Artigos do autor

Errei em mergulhar em você, quando você sempre foi tão raso pra mim. Errei em me entregar por inteiro sem saber que você era só aquilo mesmo e nada mais. Eu não te culpo pela minhas expectativas, eu esperei demais, eu sei, e errei nesse ponto também. Errei por achar que você era bem mais do que parecia ser, por acreditar que você tinha muito mais pra mostrar, por me iludir achando que você iria me surpreender. A verdade é que você nunca iria surpreender nem nas minhas mínimas expectativas, porque você foi pequeno, raso e imaturo, cara! Eu pensei que você teria espaço pra mim, mas me dei conta que o espaço que você tinha não cabia nem você mesmo. A gente só tem uma vida pra ficar estragando com o que não acrescenta em nada. Eu tive que escolher entre ir embora e ficar nessa coisa estranha que a gente chamava de amor.

Eu te amava pra caralh*, cara! E você esnobava, brincava com os meus sentimentos, me deixava pra depois. Eu te amava como nunca pensei que poderia amar alguém, mas acontece que, agora, eu tô amando não gostar mais de você, tô amando me amar mais, tô amando todo esse amor que eu tenho agora por mim, que passa bem longe daquele amor que eu tinha por você e que nunca foi tão reciproco assim. Se eu soubesse que depois de tanto esforço no final nada adiantaria, eu não insistiria tanto.

Até pensei em vingança, cara. Eu queria te ver passando pela mesma situação que você me fez passar. Eu queria que você sentisse, pelo menos, um pouquinho da dor que você me causou. Eu queria pagar com a mesma moeda, te devolver aquela decepção que você foi pra mim. Tudo que eu pensava era em vingança, vingança, vingança. Até que um dia você passou, até que eu deixei a dor ir embora, aquela decepção deu lugar pro sorriso que eu sempre tive, todo o engano deu lugar a segurança, a força, ao amor próprio. Depois de você, eu me tornei alguém mais forte, segura, inteira e madura. No final das contas, a gente percebe que a vingança nem vale a pena. Não tem nada melhor que as voltas que o mundo dá, essa tal lei do retorno que sempre guarda pra gente o que um dia a gente deu pra alguém, sabe?

Pode ir, cara. Um dia a gente se encontra, e eu espero que quando isso acontecer, cê não se arrependa de ter escolhido o sentido errado. Eu quero mais é que você siga em frente e se mantenha distante de mim. Já te perdoei pelas mancadas que você deu, por todas as vezes que você preferiu ficar ausente quando eu mais precisei de você. Então, vai e me deixa. Me deixa na minha que eu sei exatamente qual caminho escolher. Vai e vê se amadurece, vê se cresce, vê se deixa de ser o menino de sempre e, por favor, vira homem.

12 comentários

Tenho 24 anos, apaixonado por cafés, seriados e filmes de romance, mas amo cervejas e novelas se houver um bom motivo pra isso. Dramático, intenso e extremamente intuitivo. Leio horóscopo, sorrisos e corações partidos. Escrevo sobre casos, por acasos e acasos do amor, sobre boas lembranças e péssimas escolhas.

Cê nem sabe, mas eu pensei em falar com você. Pensei em te ligar, mas eu não sabia se você iria atender. Pensei em bater na tua porta, mas preferi evitar, porque achei que você fosse ignorar. Pensei em te procurar, sabe? Deixar esse orgulho bobo de lado e dizer o tanto que eu te queria, mas escolhi me calar porque você nunca me deu certeza de nada. Eu pensei em ir até você, mas escolhi ficar aqui por todas as vezes que eu fui e você não veio. Por todas as vezes que eu liguei e você não se importou. Por todas as vezes que eu deixei o orgulho de lado e você me ignorou. Eu pensei em continuar com você, mas escolhi seguir outro caminho, porque você nunca quis ir comigo, pra falar a verdade. Eu até pensei em ficar te amando assim, mas por todas as vezes que você não enxergou o meu amor, por todas as vezes que você duvidou de mim, eu tive que decidi não continuar apostando o meu amor, em algo que não era recíproco.

