de escolher o filme na locadora, etc., que é único e sexy ao mesmo tempo. E é nesse momento que eu sou cativada. Não tem uma fórmula e nem definição para isso, é a naturalidade e a intensidade que a pessoa coloca sua personalidade nas pequenas ações.  

 

 

banheiro-feminino-redes-sociais-x-relacionamentoDébora Carvalho O respeito. Em todos os sentidos, sério. É super cativante um cara que respeita minha família, as minhas amizades, o meu tempo, o meu espaço… Respeito é a coisa mais bonitinha e apaixonante num homem. Respeito e uma boa barba, claro. 🙂

 
 
 
 
 
large-384

4- Você é ciumenta? Acha válido sentir ciúme, e brigar, enquanto vocês estão ainda apenas ficando?

10523872_266747316866227_1525621936796281803_nIsabela Freitas Não sou ciumenta. Eu gosto de deixar a pessoa livre para fazer suas escolhas, e se essas escolhas em algum momento me desrespeitarem, eu termino. É tão simples, tão poético, tão fácil. Agora vou confessar do que eu tenho ciúme: DO PASSADO DA PESSOA =( sempre fico pensando, "aff, que bosta, ele namorou 34984390803983409843 anos a mina, nunca vou superar o que ele sentia por ela." Vai entender, CADA LOUCO COM SUA LOUCURA. ps. sentir ciúme de ficante é patético. Quando eu to ficando com alguém eu não to nem aí, literalmente. A pessoa faz o que quiser. Eu apoio a campanha da Nat. #XôCiúmes

 
 

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte EU? CIUMENTA?MÁÉCLARO QUE NÃO! Só ando com uma bazuca no carro e uma arma com aqueles dispositivos que silenciam o tiro na bolsa, super normal, mas eu também não uso isso sempre, só quando uma biscate encosta no cara que eu to. MENTIRA, MENTIRA, MENTIRA, não sou desequilibrada a esse ponto. Não sou do tipo controladora, psicótica, que tem ciúme ate da sombra do cara e que leva a serio a musica “eu tenho inveja do sol que pode te aquecer” [bjs, Sandy] [é, to um tanto musical hoje], acho valido aquele ciúme saudável, do tipo quando tem uma vaca em cima do cara e quando ele da muita atenção pra ela, mas aquele ciúme do tipo que faz escândalo, que roda a baiana, é completamente desnecessário e chega a ser ridículo, porque é algo que começa a invadir o espaço do outro. Acima de qualquer coisa, tem que ter confiança e acaba sendo normal, quando você está ficando com alguém, começando a se envolver, ter um tiquinho de ciúme, mas bem pouco mesmo. 

 

image (1)Anna Schmidt Eu sou a definição de ciumenta. Vem escrito assim: "Que possui ciúme em excesso; diz-se pessoa que demonstra ou sente ciúme. s.m. Indivíduo ciumento; aquele que possui muito ciúme e/ou Anna Luiza Schmidt". Como já falei lá em cima, eu só tive relacionamentos ruins nesse ponto, nunca encontrei um cara em que pude confiar totalmente, então acho que é por isso que sempre fui muito chata com tudo que diz respeito a ciúme… Não acho válido brigar, na verdade, eu não suporto brigar, acho cansativo e cara, nada pior que brigar por terceiros. Não sou exemplo pra vocês, então meu conselho eterno é: confie no cara. Se você não confiar nele, então simplesmente não namore. O namoro é muito mais gostoso quando o ciúme não se faz presente. Pensem sempre "não posso ser que nem a Anna". E sobre sentir ciume enquanto vocês estão ficando: A MINHA LOUCURA NÃO VAI A ESSE PONTO E ESPERO QUE A DE VOCÊS TAMBEM NÃO! Gente, se vocês tão ficando, CURTAM. Não se liguem em bobagens, sempre tem uma menina que gosta de cutucar, meninas fazem isso, mas o importante é que o cara continua com você! Então não, ciúme zero quando o cara é só ficante.

 

Isabela Freitas tem 25 anos, mineira, atualmente em São Paulo, mas vive mesmo no mundo da Lua. Gosta do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas. Ah, ela adora signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. Autora dos livros "Não se apega, não" e "Não se iluda, não", e você pode comprá-los aqui. Juntos eles já venderam 500.000 exemplares e até hoje eu não acredito nisso.

