Artigos do autor

 


Por que esse faz de conta todo pra dizer o que sente? Por que essa enrolação sempre que o assunto é assumir? Por que disfarçar aquilo que todo mundo já percebeu? O que te prende? O que te amedronta? É fácil, eu estou disponível, eu estou a fim. Eu não tenho medo. O que te faz pensar que não vai dar certo? Eu tenho respostas, me pergunte. Eu tenho vontade, aposte. Esqueça as chances, os contrários, os opostos. Por que você pensa tanto?

Eu tenho dois motivos: eu estou concentrada no seu cabelo bagunçado, enquanto eu faço cálculos que mais se parecem com a minha cabeça – confusos. Eu estou até disposta a ler coisas que eu não quero só para ter a certeza de que eu estou certa ou errada de uma vez. Eu não vou me controlar, não depois daquele jeito que você me olhou semana passada. São dois motivos meio complicados, meio incertos demais e quase se confundem com os logarítimos no meu caderno. São motivos tortos, avessos, parecidos com a minha vontade, mas eu não vou deixar passar a chance, o papel e a caneta à minha frente e você bem do lado, esperando uma atitude minha.

Tá tudo bem, eu não me importo em ser julgada, nem por você, nem por ninguém. Eu não me importo em não ser correspondida. Na verdade, eu estou até um pouco acostumada com isso. O que eu quero é uma resposta, algo que me faça tentar ou desistir de vez. Eu quero um relacionamento, quero entender essas garotas idiotas que conseguem ser românticas o dia inteiro, que andam de mãos dadas e trocam presentes em certas datas. Eu sei, estou sendo patética, ridícula, mas do contrário não seria eu. Aliás, como várias coisas que você não sabe sobre mim, eu tenho mania de escrever cartas ridículas como essa – que estou a ponto de desistir de entregar. Só queria que você soubesse que se tudo que eu acho que você sente for verdade, eu estou aqui te esperando (e provavelmente pensando em você). Estou aqui fazendo planos, escolhendo os nomes dos nossos filhos e a cor da parede da nossa cozinha. Brincadeira! Mas, ei, eu tenho as respostas, só preciso ouvir as suas. Senta aqui do meu lado, vamos conversar. Vamos fazer isso tudo começar, porque dentro da minha cabeça já não cabe mais. Ei, eu te entendo, eu sei como dar um passo pro desconhecido é ruim, como todos os sentimentos são vagos, mas eu tô aqui, te esperando, eu te ajudo. Ei, para de fingir que não sabe o que sente e começa a agir. Eu sei que posso estar me precipitando em pensar demais, mas nós podemos estar perdendo um mundo de coisas, bem do jeito que a gente quer.

Não sei se é a minha sina, mas ver você sair dessa mesa e não ter falado nada, me fez desistir de entregar a carta. Demorei demais? Pensei errado? Essa seria a resposta que procuro? De toda forma, continuo nesse círculo vicioso que não me leva a nada e essa é só mais uma carta que vai ficar empoeirada numa estante, esperando para ser lida depois de muito tempo e esperando eu me arrepender de cada coisa que eu falei. Ou não.

Aline Bérgamo adora falar (até demais), escrever e sonhar. Está tentando ser mais desapegada, vamos ver se escrevendo aqui ela consegue.  
19 comentários

 

Você demora, puxa o freio de mão, fica estagnada, mas uma hora ou outra acaba percebendo que não é pra você, não foi feito pra você ou não quer saber de você. Vai ser cruel, mas vai passar. Vai estranho, mas não é o fim do mundo. Você deve ter algumas amigas, deve haver uma outra pessoa, algo pelo qual o seu coração palpite, você vai conseguir encarar. Vai ser novo, vai ser frio, vai ser duvidoso e complicado, mas ninguém disse que a vida seria fácil mesmo. Vai ser como uma chuva indesejada, vai bagunçar o seu cabelo, vai te arrancar lágrimas. Você vai se esconder embaixo de um cobertor e vai pedir que o mundo acabe, mas você vai conseguir.
 