Eu tinha uma vontade imensa de ficar com você, eu ainda tinha muito folego pra mergulhar em você por mais uma vida inteira, mas eu cansei de querer sempre ir mais fundo em alguém que só conseguia me dar tão pouco. Preciso dizer que eu não te esqueci. Cê sabe, não tem como esquecer o que simplesmente aconteceu. Mas o meu coração, esse sim te esqueceu, e isso é o que importa agora.

Eu achava que aquele mínimo que você me dava já era o suficiente pra mim, até me conhecer inteiramente e me entregar a mim mesmo, por inteiro, até que eu me encontrei e então eu percebi que aquele inteiro que eu pensava que você era, na verdade, era só uma migalha que eu nunca precisei. Surgia mais uma notificação, e não era você. O celular vibrava, e não era você. Chegava mais uma mensagem, nem sinal de você. Eu me acostumei tanto com essa tua ausência que quando cê apareceu de verdade, eu já nem te esperava mais.

Sabe aquele barulhinho de notificação avisando quando chega uma nova mensagem? Então, eu passei muito tempo esperando que fosse você. Eu passei muito tempo acreditando na força do meu pensamento. Pensando: Agora é você. Dessa vez é você. Só pode ser você. E nunca era. Até que, num dia desses, quando eu já tinha te tirado dos meus pensamentos, o barulhinho volta e, era você. Só que dessa vez, eu já não estava te esperando mais. Algumas pessoas só percebem o outro, quando ele já não está mais ali. Só valorizam quando já é tarde demais. E esse foi o teu erro, rapaz.

23 comentários

Tenho 24 anos, apaixonado por cafés, seriados e filmes de romance, mas amo cervejas e novelas se houver um bom motivo pra isso. Dramático, intenso e extremamente intuitivo. Leio horóscopo, sorrisos e corações partidos. Escrevo sobre casos, por acasos e acasos do amor, sobre boas lembranças e péssimas escolhas.

Eu preciso te dizer que não sou o tipo de pessoa que gosta de receber flores ou declarações de amor quilométricas, flores são bem vindas, claro. Mas me fazer sorrir já é o suficiente pra mim.

Você precisa saber que, por mais controlada que eu tento ser, perderei o controle em alguns momentos. Eu vou observar o teu jeito, as tuas reações, e como você fala comigo, e vou descobrir o exato momento que você estiver mentindo. Eu vou notar o jeito que você fala das suas ex’s namoradas e dos erros que você cometeu, o jeito como você fala com seus pais, e o jeito como encara a vida. Eu gosto da verdade bem dita.

Você precisa saber também que, quase sempre, eu não acordo bem humorada, e que, algumas vezes eu fico sem paciência pra me importar. Em algum momento eu vou esquecer de te ligar porque a correria do meu dia não me permitiu ou porque as minhas obrigações eram mais importantes. E se você procura alguém perfeito, provavelmente esse alguém está longe de ser eu. Gostar de mim não é um processo fácil, e o meu processo de gostar de alguém exige muita paciência. Não consigo lidar com metades. Eu sou um poço de expectativas, vai dar trabalho pra me surpreender. – Aliás, todo mundo alimenta expectativas de vez em quando. E, acredite, isso não é uma qualidade.

Odeio monotonia, e gosto de ficar sozinha às vezes, porque inexplicavelmente, isso me faz bem. Eu não vou me perder por você, não vou implorar pra que fique quando a sua vontade for ir embora. Não espere também que eu te peça atenção e afeto, porque isso é algo que só dá quem tem. Sou um exagero em pessoa, amo incondicionalmente, e quando isso acontece, eu luto com todas as minhas forças pra que dê certo, mas se você não fizer a sua parte, saiba que eu não permaneço onde não existir reciprocidade.

Prezo pela fidelidade e parceria, os meus amigos podem te garantir isso. Saiba também que, confiança uma vez traída, jamais será reconstruída. Eu gosto de fazer bem, então me faça bem também. Só fique se for pra somar, se não for, melhor nem chegar. Não espero metades porque já estou completa, e tenho preguiça de gente vazia, venha só se for pra transbordar. 

Você precisa saber que, eu não vou sorrir pro seu melhor amigo se ele for chato, não vou engolir a tua amiga do trabalho se ela estiver realmente dando em cima de você. Você precisa saber que eu não vou me declarar pra você todas as manhãs, que não vou conseguir dormir todos os dias de conchinha porque isso sempre me deu calor. Odeio comparações. Sou complicada, cheia de problemas e manias irritantes.