Oi, gente. Preparadas pra conhecerem um pouquinho mais das novas meninas do Banheiro Feminino? Resolvi colocar as quatro perguntas da seleção (para vocês entenderem porque as escolhi) + duas perguntinhas extras pra fechar em seis! Hoje falamos de decepção, traição, ser sonsa, coisas básicas na vida de uma mulher como nós. Vamos lá?

banheiro-feminino

Conheça as participantes: 

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte Podem me chamar de Carol, só pra eu me sentir mais em casa. 21 anos, virginiana, nada normal, com um coração enorme, pseudo-engenheira (que só é exata na parte da faculdade, porque na parte sentimental…), tentativa de blogueira, intensa demais, sincera demais, romântica demais, conselheira demais, individualista demais, amiga demais, sonhadora demais só que incrivelmente realista (por mais irônico que pareça), viciada em snaps, em fotos, em sorrisos, em flores, em pessoas, em palavras, mas principalmente em atitudes. Leia o blog/ Siga no twitter/Facebook/Snap: camonteforte

 

image (1)Anna Schmidt tem 20 anos, é carioca, estudante de direito, metida a escritora (http://annaluizaschmidt.blogspot.com) nas horas vagas e Fluminense de carteirinha. Envolvida por 36 séries de TV, pelo twitter (http://twitter.com/annasschmidt_), por música de todos os tipos, livros em todas as suas formas, por filmes sci-fi e pelo Rio. Impulsiva, confusa, piadista em horas inapropriadas, frequentadora oficial da noite carioca, apaixonada por tudo e por nada e pra resumir: libriana na essência da palavra. Siga no instagram: annaluizaschmidt/ Snap: annasschmidt

 
 
 
Processed with VSCOcam with g3 presetCaroline Redlich 25 anos. Gaúcha, contadora, pós graduanda e de quebra técnica em enfermagem com o jaleco já aposentado. Teimosa de doer e de personalidade forte, não é a toa que carrego o sangue alemão. Faço jus a ele. Amo demais o meu trabalho, livros, gatos, música rock e indie, viajar, whisky, vinho e churrasco do meu papis. Ah, e defendo o ideal da mulher independente e o completo poder de escolha sobre todos os aspectos da sua vida. Polêmica. Siga no instagram: cbredlich/ Twitter/ Leia o blogFacebook
 
 
 

julieJulie Cordeiro, odeio quando pronunciam meu nome errado. Tenho 19 anos, sou mineira, curso Administração  e quero passar a minha vida administrando minhas viagens pelo mundo. Sou apaixonada por livros, pessoas bem humoradas e dormir. Consigo me expressar melhor na escrita do que na fala. Mudo de opinião constantemente, mas não permito que isso me torne influenciável. Sou o que costumo chamar de pessoas "bagunças", ninguém me entende e muito menos eu. Siga no Twitter/ Leia o blog/ Instagram: julieecordeiro/ Facebook

 

 
125Nathália Caroline, 18 anos, carioca e amante de sorvete de pistache. Faladeira, baladeira, bagunceira e todas as "eiras" que vocês conhecerem. É super amiga da Beyonce, já foi à Lua, teve um caso com o Ryan Gosling e às vezes é um pouco sonhadora demais. É sagitariana com ascendente em áries com muito orgulho, com muito amor. Siga no snap: nathcarol/ Twitter/ Instagram: nathcaroles/ Facebook
 

 

 

10459073_546963392074185_5095689016119551092_oDébora Carvalho Virginiana, desorganizada e apaixonada por cães, pássaros, borboletas e pessoas. Mas só algumas. Viciada em livros. Paranaense, 16 anos e completamente impulsiva e desatenta. Odeio chocolate branco. E só. Siga no twitter/ Instagram: uidebs/ Facebook

 

 

large-375

1- Como você reagiria diante de uma traição? Acha que conseguiria perdoar?

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte PERDOAR O CACETE, FILHO DE UMA PUTA, RAPARIGA, QUE NÃO PODE VER UM RABO DE SAIA QUE VAI SE ENGRAÇAR, TOMARA QUE O SEU PIPI CAIA! Mentira, não sou tão revoltada assim (risos), traição vai muito além de um simples perdoar, envolve sentimento, confiança (não só referente a pessoa, mas também a si mesmo, já que questionamentos do tipo ‘ como eu fui capaz de me envolver com uma pessoa assim?’ ‘ não é possível que eu não consiga arrumar alguém “certo” ‘ e todo aquele mimimi que acaba nos deixando insegura depois de quebrar a cara, mas eu acho que antes de querer perdoar a pessoa (mesmo ela não merecendo e a vontade de mandar a merda seja completamente válida), acho que o assunto tem que se tornar algo fácil para a gente lidar, algo que não fique nos assombrando tanto, porque mesmo não continuando o namoro (ou até mesmo a amizade), só de ver a pessoa, toda aquela história vai vir na sua mente como um filme te fazendo sentir-se mal. Acho que perdoar é digno, voltar com a pessoa é burrice. 