Vai ser constrangedor, quando você vir aquela pessoa que não quer ver ou lembrar que ela existe, mas pense nas possibilidades de se conhecer e ver até onde pode lidar com seus próprios sentimentos. Vai ser intenso, mas você vai aguentar. Vai ser diferente, seu telefone não vai tocar e não vai ter o boa noite de sempre, mas você tem aquele filme ou aquele livro pra ler e nem precisa disso mesmo. Você vai se sentir sozinha, mas deletar todas as músicas românticas da sua playlist pode ajudar. Você vai precisar de roupas novas, quem sabe de um cabelo novo e vai precisar de paciência e muita disposição pra apagar as fotos, jogar fora tudo que te faça lembrar aquilo que você quer esquecer.
 
Seu coração vai estar meio quebrado, mas você não é obrigada a consertar tudo no mesmo dia, afinal quem nunca deixou pra arrumar a bagunça depois? Só tente não pensar, não trazer de volta aquilo que deve ficar no passado. Aliás, nem pense que existe um passado, encare a vida como um hoje e um amanhã, o ontem só servirá quando você puder olhar com outros olhos pra toda essa situação, olhos de "ainda bem que cheguei até aqui".
 
Se existisse uma lição perfeita para o fim seria: compre alguns lenços, chore até uma semana, coma muitas guloseimas e até esqueça de lavar o cabelo, mas reapareça com toda essa força que você nem imagina que tem e mostre que o melhor está em você, seja qual for a situação, você sempre sairá ganhando – só é perdedor quem aceita essa condição. Levante a cabeça, faça as unhas, use uma maquiagem e sempre siga em frente.
 
Só é amor quando faz bem, quando não machuca de forma alguma. Se machuca, não faz bem e não é amor. Se não é amor, pra quê perder o seu tempo? Pra quê chorar por situações mal vividas e mal resolvidas? Pra quê? Às vezes, cair fora pode não ser o mais fácil, mas, com certeza, é o melhor. 
22 comentários

Como funciona a cabeça de uma mulher é o x de uma equação pra qualquer homem. Eles vivem falando que somos indecifráveis, que somos imprevisíveis e previsíveis ao mesmo tempo etc. Mas será que eles realmente já pararam pra nos entender? Na verdade essa é uma questão bem óbvia se eles fossem atentos às nossas atitudes, não é mesmo? Então, vamos pelo caminho mais fácil: o que nós não queremos. As 10 coisas que odiamos e que, por favor, não façam. Se começarem por aqui, já é meio caminho andado.

1 – Não queremos incompreensão;
É claro que não podemos ter compreensão sempre, que nenhum homem é perfeito e que as coisas não são como queremos (ainda), mas não custa nada ser mais compreensivo, se colocarem em nosso lugar mais vezes.A pior coisa de em um relacionamento é quando as pessoas, agindo de forma egoísta, não entendem o drama alheio. Você está na TPM, tem mil coisas pra fazer, (você acha que) seu cabelo está péssimo e ele insiste em repetir sem meias palavras que tudo não passa de drama, de mimo. Tem coisa pior que isso?

2 – Não queremos rosas, queremos rosas e mais alguma coisa;
Nem 8, nem 80. Ser romântico é legal, mas achar que tudo se resolve com flores é engano. Toda mulher gosta de receber a tenção devida e suas atitudes sempre vão valer mais do que qualquer presente ou flores que você possa pretensiosamente enviar. Palavras, comportamentos, isso sim pode ser muito em seu favor.

3 – Não queremos ciúmes com as nossas roupas;
Sim, nossos vestidos/shorts/saias são curtinhos e aí? O decote tá muito grande? O quê que tem? Cada  pessoa tem o seu jeito de vestir. Tudo bem que criticar os excessos até que compreendemos, mas criticar tudo e sempre? Nos deixem ser felizes com nossas escolhas, ter o nosso estilo. Tentar padronizar sua namorada não vai fazê-la feliz. E compará-la com aquela amiga da faculdade/escola ou com qualquer outra pessoa também não. Quem gosta de comparações? Ninguém.

4 – Não queremos ciúmes com as nossas amigas
Vocês tem os amigos de vocês, ok. Nós também temos nossas amigas e precisamos delas muito mais do que vocês. Precisamos de uma amiga sempre ali nas mensagens pra nos socorrer, precisamos ficar 1 hr no telefone com elas reclamando sobre nosso dia, precisamos ir no cinema ver desenho animado e relembrar quando éramos duas crianças, precisamos ir ao clube pegar sol e ler revistas de fofocas. Não tem coisa mais insuportável que homem que não aceita nos dividir com as amigas, e acreditem, existe.