Fique, mas saiba: amo demais, confio demais, sinto demais. Mas uma decepção é capaz de mudar todo o ciclo do que sinto. Sou 8 ou 80. Sou sim ou não, mas nunca talvez. Com a mesma intensidade que posso amar, confiar e sentir, posso também odiar, desconfiar, e esquecer.

31 comentários

Tenho 24 anos, apaixonado por cafés, seriados e filmes de romance, mas amo cervejas e novelas se houver um bom motivo pra isso. Dramático, intenso e extremamente intuitivo. Leio horóscopo, sorrisos e corações partidos. Escrevo sobre casos, por acasos e acasos do amor, sobre boas lembranças e péssimas escolhas.

Preciso te dizer que cê não perdeu nada, menina. Os dias passam e você pensando nele. O mundo lá fora continua e você aí, deixando de aproveitar o tempo por ele. Cê sabe que a culpa disso tudo não é mais dele, porque o problema agora é você insistir em manter o que não faz mais sentido com você. Ele já foi, menina, e você não precisa mais deixar ele vivo dentro de você.

Permita que o tempo cure a tua dor. Permita, daqui em diante, deixar as lembranças no fundo da gaveta. Talvez ele tenha sido culpado nisso tudo porque você tentou tantas vezes, você lutou contra todos e até contra o universo que parecia não conspirar a favor. Você não desistiu em nenhum momento pra que desse certo, mas pense consigo, menina,  não vale a pena insistir em algo que não tem a menor pretensão de te fazer bem só pra alimentar os seus caprichos.

Você precisa parar de remar tentando encontrar uma nova razão pra ficar, porque isso não vai chegar a lugar algum, acredite. Ele já pulou fora e se você continuar nisso, as chances de se perder são maiores. Volta pra areia e deixa o barco naufragar de uma vez. Pensa só no estrago que ele poderia ter te causado se escolhesse ficar. 

Você precisa parar de continuar sofrendo. Eu sei que às vezes a gente acredita que o que perdemos é algo de muito valor, que muitas vezes a gente prefere acreditar que vai dar certo porque é difícil desacreditar naquilo que pensávamos ser bom pra gente. Eu sei que às vezes a gente escolhe por ficar e se acostumar com a dor, que ir embora e se virar sozinho com ela. Mas o amor é exatamente o oposto, menina, ele não dói.

Talvez tudo isso tenha sido sorte, e não perda. Talvez ter passado por todo esse desconforto que ele te causou tenha lhe ensinado pra vida, e não retirado de você a coragem pra viver algo ainda melhor. Para de sofrer por alguém que escolheu ir embora quando poderia ter ficado. Para de deixar o tempo passar em vão, porque ele não para nem volta. Para de chorar por alguém que não pensou duas vezes ao escolher acabar com tudo que vocês tinham.

Às vezes parece que as coisas nunca vão dar certo, e que quanto mais a gente tenta mais parece ficar errado, quando mais a gente se esforça pra manter aquilo, mas bagunça se acumula, quando mais a gente quer ficar junto, mas certo parece a distância. Isso não é só aparência, é a verdade te dizendo que você precisa seguir em frente, porque cê não vai perder nada, só é um pouco difícil se acostumar com isso. 

13 comentários

Tenho 24 anos, apaixonado por cafés, seriados e filmes de romance, mas amo cervejas e novelas se houver um bom motivo pra isso. Dramático, intenso e extremamente intuitivo. Leio horóscopo, sorrisos e corações partidos. Escrevo sobre casos, por acasos e acasos do amor, sobre boas lembranças e péssimas escolhas.

Ele te machuca, diz que não teve a intenção de te machucar, te pede desculpas e você perdoa. Ele promete que vai mudar, ele tenta mudar, diz que anda se esforçando pra isso. Mas se ele precisa mudar pra te fazer bem ou se esforçar pra que você fique bem ao lado dele, você não precisa dele. Na primeira oportunidade, ele volta a te machucar, diz que foi por impulso, que não estava sóbrio, coloca toda culpa da bebida, na música alta, e em você. Ele chora até te convencer de que você tem culpa nisso tudo. Você acaba se convencendo de que existe alguma coisa de errado com você, porque ele te trata como tanta importância que você não consegue encontrar uma razão pra explicar o que ele fez e só se culpa.