 

image (1)Anna Schmidt Uma vez eu conheci um cara, vou apelidá-lo de João. Diferente de qualquer outro garoto, todo mundo gostava do João, as minhas melhores amigas eram mais apaixonadas pelo João do que eu. Dentro dessa história, cabe adicionar a "Marina", aquela amiga que era quase uma irmã, que vivia na minha casa e já até dormia mais na minha cama do que eu. O João e a Marina eram inseparáveis e a amizade deles me fazia feliz em diversas maneiras. Quando viajei pros Estados Unidos pela primeira vez, ganhei uma festinha, dessas de despedida que os amigos da escola organizam quando alguém viaja, eis que me vejo perdida no meio da multidão, olho pros lados e nada do João ou da Marina. Procurei por tudo que é lado, até que os encontrei. Desejei que nunca tivesse encontrado. O João e a Marina não só eram inseparáveis, como também eram um só naquele momento. Depois de um ano fora, voltei pra casa, os dois não se falavam mais, mas pareciam malucos por uma chance de tentar entrar na minha vida de novo. Cega pelo relacionamento que um dia tive com o João, dei uma chance pra ele. Conforme as semanas iam se passando, me dei conta do óbvio. Eu consegui perdoar o João, assim como sei que conseguiria perdoar qualquer outro cara, mas nunca consegui me esquecer do que ele tinha me feito passar, esse relacionamento #2 já estava fadado a morrer desde o dia em que decidi tentar de novo. A minha ideia de traição vai ser pra sempre ligada à história de como os meus dois melhores amigos me traíram da pior forma possível. Por isso sempre digo a mesma coisa: "O perdão é natural pra quem tem coração bom, mas a memória de quem costuma perdoar, também costuma ser infalível". 

 
Processed with VSCOcam with g3 presetCaroline Redlich Eu REAGI mais ou menos assim: “Oi, Cuma? Que merda é essa? Eu vou quebrar a cara dele mas não aqui, nada de bancar a louca”. Mas no fritar dos ovos tudo virou pizza, chorei igual uma bezerra desmamada, perguntava “Por quê? Por quê? Por quê?”, tentei entender, perdoei e depois virei uma pirada insegura, chata, louca (agora sim louca) e tudo tornou-se uma bosta. Um tempo depois terminei. Se já estiver enchendo os pulmões para gritar que nunca perdoaria, se eu fosse você não faria isso [risada diabólica]. De louco e chifrudo todo mundo tem um pouco e se ainda não foi corno, espere, um dia será. É uma triste realidade da nossa sociedade. A questão do perdoar também entra nessa, todo mundo UM DIA perdoa uma traição e pode não ser a decisão mais sábia no momento mas, para quem esta na merda (porque é uma merda ser traído) o que é mais um peido, certo? Eu perdoei mesmo, tentei ignorar tudo aquilo, cheguei a achar que havia superado a filha da putagem mas não deu certo. O que não necessariamente é via de regras a todos, há pessoas que perdoam e mantém o relacionamento e estão super bem. Mas no meu caso não teve salvação. A coisa começou ir ladeira abaixo numa velocidade incrível. Enfim, hoje sinto que já tive a minha cota de perdoar traição e me acho mais segura para dar um basta no momento que descobrir que meu companheiro me traiu. E para quem esta se sentindo meio formiga por ter perdoado uma traição e continua neste exato momento com o indivíduo, vou escrever uma frase (ou mais ou menos dela) da Martha Medeiros que li no seu livro “Feliz por Nada”: "Eu, se fosse você, não terminava. Às vezes ficamos mais presas a um amor quando ele termina do que quando nos mantemos na relação" Ou seja, espere até a última gota de amor/tesão/carinho/companheiro e vontade de ficar ao lado da pessoa evaporar que dai então você conseguirá ir em frente sem sofrer. Tacada de Mestre, não?
 

julieJulie Cordeiro, Abrir o google chrome > www.macumbaonline.com > Nome do indivíduo > Fim. BRINCADEIRINHA. Juro que não faço essas coisas. Eu terminaria, mas teria uma conversa com o cara pra colocar os pontos nos "is", choraria no colo das amigas, comeria MUITO chocolate, montaria uma playlist e iria sentir a dor sozinha porque não preciso da pena alheia. Depois tudo que puder fazer para o meu caminho não cruzar o dele outra vez, eu farei. Eu perdoaria, porém, não voltaria. Não consigo ter ódio das pessoas, nem mesmo quando elas são muito filhas da puta comigo.Ódio é um sentimento tão pesado que eu prefiro deixar pra quem gosta de carregar peso. Aqui, dentro, só cabe a leveza do amor. 