5 – Não queremos grosserias que vocês dizem ser apenas coisas de homem;
Homem é assim, tem várias escapatórias para as suas atitudes. Se é mulherengo demais, é porque é homem; se gosta muito de farra, é porque é homem, se é grosso demais ou insensível, é porque é homem e homens não são sensíveis. Mentira. Todas as pessoas podem ser sensíveis, amáveis, é uma questão de personalidade e não de gênero. No final das contas, a pessoa só precisa aprender que todas as mulheres gostam de ser bem tratadas, sempre com respeito e atenção. Nós não somos aquele amigo da pelada que vocês chegam dando tapinha nas costas. E aquele palavrão que você pensou em falar se referindo a nós ou alguma ofensa feita sem pensar, que tal pensar mais vezes antes de falar ou guardar apenas pra você?

6 – Não queremos os seus amigos convidando você pra sair (sozinho);
A mulher que fala que não sente ciúmes de seu namorado sair sozinho com amigos pra balada, festinhas etc não é muito confiável. Sim, porque, quem em sã consciência não vai sentir ciúmes de todos aqueles caras falando: “ah, ela não tá aqui, aproveita!” Tudo bem que nós não temos certeza se eles realmente falam isso, mas pensamos e isso é o suficiente pra ficarmos atormentadas. Você pode ser a mulher mais segura do universo, que ainda assim você vai ficar um pouco balançada.

7 – Não queremos amigas mulheres e grudentas;
Não, a reposta será sempre não. Você pode até ter aquela amiga de infância, aquela colega de classe, de trabalho, mas se é grudenta, nós jamais iremos nos conformar e iremos brigar e brigar sempre que aquela sms melosa chegar no seu celular. Ter uma amiga, ok. A gente sai junto, se diverte e eu juro que não vou ter ciúmes algum. Agora, ter uma amiguinha que te liga o dia inteiro e manda sms quando acorda já é demais, né? No mínimo ela está querendo ser mais que uma amiga, e isso, nós mulheres sabemos bem.

8 – Não queremos falta de romance e de emprego;
Caso quiséssemos amar uma parede ou uma pedra de gelo, certamente não escolheríamos alguém de carne e osso. Nós queremos romance, queremos um bilhetinho de vez em quando, uma mensagem surpreendente, um presentinho feito por você. Ah, nem é tão difícil ser romântico, vai. Queremos também um compromisso. Homens que são focados em sua carreira profissional dispertam mais interesse, são mais atraentes. Quando você vê que a pessoa pretende conseguir algo e não mede esforços pra isso, nasce uma admiração enorme, que vai além do amor e relacionamento. Você começa a admirá-lo como pessoa, o que é super importante na relação.

9 – Não queremos celulares que não têm a função atender;
Existe coisa mais irritante do que ligar pra alguém e essa pessoa não atender? Retornar a ligação, mostrar que está preocupado e interessado em saber o que está acontecendo ou não podia atender no momento e quer dar um explicação já são um grande passo. O grande recado é: atenda o celuar! Ou mande uma sms inesperada, quem sabe.. Nada conquista uma mulher tanto quanto uma sms de vez em quando.

10 – Não queremos mesmice;
Tudo bem que somos mesmo exigentes, mas quem não é? E sabemos que não podemos ter tudo isso de vocês, mas vamos tentando e quem sabem com o tempo podemos até ir conseguindo. É claro que todos têm um jeito peculiar e único de agir dentro de um relacionamento, mas nos denominadores comuns, esses defeitos saltam aos nossos olhos. Ninguém precisa ser perfeito dentro de um relacionamento, até porque não existe perfeição. Inovar de vez em quando, nos levar para conhecer um novo restaurante, assistir aquele filme de mulherzinha que você tanto odeia só para nos agradar, passar uma tarde no parque só porque você sabe que eu gosto de fotografia… Surpreenda. Acredite, nós mulheres não resistimos a isso.

Todos tem que tentar melhorar a cada dia mais, afinal, o relacionamento não é feito de uma pessoa apenas, são duas que decidem dar o melhor de si e viver o melhor do outro. Caso não pense assim, é melhor até ficar solteiro (a) do que acabar machucando alguém.