Ele nunca procura novos lugares pra vocês, sempre espera que você o convide pra algum lugar e se você não convidar, ele sempre tem outros lugares pra ir sem você. Ele diz que tá com saudade, mas não aparece. Está sempre ocupado pra você, e se você puxa um assunto, ele muda de assunto, diz que teve um dia cansativo e que precisa dormir. Ele nunca está disponível pra falar sobre vocês. O dia dele sempre é bem corrido, ele te pede desculpas por não ter tempo pra você, mas o tempo que tem, prefere falar sobre ele com aquele papo egocêntrico de que não tem o mínimo interesse na sua vida, aquela conversa que te faz achar que ele é o único cara do mundo capaz de aceitar o teu temperamento.

Ele grita com você, te chama de idiota, diz que você é louca, ciumenta e paranoica quando você tenta questioná-lo sobre essa falta de presença que ele chama de falta de tempo. Ele diz que você é inútil, e repete tantas vezes que, com o tempo, você acaba acreditando. Você passa mesmo a acreditar que você merece as bobagens que ele diz e faz com você.

Quando ele se sente vulnerável e percebe que você está prestes a se decidir, ele começa com aquele jogo de sentimentalismo barato só pra te confundir, diz que te ama e que não pode viver sem você, porque você é tudo de melhor que aconteceu na vida dele, mas enquanto está com você, nada muda. A verdade é que ele não consegue suportar a ideia de te ver livre, feliz e com outra pessoa, porque ele é tão inseguro que não sabe se consegue se dar bem sem você. Quando ele percebe que você se rendeu, logo te escanteia e te deixa pro segundo plano. Ele exige sua companhia só quando bem entende. Quando vocês saem juntos, ele não se aproxima muito e qualquer pessoa que olha pra vocês, imagina que são só amigos tomando uma cerveja no final da tarde.

Ele só te culpa, te cobra tanta coisa que ele mesmo não consegue te dar. Só te arruma defeitos, te trata como um erro. Ele sugere que vocês fiquem apenas de vez em quando, te quer no tempo dele, te aceita no momento que ele quer. Ele some, aparece dizendo que pegou no sono, entra no Whatssap mas não te responde, até visualiza mas é mais fácil te dizer que estava ocupado, colocando o cachorro pra passear. Você percebe que ele está online a horas, mas quando você questiona, ele te diz que você está vendo coisas demais. Nunca tem tempo pra conversar, sempre tá cansado, coitado! Ele não procura manter contato com você, só liga quando quer. Ele te coloca pra baixo, diz que os erros dele são efeitos dos seus, que as atitudes idiotas que ele tem foram consequência das suas. Ele tenta te culpar por ele ser babaca e te faz acreditar que realmente a culpa é toda sua. Depois, ele te pede desculpas, até chora, jura de pés juntos que não mentiu, não fingiu, você aceita as desculpas, dá mais uma chance, e ele aparece fazendo desse amor um jogo barato e sem destino. Ele não gosta das suas conquistas, acha os teus sonhos um saco, não comemora a tua felicidade. Tenho uma coisa pra te dizer, ele não está tão a fim de você.

13 comentários

Tenho 24 anos, apaixonado por cafés, seriados e filmes de romance, mas amo cervejas e novelas se houver um bom motivo pra isso. Dramático, intenso e extremamente intuitivo. Leio horóscopo, sorrisos e corações partidos. Escrevo sobre casos, por acasos e acasos do amor, sobre boas lembranças e péssimas escolhas.

Difícil entender o ”e aí sumida?” quando sempre esteve no mesmo lugar, no mesmo endereço, com o mesmo número de telefone. Quando recebo um ”e aí, sumida?”, sempre respondo: Nunca sumi, eu estive o tempo todo aqui. Alguns somem de vez depois dessa, e isso é uma boa maneira de garimpar quem vale a pena manter por perto.

Você se pergunta como você pode sumir se você esteve o tempo todo tentando aparecer pra ele? Como você pode ser chamada de sumida se você gastou tanto tempo tentando entender por que era sempre tão difícil ele te responder quando você precisava, e por que ele deixava sempre pra te responder só quando precisava de você? E você se pergunta como pode alguém te dizer que você sumiu, quando todas as mensagens que você enviou e as tantas ligações você fez sequer foram respondidas por essa pessoa. Realmente, ficar em segundo plano cansa. Perder tempo com quem sempre te deixa pra depois, também cansa. Melhor mesmo é sumir que insistir em aparecer pra alguém que sequer te nota.