 

125Nathália Caroline,Com toda a calma do mundo, pego uma bebida no bar, vou em direção à eles (a boate toda olhando para mim e o dj diminuindo a música) interrompo o beijo dos dois, viro a queridinha, jogo a cerveja que estava na minha mão nela, dou um tapa na cara da fofa, aponto o dedo para a cara do boy e digo "Eu tenho nojo de você! Nunca mais olha na minha cara!". Vou embora com todos me olhando e aplaudindo, pego meu Porshe e vou pra minha casa pensar numa vingança cruel, enquanto tomo meu vinho tinto à beira de uma lareira e fumo meu charuto cubano ao som de Adele. (EXPECTATIVA)

– Vou chorar, beber umas no barzinho e contar minha desgraça toda pro garçom, enquanto ele fica rindo sem graça e concordando com a cabeça. Vou para casa, tomo um banho e choro no chão do chuveiro, faço um brigadeiro e como enquanto vejo "500 dias com ela" e me identifico com o Tom. Depois de um tempo, eu iria me acalmar e terminar o relacionamento com uma bela frase de efeito. (REALIDADE).      

 

 

10459073_546963392074185_5095689016119551092_oDébora Carvalho Faria um escândalo, bateria na porta dele às 3h da madrugada e com certeza teria a delicadeza de usar arma branca. Acho chique. Ou, simplesmente choraria durante duas noites e depois tentaria não lembrar que já tive aquela pessoa na minha vida. Isso de perdoar traição é muito relativo, cada um tem uma linha de raciocínio diferente, uma história diferente… Eu, particularmente, não perdoaria. Só usaria a arma branca mesmo. Vacilão não tem vez!!!! (aquelas)

 

 

large-376

2- No seu grupo de amigos, quem é você? A palhaça, a quieta, a louca, a apaixonada… Enfim, como você se descreveria no seu grupo de amigos? (pode ser em outras palavras, essas foram apenas exemplos)

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte Sou normal…até que se provem o contrario (nada que um copo de vodca não mostre esse contrario tão rápido assim, mentira não bebo[pouco]). Agora falando serio: sou a louca, a palhaça, a intensa, a conselheira, a que tem um pingo de consciência ainda e alguns parafusos a menos, a que você sempre vai poder contar. Acho que ser uma coisa só é chato, viver que nem camaleão, se adequando as situações mas sem perder a essência é o valido. Afinal, gente quieta demais, sem emoção, sem sal, não tem graça, e não se tem 21 anos pra sempre, ne ?

 

 

image (1)Anna Schmidt Sabe quando você senta na mesa do bar junto das suas melhores amigas e sempre tem a amiga que mantem a cerveja vindo, a conversa sobre garotos ativa e os relógios escondidos? Eu sempre fui essa amiga. Não sei se existe uma definição, mas gosto de pensar que eu sou o "espírito livre" do grupo. Já tive bons relacionamentos, como também já fui parte de alguns que até hoje me magoam (veja a história do João, por exemplo), mas só me apaixonei perdidamente por alguém uma vez. Sou a amiga instável, aquela que uma hora decide viver sozinha, explorar coisas novas, mas que no dia seguinte decide que precisa de um amor desses de cinema, de tirar o fôlego, de fazer arrepiar os cabelos. Já pensei em ser médica, musicista, por vezes até considerei me entregar pra escrita e hoje em dia estou me formando em Direito. Entende o que eu quero dizer? Fujo das definições como quem foge de um ex namorado sensível demais, mas se eu tivesse que abraçar uma delas, eu diria que sou a amiga que vive com a cabeça no mundo da lua, a que não sabe bem quando é a hora de deixar os sonhos pra lá e crescer… 

 