Alguém concorda ou discorda ou acrescentaria algo? 
17 comentários

 Post feito com trechos e baseado na música Somebody that I used to know (Gotye)


De vez em quando eu penso em quando estávamos juntos, em como quando você disse que se sentia tão feliz que poderia morrer… Às vezes eu ficava acordada olhando você respirar e achava tão mágico… Sabe, onde foi que eu errei? Se errei foi tentando acertar.  Disse a mim mesma que você era certo para mim, mas me sentia tão solitária na sua companhia.. Suas piadas foram perdendo a graça e seus bares favoritos eram os piores. E eu sequer gostava daquela comida que você fazia tentando me agradar. Por que insistir em algo que sabemos que não vai dar certo?

É engraçado o modo como você acaba se viciando em uma vida que não vai te levar a nada, você acaba se acostumando à pessoa que você julgou escolher corretamente e depois vem o tempo e esfrega tudo na sua cara: baby, era só um bad romance! Eu fui ficando viciada àquela rotina e continuava acreditando em todas as coisas que você me falava e promessas que me fazia. Mas não me julgue, você sabia mesmo como ser encantador.

Você foi cruel até demais, me fazia acreditar que estava sempre errada e adorava me ver pedir perdão; servir bebida pros seus amigos e sair pra comprar cigarros. Eu era como uma parte de você que você podia controlar. E estava sempre lá, ao seu lado porém sozinha. Contando os nossos aniversários e conferindo o seu celular. Sei que é tarde demais, mas eu cansei. Cansei de viver sendo uma metade, você não me completava.

Da minha parte era amor mesmo, desses que você conta pros amigos e escreve em alguma agenda ou desenha corações em lenços de papel. Eu admito que estava feliz até certo ponto, até certas atitudes, foi quando tudo acabou, quando descobri que por mais que eu me doasse, nada iria valer a pena. Nunca. Porque você mudou, você mentiu, você trapaceou. Você começou a usar frases prontas e nunca ligar na hora certa. Você foi ficando distante – ficando com outras. Você foi se tornando aquilo que prometeu jamais ser. Lembro-me ainda de quando estávamos bem e nossos dias eram iluminados com sorrisos. Lembro de todas as vezes em que não acreditei em mim mesma e você me ajudou a levantar. Lembro das nossas brigas e do jeitinho com que você pedia desculpas…

Hoje você é apenas um estranho, alguém que não me incomoda e que está presente apenas num passado remoto que ainda não esqueci para poder me manter equilibrada e ciente daquilo que quero. E do que não quero. Hoje você é só mais um desses que ficam rodando as mentes alheias, mostrando o quanto são indispensáveis. Hoje você é só alguém que eu costumava conhecer…


Aline Bérgamo fala demais, sonha demais, escreve demais e se diverte com isso. Comanda o blog Nunca Fui Miss onde todas as misses são proibidas de entrar.

27 comentários


– Você me prometeu que nunca iria embora! 
– E você me prometeu que nunca me deixaria ir…
(Quase sem vontade de continuar, eu tive que me justificar.)
A verdade é que eu nunca quis mesmo ficar aqui, vivendo essa história. Porque só gostar não é suficiente. Você intangível, sempre correto. Eu sempre quis mesmo deixar tudo pra lá… Imagina como seria viver à sombra da vida de alguém? Eu sei, porque vivi a sua vida por muito tempo. Seus amigos, seus lugares, sua família. Até que um dia senti vontade de ter minhas próprias coisas, meu próprios amigos e meu cartão de crédito. Durante muito tempo na minha vida achei que o meu maior sonho fosse encontrar um grande amor e viver tudo ao lado dele, depois que encontrei você descobri que na verdade o meu sonho era ser livre. Não que um relacionamento seja algo ruim – eu até gostei de trocar presentes e deixar bilhetinhos no meu lado da cama – eu só queria mesmo era conhecer o mundo, sabe? Tinha cansado de sentir saudades de coisas que nunca fiz, que nunca comi. Ter um relacionamento comigo mesma. 
Não imagino que o tempo será cruel comigo e me castigue, também não acredito que eu vá querer voltar todos os dias. Por hora, está tudo bem. Se essa história de me preocupar demais com o amanhã for me impedir de viver o hoje, prefiro não me preocupar. Prefiro deixar tudo pra lá, de novo… Sabe uma criança que acabou de aprender a andar de bicicleta? Eu estou me sentindo assim. Deixar de viver a sua vida me fez entender que eu tenho uma. Parece meio cruel, mas nem eu sabia o quanto era carente. É, eu não tinha noção das coisas que fazia ou falava, parecia um robô, um bonequinho de corda que obedecia todos os seus comandos. 
Ah, vai dizer que você não ficou nem um pouco feliz por mim? Pela minha independência? Aposto que fiquei muito mais atraente. Agora eu tenho créditos no meu celular e posso pagar o seu ingresso do cinema. Eu não quero que tudo acabe mal ou que você me odeie pra sempre. Quero que você entenda os meus motivos e não me peça pra ficar. Eu ainda amo você, mas hoje em dia eu me amo mais…
22 comentários