Ele não se interessa pelos seus sonhos, não tá nem aí pros seus planos. Quando ele te manda um ”e aí, sumida?” ele só quer ter a certeza de que você estará lá, esperando por ele. Ele só tá querendo que você volte a puxar o saco dele, enquanto ele alimenta o seu ego, porque se ele quisesse ter você sempre por perto, ele não te deixaria sumir.   Um ”E aí, sumida?” funciona mais ou menos como um despertador que ele deixa em modo de soneca, enquanto investe em outra pessoa. Você, é o despertador que sempre aparece e ele ignora, deixa pra depois, adia. Quando ele acha conveniente te procurar, ele retorna pra você, e quando finalmente percebe que você não está mais despertando pra ele, ele te manda um ”e aí, sumida?”. Se for questionado, ele usa o clássico: ”ando trabalhando muito/mal tenho tempo/não vi suas mensagens”. Entenda que quando você é prioridade, não existe ”e aí sumida”, porque por mais que o outro tenha uma rotina cansativa, sempre vai existir um espaço e um tempo pra você.

Sabe o que aquele ”e aí, sumida” quis dizer? Quis dizer que ele só resolveu te procurar porque percebeu que você não o procuraria mais, que você tinha se cansado de ser sempre a quem corre atrás, sempre quem liga, se importa e pede explicações. Aquele ”e aí, sumida” quis dizer que ele não quer saber como você está, o que pretende fazer ou quais os seus planos. Ele tá pouco se importando pra sua vida e tudo que ele quer, é entender como você conseguiu se cansar dele. Porque no final das contas ele só queria que você estivesse ali quando ele precisasse, ele só queria se gabar com os amigos por você ser só mais uma que insistia por ele. Ele só queria que você estivesse disponível no tempo dele. Aquele ”e aí, sumida” foi pra te confundir, menina! Pra que você voltasse a esquecer de si e enchesse a caixa de entrada dele de mensagens enquanto ele achava graça do outro lado. Foi só pra saber se você ainda respondia prontamente. Aquele ”e aí, sumida” quis dizer que ele não pensa em você, que não tem saudades de você. Aquela mensagem era só pra te dizer que ele queria que você continuasse no pé dele, só queria te ter na palma das mãos dele, brincar com seu tempo e atrasar só um pouquinho a sua vida. Mas só até o momento em que você cansa de se contentar com um ”e aí, sumida” e some de vez.

8 comentários

Tenho 24 anos, apaixonado por cafés, seriados e filmes de romance, mas amo cervejas e novelas se houver um bom motivo pra isso. Dramático, intenso e extremamente intuitivo. Leio horóscopo, sorrisos e corações partidos. Escrevo sobre casos, por acasos e acasos do amor, sobre boas lembranças e péssimas escolhas.

Achei que sem você, o amanhã seria terrível de suportar, que tudo iria parecer tão sem graça, que eu não iria conseguiria te superar. E foi mais fácil do que eu imaginava, tudo já estava tão raso que eu nem senti a maré recuar, tudo já estava tão sem graça que eu nem percebi quando comecei a rir e não me importar mais, tudo já estava tão morto que foi fácil me dar conta de que sem você, tudo voltaria a ser como era antes. Sem brigas, sem estresse, sem seus abusos e suas exigências. Você que acabou com a confiança. Me fez te cobrar explicações e eu nunca fui de perder tempo com isso. Você me fez ligar pro seu amigo pra ter a certeza de que você estava na casa dele, eu sempre achei isso coisa de gente desequilibrada e insegura. Você me fez perder tempo fazendo perguntas que você nunca respondia, tentando entender coisas que você jamais esclarecia. Relacionamento é pra ser transparente e sincero, não é? Por quê você insistia tanto em não ser?

Você me fez perder o controle de mim, esquecer de mim nas horas que eu mais precisaria. Você me fez tomar um rumo que eu não conhecia, entrar em caminhos que não me levaram a lugar algum, e correr atrás de você como um cachorro corre atrás de um galho. Eu me sentia péssima, você me fez se sentir assim. Você me fez acreditar ser quem eu não era. Você me transformou em alguém que eu não queria ser.

