Artigos do autor

Cada um de nós possui um estilo de livro que nos agrada mais, porém não há nada melhor do que protagonistas fortes que se tornam um exemplo para nós mesmos, certo? Na lista de hoje resolvi indicar para vocês cinco livros com temáticas e personagens diferentes, mas que possuem algo em comum: protagonistas cheias de personalidade.

Alina, a protagonista de Boa Noite, da Pam Gonçalves, quer deixar seu passado para trás. Boa aluna, boa filha, boa menina. Não que tudo isso seja ruim, mas também não faz dela a mais popular da escola. Agora, na universidade, ela quer finalmente ser legal, pertencer, começar de novo. O curso de Engenharia da Computação – em uma turma repleta de garotos que não acreditam que mulheres podem entender de números -, a vida em uma república e novos amigos parecem oferecer tudo que Alina quer. Ela só não contava que os desafios estariam muito além da sua vida social. Quando Alina decide deixar de vez o rótulo de nerd esquisitona para trás, tudo se complica. Além de festas, bebida e azaração, uma página de fofocas é criada na internet, e mensagens sobre abusos e drogas começam a pipocar. Alina não tinha como prever que seria tragada para o meio de tudo aquilo nem que teria a chance de fazer alguma diferença. De uma hora para outra, parece que o que ela mais quer é voltar para casa.

Em Perdida, Carina Rissi apresenta Sofia, uma mulher que vive em uma metrópole e está acostumada com a modernidade e as facilidades que ela traz. Ela é independente e tem pavor à mera menção da palavra casamento. Os únicos romances em sua vida são aqueles que os livros proporcionam. Após comprar um celular novo, algo misterioso acontece e Sofia descobre que está perdida no século dezenove, sem ter ideia de como voltar para casa ou se isso sequer é possível. Enquanto tenta desesperadamente encontrar um meio de retornar ao tempo presente, ela é acolhida pela família Clarke. Com a ajuda do prestativo e lindo Ian Clarke, Sofia embarca numa busca frenética e acaba encontrando pistas que talvez possam ajudá-la a resolver esse mistério e voltar para sua tão amada vida moderna. O que ela não sabia era que seu coração tinha outros planos…

Empoderamento define Poder Extra G, da Thati Machado. É por isso e a partir daí que a história de Nina — e de Nico, de Marcela e de Noah — existe. Nina não é uma mulher de tipos. E não apenas por causa dos seus noventa e dois quilos. Nina tem atitude e amor-próprio. Talvez não nessa ordem, mas quem se importa? Ao namorar Marco, ela achava que estava subindo mais um degrau rumo ao topo de sua autoestima. É claro que alguns sinais lhe alertavam do contrário, só que o ego pode ser bastante ensurdecedor quando nos convém. Depois de se dar conta da farsa que era o seu relacionamento, Nina deixa sua vida em São Paulo e parte rumo a Buenos Aires, para um mês regado a argentinos sedutores e muito doce de leite. Ela só não esperava que o país dos hermanos pudesse lhe trazer muito mais do que uns quilinhos extras.

 

Por que alguém escolheria uma orquestra se pode ter uma banda de rock? Essa sempre foi a dúvida de Valentina Gontcharov, protagonista de Sonata em Punk Rock, da Babi Dewet. Entre o trabalho como gerente do mercado do bairro e as tarefas de casa, o sonho de viver de música estava, aos poucos, ficando em segundo plano. Até que, ao descobrir que tem ouvido absoluto e ser aceita na Academia Margareth Vilela, o conservatório de música mais famoso do país, a garota tem a chance de seguir uma nova vida na conhecida Cidade da Música, o lugar capaz de realizar todos os seus sonhos.No conservatório, Tim, como prefere ser chamada, terá que superar seus medos e inseguranças e provar a si mesma do que é capaz, mesmo que isso signifique dominar o tão assustador piano e abraçar de vez o seu lado de musicista clássica. Só que, para dificultar ainda mais as coisas, o arrogante e talentoso Kim cruza seu caminho de uma forma que é impossível ignorar. Em um universo completamente diferente do que estava acostumada, repleto de notas, arpejos, partituras, instrumentos e disciplina, Valentina irá mostrar ao certinho Kim que não é só ele que está precisando de um pouco de rock’n’roll, mas sim toda a Cidade da Música.

O que um governo poderia fazer se pudesse viajar no tempo? Quem ele poderia destruir antes mesmo que houvesse alguém que se rebelasse? Quais alianças poderiam ser quebradas antes mesmo de acontecerem? Todos os Nossos Ontens, de Christin Terril, apresenta Em, uma mulher que vive em um futuro não tão distante, onde a vida como a conhecemos se foi, juntamente com nossa liberdade. Bombas estão sendo lançadas por agências administradas pelo governo para que a nação perceba quão fraca é. As pessoas não podem viajar, não podem nem mesmo atravessar a rua sem serem questionadas. O que causou isso? Algo que nunca deveria ter sido tratado com irresponsabilidade: o tempo. O tempo não é linear, nem algo que continua a funcionar. Ele tem leis, e se você quebrá-las, ele apagará você; o tempo em que estava continuará a seguir em frente, como se você nunca tivesse existido e tudo vai acontecer de novo, a menos que você interfira e tente mudá-lo…

 Alguém aí já leu esses livros? Se quiserem saber mais sobre eles, é só passar lá no canal e, se quiserem deixar mais dicas nos comentários, fiquem à vontade!

0 comentários

Mariana Mortani é uma carioca apaixonada pelo mar. É aquariana, poliglota, vascaína, faixa-verde de karatê, bailarina, desenhista, blogueira e estudante de Jornalismo. Graças ao blog Magia Literária (criado em 2011), teve a oportunidade de mediar diversos eventos de autores nacionais e internacionais, além de ser uma das organizadoras da primeira Feira Literária da Zona Norte do Rio de Janeiro em 2014. Hoje, Mariana se dedica ao blog (magialiteraria.net) e ao canal do YouTube (youtube.com/magialiteraria) e espera continuar espalhando o amor pela literatura por aí.

romances-imperdiveisFalta menos de duas semanas para o Dia dos Namorados e, se você quer presentear a namorada ou quer dar uma dica de presente para seu namorado, é bom escolher logo, não? Por isso eu mesma escolhi cinco romances que ainda não mencionei aqui na coluna e que acredito que são perfeitos para qualquer tipo de leitora, desde que ela goste de romances. Depois me contem se vocês escolheram e leram algum.
O Primeiro Último Beijo, de Ali Harris (Verus Editora)

  • “Somos todos mais fortes do que acreditamos ser. Podemos aguentar mais do que pensamos. Podemos sobreviver ao pior e, de alguma forma, ainda encontrar um jeito de sorrir”

O primeiro último beijo conta a história de amor de Ryan e Molly, de como eles se encontraram e se perderam diversas vezes ao longo do caminho. Na primeira vez em que eles se beijaram, Molly soube que ficariam juntos para sempre. Seis anos e muitos beijos depois, ela está casada com o homem que ama. Mas hoje Molly percebe quantos beijos desperdiçou, porque o futuro lhes reserva algo que nenhum dos dois poderiam prever… Esta história comovente, bem-humorada e profundamente tocante mostra que o amor pode serenlouquecedor e frustrante, mas também sublime. Na mesma tradição de P.S. Eu Te amo e Um Dia, O Primeiro Último Beijo vai fazer você suspirar e derramar lágrimas com a mesma intensidade.

Mentira Perfeita, de Carina Rissi (Verus Editora)

  • “Tempo. Não existe nada mais precioso que isso.”