Existem bilhões de pessoas no mundo e sempre encontramos aquelas que são pessoas de si mesmas. Explico: quando nos dedicamos a algo, nos tornamos parte daquilo, certo? Há aquelas que se dedicam absurdamente aos livros, aos sonhos, ao relacionamento… e existem aquelas que só vivem para si, para o seu mundo. Sozinhas. Essas pessoas estão 100% ligadas à sua solidão. Elas não criam laços, não gostam de fazer amigos e não se relacionam às vezes por medo, por terem se decepcionado de algum modo ou mesmo por algum complexo de inferioridade.

Estar sozinho não é algo ruim, inclusive, a companhia que você mais deve amar é a sua. O problema é quando nos tornamos esse tipo de pessoa, pessoas sozinhas, que não aproveitam a vida porque estão sempre trancadas em um mundo e não permitem que ninguém se aproxime. Dentre esse grupo, ainda existem aquelas que até querem um relacionamento, mas, por estarem a tanto tempo vivendo isoladas, não conseguem agir ou então nem sabem como agir. Vamos tentar sair dessa bolha com algumas dicas.

Faça amigos. Pessoas felizes geralmente estão rodeadas de amigos. Amigos são aqueles que nos ajudam nos momentos difíceis e fazem os momentos felizes ficarem ainda mais incríveis. Ter amigos é tão fundamental quanto nos alimentarmos todos os dias, porque amizades são como alimentos pra nossa alma. Nos tornamos pessoas melhores quando aprendemos a compartilhar momentos e conquistas com outras pessoas.

Perca a timidez. Treine na frente do espelho ou assista seriados que tenham a ver com você. Ver situações cotidianas na tv costuma a nos ajudar a lidar com probleminhas do dia a dia. O medo de nos comunicarmos com outras pessoas geralmente surte esse efeito, o isolamento. Ler livros, jornais, revistas e até sites vão te ajudar a ficar bem informada e até ter o que conversar. Não é chato quando você está entre várias pessoas conversando e não consegue interagir porque não sabe sobre o que estão falando? Reserve um tempo do seu dia para estudar coisas novas e você vai perceber uma grande diferença.

Mude o visual. Nem todas as pessoas precisam cortar ou tingir o cabelo para se sentirem renovadas. Às vezes, comprar roupas de outras cores, arriscar uma mini saia ou deixar o tênis de lado e por um salto alto podem fazer verdadeiros "milagres psicológicos" na sua vida. Usar um esmalte diferente, colocar uma maquiagem (e vale até tentar usar maquiagem sempre) podem te fazer se sentir outra pessoa e uma pessoa melhor. Quando você ama o que vê no espelho as coisas andam perfeitamente bem.

Compartilhe o que sente. Não há nada pior do que estar fervendo de emoções por dentro e não ter ninguém para compartilhar. Escolha uma pessoa de confiança e comece a pedir conselhos, a desabafar. É como se tirassem um peso das suas costas, você vai ver. E se você ainda não conseguiu um amigo sequer para colocar em prática, tente escrever em uma agenda ou um blog anônimo. São ótimos remédios para a mente.

Mantenha as pessoas por perto. Reclamar o tempo inteiro, colocar os outros pra baixo, ser pessimista etc… são o tipo de coisa que só irão afastar as pessoas de você. Tente ver a vida como um copo meio cheio: ao invés de ver apenas as coisas ruins, veja algo bom em cada coisa que acontece com você, algo que você aprendeu. Elogie mais e até ouça aquela música que não gosta só para ver alguém feliz. Ser amigo é, além de tudo, vibrar com a felicidade dos outros, mesmo que você nem esteja tão empolgado no momento.

 

A internet tem esse efeito de deixar as pessoas mais isoladas, apenas observando o que acontece fora de seus mundos e acabam observando tanto que esquecem de viver intensamente suas próprias vidas. Tenha em mente que sair dessa bolha que você possa estar vivendo nem é tão difícil, basta você querer.