Processed with VSCOcam with g3 presetCaroline Redlich Cara, eu devo ser a Centrada hahaha. Explico: sou uma pessoa muito de boa (ou acho que sou); tenho amigos de verdade, daqueles que você pode contar para qualquer parada; já tive meu período de bêbada baladeira que saia de segunda a segunda; de fazer fuzarca na rua e de dormir na grama do meu jardim porque não consegui chegar na porta de casa. Pois é, depois de muitas firuladas com minha thurminha eu acalmei, tomei um pouco de juízo e sou hoje uma pessoa mais centrada. Ou uma guria com espírito de velha, se quiserem. Tenho muitas obrigações e levo elas muito a sério, sou o tipo que se é para fazer que seja bem feito então isto me tornou uma pessoa com a cabeça mais no lugar, para todos os assuntos.

 

 

julieJulie Cordeiro, Eu sou aquela louca que faz amizade com todo mundo e que acredita que geral é meu amigo de verdade.  Escuto as histórias de todo mundo, dou conselho e fico puta quando não me escutam. Por que pediu o conselho sendo que não vai segui-lo? Eu hein. (Tá, eu sei que todos somos assim). Sempre tento fazer com que os outros busquem seus sonhos e tento compartilhar as poucas coisas que sei. Faço piada com tudo, mas não me acho engraçada. Sou a que tenta alegrar os outros mesmo estando um caco por dentro. Amo ouvir os problemas do outros e odeio expor os meus. E, às vezes, eu sou muito MUITO chata mesmo. 

 

 

125Nathália Caroline,É mais fácil falar quem eu não sou no grupo de amigos, eu sou uma mistura bem louca de todas as amigos. Eu sou a mãezona que se preocupa com a amiga que levou um pé na bunda, que ajuda o amigo a chegar nAqUeLa gata e que tá enfiando o dedo na garganta da amiga que tá dando pt só pra ajudar ela; sou a que tá sempre derrubando, esbarrando e chegando atrasada; sou a que puxa o "beija, beija, beija" no meio do bar; sou a que dou conselhos pra quem pede e até pra quem não pede (já pensei em colocar uma plaquinha escrita 'conselhos grátis' e andar na rua); sou aquela que briga, fala que tu fez merda e lança o famoso "eu te avisei, meu bem, eu te aviseeeei" mas 2 minutos depois to dando um abraço e dizendo que vai ficar tudo bem; se tá certo, eu defendo e se não estiver, eu defendo até o fim também; topo ir desde a night mais badalada da cidade até fazer uma noite do pijama, imitando os tempos de criança com as amigas… Resumindo, eu sou a amiga sincera que se doa ao máximo e às vezes se fode por isso (levei pro pessoal, desculpa) mas que faz tudo com o maior orgulho e de coração!!! Sagitariano é foda…

 

 

10459073_546963392074185_5095689016119551092_oDébora Carvalho Definitivamente, eu sou a insuportável. Faço a linha to-apaixonada-e-quero-compartilhar-com-os-amigos, mesmo eles geralmente não fazendo muita questão de ouvir hahahahaha. Adoro aquela brincadeirinha que sempre gera uma risada e, cara, daqui a pouco minhas amigas chegarão em mim falando tipo “Querido diário,…” hahaha! Sou a ouvinte da turma e amo dar conselhos.

 

 

large-377

3- Supondo: você conhece um cara, vocês ficam, e você gosta muito de ficar com ele. Qual seria o seu próximo passo? 

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte Aaah normal, inventaria uma gravidez, falaria que ele é o pai e forçaria ele a casar comigo, pronto! Felizes para sempre. OBVIO QUE NÃO! Minha loucura não chega a esse ponto, tentaria manter um contato (direto: whats, facebook, instagram, sinal de fumaça, a Edwiges, etc.  indireto: amigos [adoro ter amigos em comum com o novo boy gato sensacional]). Como sou do tipo intensa demais, tenho vários amigos homens e adoro o bar da faculdade [bjs, cissão], muitas vezes sou mal interpretada do tipo ‘nooooossa, ela não sai do bar da faculdade, vive com homem, dança loucamente, não da pra levar a serio”, então tento mostrar para o cara que eu tenho algo mais do que um copo de cerveja na mão (risos) e nada melhor do que conversar pra tentar manter um contato, criar algum tipo de vinculo e marcar um replay [entendeu, boy goleiro ?! – é o cara da vez que se enquadra na descrição da situação que você deu, Isa]. Gosto de criar vínculos com uma pessoa e não tem maneira melhor de conhecer alguém do que conversando, porque as vezes o beijo é uaaau e cara abre a boca e é do tipo ‘tchau’.