Com Mentira Perfeita, Carina Rissi prova mais uma vez que o seu forte é contar boas histórias, com ritmo acelerado e repletas de paixão, humor e reviravoltas. Júlia não tem tempo para distrações. Ela é brilhante e sempre se esforça para ser a melhor naquilo que faz; por essa razão, sua vida pessoal acabou ficando de lado. Algo que sempre preocupou sua tia Berenice. Gravemente doente, a mulher teme que Júlia acabe completamente sozinha quando ela se for. Júlia faria qualquer coisa qualquer coisa mesmo! por tia Berê e, em seu desespero para agradar a única mãe que já conheceu, inventa um noivo enquanto torce por um milagre… E então o milagre acontece: Berenice se recupera e, assim que deixa o hospital, gasta todas as suas economias com o casamento dos sonhos para a sobrinha. Como Júlia pode contar a ela que mentiu, com a saúde da tia ainda tão frágil? É quando Júlia conhece Marcus Cassani. Ele é irritantemente cínico, mulherengo e lindo de um jeito que a deixa desconfortável. Marcus também está enfrentando problemas, e um acordo entre eles parece ser a solução. Tudo o que Júlia sabe é que deveria se afastar de Marcus. Mas seu coração tem uma ideia muito diferente…

No Seu Olhar, de Nicholas Sparks (Editora Arqueiro)

  • “A experiência era a lição mais dolorosa.”

Filha de imigrantes mexicanos, Maria Sanchez é uma advogada inteligente, bonita e bem-sucedida que aprendeu cedo o valor do trabalho duro e de uma rotina regrada. Porém um trauma a faz questionar tudo em que acreditava e voltar para sua cidade natal, a pequena Wilmington. A cidade também é o lugar que Colin Hancock escolheu para se dar uma segunda chance. Apesar de jovem, ele sofreu mais violência e abandono do que a maioria das pessoas. Também cometeu sua parcela de erro e magoou mais gente do que gostaria. Agora está determinado a mudar de vida, tornar-se professor e dar às crianças o carinho e a atenção que ele próprio não teve. 
Colin e Maria não foram feitos um para o outro, mas um encontro casual durante uma tempestade mudará o rumo de suas histórias. Ao confrontar as diferenças entre os dois, eles questionarão as próprias convicções. E ao enxergar além das aparências, redescobrirão a capacidade de amar. Porém, nessa frágil busca por um recomeço, o relacionamento deles é ameaçado por uma série de incidentes suspeitos que reaviva antigos sofrimentos. E quando um perigo real começa a se impor, Colin e Maria precisam lutar para que o amor sobreviva. Com uma trama madura e repleta de emoções e de suspense, No Seu Olhar mostra que o amor às vezes é forjado em crises que ameaçam nos destruir e que o primeiro passo para a felicidade é acreditar em quem podemos ser.

Tudo e Todas as Coisas, de Nicola Yoon (Editora Novo Conceito)

  • “Tudo é um risco. Não fazer nada é um risco. A decisão é sua.”

“Minha doença é tão rara quanto famosa. Basicamente, sou alérgica ao mundo. Qualquer coisa pode desencadear uma série de alergias. Não saio de casa nunca sai em toda minha vida. As únicas pessoas que já vi foram minha mãe e minha enfermeira, Carla. Eu estava acostuma com minha vida até o dia que ele chegou. Olho pela minha janela para o caminhão de mudança, e então o vejo. Ele é alto, magro e está vestindo preto da cabeça aos pés. Seus olhos são de um azul como o oceano. Ele me pega olhando-o e me encara. Olho de volta. Descubro que seu nome é Olly. Talvez eu não possa prever o futuro, mas posso prever algumas coisas. Por exemplo, estou certa de que vou me apaixonar por Olly. E é quase certo que será um desastre.”

Um Amor de Cinema, de Victoria Van Tiem (Verus Editora)

  • “[…] meu grande momento acabou como a cena excluída de um filme.”

Neste irresistível romance, Kenzi Shaw, uma designer fanática por filmes, é lançada nas águas turbulentas do amor — ao estilo de Hollywood — quando seu lindo ex-namorado lhe propõe uma série de desafios relacionados a comédias românticas para reconquistar seu coração. Que garota não gostaria de vivenciar a cena das compras de Uma linda mulher? É o desafio número dois da lista. Ou tentar fazer os passos de dança de Dirty dancing? É o número cinco. Uma lista, dez momentos românticos de filmes e várias aventuras depois, Kenzi se pergunta: ela deve se casar com o homem que sua família adora ou arriscar tudo por um amor de cinema? 

0 comentários

Mariana Mortani é uma carioca apaixonada pelo mar. É aquariana, poliglota, vascaína, faixa-verde de karatê, bailarina, desenhista, blogueira e estudante de Jornalismo. Graças ao blog Magia Literária (criado em 2011), teve a oportunidade de mediar diversos eventos de autores nacionais e internacionais, além de ser uma das organizadoras da primeira Feira Literária da Zona Norte do Rio de Janeiro em 2014. Hoje, Mariana se dedica ao blog (magialiteraria.net) e ao canal do YouTube (youtube.com/magialiteraria) e espera continuar espalhando o amor pela literatura por aí.


 Quem nunca leu um livro que te fez querer viajar, conversar com alguém ou até mesmo mudar de vida? Tenho muitos livros que me tocaram de diversas formas, mas achei que aqueles me fizeram querer mudar ou até mesmo refazer a minha vida inteira (como é um caso de um livro da lista de hoje) mereciam um espaço especial aqui na coluna. Então indico que leiam esses cinco livros que amo e, caso queiram saber mais sobre eles, é só clicar nos títulos para conferir as resenhas. Não deixem de me indicar algum livro que tenha feito vocês se sentirem dessa forma também!
A Lista de Brett, de Lori Nelson Spielman (Verus Editora)
Este é aquele tipo de livro que vai te fazendo pensar sobre sua própria vida ao longo das páginas e, ao chegar no final, te faz querer agir como a personagem, fazer uma lista e começar a correr atrás dos seus sonhos. Brett Bohlinger é uma mulher que já passou dos 30 e que tem um namorado que ama incondicionalmente (ou pelo menos parece amar) e um ótimo emprego como publicitária (mas talvez não tão bom assim). Brett acaba de perder a mãe e se divide entre a saudade e o medo de ter que substitui-la na sua grande empresa, ela só não esperava que isso poderia demorar para acontecer.
 No dia da leitura do testamento, seus irmãos, sobrinhos e cunhadas recebem suas heranças, mas, quando é a vez de saber quem será a nova presidente da empresa dos Bohlinger, Brett descobre que sua herança, na verdade, é uma lista de sonhos que ela deve cumprir. E, o pior: em um ano! Os desejos da lista nada mais são do que os sonhos de Brett quando tinha 14 anos e, obviamente, não fazem parte do seu presente. Brett mudou muito por dentro e por fora e não sabe nem como pode começar a realizar os desejos que estão na lista, mas, será que ela vai se negar a realizar o último desejo da mãe? Será que ela vai perder a presidência da empresa da família? Será que ela vai realizar toda as metas?

O Alquimista, de Paulo Coelho (Editora Sextante)
Paulo Coelho dispensa qualquer apresentação e não preciso ficar fazendo elogios para ele pois, acredito eu, todos vocês sabem o quão incrível é este autor. Mas, se você ainda não sabe, está na hora de começar a acompanhá-lo, e O Alquimista é uma ótima pedida. Ele traz a história de história de Santiago, um menino pastor andaluz que anseia por viajar em busca do tesouro mais magnífico do mundo. De sua casa na Espanha ele parte para os mercados do Tânger e através do deserto egípcio para um encontro do destino com o alquimista. A história dos tesouros que Santiago encontra ao longo de sua jornada nos ensina, como poucas histórias fizeram, sobre a sabedoria de escutarmos nossos corações, aprendendo a ler os sinais que aparecem ao longo do caminho de nossas vidas e, acima de tudo, a seguir nossos sonhos.