E lembre-se: construa pontes, não muros.
19 comentários

Foram todas as tardes até você voltar. Eu colecionava os selos das cartas dentro daquela caixa em que guardava nossas fotos. Foi estranho quando você me disse que teria que ir. Eu não acreditava que o amor e saudade pudessem machucar tanto, até que experimentei. Todas as minhas façanhas pra esconder que eu estava sofrendo não me ajudavam, eu estava vulnerável, fraca e as pessoas perceberam. A dama de ferro não era mais dama de nada e nem de ninguém. Estar sozinha não parecia ser algo tão difícil, até eu ter que viver cada momento daquela solidão infinita.

As amigas, a música alta, o cigarro – desculpa, eu tinha que me virar – nada, nada me fazia esquecer a nossa noite de promessas e planos mirabolantes. Muito bem bolados, inclusive. Nossas alianças feita com pedaços da sua camisa de banda, o meu buquê feito de escovas de cabelo… Parecia tão presente, eu parecia sempre estar vivendo aquilo novamente, a cada carta, a cada ligação, a cada música nova no rádio. Você bem que podia ter jogados os vídeos fora, eles deixavam tudo ainda mais difícil.

Dançar na frente do espelho e imitar você pra minha própria imagem virou rotina. Eu parecia meio louca, parecia meio apaixonada demais. Mas assim mesmo que eu me sentia. Mas como pude, como eu? Passei a deixar essas perguntas pra lá e me entreguei. É, eu me deixei totalmente presa ao que o futuro e a nossa distância traziam pra mim. Pegava o carro e ficava fingindo ir te encontrar, usando a aliança, cantando bem alto e com as lágrimas escorrendo pelo meu rosto. Que boba. Eu sempre dirigia de volta pra casa, o meu medo era maior do que a minha saudade. O medo da sua vida nova, das pessoas que você conheceu, das suas novas camisas de banda. Eu tinha medo de uma garota mais madura e decidida do que eu roubar a sua atenção, eu tinha medo de ela saber o outro idioma que você tanto tentou me ensinar e eu nem dei bola.
Medo de você ter mudado o cabelo e ter mudado tudo, até o seu sotaque, sei lá… Medo de você não estar guardando as suas cartas, de não estar colecionando os selos dentro da sua caixa de fotos.

Até que você me ligou no dia 23 de julho. Eu estava sentada naquela cadeira de balanço da minha casa, lendo algum livro de poesias – é, eu nunca fui tão romântica -, parecia cena de algum filme com mocinhas abandonadas por um malfeitor. Desses que roubam toda a inocência delas e vão embora, sabe? Foi engraçado. Eu levantei correndo e te chamei pela primeira letra do nome. Na verdade, não me lembro muito bem da nossa conversa, só me lembro da parte mais incrível dos últimos 2 anos: você voltaria. Você voltaria pra cidade, para aquele barzinho às quintas-feiras e pra mim, pro meu lado. Parecia coisa de outro mundo, mas não, era o meu mundo ficando completo novamente.

Sabe, eu duvidava que isso funcionaria. Eu não acreditava em pessoas que continuam se amando a milhares e milhares de quilômetros. Mas aconteceu comigo e no final deu tudo certo. O meu final está sendo todo o meu futuro, que com certeza será lindo, será mágico. Agora precisamos de alianças novas, a minha já está velha e perdendo a cor. Ainda bem você não desistiu e cumpriu todas as suas promessas.

Ainda bem que você voltou. Só me promete que dessa vez é pra ficar.
41 comentários