Você me fez sentir mal comigo mesma, por acreditar em você quando você mentia. Por achar que eu estava errada porque você dizia estar certo. Seus amigos me achavam maluca, minhas amigas diziam que eu era burra. Você me fazia de idiota pros outros. Cedo ou tarde a gente sempre descobre coisas que machucam. Sempre aparecem respostas pra aquelas perguntas antigas. Quando a gente decide manter o que machuca a gente, a ferida nunca sara, sempre volta a doer. Eu tinha decidido te perdoar, fazia tanto tempo. Eu tinha escolhido deixar os momentos bons pesarem mais. Tentei levar isso até onde deu, juro. Mas é que o amor é pra ser amigo, ameno, parceiro. E você já estava longe disso.

Tudo passa com o tempo. E o tempo passava e eu não acreditava. Amanhã é outro dia. Até que um dia eu acordei sem te perceber e me percebi. Ainda doía ver como pude me apaixonar por alguém que nunca mereceu. Como permitir que tudo isso acontecesse. Dizem que decepção não mata, ajuda a viver. E eu tô vivendo, me tornando alguém melhor.

Você que acabou com o amor bom, livre e saudável que eu te dei. Você que trouxe as brigas, as dores de cabeça e o desgaste dele. Você colocou toda a culpa em mim, como se eu nunca tivesse me importado com a gente. Apesar dos seus erros, eu nunca tive coragem de nos deixar. Preferi esquecer e acreditar em mudança. Todo mundo erra, não era isso que você sempre dizia? Preferi acreditar que você iria amadurecer com os erros, que iria mudar pra melhor, que cumpriria com todas as suas promessas de mudança. Você mesmo dizia que faria isso por mim. E esperei muito por isso. Até que escolhi seguir em frente e te deixar pra trás. E foi abrindo mão de você que eu me encontrei, foi sem o teu amor que eu aprendi a me amar. E me amando, me tornei outra. E sendo outra, não existe mais você. Não tem a menor possibilidade de existir.

18 comentários

Tenho 24 anos, apaixonado por cafés, seriados e filmes de romance, mas amo cervejas e novelas se houver um bom motivo pra isso. Dramático, intenso e extremamente intuitivo. Leio horóscopo, sorrisos e corações partidos. Escrevo sobre casos, por acasos e acasos do amor, sobre boas lembranças e péssimas escolhas.

Ela não vai te pedir pra amá-la, nem exigir nada. Ela não precisa disso. Se você ficar é porque quis e não porque ela insistiu. E se você decidiu embarcar com ela nessa viagem, melhor não decepcionar.

Você quer ser a diferença na vida dela, quer ser referência de alguém que foi pra ela o que de melhor se pode ser, quer se tornar alguém que a inspire, alguém que ela pensa ao se deitar e a primeira pessoa que ela sorri ao acordar? Ou prefere ser igual aos outros, ser só mais um que não a merece, o motivo dela chorar todas as noites e a pessoa com quem ela não desejaria acordar e não mais lembrar ao abrir os olhos?

Ela vai mudar na aparência, nos gostos e nos desejos ao longo do tempo, vê se não estranha. Porque ela é assim, odeia ficar no morno, odeia ficar quieta no canto, ele prefere protagonizar na vida porque é assim que foi feita, pra ser vivida. Ela não gosta de olhar as coisas superficialmente, ela prefere mergulhar de cara e coração. Não gosta de meios termos e enrolação, com ela é sim ou não. Se você a deixar na dúvida, se ela chegar ao ponto de se perguntar porque diabos ainda continua com você, por mais que seja difícil pra ela ir embora e entender, ela irá, e não vai adiantar mandar flores ou mensagens, fazer promessas ou loucuras, falar sobre o amor ou mudanças. Ela só quer ter a certeza de onde pisa.

Não seja prisão, porque ela não vai prender. Não seja ausente, porque ela não vai te implorar pra aparecer. Ela vai te deixar a liberdade, porque é assim que ela prefere lidar com o amor, é assim que ele é. Se prende, dói. E se dói não é bom. Ela não esconde suas emoções e sentimentos, mas se ela chegar ao ponto de chorar na tua frente, é sinal que as coisas não vão bem, que o coração transbordou e a decepção saltou aos olhos.