Reconstruindo Amelia, de Kimberly McCreight (Editora Arqueiro)
Sabe aquele livro que te faz querer mais a cada página e, no final, ainda não foi suficiente? É este! Kate Baron é uma mulher que, além de ser mão solteira, não tem tempo nem para ela, nem para a filha. Kate vive focada no trabalho, sempre sai cedo e chega tarde em casa, não tendo nada mais do que o final de semana para passar com a filha. Mas, ao mesmo tempo que ela acha que deveria achar uma solução, ela acaba não tendo muito o que fazer, já que demorou e batalhou pelo seu cargo de advogada – na verdade, uma das melhores, se não a melhor – na empresa onde trabalha. Ela sabe que está em falta com a filha, mas depois de guardar segredos e não se esforçar para saber mais sobre sua própria filha, é só quando o pior acontece que ela tentará conhecê-la, finalmente.
Amelia é uma adolescente que gosta de ler e escrever, além de passar um tempo com sua melhor amiga, Sylvia, mas no seu segundo ano do Ensino Médio muita coisa irá mudar, começando com o conceito dela sobre os grupos secretos do colégio. Ela e Sylvia sempre foram do tipo que fala com qualquer pessoa, independente do grupo que participe e, mesmo não sendo tão populares assim, estão satisfeitas por terem uma outra, até que Amelia recebe um convite inusitado para fazer parte das Magpies, um grupo secreto só de garotas do Grace Hall e, mesmo tendo a sensação de ser algo errado a se fazer, ela se sente bem já que, pela primeira vez em anos, ela tem um segredo só dela, assim como Sylvia também tem.

Todos os Nossos Ontens, de Cristin Terril (Editora Novo Conceito)
 Esse livro me deixa arrepiada toda vez que falo dele e também me deixa com vontade de largar tudo que estou fazendo para relê-lo. No futuro existe uma máquina que permite viagens no tempo e no espaço, fazendo com que assim seja possível impedir que coisas ruins acontecem, mas logo seu objetivo é distanciado da realidade. Nesse futuro vive Em, uma pessoa incrivelmente forte. Isso nós podemos perceber em suas primeiras palavras no livro. Ela está presa em uma cela há meses e as únicas pessoas que ela vê durante esse tempo são o doutor, o diretor e os guardas. Os dois primeiros lhe fazem visitas constantes para torturá-la em busca de uma resposta: onde estão certos documentos. Por mais que ela tenha o que eles querem, ela não os entrega porque não pode desistir dela. Ela não pode desistir do que ela se tornou hoje, do que ela foi um dia e do que ela pode se tornar se conseguir mudar o ontem.
Marina é uma adolescente fútil que só se importa com uma coisa: seu melhor amigo. Ou melhor, aquele que ela quer que seja mais do que um amigo. Cercada por pessoas falsas, ele é o centro de seu mundo e ela não importa com o quê precisa fazer para fazê-lo se sentir bem e especial. Um dia ele lhe convida para um evento importante do trabalho de seu irmão, mas a noite acaba sendo um fracasso por diversos motivos. É a partir daí que Marina se vê ainda mais responsável pelo amigo, porém ela ainda não sabe a grande responsabilidade que tem em mãos.

Uma Curva no Tempo, de Dani Atkins (Editora Arqueiro)
Esse é um livro que vai te envolvendo aos poucos e, quando você se á conta, chegou ao final e levou um grande choque. Rachel e seus amigos estavam comemorando a grande mudança de suas vidas: o fim do Ensino Médio e o início da faculdade. Todos sabiam que estariam separados mas que de alguma forma a amizade continuaria e nada poderia separá-los. Eles estavam compartilhando toda a ansiedade para as aulas, o nervosismo com as coisas novas que estavam por vir e as novidades quando de repente… eles não sabiam, porém tudo ia mudar mais rápido do que eles imaginavam.
Cinco anos depois daquela noite Rachel não está muito segura ao saber que está prestes a reencontrar todos os que estavam presentes naquele dia que marcou a vida deles para sempre. Bom, nem todos estariam presentes. Acontece que é a noite de despedida de solteira de Sarah, a melhor amiga de Rachel, e ela resolveu que eles deveriam, de uma vez por todas, se reunir novamente. Mas esse reencontro pode não fazer tão bem para Rachel, já que tudo irá mudar repentinamente como antes.

 

1 comentário

Mariana Mortani é uma carioca apaixonada pelo mar. É aquariana, poliglota, vascaína, faixa-verde de karatê, bailarina, desenhista, blogueira e estudante de Jornalismo. Graças ao blog Magia Literária (criado em 2011), teve a oportunidade de mediar diversos eventos de autores nacionais e internacionais, além de ser uma das organizadoras da primeira Feira Literária da Zona Norte do Rio de Janeiro em 2014. Hoje, Mariana se dedica ao blog (magialiteraria.net) e ao canal do YouTube (youtube.com/magialiteraria) e espera continuar espalhando o amor pela literatura por aí.

 Eu estava pensando em falar sobre diversos tipos de personagens no post de hoje, mas resolvi falar de algo muito legal que rolou (ainda está rolando) nesse mês de abril: um desafio literário no Instagram chamado Um Personagem Que. A cada dia temos que postar uma foto de um livro ou algo relacionado ao personagem tema do dia. Apesar de ter me atrasado alguns dias (provas e trabalhos estavam me deixando louca), já consegui estar em dia de novo e estou adorando participar. Hoje vou compartilhar algumas respostas aqui com vocês, mas caso queiram ver todas os temas e minhas respostas, é só passar no Instagram do Magia Literária:
Um personagem que é leal: 
Escolhi a Elise, de “Enquanto Bela Dormia”, da Elizabeth Blackwell (Editora Arqueiro). O livro é uma releitura de “A Bela Adormecida” (já falei dele no post sobre releituras), mas tem como protagonista a dama de companhia da rainha e confidente de Rosa, que é a Aurora do conto original. Ela é uma das personagens mais bem construídas que conheci e é muito leal às pessoas que confiam nela e aos seus princípios. Tem entrevista com a autora no blog, caso queiram saber mais sobre a história.

Um personagem que é meu favorito: 
Não tinha como falar de outro se não Harry Potter, não é? Na foto resolvi destacar minha edição em inglês do livro e deixar as edições em português (Editora Rocco) ao fundo)

Um personagem que merece um abraço. 
Sem dúvidas a personagem que eu mais quis abraçar quando terminei a leitura de um livro foi Em, de “Todos os Nossos Ontens”, da Christin Terril (Novo Conceito). Ela e a Marina (outra protagonista da história) possuem uma ligação e a forma como foram construídas é admirável. Sou difícil de chorar, mas a história mexeu tanto comigo, me fez pensar em tantas coisas, que foi inevitável acompanhar as últimas cenas emocionantes das personagens e não derramar algumas lágrimas. Quando terminei a leitura só queria poder abraçar Em e dizer “valeu a pena”.
%image_alt%
Um personagem que é sexy:
“Por que falar de um só personagem se posso citar uma família inteira? Ninguém melhor do que os Maddox para o desafio de hoje.” Foi o que falei no dia do desafio e postei uma foto de todos os livros da série Irmãos Maddox, da Jamie McGuirte (Verus Editora). Aqui para o post resolvi mostrar Belo Sacríficio, o último livro publicado.

Um personagem que evolui durante a leitura:
Escolhi a Rachel, de “A Garota no Trem” (Editora Record), porque, graças à incrível narrativa da autora Paula Hawkins ela é uma personagem que vamos conhecendo mais profundamente ao virar cada página. E, para quem não sabe, o livro ganhou uma adaptação que chega em novembro nos cinemas. 