Hoje me perguntaram se eu acredito que relacionamentos duram para sempre. Claro que eu já tinha uma resposta pronta, um sim bem politicamente correto pronto para os quatro cantos do mundo ouvirem. Crescemos com essa fantasia de que devemos ser boas garotas para, quando na idade certa, encontrarmos o príncipe encantado sermos felizes para sempre. O que nunca nos ensinaram, é que o príncipe encantado às vezes pode não ser tão encantado assim e que nós desistimos de ser princesas quando descobrimos isso. 
Pensando por dois parágrafos antes de apertar o enter, mudei toda a minha conclusão para um “Quer saber? não”. Relacionamentos não duram para sempre, porque nós não duramos para sempre. O que você pensou ontem, pode não ser o que você irá pensar amanhã ou agora mesmo. Você muda de ideia e muda de sentimentos, de vontades. O que deve importar é o hoje. Você manteria um para sempre se hoje estivesse ruim? Bom, a maioria das pessoas não. É isso que penso sobre os relacionamentos hoje. Se preocupar com o futuro de algo impede que você viva com intensidade o hoje. Se preocupe em fazer com que suas atitudes deixem o seu relacionamento bom agora e o futuro melhor será consequência.
Planejar um futuro ao lado de alguém é saudável, faz bem, motiva. Mas viver uma vida a dois tranquila é melhor ainda. O para sempre se constrói a cada dia, a cada erro, a cada acerto. A cada chance de recomeçar que você dá para alguém.
Mas e as crises? Elas existem. Devo jogar tudo pro alto? Não. Histórias de amor que não suportam as crises não são histórias, são estórias, fantasias. Procure não se enganar e perceba a tempo se o que você quer é isso mesmo. Costumo pensar que sempre que a vida nos põe à frente de duas portas, é porque quer testar a nossa habilidade e paciência, para saber se seremos capazes de escolher a porta correta pela qual temos que entrar. Um teste é sempre um aprendizado, uma conquista. As crises sempre serão um teste, sempre terão um proveito. Superar tudo isso é ter a certeza de que se todos os dias forem incríveis o para sempre com certeza irá acontecer.

Agora, sempre que me fizerem essa pergunta, vou responder com a mais absoluta certeza: “se relacionamentos duram para sempre? Sim, se você quiser.
22 comentários


Poderia ter dito todas as coisas que você gostaria de ouvir, poderia ter comprado aquela bala que você gosta e usado aquela blusinha lilás que você me comprou. Poderia ter guardado aquele porta-retrato com a nossa foto e não ter jogado fora aquelas flores (artificiais) que você trouxe com um pedido de desculpas. Eu poderia sim ter guardado as cartas, as fotos e aquele cobertor colorido que você sempre usava. Eu poderia ter tentado não ver os seus defeitos e aceitar suas declarações com um bilhete no meu criado mudo. Eu poderia ter ouvido sempre as mesmas músicas, visto sempre os mesmos programas e até comer no mesmo restaurante todos os dias. Mas eu escolhi o contrário. Escolhi ouvir as músicas que eu quero e assistir qualquer porcaria na TV; dormir com qualquer cobertor e usar a blusa que eu quiser. Escolhi não aceitar suas desculpas e rasgar todos os bilhetes e cartas. 

Eu sei que escolhi bem. Escolhi a mim. Escolhi um tempo que sei que não será perdido; e, se for, será apenas por minha causa. Eu não vou te culpar pelas minhas escolhas, vou te agradecer por me mostrar que as pessoas não são sempre aquilo que esperamos e que não podemos nos entregar por completo a quem nos dá apenas a metade. E aprendi tanta coisa. Aprendi a escolher discos e usar as minhas próprias roupas pra dormir. Aprendi a amar a minha companhia e não confiar mais em elogios, acredito apenas no espelho. 
Foi o melhor, foi o mais seguro. Nossas vidas estavam tão distantes, mesmo tão próximas… Nossos amigos tinham se perdido e nossas vontades nunca eram iguais. Eu pensava em nós e você pensava em apenas 
você mesmo. Nunca te julguei, não desse jeito. Eu sempre acreditei que pudesse ser diferente. Sempre preferi acreditar que estava tudo perfeito (quando na verdade não estava). Foi necessário.
Guardei apenas uma foto. Daquele dia em que fomos ao parque e compramos bebidas, ficamos olhando para o céu e fazendo planos. E sabe por quê eu guardei? Porque quero lembrar todos os dias de não fazer planos nos quais eu não esteja incluída. Percebi que aqueles planos eram os seus, percebi que aquela era a sua vida e que eu estava perdida nela. Percebi que quero estar comigo antes de estar com alguém. Não corro mais riscos por confiar. Eu não confio mais. Em ninguém.
E guardei apenas uma música. Pra lembrar disso tudo e não me deixar repetir. 

Às vezes, confiar demais em alguém é deixar de confiar em si mesma. Esperar demais de alguém, pode fazer você se decepcionar bastante e perder muito tempo. Nunca viva sua vida esperando que alguém que você goste faça tudo que você quer, porque isso nunca acontecerá. Em algum momento, você irá perceber que esses planos são impossíveis e que sentimentos mudam. Nunca corra o risco de perder você.