Ela estará disposta a tentar, a desbravar esse amor nas piores tempestades, vai enfrentar os piores momentos e as crises de vocês também, mas ela sozinha sabe que não adianta, se você não estiver disposto, ela fará o oposto e ao invés de ficar, ela vai seguir. Como todo mundo cansa, ela não fará diferente quando você se repetir feito disco arranhado, quando os seus pedidos de desculpas e planos de mudança começarem a serem mais frequentes. Porque ela sabe que se não existe vontade, não tem também necessidade de ficar.

*Gostou do texto? Deixe seu comentário. Sua opinião é muito importante pra mim.

25 comentários

Tenho 24 anos, apaixonado por cafés, seriados e filmes de romance, mas amo cervejas e novelas se houver um bom motivo pra isso. Dramático, intenso e extremamente intuitivo. Leio horóscopo, sorrisos e corações partidos. Escrevo sobre casos, por acasos e acasos do amor, sobre boas lembranças e péssimas escolhas.

Acabou, menina.

Acabou e só você ainda insiste em não acreditar. Eu sei dos teus choros, gritos e brigas. Sei da tua vontade pra que desse certo, sei do teu esforço em continuar e fazer com que tudo se resolvesse. Eu conheço a tua luta, menina. Mas acabou no momento em que você respirou fundo e decidiu acolher tua dor com o silêncio. Ela não te arranca mais sorrisos, não toca as tuas mãos como antes e você já não enxerga aquele brilho nos olhos que te recebia. Já deu, menina. Segue seus passos e desprende do peso que já não alimenta mais o teu coração.

Acabou desde quando ele te olhou com desprezo e te mandou sair da vida dele, quando ele abriu o peito e te expulsou sem nem ouvir o que você tinha pra dizer. Acabou quando doeu em você e ele não se importou com isso. Cê sabe que quando existe amor, o outro sempre sabe e sente quando machuca a gente. Acabou quando ele foi insensível com você ao ponto de não perceber isso. Quando você chorou porque as coisas estavam difíceis de se acertar e ele não te amparou, quando ele disse pra você se virar sozinha porque ele tinha uma festa pra aproveitar com os amigos. Acabou quando o abraço que ele te deu não serviu como refugio, estava mais pra campo de guerra e você sabia que ali não era mais o teu lugar.

Olha bem pra você, menina. Não existe um pedaço teu nesta relação. Isso acabou quando os teus pequenos pedidos passaram a ser ignorados, e os teus mínimos defeitos estavam sendo tratados com frieza. Cê sabe que o amor precisa ter doação de ambas as partes, precisa de conversa, de presença, de equilíbrio dos dois lados, e naquela noite de desespero em que só você se preocupou, acabou.

Acabou menina, e mesmo que o teu coração ainda tente sussurrar o nome dele, tua mente em sã consciência sabe que literalmente chegou ao fim. Acabou quando você começou a duvidar do amor que ele dizia sentir por você, porque todas as atitudes dele só te feriam e nada mais te curava. Acabou quando você decidiu parar de correr atrás e também seguir os seus passos. Você tropeçou várias vezes nas lembranças que ele te deixou no meio caminho, mas acabou quando você não voltou atrás, quando seguiu de cabeça erguida e peito surrado, quando aceitou que tudo isso, um dia, iria passar e quando passasse, você iria rir de tudo.

Acabou quando você olhou pra ele, sorriu e balançou a cabeça dando um sinal de negação. Quando você enxergou que ele escolheu te perder da pior forma, e que tudo isso não te fez perder absolutamente nada porque quem se livra de quem não mais acrescenta, não perde, ganha!

*Gostou do texto? Deixe seu comentário. Sua opinião é muito importante pra mim.

30 comentários

Tenho 24 anos, apaixonado por cafés, seriados e filmes de romance, mas amo cervejas e novelas se houver um bom motivo pra isso. Dramático, intenso e extremamente intuitivo. Leio horóscopo, sorrisos e corações partidos. Escrevo sobre casos, por acasos e acasos do amor, sobre boas lembranças e péssimas escolhas.