Um personagem que não sei porque está na história:
Escolhi a Laney, de Namorado de Aluguel, da Kasie West (Verus Editora) porque nunca vi personagem mais esquecida que ela. Ela está ali, nós sabemos que faz parte de várias cenas, mas mal fala, mal é mencionada. Mas a verdade é que não faz muita falta, já que a história é bem completa, só não sei realmente o porquê de a autora ter colocado ela ali.

0 comentários

Mariana Mortani é uma carioca apaixonada pelo mar. É aquariana, poliglota, vascaína, faixa-verde de karatê, bailarina, desenhista, blogueira e estudante de Jornalismo. Graças ao blog Magia Literária (criado em 2011), teve a oportunidade de mediar diversos eventos de autores nacionais e internacionais, além de ser uma das organizadoras da primeira Feira Literária da Zona Norte do Rio de Janeiro em 2014. Hoje, Mariana se dedica ao blog (magialiteraria.net) e ao canal do YouTube (youtube.com/magialiteraria) e espera continuar espalhando o amor pela literatura por aí.

 Feliz dia do Beijo atrasado!

 Para “comemorar” aqui no site da Isabela, resolvi falar sobre alguns livros que tem “beijo” em seus títulos e trazem romances ótimos. Vamos lá:
Ana e o Beijo Francês, de Stephanie Perkins (Editora Novo Conceito)
Anna Oliphant tem grandes planos para seu último ano em Atlanta: sair com sua melhor amiga, Bridgette, e flertar com seus colegas no Midtown Royal 14 multiplex. Então ela não fica muito feliz quando o pai a envia para um internato em Paris. No entanto, as coisas começam a melhorar quando ela conhece Étienne St. Clair, um lindo garoto -que tem namorada.Ele e Anna a se tornam amigos mais próximos e as coisas ficam infinitamente mais complicadas. Anna vai conseguir um beijo francês? Ou algumas coisas não estão destinadas a acontecer?

Bolsas, Beijos e Brigadeiros, de Fernanda França (Editora Planeta) 
Melissa é uma jovem e impetuosa jornalista, que vive de escrever suas deliciosas aventuras por belas e curiosas cidades do mundo. Depois de Malas, Memórias e Marshmallows, e em uma nova fase de sua vida profissional, ela viaja á Europa em busca de cenários para as suas matérias e também de suas raízes italianas. Em meio a essa instigante jornada, além dos percalços comuns a uma mochileira no Velho Mundo, Melissa precisa lidar com a distância de seus familiares queridos, principalmente de sua mãe – grávida de um filho temporão -, e os misteriosos sumiços de seu namorado, Théo. O que será que ele esconde? Por que desaparece sem deixar rastros e reaparece como se nada tivesse acontecido? É o que o leitor irá descobrir ao ler este saboroso romance misto de guia turístico da Europa.

O Beijo, de James Patterson (Editora Novo Conceito)
No quarto livro da série Bruxos e Bruxas, Whit e Wisty, agora membros do Conselho, estão tentando reconstruir a cidade depois de derrotar O Único Que É O Único, o vilão mais malvado do mundo. Quando tudo parece correr bem, surge uma nova ameaça, personificada na figura do cruel Rei da Montanha. Ele é um mago indestrutível, que deseja a todo custo dominar a cidade. Sem água e prestes a ficar sem alimentos, a população conta com os irmãos Allgood para sobreviver. A aventura e o suspense fazem o leitor prender a respiração a cada vez que um capítulo termina. Mas, com um título como esse, não poderia faltar romance no novo livro de James Patterson… Wisty está encantada pelo jovem Heath, que compreende tão bem os seus dilemas afinal, ele também é um bruxo. Talvez Wisty possa se unir a Heath na guerra contra o Rei da Montanha. Mas o que será que Whit acha disso? Se você ama romance, mistério e ação, O Beijo é o seu livro! Páginas muito intensas, desfechos surpreendentes… Mais uma prova de que James Patterson é o maior autor da sua geração.

O Primeiro Último Beijo, de Ali Harris (Verus Editora)
O livro conta a história de amor de Ryan e Molly, de como eles se encontraram e se perderam diversas vezes ao longo do caminho. Na primeira vez em que eles se beijaram, Molly soube que ficariam juntos para sempre. Seis anos e muitos beijos depois, ela está casada com o homem que ama. Mas hoje Molly percebe quantos beijos desperdiçou, porque o futuro lhes reserva algo que nenhum dos dois poderiam prever… Esta história comovente, bem-humorada e profundamente tocante mostra que o amor pode ser enlouquecedor e frustrante, mas também sublime. Na mesma tradição de P.S. Eu Te amo e Um Dia, O Primeiro Último Beijo vai fazer você suspirar e derramar lágrimas com a mesma intensidade.

Um Beijo Inesquecível, de Julia Quinn (Editora Arqueiro)
Em mais um livro da série Os Bridgertons, toda a alta sociedade concorda que não existe ninguém parecido com Hyacinth Bridgerton. Cruelmente inteligente e inesperadamente franca, ela já está em sua quarta temporada na vida social da elite, mas não consegue se impressionar com nenhum pretendente. Num recital, Hyacinth conhece o belo e atraente Gareth St. Clair, neto de sua amiga Lady Danbury. Para sua surpresa, apesar da fama de libertino, ele é capaz de manter uma conversa adequada com ela e, às vezes, até deixá-la sem fala e com um frio na barriga. Porém Hyacinth resiste à sedução do famoso conquistador. Para ela, cada palavra pronunciada por Gareth é um desafio que deve ser respondido à altura. Por isso, quando ele aparece na casa de Lady Danbury com um misterioso diário da avó italiana, ela resolve traduzir o texto, que pode conter segredos decisivos para o futuro dele. Nessa tarefa, primeiro os dois se veem debatendo traduções, depois trocando confidências, até, por fim, quebrarem as regras sociais. E, ao passar o tempo juntos, eles vão descobrir que as respostas que buscam se encontram um no outro… e que não há nada de tão simples e de tão complicado quanto um beijo.

2 comentários

Mariana Mortani é uma carioca apaixonada pelo mar. É aquariana, poliglota, vascaína, faixa-verde de karatê, bailarina, desenhista, blogueira e estudante de Jornalismo. Graças ao blog Magia Literária (criado em 2011), teve a oportunidade de mediar diversos eventos de autores nacionais e internacionais, além de ser uma das organizadoras da primeira Feira Literária da Zona Norte do Rio de Janeiro em 2014. Hoje, Mariana se dedica ao blog (magialiteraria.net) e ao canal do YouTube (youtube.com/magialiteraria) e espera continuar espalhando o amor pela literatura por aí.

 Eu faço parte do grande grupo de pessoas que sempre que tem um tempo livre liga a TV e entra na Netflix (mesmo quando não tenho nada em mente para assistir). Adoro ver filmes novos, acompanhar séries e, bom, me atrasar bastante nelas. Para o post de hoje escolhi falar sobre duas séries e três filmes baseados em livros que você pode assistir na Netflix. Espero que gostem!

Once Upon a Time
Se você gosta de contos de fadas, com certeza vai adorar Once Upon a Time. Ele não é baseado de fato em um livro e, sim, em todos os contos clássicos que a maioria de nós conhece. Recentemente falei no Magia Literária sobre a verdade sobre os contos da Disney (para assistir, confira aqui) e a série traz, na verdade, uma versão cheia de magia e nova para cada história. Há uma cidade fictícia chamada Storybooke, no Maine, e ela é habitada pelos personagens que conhecemos e que foram transportados da Floresta Encantada para lá através de uma maldição feita por ninguém mais, ninguém menos que a Rainha Má. Emma Swan não sabe, mas é a única que pode acabar com a maldição e fazer com que os personagens tenham suas memórias de volta. Mas, primeiro, ela precisa acreditar que é a salvadora. Cada episódio traz a história de um personagem, o que torna tudo ainda melhor.

