Em meados de 1700 e alguma coisa, o químico francês Antoine Lavoisier chegou a conclusão de que "na natureza nada se cria, tudo se transforma". Mal sabia ele que estava mais correto do que imaginava, e que sua premissa poderia ser aplicada em diversos outros meios além da natureza, como por exemplo, na ficção. Se você parar para analisar, são raríssimos os casos de histórias que você vai assistir, ler ou ouvir que sejam totalmente novas. Tudo tem base em algo anterior, as coisas se renovam, porém não são inéditas. E, na última década, essa prática tem se fixado cada vez mais no cinema e na televisão, criando adaptações para as telas de histórias que já foram contadas antes em livros.

   Falando do nosso assunto principal nesta coluna, são inúmeras as séries de sucesso na televisão que foram baseadas ou adaptadas de obras literárias. True Blood, The Vampire Diaries, Gossip Girl, Dexter, Sex And The City, Friday Night Lights, Boardwalk Empire, Game of Thrones, Pretty Little Liars e várias outras séries de sucesso são exemplos desse tipo de adaptação. Isso tem sido uma prática que se consolidou porque acaba sendo vantajoso para as emissoras apostar em histórias que já deram certo em outro meio, e apenas expandir seu público. Há quem diga que os livros sempre são melhores que suas adaptações, e quando trata-se de cinema, geralmente isso é verdade, mas nem sempre nas séries isso acontece.

    Quando trata-se de um filme, você tem apenas duas horas (em geral) para resumir uma obra inteira, mas nas séries você pode explorar muito melhor a história, porque além de ter mais tempo, pode criar uma continuidade e ganchos internos na trama. Ainda pode acontecer de um livro que tenha uma história fraca, ou superficial, ser adapatado para televisão por um time de excelentes roteiristas que acabam valorizando a história e deixando a versão da tevê muito mais interessante que a história original.

mash-up-PTP

      Um exemplo muito claro disso, para mim, é The Vampire Diaries. Eu comecei a ver TVD junto com a estréia, e rapidamente se tornou minha série preferida, e em função disso, resolvi ler os livros. Li até o quarto volume, e sinceramente, precisei parar. Com todo respeito à quem é fã dos livros, eu achei eles uma bela porcaria. Não só porque os personagens que na série são tão complexos, no livro tem a profundidade de um pires, a escrita é rasa, redundante e irritante. As coisas não são bem explicadas, as situações correm muito rápido e quase todas as ações dos personagens são um impulso estranho e inexplicável sem nenhum fundamento. Eu tentei, mas depois do quarto livro, desisti. O que aconteceu, nesse caso, foram dois excelentes roteiristas pegando todo universo dos livros, mas recriando a história de uma forma muito mais envolvente e estruturada. Digamos que a premissa dos livros de TVD são boas, mas seu desenvolvimento foi precário, um erro que a versão para televisão consertou com excelência – embora a série venha se perdendo nas últimas temporadas, mas isso é assunto para outra coluna.

        Ainda temos o exemplo de Pretty Little Liars que faz mais ou menos a mesma coisa – não li os livros, mas é que vejo os fãs mais envolvidos comentarem – porém, comenta-se mais seguido que sempre que a série está perdendo o foco de para onde seguir, recorre à alguma virada ou premissa que já foi vista no livro. E até mesmo, surpreende por fazer igual, como foi a revelação de Mona como a primeira -A, quando todos achavam que esse fato seria mudado. Ou, quando no final da temporada passada, veio à tona a história de Hanna e Mike, fato também muito comentado pelos fãs dos livros.

PLL-Episode-Fun-pretty-little-liars-tv-show-16057250-1280-720

        E, é claro, também há as obras mais épicas, como Game Of Thrones, que segue mais fielmente a história original, com apenas alguns detalhes alterados e personagens reduzidos, por ser uma história mais complexa e que acaba ganhando a adaptação por "merecer" uma versão audiovisual, e não como nos casos anteriores, onde a base da história é uma oportunidade para recriação. Há, inclusive, boatos de que Game Of Thrones terá seu episódio final nas telas do cinema 3D. Já imaginou o tamanho que vão ficar os dragões?!

      Num termo geral, embora a falta de ideias mais originais me incomode um pouco, sou bem a favor desse tipo de adaptação de livros para televisão. Acho que histórias boas merecem realmente ser contadas de mais formas, e que histórias com potencial também podem ter sua chance de serem mais desenvolvidas. Inclusive, se eu pudesse escolher, adoraria transformar a saga Desventuras em Séries em uma série de tevê. Acho que é o caso de uma história boa, porém rasa – por ser infantil, é claro – e que teve uma adaptação fraca para o cinema, que não vingou com o público. Imaginem uma emissora comprar os direitos da história e adaptá-la de forma mais sombria e adulta? Ok, dei uma devaneada agora, mas seria lindo. 

      E vocês? Acompanham alguma série baseada em algum livro? Também tiveram contato com a obra literária? Que outros livros vocês gostariam que virassem séries? Vamos sonhar e debater um pouco! E se quiserem conversar mais até semana que vem, deixo minhas redes sociais. Aguardo sugetões para a próxima matéria!

Tenham um excelente final de semana!

Sinceramente,

Fernanda Schein
Twitter | Facebook | Instagram

  

0 comentários

Deixe seu comentário

Este artigo não possui comentários