 

image (1)Anna Schmidt A verdade é que eu sou péssima pra próximos passos, horrível mesmo. Não sei como manter um cara interessado no papel porque não faço a menor ideia do que faço no princípio pra conseguir conquistá-lo, mas se é uma dica de alguém que morre de medo de avançar que você quer, aqui vai ela: odeio joguinhos. Se eu curti muito ficar com um cara, eu procuro demonstrar interesse, nunca fui o tipo de menina que faz todo aquele joguinho mental, não costumo torturar os caras que gosto. Não estou dizendo que você deva correr pros braços dele, dar uma de maluca e perseguir o cara sempre, mas quem foi que disse que a gente não pode dar o primeiro passo? Sei que por vezes as coisas fluem naturalmente, você fica com o menino, se os dois curtiram, ele te adiciona nas redes sociais, te chama pra sair e daí pra frente é tudo de bom pros dois, mas e se o cara for tímido? E se ele achar que você não curtiu tanto a ficada quanto ele? O meu ponto é: estipule um prazo! É exatamente isso que eu faço. Normalmente, dou dois dias pro menino me procurar, se ele não procura, eu mesma dou o próximo passo, sempre tendo em mente que é preciso que role uma reciprocidade, eu adiciono no facebook, ou sigo nas redes disponíveis, quando tenho o telefone, mando uma mensagem dessas bem bobinhas, perguntando o que tá rolando, mas se o cara não parecer interessado… Aí pronto! Deixo pra lá e parto pra outra!

 
Processed with VSCOcam with g3 presetCaroline Redlich Continuar com os pegas (boas lembranças meu amor, XOXO). Como respondi na pergunta anterior, hoje sou uma pessoa com a cuca no lugar e a minha experiência saindo-da-adolescência-entrando-na-fase-adulta alterou muito a minha concepção de relacionamentos e comportamento, certo ou errado. EU fiquei quase um ano com rolo pra lá de mal resolvido com meu atual namorado. Ruim? Não! Certo? Não! Errado? Também não! Entendeu o sentido da coisa? Se você quiser ficar três anos dando para o cara sem ser chamada de namorada E ESTIVER bem com isso, não precisa dar próximo passo coisa nenhuma. É o que você deseja e não quer mudar isso. E outra coisa, relacionamentos que dão certo não começaram necessariamente pela “dita forma certa” empurrada goela a baixo pela sociedade a nós. Eu sou a maior prova disso gurias, huhu!
 

julieJulie Cordeiro, Imaginar o nosso casamento, nossos filhos, nossa casa, nossa viagem a Paris. Eu viajo na maionese quando conheço um cara, nem eu sei como suporto a minha imaginação. Acho que depende da pessoa, depende do meu momento. Se eu quiser algo sério no momento, mando mensagem(não o tempo todo porque né), chamo pra sair, eu deixo as coisas aconteceram e mostro para o cara que eu estou interessada. Não faço joguinho e acho o cúmulo da infantilidade quem faz. Não tenho paciência pra pessoas indiretas porque como eu disse a minha imaginação tem asas, grandes asas.  O mundo precisa de gente que resolve as coisas na hora, que perguntam e não deixa as coisas nas entrelinhas porque é um saco ter que adivinhar o que os outros querem. 

 

125Nathália Caroline,Meu próximo passo seria procurar a cama mais próxima, claro. Brincadeira (ou não). Bom, eu sou uma pessoa que planeja muito as coisas, então, como eu gostei de ficar com o sortudo (modéstia é para os fracos, risos), eu arranjaria um jeito de pegar alguma coisa dele emprestado, seja uma camisa ou um casaco e pedir para devolver depois! O que formaria um duplo bingo! ‘Como assim, Nath?’ Eu iria ter uma desculpa para encontrar o boy de novo e, se eu pegar alguma roupa dele (casaco, por exemplo), posso aproveitar e espirrar um pouco de perfume quando eu fosse devolver, para aquela roupa ficar com o meu cheiro e ele ter alguma coisa que faça ele lembrar de mim (cheiro é uma coisa que marca muito). Depois disso, eu ia colocar o nome na encruzilhada, usar calcinha vermelha, romã, uva, pera e todas as frutas do mundo na carteira, cartomante e tudo o que eu tenho direito hell yeah!!!!!!!!!  Ou, simplesmente iria tentar observar se a gente tá na mesma sintonia ou se ele não intensificou tanto a ficada quanto eu. Se sim, obrigada pais, amigos, obrigada, Brasil!!!! Se não, to nem aí, uso de desculpa pra me afogar no sorvete de pistache com calda de chocolate. É vida que segue.
 