33 comentários

Corremos diversos riscos todas as vezes em que nos apaixonamos por alguém, mas nenhum é tão grande quanto aquele que você corre quando se apaixona por um amigo. O amor começa com uma amizade, deve ser baseado nela e mantido por ela. Ok, essa parte todos nós sabemos. Mas sabemos também que caso esse romance não dê certo, você corre o maior risco de todos – o de perder um amigo, um companheiro, uma pessoa que estaria alí quando você precisasse.
 
 
 

Como identificar que você corre esse risco? E como lidar com isso? Vamos ver agora!

 
Nem tudo é o que parece ser.
Não escolhemos por quem iremos nos apaixonar, mas as nossas atitudes, sim, essas nós controlamos.
Até que você tenha certeza do que sente e se realmente é por aquela pessoa, controle-se. Deixar a entender algo que você nem sabe mesmo se existe pode botar a perder os momentos descontraídos entre vocês e te deixar pra baixo toda vez que ele falar de outra pessoa.
 
Situações que não existem, não existem.
A maioria de nós que já amou platonicamente sabe como é fácil inventar as situações mais bizarras pra achar que a pessoa sente o mesmo por nós. Uma conversa em uma rede social, uma piscadinha de olho, um beijo no final de frase, nada disso quer dizer que a pessoa gosta ou está começando a gostar de você. Ela pode simplesmente estar sendo ela mesma ou sendo legal. Imaginar que o que você sente está sendo correspondido quando de fato não está é uma das piores formas de lidar com um sentimento. Seja realista, enfrente as situações como elas são e não crie expectativas sempre. Não confunda uma atitude normal com segundas intenções.
 
 
Todo mundo percebeu, menos ele.
A conversa já não é mais a mesma, você não se sente mais a vontade para compartilhar com ele os seus segredos e medos, você quer se mostrar apenas uma pessoa interessante, que usa roupas legais e está sempre maquiada, com os melhores papos possíveis. Você não é mais espontânea e ele irá perceber. Aliás,
todo mundo já percebeu que algo está diferente entre vocês, todo mundo percebeu o clima. Nesse caso, o pior não é o fato de ele não ter percebido, mas sim todo mundo ter notado o seu sentimento e não saber lidar com essa situação, aí além de você estar diferente, todas as outras pessoas da sua turma também vão ficar.
 
 
Ele começou a namorar outra.
O seu mundo vai desabar. Vai ser mais um daqueles momentos em que tudo que você quer é sumir, todas as coisas perdem o sentido e blá, blá, blá… Ah, aí a amizade vai acabar também. Você irá torcer para que tudo dê errado, vai começar a se martirizar com a pergunta "o que ela tem que eu não tenho?". Vai precisar de alguém para desabafar e essa pessoa que você precisa para te ouvir é ele. Nessas horas você percebe que poderia sim ter se controlado, que poderia sim ter ouvido alguma música eletrônica ao invés de uma romântica enquanto trocava sms com ele. Percebe também que na sua vida, tudo que acontece é fruto do que você escolhe excluir ou manter nela.
 
 
É ele quem gosta de mim.
Não se desepere, essas coisas podem mesmo acontecer. Manter a calma e deixar claro aquilo que você quer é fundamental. Não alimente expectativas na pessoa se você não quer nada com ela. Fazer o papel de cruel não está com nada se o cara for seu amigo e você quer que continue assim. Perceba se há uma chance para conversarem e exponha aquilo que você pensa – esse pode ser um ponto fundamental para o cara desencanar e ver que está mesmo enganado. Sinceridade é tudo, pessoas detestam ser enganadas.
 
Não quero correr esse risco. 
Nada de ficar na dúvida! Já parou para pensar que todos os relacionamentos são assim? Que você nunca sabe o que te espera? Namorar um amigo pode ser ruim, mas namorar qualquer outra pessoa também pode ser ruim. No entanto, apostar as fichas pode ser mesmo perigoso e se você não é aventureira, nem tente, não arrisque. Um amigo é, às vezes, muito melhor que um amor.
 
Ter alguém que te faz rir, que te compreende, que te suporte nas suas TPMs e crises, que ouça você falar do seu namorado e reclamar da vida é fundamental. E isso, só um amigo faz por você. Te aceitar do seu jeito, sem se importar que roupa você está usando ou se está maquiada e perfumada, só um amigo faz por você. A amizade é um amor que nunca morre – pensem nisso.

 

28 comentários