Eu até poderia te ligar agora, como tantas vezes te liguei e depois me arrependi, pra te lembrar do calor dos meus braços, do vinho a beira mar, dos filmes no sofá da minha casa, do cafuné no chão da tua sala, dos nossos pés gelados por fora do edredom, das músicas que você errava o refrão, dos tantos livros que esqueci no banco do carro, da minha companhia nos lugares que só você conhecia e eu nem gostava tanto, do teu cotovelo batendo na minha cabeça quando você tentava me fazer algum carinho, do teu celular vibrando, eu insinuando que alguém estava quase te roubando de mim e você sorrindo me chamando de bobo. Eu te dizendo que preciso levantar da cama porque tenho aula e o professor não tolera atrasos, e você me puxando pra ficar mais um pouco, e eu me cedendo por você, e você perguntando se eu prefiro ovo mexido ou mal passado, eu te respondendo – enquanto calço o sapato – que tanto faz porque ver você de samba canção e com o cabelo embaraçado no fogão era engraçado e ao mesmo tempo me fazia um bem danado. Você com aquela mania de olhar o Facebook enquanto come. A gente puxa um assunto sobre a novela e no fim marcamos um viagem no próximo final de semana, eu digo que preciso ir, você me encara como se dissesse pra ficar mas eu não posso. Você me prometeu que voltaríamos a nos falar, lembra? Daí, você me acostumou ao teu cheiro, teu beijo, teu corpo, me escancarou a vida e me deixou assim, totalmente despreparado pruma hora dessas que você resolve partir. 

Eu deveria te mostrar aquelas fotos da nossa última viagem e te chamar atenção pro tamanho do seu sorriso ao meu lado, deveria te pedir pra olhar as nossas conversas de dois meses atrás, onde a gente se tolerava e se resolvia. Cê disse que tinha adorado aquela nossa saída porque eu te fazia mais feliz do que qualquer outra pessoa já tinha te feito. Você disse que eu estava levando tudo a sério demais e tudo que você queria era me conhecer. Me conheceu. Eu não tive medo de te dizer os meus defeitos e falar sobre o quanto fui idiota nas minhas relações anteriores. Você disse que estava em um outro momento e mesmo que gostasse de mim não era o suficiente pra ficar. Foi difícil te entender.

Você disse que precisava conversar e começou com um: ”Eu até gosto de você, mas o problema é comigo”. Me falou que a gente já estava indo longe demais e que não queria me enganar, não queria que eu tivesse tantas expectativas. ”É melhor pararmos por aqui” foi a resposta que você me deu quando perguntei o que tinha acontecido. Você me deu mil e uma desculpas pra não ser minha. Disse que não queria se envolver só depois que eu já estava envolvido. Eu te disse que a gente poderia tentar, não custava tentar. A gente já se dava tão bem, parecia tudo tão certo. Te pedi pra conversar, implorei pra te ver. Mas a última conversa que tivemos foi por mensagem, terminou com um: ”fica bem”. E doeu, pra caralho.

Fiquei péssimo, mas passou. Te superei e aceitei que se não foi com você, um dia, será com alguém. Depois do dia que você se foi, a tua ausência me ensinou um bocado. Eu achava que os amores verdadeiros eram apenas aqueles que permaneciam ao nosso lado, mas me dei conta que os amores sinceros também são aqueles que permanecem dentro da gente mesmo depois de terem ido. Que existem pessoas que entram na nossa vida e bagunçam tudo ao irem embora, e existem pessoas que passam por nós, que nos ensinam muito mais do que achávamos saber, que somam e nos apresentam novas ideias, manias e lugares pra vida. Queria que soubesse que você faz parte da segunda fatia. É fácil sumir sem prestar socorro, aconselhar que o outro fique bem quando na verdade, você sabe que não vai ficar.

Difícil é olhar nos olhos. De todas as lições que aprendi com tudo isso, a última e não menos importante, é que eu jamais seria capaz de dar adeus pra alguém sem nem olhar nos olhos dela.

*Gostou do texto? Deixe seu comentário. Sua opinião é muito importante pra mim.

19 comentários

Tenho 24 anos, apaixonado por cafés, seriados e filmes de romance, mas amo cervejas e novelas se houver um bom motivo pra isso. Dramático, intenso e extremamente intuitivo. Leio horóscopo, sorrisos e corações partidos. Escrevo sobre casos, por acasos e acasos do amor, sobre boas lembranças e péssimas escolhas.