voce-foi-demitido-da-minha-vida

Eu não sou daquelas que se desapega fácil do mesmo jeito que se apegou. Não, eu me agarro à memórias, à pessoas, à risadas. Sou difícil de ir embora, de pegar as malas, acenar um “adeus” e te deixar na porta me vendo partir.

Mas sou fácil de partir ao meio, sou uma caixa de papelão com um enorme adesivo que me nomeia frágil, pedindo por favor, para você ter cuidado quando me carregar por aí. Eu quebro como vidro, mas não te corto. Não machuco sua pele, deixo que o sangue que escorre seja somente meu.

Eu não sou de guardar rancor, porque no meu coração enorme, só tem espaço pro amor. Não sou daquelas que consegue fingir que você não existe se esbarrar com você na fila do cinema, não mesmo. Eu derrubo a pipoca, a coca, e capaz de até cair em cima de você só no susto. Não sei fingir não sentir o que eu sinto. 

E é por isso que eu te digo que vá devagar quando for me atropelar com tudo, porque eu posso não me recuperar da batida. Pode ser que eu te desculpe pela milésima vez de braços abertos SE você merecer, mas não é porque não gosto de ir embora, que eu não aprenda o caminho.

Foi você quem não leu o recado escrito na minha testa que dizia que a minha confiança era ouro e que você deveria guardar à sete chaves. Quando eu amo, eu amo até o fim. Você quis testar minha quilometragem, descobrir a área da minha paciência e bem, chegamos. 

Você queria ser o primeiro na linha de chegada? Palmas para você, medalhas e até um pódio para você subir. Mas eu? Eu vou sumir. Sabe o papel que você desempenhava na minha vida? Pega e rasga, te juro que não vou me importar nem um pouquinho. 

Não te dei meu coração inteiro para você estilhaçar. Arque com as consequências das suas ações precárias enquanto eu dirijo pra outro lugar mais bonito e bem longe de você, já que subestimou tudo que era meu.

Vou contratar alguém que saiba bem do que vai cuidar, porque você foi demitido da minha vida e não tem prazo pra voltar. 

  

6 comentários

19 anos de muita história para contar, autora do blog duzentaslinhas.com.br, residente do país das maravilhas e escritora nas horas vagas - nas outras também. Geminiana, sonhadora, avoada, estudante de psicologia, especialista em matérias impossíveis e completamente apaixonada por pessoas, flores e tudo que há de belo no mundo. Acredita em fadas, sereias e em um amor que cura todos os males. Quer conversar comigo pelas redes sociais? Fácil, só me chamar em @duzentaslinhas  Ou quer desabafar secretamente? Me chama no snap duzentaslinhas ou pode me mandar sua história pelo e-mail duzentaslinhas@gmail.com (juro que sou boa em conselhos)  

Deixe seu comentário

  1. yasminResponder

    ai amei esse texto

  2. Gabriela GomesResponder

    Tudo que eu precisava ler! As palavras me passaram um sentimento incrível, de segurança e lealdade… Com certeza descreveu muita coisa que está acontecendo na minha vida e ahhhh, como é bom ver que outras pessoas passam também e conseguem superar!!! É um texto “gostoso” de ler, amei. Parabéns

  3. RaianneResponder

    Nenhum outro texto me descreveu tanto em pessoa e nas atitudes que tomo, amei

  4. Thayane AmaralResponder

    Esse texto descreveu o momento que estou passando agora. Difícil superar porém não é impossível, depois de ler suas sabias palavras me sentir uma pessoa mais forte e com coragem para seguir em frente e arrumar alguém que realmente me valorize. Parabéns !

  5. GabyResponder

    Olá, tudo bem?
    Venho há algum tempo acompanhando o seu blog e tenho buscado seguir tudo.
    Namoro 3 anos com uma pessoa e ele era maravilhoso, me ajudava em tudo, fazia tudo por mim, mas tinha o defeito de nunca admitir os seus erros. Era grosseiro, me magoava mas sempre dizia que não estava nem aí, que se eu não gostava era problema meu, que se tivesse insatisfeita que caísse fora… Enfim, nunca pedia desculpas por absolutamente nada e quando pedia era de uma forma totalmente hipócrita pra eu perceber que realmente era da boca pra fora. Ele já havia acabado outras duas vezes por impulso, alegando que não aguentava mais as nossas brigas, sendo que ele mesmo não fazia por onde evitá-las. Eu sempre ia atrás, ficava me humilhando e pedindo pra voltar e ele sempre fazia esse joguinho mas acabava voltando. No fim, eu ficava com aquela sensação que ele estava me fazendo um favor e que só eu estava me doando inteiramente à esse relacionamento, pois quando vrigavanos era sempre eu quem ia atrás, mesmo em 90℅ das vezes ele estando errado. Agora discutimos por um motivo fútil e isso acabou virando uma grande discussão justamente por ele nunca estar aberto a resolver e conversar. Tentei me entender e ele foi esnobe como sempre com piadinhas, ironias e grosserias, inclusive dizendo coisas que me magoavam, então resolvi pagar na mesma moeda e em uma discussão eu disse a ele tudo que ele sempre me disse e suportei calada. Que não estava nem aí, que dali pra frente seria pior, que se ele não estava gostando era problema dele e que se estivesse insatisfeito que caísse fora. Chamei ele de babaca, moleque e infeliz. E no whatsapp mesmo ele respondeu que estava caindo fora e acabou. Não pedi pra voltar mas acabei mandando várias msgs sobre sentimento, sobre eu sempre ter feito tudo e ele não ter se esforçado, inclusive um áudio de quase 10min. Ele só respondeu “não me mande mais anda, não estou interessado.” E o áudio ele sequer ouviu. Três dias depois passei na casa dele pra deixar as coisas dele e pegar as minhas, o cumprimentei mas ele so me entregou e sequer olhou na minha cara. Fui embora e no mesmo dia a tarde liguei pra ele pra dizer que queria conversar com ele dignamente, que acabar por whatsapp é ridículo e eu não sou inimiga dele, etc. Mesmo porque tenho uma filha de 6 anos que é muito alegada a ele. Ele só me destratou. Mantive a calma e disse que sempre fiz tanto por ele e ele não era capaz nem de me tratar com o mínimo de dignidade após o término. Foi aí que ele me disse que fiz porque quis, que aceitei porque quis e que nem por isso ele era obrigado a fazer o mesmo. Foi aí que eu educadamente me despedi e desliguei e naquele momento decidi não me rebaixar nunca mais. O que eu podia fazer, eu fiz. Tentei conversar pra nos resolvermos ou ao menos acabar de uma forma mais respeitosa e fui totalmente esnobada. Ele nunca se arrependeu pelos erros dele, nunca mudou em tudo que me prometeu e agora quer jogar em mim a culpa por ter feito tudo que ele sempre fez. Então disse a ele que se ele queria ser meu inimigo eu não o procuraria mais e de lá pra cá já se passaram 15 dias. Não nos falamos mais, não tenho mais notícias dele e nem ele minhas. Estou decidida a não procurá-lo mais porque sei que se fizer isso, ele vai agir da mesma forma me esnobando pois vai se sentir no controle da situação e eu já corri atrás demais, não quero mais isso pra mim. Mas estou muito angustiada. Será que ele não se arrepende por nada? Não vai me procurar? O que devo fazer?