10459073_546963392074185_5095689016119551092_oDébora Carvalho Eu sempre fiquei na minha e acho que sempre vou ficar. Apesar de ser super fã de mulheres com atitude nesse sentido, eu não tenho coragem de tomar a iniciativa. Óbvio que se o cara der uma brecha eu vou demonstrar interesse, caso contrário, tenho que me contentar em ficar chupando o dedo. Whatever.

 

 

large-378

4- Você já se apaixonou e teve uma grande decepção? Como superou isso?

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte POOOOOOOOOOOOUTS, isso até rendeu um post no meu blog, porque olha, a situação é critica. Afinal, quem nunca quebrou a cara? Acho que a primeira quebrada de cara a gente nunca esquece (risos), foi com o meu príncipe de 15 anos (cute), eu era toda xones nele, estudávamos na mesma escola e nossas mães eram amigas, até ai tudo tava lindo, ele me escrevia cartas e eu as respondia na maior melação do mundo, até que a minha festa de 15 anos chegou, ele foi lindo, fofo, dançou a valsa, fez um discurso, toda a família no ‘oooooown que lindos’, até que a bovina da minha prima mais velha (evito xingamentos mais graves para evitar processos) resolveu tirar o brilho da minha festa e tentar estragar, ela ficou se esfregando nele e falando que eles já se conheciam: MEN-TI-RA! Até ai o meu sensor de rapariga já tava apitando mas eu deixei passar, até que 3 dias depois, no aniversario da minha tia ela ficou se esbanjando falando que estava conversando com ele por msg, só que não falou o que, óbvio. No outro dia na escola, dei de louca e consegui pegar o celular dele e vi que a linda tava falando mal de mim pra ele, fiquei puta. Ai resumindo ao máximo, eles saíram quando eu estava viajando, tiraram foto e postaram no Orkut, depois a minha tia (outra bovina) começou a leva-la na porta do colégio para ficar com ele atrás da igreja que tinha do lado, até que um dia, segundo boatos, ela estavam na casa dele, eles estavam transando no quarto dele e ele deixou a webcam ligada e os amigos dele viram tudo. Como eu superei isso? Se tivesse dado certo entre eu e ele, talvez eu teria sido filmada com ele. Ele hoje tem dois filhos (não da minha prima) e está casado com outra mulher que não é a mãe dos filhos dele (que são uma graça, gêmeos fofos), minha prima embarangou mais do que já era baranga e está namorando e eu estou aqui, sambando na cara das inimigas hahaha mentira, e eu estou aqui, aproveitando a vida e sabendo que certas coisas, por piores que sejam no momento, servem pra gente tirar algum aprendizado.

 

 

image (1)Anna Schmidt Bom, acho que a história do João já responde essa pergunta, mas como o propósito é conhecer um pouquinho mais de mim, vou te contar uma outra história. Quando viajei pros Estados Unidos, eu conheci um jogador de futebol, "Ah, Anna, fala sério, que histórinha mais clichê", pois bem, mas essa foge do que se vê nos filmes. A minha família hospedeira tinha uma filha da minha idade (vou chamá-la de Kate), Kate era líder das líderes de torcida da escola, obviamente fui quase forçada a juntar o esquadrão. Assim que comecei a treinar, fui designada a um jogador de futebol, pois é, aparentemente cada uma de nós era responsável por um dos meninos do time, foi assim que conheci o meu melhor amigo, "Jake". Jake e eu nos tornamos próximos muito rápido e foi na minha primeira festa lá fora que conheci "Brandon". Brandon era um cara como nenhum outro. Ele era lindo, desses americanos de tirar o fôlego, desde que nos beijamos pela primeira vez, não levou muito tempo pra eu me apaixonar perdidamente por ele e, aparentemente, ele por mim. Ficamos seis meses juntos até o Spring Break, quando o peguei me traindo com a ex namorada, uma menina dois anos mais nova que tinha cara de tacho. Chorei. Chorei muito. Estraguei a minha viagem e pensei que aquele fosse o fim do meu intercâmbio. Liguei pros meus pais no Brasil e pedi pra voltar, agradeço ao meu pai por não ter permitido. Aprendi da pior forma possível que o melhor remédio pra qualquer decepção é o tempo, bom, o tempo e uma coisa chamada "bloqueio de contato". Passei meses com os meus melhores amigos, e eventualmente, percebi que eu não precisava de uma pessoa que não queria estar comigo. Eu só precisava de mim mesma e de um punhado de pessoas que se importavam comigo pra ficar bem. Acredito que a solução de qualquer decepção amorosa vem de dentro. É preciso querer superar. É preciso querer sair da tão conhecida "fossa". Brandon passou o final do ano inteiro tentando me ganhar de volta. Ele não conseguiu.