Orgulho e Preconceito
 Quem nunca ouviu falar sobre Orgulho e Preconceito? Para quem não conhece, no início do romance, Mr. Bingley aluga uma propriedade no campo chamada Netherfield, perto dos Bennet. Ele chega à cidade acompanhado de sua irmã, Caroline Bingley, e de um amigo, Mr. Darcy. Enquanto Bingley é bem recebido pela comunidade, Darcy mantém uma postura mais distante e desconfiada com relação às pessoas do campo. Bingley e Jane Bennet iniciam um relacionamento, a despeito das interferências inadequadas e embaraçosas de Mrs. Bennet e da oposição da irmã de Bingley, que considera Jane socialmente inferior. Enquanto isso, Elizabeth é “ferida” pela rejeição de Darcy durante uma dança local, e decide rebater a indiferença dele com sua perspicácia e espirituosidade. A história já teve diversas adaptações, porém a mais famosa é a de 2005, estrelada por Keira Knightley.

Um Porto Seguro
Basicamente todos os filmes baseados em histórias de Nicholas Sparks (meu autor de romances favorito) lançados até 2013 estão no Netflix, mas escolhi falar de Um Porto Seguro por ser a adaptação que mais me surpreendeu: eles mudaram o final e eu amei! A história é de uma misteriosa mulher chamada Katie que aparece repentinamente na pequena cidade de Southport, na Carolina do Norte, trazendo muitos questionamentos sobre seu passado. Linda, mas discreta, Katie evita laços pessoais  até uma série de eventos levá-la a duas amizades relutantes: uma com Alex, o viúvo, com um coração maravilhoso e dois filhos pequenos, a outra com sua vizinha muito franca, Jo. Apesar de ser reservada, Katie começa a baixar a guarda lentamente, criando raízes nessa comunidade solícita e tornando-se próxima demais de Alex e de sua família. No entanto, quando começa a se apaixonar, Katie se depara com o segredo obscuro que ainda a assombra e a amedronta: o passado que a deixou apavorada e a fez cruzar o país para chegar no paraíso de Southport.

Shadwhunters
Acredito que não haja uma única pessoa que tenha Netflix que não parou para assistir o primeiro episódio da série. Ela é a segunda adaptação da série Os Instrumentos Mortais, da Cassandra Clare. O filme (estrelado por Lily Collins) também está na Netflix e não teve lucro, então a continuação foi cancelada. A protagonista, Clary Fray, tem sua vida modificada a partir do momento em que é testemunha de um assassinato que só ela conseguiu ver. O assassino, Jace, afirma que ele matou um demônio e que há um motivo para Clary ver o que viu. Ela só acreditará nele quando sua mãe some e ela precisa descobrir o porquê disso, além de encontrar sua mãe e, principalmente, descobrir o que há por trás de todos os acontecimentos recentes de sua vida. Falei sobre a história e o que achei do início da série lá no canal.

Simplesmente Acontece
Meu livro favorito de Cecelia Ahern teve sua adaptação lançada no ano passado. Ela apresenta a história de Rosie e Alex, dois amigos de infância que são inseparáveis e confiam totalmente um no outro. Todo mundo sabe que o que eles sentem, na verdade, vai além da amizade. Todo mundo, menos eles. Até que o destino faz o favor se separá-los por um tempo mas o que sentem vai além da distância e eles continuam se comunicando por cartas, mensagens, e-mails e telefonemas. No livro isso fica muito mais característico e o final só acontece realmente quando eles tem 65 anos (no filme é 45), mas eles conseguiram manter a essência da história e fiquei muito feliz com isso.

0 comentários

Mariana Mortani é uma carioca apaixonada pelo mar. É aquariana, poliglota, vascaína, faixa-verde de karatê, bailarina, desenhista, blogueira e estudante de Jornalismo. Graças ao blog Magia Literária (criado em 2011), teve a oportunidade de mediar diversos eventos de autores nacionais e internacionais, além de ser uma das organizadoras da primeira Feira Literária da Zona Norte do Rio de Janeiro em 2014. Hoje, Mariana se dedica ao blog (magialiteraria.net) e ao canal do YouTube (youtube.com/magialiteraria) e espera continuar espalhando o amor pela literatura por aí.

Ontem, 08 de março, foi  Dia Internacional da Mulher e nada mais justo do que abordamos o tema no post dessa semana, não? Hoje resolvi falar sobre cinco autoras que eu super indico e que tem estilos diferentes, assim quem estiver lendo esse post vai se identificar mais com pelo menos uma delas. Vou deixar a capa do meu livro predileto de cada uma, assim, caso queiram saber uma dica, já tem:
Carina Rissi
Carina nasceu em Ariranha, interior de São Paulo, onde mora atualmente com o marido e a filha, após ter vivido uma curta temporada na capital paulista. É autora de Perdida, Encontrada, Procura-se um marido, No mundo da Luna e Destinado, lançados com grande sucesso pela Verus e que a tornaram conhecida em todo o país. O último livro publicado por ela se tornou meu favorito e faz parte da série Perdida.
Carolina Munhóz
Carol nasceu em São José do Rio Preto e atualmente mora na Califórnia com seu marido Raphael Draccon, que também é escritor. Formada em Jornalismo, ela é a autora de A Fada, O Inverno das Fadas, Feérica, O Reino das Vozes Que Não se Calam e O Mundo das Vozes Silenciadas com Sophia Abrahão e Por Um Toque de Ouro. O último livro publicado é meu favorito e é o primeiro da trilogia Trindade Leprechaum.
Jojo Moyes
Jojo nasceu e cresceu em Londres, no Reino Unido. Formada em Jornalismo, ela foi correspondente do jornal The Independent até 2002, quando publicou o seu primeiro romance e resolveu se dedicar somente à escrita. Ela já publicou mais de dez romances, entre meus favoritos estão A Garota Que Você Deixou Para Trás, Como Eu Era Antes de Você, Depois de Você, A Última Carta de Amor e Um Mais Um.
Kristin Hannah
Nascida na Califórnia, Kristin mora atualmente em Washington. Depois de se formar e atuar na carreira de Direito, ela resolveu se dedicar apenas a sua carreira de escritora em tempo integral. Possui mais de quinze livros publicados sendo o último, O Rouxinol, o de mais sucesso. No brasil também temos Jardim de Inverno, Por Toda a Eternidade, Amigas Para Sempre, O Lago Místico e O Caminho Para Casa.
Susane Colasanti
Susane nasceu em Nova Jersey e atualmente mora em Nova York. Ela é formada em Astrofísica, fez mestrado em Biologia e Física. Depois de passar dez anos como professora ela decidiu finalmente apostar na carreira e escritora e possui sete livros publicados, entre eles Tipo Destino, De Repente Acontece, Esperando Por Você Bem Mais Perto.

8 comentários

Mariana Mortani é uma carioca apaixonada pelo mar. É aquariana, poliglota, vascaína, faixa-verde de karatê, bailarina, desenhista, blogueira e estudante de Jornalismo. Graças ao blog Magia Literária (criado em 2011), teve a oportunidade de mediar diversos eventos de autores nacionais e internacionais, além de ser uma das organizadoras da primeira Feira Literária da Zona Norte do Rio de Janeiro em 2014. Hoje, Mariana se dedica ao blog (magialiteraria.net) e ao canal do YouTube (youtube.com/magialiteraria) e espera continuar espalhando o amor pela literatura por aí.

