Não sei se sou só eu, mas eu acho que amizade é negócio muito sério. Eu não acho que a gente se entrega para qualquer um assim, se abre totalmente, conta nossos maiores medos e angústias, se põe a disposição integralmente para ajudar quando for preciso. Amizade é sério! É aquele irmão ou irmã de alma. Você pergunta se a pessoa está bem já sabendo a resposta, você já sabe o que a pessoa acha de qualquer coisa só de olhar para a cara dela, você abre a porta da geladeira da casa dela, você tem uma segunda família. Tudo isso por que existe cumplicidade, existe um relacionamento sincero ali, e diferente do amor você não tem todas aquelas obrigações e comprometimentos, é mais fácil administrar a amizade, e eu diria que diferente de um(a) namorado(a), a amizade a gente obrigatoriamente precisa ter!

Dito isso, me pego aqui contando o tanto de meses que já se passaram desde que você começou a namorar e esqueceu que eu existo! Sério, a essa altura achei que você já havia superado essa coisa de começar a namorar e sumir do planeta Terra. Todo mundo entende que relacionamentos nos mudam, transformam totalmente a nossa rotina, boa parte das vezes. Mas não é por isso que você tem que esquecer que tem amigos, viu? Porra! Eu não vivi uma década ao seu lado te dando apoio nos piores momentos da sua vida para você me abandonar por mais um namoradinho do álbum de figurinhas, eu estou colecionando, e sinceramente não sei mais quanto eu aguento essa coisa sua de sumir e só voltar quando convém. Sabe por quê? Por que isso não é amizade, querida. É falsidade!

Lembra todos os filmes que vimos juntos no sofá da minha casa? Todos os filmes do Harry Potter que vimos juntos no cinema? Toda nossa saga de domingos chuvosos, de tomar açaí e assistir um terror com pipoca e Coca-Cola? Você se lembra disso tudo? Talvez lembre quando descobriu que seu antigo ex-namorado estava te traindo e ficou paranoica, e eu estava lá, do outro lado da linha te acalmando, e cinco minutos depois na sua casa, te abraçando, segurando suas lágrimas como o excelente amigo que eu sempre fui (modesto eu não sou mesmo, kiridinha!). Não há uma camisa no meu guarda roupa que não guarde uma lembrança de uma lágrima sua! Não há uma roupa sua que não guarde um resquício de um perfume meu! Eu te dei todo meu amor, você me chamou de melhor amigo, e eu tolo, acreditei! Porque você desistiu?

Sei que já faz tempo, às vezes sinto falta da sua presença na mesa do bar, mas também sinto raiva! Sinto ódio de te ver tão longe, fingindo que tudo está perfeitamente normal. Sinto vontade de por fogo na sua casa! E essa dor, eu sei, é só a prova irrefutável de que eu ainda te amo e estou com saudades. Seu namorado deve ser um cara bacana (Pra você sumir assim! Pra durar o tanto que já tá durando, geralmente acaba num suspiro, né mesmo?), eu espero que você esteja feliz, espero que ele te trate como você merece, espero de coração que ele enxergue em você ao menos metade da pessoa especial que eu vejo! Espero que ele veja filmes com você nos domingos chuvosos, que ele faça a pipoca e te conte piadas, que ele te abrace quando você precisar, que ele te mande mensagem de madrugada dizendo o quanto ele te ama! Espero que vocês sejam felizes, assim como nós fomos todos esses anos. E caso não seja, não tem problema! Eu ainda vou estar aqui. Tem gente que diz que eu sou muito idiota de deixar você entrar aqui a hora que quiser e fazer o que quiser com o meu coração. E eu não posso culpa-los, né? Mas acho que também não entenderiam o tamanho do mundo que foi construído aqui, as histórias que foram contadas e narradas por nós dois. Sei que você está longe, mas sei que você não esquecerá nunca, por que esse filme nosso faz parte de quem somos hoje! Obrigado por essa amizade linda!

Qualquer hora você vai tocar minha campainha, eu sei! Espero que não seja por que você precise de ajuda (Eu não negaria, mas sinceramente espero). E quando tocar sei que os sorrisos vão ser como sempre foram. O abraço vai ser aquele abraço gostoso de sempre, e de repente tudo estará novamente como sempre foi. A gente vai por o papo em dia e vai tomar uma breja num show de rock, vai acordar sem voz e com mais uma ótima história para contar. Saudades, meu amor!

0 comentários

24 anos, engenheiro civil por formação e escritor por paixão. Adora uma boa leitura, séries e filmes. Exagerado, admirador do cotidiano e péssimo escritor de perfis.

Este artigo não possui comentários