 
Processed with VSCOcam with g3 presetCaroline Redlich Com muito clube da Luluzinha, farra, amigas, risadas, dancinhas da sedução, filmes deprê e vodka. Superar uma decepção é muito pessoal, tem gente que chora tanto que quase desidrata, já outros bebem tanto que quase participam do AA no fim do mês. Eu aconselho a mudar a rotina drasticamente, se tem coisa mais chata que ficar reproduzindo programas de casalzinho ainda não inventaram. Então é sacudir a poeira amiga, faça o que te der na telha, crie um vínculo de amor profundo por você mesma, fuja dos lugares que seu falecido frequenta, beba com suas amigas, beba com seus amigos, foque nas suas obrigações que quando perceber ele só foi mais um babaca. Eu superei minha decepção pessoal tentando concertar o erro que nem foi meu, haha. Loser. No fim eu estava tão esgotada que dar adeus não foi nem um pouco difícil.
 

julieJulie Cordeiro, Já me apaixonei, mas nunca tive uma grande decepção. Porque eu não dou a chance disso acontecer, eu estou sempre fugindo do amor. Isso mesmo. Eu sou covarde e tenho medo de me machucar. 

 

 

 

 

 

125Nathália Caroline, Minha única grande decepção amorosa foi quando eu me apaixonei por um salto da Dolce & Gabbana e a vendedora disse que não tinha mais o meu tamanho. E aí eu acordei. Eu só me decepcionei uma vez e eu era muito nova. *som de piano no fundo* Eu estava na 7ª série e tinha um menino que EU considerava como meu melhor amigo, mas o querido não me considerava do mesmo jeito e para fechar a situação com chantilly e cereja, eu era caidinha/tinha um abismo/ por ele. Resultado: no final do ano, eu ia mudar de escola e estava decidida a me declarar pra ele, porque na minha linda e ingênua mentalidade de 13 anos, a gente nunca mais ia se ver na vida, então se desse errado, estaria tudo ok. Mas como existem mini seres que conspiram contra mim e cantam em coro "Vai se ferrar… vai se ferrar…! Bem feito! Bem feito! hahahaah otáaaaaria" me baixou um santo muito louco, eu escrevi uma carta à caneta rosa com glitter e com cheirinho, me declarando pro infeliz, entreguei no meu ultimo dia de aula e eis que me vem o sujeito e fala para mim "Desculpa mas nós gostamos da mesma fruta…". Mentira, ele não falou isso, mas eu ainda acho que era isso que ele queria me falar. Na verdade, falaram que ele mostrou para os amigos dele e eles ficaram rindo. Grand Finale: hoje em dia ele passa por mim com aquela cara de que queria, mas não pode e eu passo por ele cantando, dançando e interpretando a música da minha querida e grande amiga Kelly Key – Baba, baby. Mentalmente, claro.
 

10459073_546963392074185_5095689016119551092_oDébora Carvalho Com certeza. Foi uma loucura. Poderia ter uma matéria no jornal da cidade em homenagem a mim: “No auge dos seus quinze anos, Débora sofre ao ser deixada pelo grande amor de sua vida.” Mas como dizem por aí, aos quinze anos, tudo é infinito. Então eu completei os meus dezesseis e tudo mudou. HAHAHAHA, juro! Tudo passa, e definitivamente, um amor cura o outro. 

 

 

large-379

5- Você percebe quando um cara tá investindo em você? É boa na arte de flertar? HEHEHE

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte Peeeeeercebo nada ! Tenho esse jeito cara de pau, palhaça, com um certo grau de problema mental mas sou a pessoa ma

38 comentários

Isabela Freitas tem 25 anos, mineira, atualmente em São Paulo, mas vive mesmo no mundo da Lua. Gosta do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas. Ah, ela adora signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. Autora dos livros "Não se apega, não" e "Não se iluda, não", e você pode comprá-los aqui. Juntos eles já venderam 500.000 exemplares e até hoje eu não acredito nisso.