 O Oscar aconteceu há três dias mas vocês não se incomodam se eu ainda falar sobre ainda, não? Uma das categorias da premiação é Roteiro Adaptado, que indica os melhores roteiros baseados em outras obras (livros, peças de teatro, contos, outros filmes e etc.). Nos últimos anos muitos filmes tem sido adaptados de livros e, neste ano, os cinco roteiros indicados foram baseados em livros também. Hoje é sobre eles que vamos falar.
Quarto (O Quarto de Jack), de Emma Donoghue | Roteiro: Emma Donoghue
Estava torcendo tanto para esta história ganhar em todas as categorias nas quais foi indicada que parecia que eu fazia parte o filme. Este foi um dos melhores livros que li e uma das melhores adaptações que assisti. Gravei um vídeo para falar sobre a história e acho que lá vocês conseguem ver toda minha emoção, caso queiram assistir, é só clicar aqui. A história traz Jack, um menino e 5 anos que mora em um quarto com a mãe desde seu nascimento. Para ele o Quarto é o mundo, fora dele só existe o Espaço, que ele chama de Lá Fora, e o menino não imagina como sua situação é, na verdade, horrível. Sua mãe foi sequestrada dois anos antes de ele nascer, mas transformou o Quarto no melhor lugar que o filho poderia ter em tal situação. Mas é quando as coisas começam a mudar que Mãe decide que seu filho precisa sair antes que algo pior aconteça. Só que ela precisa decidir entre manter Jack com ela por mais ruim que a situação seja ou jogar seu filho para o Mundo, literalmente, sabendo que ele não sabe da existência de nada Lá Fora.
Perdido em Marte, de Andy Weir | Roteiro: Drew Goddard
Até hoje não li o livro nem assisti o filme, mas todo mundo que conheço que leu ou assistiu adorou ambos. O astronauta Mark Watney se tornou a décima sétima pessoa a pisar em Marte e, provavelmente, será a primeira a morrer no planeta vermelho. Depois de uma forte tempestade de areia, a missão Ares 3 é abortada e a tripulação vai embora, certa de que Mark morreu em um terrível acidente. Ao despertar, ele se vê completamente sozinho, ferido e sem ter como avisar às pessoas na Terra que está vivo. E, mesmo que conseguisse se comunicar, seus mantimentos terminariam anos antes da chegada de um possível resgate. Ainda assim, Mark não está disposto a desistir. Munido de nada além de curiosidade e de suas habilidades de engenheiro e botânico e um senso de humor inabalável , ele embarca numa luta obstinada pela sobrevivência. Para isso, será o primeiro homem a plantar batatas em Marte e, usando uma genial mistura de cálculos e fita adesiva, vai elaborar um plano para entrar em contato com a Nasa e, quem sabe, sair vivo de lá.


A Jogada do Século (A Grande Aposta), de Michael Lewis | Roteiro: Charles Randolph e Aam McKay
O vencedor da categoria apresenta Wall Street, um homem que afundou a economia global em uma das maiores recessões econômicas das últimas décadas. A crise mundial de 2008 teve início nas hipotecas subprime – um sistema de dívidas lastreadas praticado pelas principais instituições do mercado. É por dentro da maior bolsa de valores do mundo que o autor Michael Lewis conta em A jogada do século como operadores irresponsáveis deram início à grande crise. Elogiado pela crítica especializada, este aguardado título chega às livrarias para explicar como se deu a quebra do outrora poderoso mercado imobiliário norte-americano.
Carol, de Patricia Highsmith | Roteiro: Phyllis Nagy
Therese Belivet trabalha como vendedora na seção de bonecas de uma loja de departamentos. O emprego funciona como um bico para juntar dinheiro: o que ela de fato quer é construir uma carreira como cenógrafa de teatro. É época de Natal em Nova York, e a loja está lotada. Em meio a tantos rostos desconhecidos, Therese fica hipnotizada ao ver uma distinta cliente se aproximar. É Carol. Assim começa o romance entre a jovem Therese e Carol – recém-separada e mãe de uma filha –, um amor repentino e fatal, que se transforma em uma constante troca de experiências. Mas, numa tentativa de escapar dos olhares reprovadores dos amigos e familiares, elas saem de carro em uma viagem pelos Estados Unidos. Essa aventura acaba se tornando perigosa quando elas percebem que estão sendo seguidas por um detetive.
Brooklyn, de Colm Tóibín | Roteiro: Nick Hornby
No início dos anos 1950, a Irlanda não oferece futuro para jovens como Eilis Lacey. Sem encontrar emprego, ela vive na pequena Enniscorthy com a mãe viúva e a irmã Rose. Mas eis que o padre Flood lhe faz uma oferta de trabalho e moradia no Brooklyn, Estados Unidos. De início apavorada com a ideia de sair do ninho familiar, ela acaba partindo rumo à América. Triste e solitária em seu novo mundo, a tímida Eilis acaba por estabelecer uma rotina de trabalho diurno e estudo noturno na faculdade de contabilidade. No baile semanal da paróquia, conhece um jovem de origem italiana que aos poucos entra em sua vida. Mas quando começa a se sentir mais livre e segura, Eilis é obrigada a voltar, por algumas semanas, para Enniscorthy. E ali ela se vê, mais uma vez, diante de uma escolha que poderá modificar sua vida.

 Vocês já leram algum desses livros? Já assistiram aos filmes?

0 comentários

Mariana Mortani é uma carioca apaixonada pelo mar. É aquariana, poliglota, vascaína, faixa-verde de karatê, bailarina, desenhista, blogueira e estudante de Jornalismo. Graças ao blog Magia Literária (criado em 2011), teve a oportunidade de mediar diversos eventos de autores nacionais e internacionais, além de ser uma das organizadoras da primeira Feira Literária da Zona Norte do Rio de Janeiro em 2014. Hoje, Mariana se dedica ao blog (magialiteraria.net) e ao canal do YouTube (youtube.com/magialiteraria) e espera continuar espalhando o amor pela literatura por aí.

 Eu não sei vocês, mas eu adoro releituras. A ideia de apresentar algo novo em uma história que já conhecemos me parece tão incrível! Adoro quando os autores conseguem escrever uma história contemporânea inspirada em um clássico, ou criam uma nova teoria para uma história já conhecida ou narram o clássico a partir do ponto de vista de outro personagem.

Semana passada li uma releitura que se tornou uma das minhas favoritas (o quinto livro da lista de hoje) e achei que seria legal compartilhar minhas favoritas com vocês. Gostaria de mencionar outras mas, para não ficar repetitivo, selecionei releituras de clássicos diferentes. Tenho certeza que, se gostam do gênero, vão adorar essas:


Ela é uma Fera!, de Marina Carvalho (Editora Novas Páginas)
:: Releitura de: “A Megera Domada”, de William Shakespeare

  • “Está para nascer um homem que conseguirá alcançar meu coração.”

No interior de Minas Gerais, Clara, uma menina de traços delicados, rosto de porcelana e cabelos dourados tem muitos admiradores, inclusive Henrique, o menino mais popular da escola que fará de tudo pra poder sair com ela, inclusive trapacear… É que o pai de Clara colocou na cabeça que sua filha mais nova só poderá sair com um menino depois que sua filha mais velha, Carolina, arrumar um namorado. Parece simples: basta que Henrique arrume um “namorado” para Carol e siga com seu sonho de ficar com Clara. Determinado, Henrique arruma o tal namorado para Carol: Pedro, o badboy. Mas o que nem Henrique, nem Clara, nem Pedro imaginavam é que a intragável Carol iria se comportar como uma insuportável ao lado de Pedro — e jogar água em todos os planos de romance de Henrique e Clara. Caberá a Pedro dar um bom resultado a esta situação, mas será que ele vai conseguir conquistar o coração de gelo de Carol e, finalmente, domar a megera? 

Vermelho Como o Sangue, Salla Simuka (Editora Novo Conceito)
:: Releitura de: “Branca de Neve”, dos Irmãos Grimm

  • “Era uma vez uma menina que aprendeu a ter medo. Contos de fadas não começam assim. Outras histórias, mais sombrias, sim.”

No congelante inverno do Ártico, Lumikki Andersson encontra uma incrível quantidade de notas manchadas de vermelho, ainda úmidas, penduradas para secar no laboratório de fotografia da escola. Cédulas respingadas de sangue. Aos 17 anos, Lumikki vive sozinha, longe de seus pais e do passado que deixou para trás. Em uma conceituada escola de arte, ela se concentra nos estudos, alheia aos flashes, à fofoca e às festinhas dominadas pelos garotos e garotas perfeitos. Depois que se envolve sem querer no caso das cédulas sujas de sangue, Lumikki é arrastada por um turbilhão de eventos. Eventos que se mostram cada vez mais ameaçadores quando as provas apontam para policiais corruptos e para um traficante perigoso, conhecido pela brutalidade com que conduz os seus negócios.Lumikki perde o controle sobre o mundo em que vive e descobre que esteve cega diante das forças que a puxavam para o fundo. Ela descobre também que o tempo está se esgotando. Quando o sangue mancha a neve, talvez seja tarde demais para salvar seus amigos. Ou a si mesma.

Beleza Perdida, de Amy Harmon (Verus Editora)
:: Releitura de: “A Bela e a Fera”, de Gabrielle-Suzanne Barbot

  • “Você age como se a beleza fosse única coisa que nos faz dignos de amor.”

Ambrose Young é lindo — alto e musculoso, com cabelos que chegam aos ombros e olhos penetrantes. O tipo de beleza que poderia figurar na capa de um romance, e Fern Taylor saberia, pois devora esse tipo de livro desde os treze anos. Mas, por ele ser tão bonito, Fern nunca imaginou que poderia ter Ambrose… até tudo na vida dele mudar. Beleza perdida é a história de uma cidadezinha onde cinco jovens vão para a guerra e apenas um retorna. É uma história sobre perdas — perda coletiva, perda individual, perda da beleza, perda de vidas, perda de identidade, mas também ganhos incalculáveis. É um conto sobre o amor inabalável de uma garota por um guerreiro ferido. Este é um livro profundo e emocionante sobre a amizade que supera a tristeza, sobre o heroísmo que desafia as definições comuns, além de uma releitura moderna de A Bela e a Fera, que nos faz descobrir que há tanto beleza quanto ferocidade em todos nós.

Sr. Daniels, de Brittainy C. Cherry (Editora Record)
:: Releitura de: “Romeu e Julieta”, de William Shakespeare

  • “Eu odiava quão perto estávamos, e quão distante nos sentíamos.”

Depois de perder a irmã gêmea para a leucemia, Ashlyn Jennings vê sua vida mudar completamente. Além de ter de aprender a conviver sem parte de si mesma, ela precisa se adaptar a uma nova rotina. Enviada pela mãe para a casa do pai, com quem mal conviveu até então, ela viaja de trem para Edgewood, Wisconsin, carregando poucos pertences, muitas lembranças e uma caixa misteriosa deixada pela irmã. Na estação de trem Ashlyn conhece o músico Daniel, um rapaz lindo e gentil, e a atração é imediata. Os dois compartilham não só o amor pela música e por William Shakespeare mas também a dor provocada por perdas irreparáveis. Ao sentir-se esperançosa quanto a sua nova vida, Ashlyn começa o ano letivo na escola onde o pai é diretor. E não consegue acreditar quando descobre, no primeiro dia de aula, que Daniel, o belo músico de olhos azuis com quem já está completamente envolvida, é o Sr. Daniels, seu professor de inglês. Desorientados, eles precisam manter seu amor em segredo, e são forçados a se ver como dois desconhecidos na escola. E, como se isso já não fosse difícil o bastante, eles ainda precisam tentar de todas as formas superar os antigos problemas e sobreviver a novos e inesperados conflitos.

Enquando Bela Dormia, de Elizabeth Blackwell (Editora Arqueiro)
:: Releitura de: “A Bela Adormecida”, de Charles Perrault

  • “A verdade está longe de ser história de criança.”

Nos salões de um castelo, uma confidente leal guardou por muitos anos os segredos de uma rainha linda e melancólica, uma princesa que só queria ser livre e uma mulher que sonhava com a coroa. Esta é sua história. Ambientada em meio ao luxo e às agruras de um reino medieval, esta releitura de A Bela Adormecida consegue ser fiel ao clássico ao mesmo tempo que constrói uma narrativa recheada de elementos contemporâneos. Nessa mescla, os dramas de seus personagens – um casal infértil, uma jovem que não aceita viver em uma redoma e uma família despedaçada pela inveja – tornam-se atemporais. Quando a rainha Lenore não consegue engravidar, recorre aos supostos poderes mágicos da tia do rei, Millicent. Com sua ajuda, nasce Rosa, uma menina linda e saudável. No entanto, a alegria logo dá lugar às sombras: o rei expulsa de suas terras a tia arrogante, que então jura se vingar. Seu ódio se torna a maldição que ameaça a vida de Rosa. Assim, a menina cresce presa entre os muros do castelo, cercada dos cuidados dos pais e de Flora, a tia bondosa e dedicada do rei que encarna a fada boa do conto original. Mas quando todas as tentativas de proteger Rosa falham, é Elise, a dama de companhia e confidente da princesa, sua única chance de se manter viva. E é pelos olhos dessa narradora improvável que conhecemos todos os personagens, nos surpreendemos com o destino de cada um e descobrimos que, quando se guia pelo amor – a magia mais poderosa do mundo –, qualquer pessoa é capaz de criar o próprio final feliz.

 E vocês, gostam de releituras? Quais as suas favoritas?

0 comentários

Mariana Mortani é uma carioca apaixonada pelo mar. É aquariana, poliglota, vascaína, faixa-verde de karatê, bailarina, desenhista, blogueira e estudante de Jornalismo. Graças ao blog Magia Literária (criado em 2011), teve a oportunidade de mediar diversos eventos de autores nacionais e internacionais, além de ser uma das organizadoras da primeira Feira Literária da Zona Norte do Rio de Janeiro em 2014. Hoje, Mariana se dedica ao blog (magialiteraria.net) e ao canal do YouTube (youtube.com/magialiteraria) e espera continuar espalhando o amor pela literatura por aí.

 Na última sexta-feira do mês de Janeiro, dia 29, foi meu aniversário. Como todo ano, começo a contagem regressiva desde dezembro e aproveitei ao máximo o meu dia. Amo fazer aniversário e, obviamente, comemorar mais um ano de vida. Como falei sobre os livros favoritos da Isabela no aniversário dela, resolvi falar sobre cinco dos meus livros favoritos da vida no post de hoje. Espero que gostem, e não deixem de me contar nos comentários se já leram esses livros e quais são os favoritos de vocês.
A Garota Que Você Deixou Para Trás, de Jojo Moyes (Editora Intrínseca)
Nunca consigo falar desse livro sem me emocionar e sem estar com um sorriso no rosto. É o livro de ficção mais incrível que envolve as Grandes Guerras e não canso de indicá-lo para todo mundo. É o tipo de livro que todo mundo deveria ler.
Sinopse: O livro de ficção que envolve a Primeira Guerra Mundial que mais me emocionou. Eu amo livros situados nas Grandes Guerras, sejam de ficção ou não, e esse foi o de ficção que mais me marcou por diversos motivos. Durante a Primeira Guerra Mundial, o jovem pintor francês Édouard Lefèvre é obrigado a se separar de sua esposa, Sophie, para lutar no front. Vivendo com os irmãos e os sobrinhos em sua pequena cidade natal, agora ocupada pelos soldados alemães, Sophie apega-se às lembranças do marido admirando um retrato seu pintado por Édouard. Quando o quadro chama a atenção do novo comandante alemão, Sophie arrisca tudo a família, a reputação e a vida na esperança de rever Édouard, agora prisioneiro de guerra. Quase um século depois, na Londres dos anos2000, a jovem viúva Liv Halston mora sozinha numa moderna casa com paredes de vidro. Ocupando lugar de destaque, um retrato de uma bela jovem, presente do seu marido pouco antes de sua morte prematura, a mantém ligada ao passado. Quando Liv finalmente parece disposta a voltar à vida, um encontro inesperado vai revelar o verdadeiro valor daquela pintura e sua tumultuada trajetória. Ao mergulhar na história da garota do quadro, Liv vê, mais uma vez, sua própria vida virar de cabeça para baixo. Tecido com habilidade, A garota que você deixou para trás alterna momentos tristes e alegres, sem descuidar dos meandros das grandes histórias de amor e da delicadeza dos finais felizes.

Querido John, de Nicholas Sparks (Grupo Editorial Novo Conceito)
O primeiro romance que me fez chorar. Não sou uma pessoa romântica e esse, por ter as mensagens e o final que tem, foi o primeiro que me emocionou de verdade e me tornou fã do autor.
Sinopse: Quando John Tyree conhece Savannah Lynn Curtis, descobre estar pronto para recomeçar sua vida. Com um futuro sem grandes perspectivas, ele, um jovem rebelde, decide alistar-se no exército, após concluir o ensino médio. Durante sua licença, conhece a garota de seus sonhos, Savannah. A atração mútua cresce rapidamente e logo transforma-se em um tipo de amor que faz com que Savannah prometa esperá-lo concluir seus deveres militares. Porém ninguém previa o que estava para acontecer, os atentados de 11 de setembro mudariam suas vidas e do mundo todo. E assim como muitos homens e mulheres corajosos, John deveria escolher entre seu país e seu amor por Savannah. Agora, quando ele finalmente retorna para Carolina do Norte, ele descobre como o amor pode nos transformar de uma forma que jamais poderíamos imaginar.

O Sobrevivente, de Aleksander Henryk Laks (Editora Record)
Aleksander foi um homem que mudou minha vida. Sempre que falo sobre ele me emociono (agora não está sendo diferente) e nunca vou esquecer de suas palavras ao contar sua história. Para entender melhor o que eu sinto em relação a ele, você pode ler este post que fiz no ML. E depois leia aqui o que escrevi quando ele faleceu.
Sinopse: Aleksander Henryk Laks, 72, relata os sofrimentos inimagináveis aos quais foi submetido e conta como conseguiu a eles sobreviver. Seu calvário começou quando o exército nazista invadiu a Polônia, em setembro de 1939. A partir daí, sua vida e de sua família transformou-se numa luta diária pela sobrevivência. Aleksander , deparou-se com amigos e parentes amarrados ou enforcados no alto de postes da sua cidade natal, Lodz, e viu soldados alemães arrancarem as barbas de judeus com as mãos, deixando suas faces em carne viva. No entanto, este foi apenas o começo da série de crueldades impingidas aos judeus. Levados para diversos campos de concentração, Aleksander viu sua mãe pela última vez ao descer do trem que os levou para Auschwitz, lugar onde viveu os momentos mais torturantes da sua vida. Uma das torturas mais comuns era o método número 25. Os judeus eram amarrados de bruços em cavaletes e espancados nas costas com pedaços de pau, esmigalhando os rins que saiam junto com o sangue através dos poros. Depois de ver sua mãe caminhar para a câmara incineradora, assistiu a morte de seu pai que não resistiu às semanas de caminhada na chamada “Marcha da Morte”, de mais de 500 quilômetros, entre vários campos de concentração. Dos 600 prisioneiros que partiram de Auschwitz, apenas 50 sobreviveram. E novamente Aleksander estava entre eles. A redenção veio junto com a chegada do exército aliado. Aleksander foi salvo pelas tropas que interceptaram o trem que o levava de um campo de concentração para outro. A certeza de que seu calvário teria fim veio na forma de um copo de leite quente, entregue por um soldado aliado.

Saga Harry Potter, de JK Rowling (Editora Rocco)
Acho que não preciso nem falar muito sobre Harry Potter, certo? Falei um pouco sobre como a série mudou minha vida no meu primeiro post como colunista da Isabela, confira aqui.
Sinopse: Conheça Harry, filho de Tiago e Lílian Potter, feiticeiros que foram assassinados por um poderosíssimo bruxo, quando ele ainda era um bebê. Com isso, o menino acaba sendo levado para a casa dos tios que nada tinham a ver com o sobrenatural pelo contrário. Até os 10 anos, Harry foi uma espécie de gata borralheira: maltratado pelos tios, herdava roupas velhas do primo gorducho, tinha óculos remendados e era tratado como um estorvo. No dia de seu aniversário de 11 anos, entretanto, ele parece deslizar por um buraco sem fundo, como o de Alice no país das maravilhas, que o conduz a um mundo mágico. Descobre sua verdadeira história e seu destino: ser um aprendiz de feiticeiro até o dia em que terá que enfrentar a pior força do mal, o homem que assassinou seus pais, o terrível Lorde das Trevas. O menino de olhos verdes, magricela e desengonçado, tão habituado à rejeição, descobre, também, que é um herói no universo dos magos. Potter fica sabendo que é a única pessoa a ter sobrevivido a um ataque do tal bruxo do mal e essa é a causa da marca em forma de raio que ele carrega na testa. Ele não é um garoto qualquer, ele sequer é um feiticeiro qualquer; ele é Harry Potter, símbolo de poder, resistência e um líder natural entre os sobrenaturais.

Série Os Imortais, de Alyson Nöel (Editora Intrínseca)
Essa foi a primeira série que li desde Harry Potter e me apaixonei totalmente pela escrita da Alyson. Ela conseguiu fazer um romance sobrenatural ótimo e, por mais que a relação com a protagonista seja de amor e ódio durante toda a série, eu amei acompanhar sua trajetória e os livros se tornaram meus favoritos do gênero.
Sinopse: Ever Bloom tinha uma vida perfeita: era uma garota popular, acabara de se tornar líder de torcida do principal time da escola e morava numa casa maravilhosa, com o pai, a mãe, uma irmãzinha e a cadela Buttercup. Nada no mundo parecia capaz de interferir em sua felicidade, o céu era o limite! Até que um desastre de automóvel transformou tudo em um pesadelo angustiante. Ever perdeu toda a sua família. Mudou de cidade, de escola, de amigos, e agora, além de todas essas transformações em sua vida, ela precisa aprender a conviver com uma realidade insuportável: após o acidente, ela adquiriu dons especiais. Ever enxerga a aura das outras pessoas, pode ouvir seus pensamentos e, com um simples toque, é capaz de conhecer a vida inteira de alguém. É insuportável. Ela foge do contato humano, esconde-se sob um capuz e não tira dos ouvidos os fones do i-pod, cujo som alto encobre o som das mentes a seu redor. Até que surge Damen. Tudo parece cessar quando ele se aproxima. Só ele consegue calar as vozes que a perturbam tão intensamente. Ever não entende o porquê disso, mas é incapaz de resistir à paz que ele lhe proporciona, à sensação de, novamente, ser uma pessoa normal. Ela não faz ideia de quem ou o quê Damen realmente é. Sua única certeza é estar cada vez mais envolvida… e apaixonada.

E aí, quais os livros favoritos de vocês?

1 comentário

Mariana Mortani é uma carioca apaixonada pelo mar. É aquariana, poliglota, vascaína, faixa-verde de karatê, bailarina, desenhista, blogueira e estudante de Jornalismo. Graças ao blog Magia Literária (criado em 2011), teve a oportunidade de mediar diversos eventos de autores nacionais e internacionais, além de ser uma das organizadoras da primeira Feira Literária da Zona Norte do Rio de Janeiro em 2014. Hoje, Mariana se dedica ao blog (magialiteraria.net) e ao canal do YouTube (youtube.com/magialiteraria) e espera continuar espalhando o amor pela literatura por aí.