Carta para minha (ex) ex melhor amiga

Escute enquanto lê:

Já se passaram três anos desde que te escrevi um texto, aqui nesse mesmo blog. Lembro que na época as pessoas tiravam sarro dessa minha página na internet, como se eu fosse uma louca falando sozinha para ninguém ler. Engraçado como as pessoas sempre duvidam do nosso potencial, não é? Você, não. Você sempre acreditou em mim. Comemorou meu primeiro visitante, e achava "chique" quando eu ganhava cem reais para fazer uma propaganda. Você sempre disse que eu escrevia muito bem, e que gostava de ler as coisas que eu escrevia. Sabia que eu nunca acreditei que eu fosse realmente boa? Até hoje tenho minhas dúvidas.

Parece ontem, mas na madrugada que te escrevi aquele texto, estava doendo muito. Meu peito estava apertadinho, doido pra dizer aquelas coisas em voz alta. Assisti um filme que contava a história de duas amigas inseparáveis, e eu te odiei por não estar ao meu lado. Eu jamais teria uma amiga igual à você. Bosta. Será que dava para voltar no tempo? Pra escolher uma outra amiga de infância? Pra fazer dupla com outra pessoa na sala de aula? O tempo havia se passado. Te levei comigo através dele. Crescemos juntas. Juntas tivemos nosso primeiro beijo, nossa primeira menstruação, e as primeiras rachaduras do nosso coração. Aprendi a curar as suas feridas, e você a não me levar tão sério assim. Só você sabia dos meus exageros, da casca grossa que eu insistia dizer que tinha, e do meu coração que era enorme, e sonhava em se apaixonar... Só você sabia da minha dificuldade em ser aceita, e do quanto me magoava ver que as pessoas me julgavam sem nem me conhecer.

Você ficava brava, me defendia com unhas e dentes. Queria que todos conhecessem quem era a sua amiga, ela era legal, gente! Você dizia. Insistia. Seu coração sempre foi enorme. Ainda é. Nunca conheci alguém que conseguisse estar sempre com o sorriso no rosto como você. Me dava raiva às vezes, tinha vontade de te bater. A pessoa te fazia um mal danado, e lá estava você, sorrindo. Com o tempo aprendi que estar bem consigo mesmo é a melhor coisa que existe, e que guardar mágoa não leva a nada. Precisei me afastar de você para entender isso, acredita? Mas confesso, até hoje te acho um pouco trouxa. Um pouquinho, vai.

Nunca te vi brigar com ninguém, mesmo. Nem com aquela sua amiga que arrumou o seu paquera pra amiga dela. Acha que eu esqueci? Não. Ela sabia que você gostava daquele garoto! Ela sabia que você estava ficando com aquele garoto! E no dia do seu aniversário ela levou uma amiga dela para ficar com ele. Eu lembro! E você continuou sorrindo. Mas comigo não foi assim, não é? Não estou jogando na sua cara, nem sendo malvadinha, porque você sabe, eu sou às vezes. Acho que tudo acontece por um motivo, e nossa briga teve um propósito maior. Me lembro até hoje do dia em que colocamos um ponto final na nossa amizade. Você passou jogando o cabelo, fingindo que não estava me vendo, ali, parada do seu lado. Eu ri bem alto, debochada, pra te provocar. Eu sabia que você iria voltar para tirar satisfação. Você odiava meu deboche.

E você voltou. Para logo mais, ir para sempre.

Você se foi por longos 5 anos. Tanta coisa aconteceu... Nos primeiros meses sem você, eu me perdi por completo. Tentei gritar ao mundo que eu não estava sentindo sua falta, ao mesmo tempo em que sangrava minhas dores. Recorri ao álcool, baladas, e cheguei à beira da depressão. Minha mãe se preocupava, vivia perguntando de você, queria saber o que eu tinha feito para termos brigado tão feio. Eu dizia não saber o motivo, porque essa era a verdade. Melhores amigas não brigam por qualquer coisa, segundo ela. Mas eu não sabia, eu simplesmente não sabia o motivo daquilo tudo! E isso doía mais um pouquinho. Antes eu tivesse assassinado seu cachorrinho, ou roubado seu namorado. Seria mais fácil explicar para as pessoas. Mas os motivos que levaram uma grande amizade a acabar, assim, de uma hora para a outra, não eram claros pra mim. Eu não acreditava que isso pudesse ter acontecido, de verdade. Lembro de ter ido atrás de você no início, mas sua cabeça estava à mil, cheia de influências negativas, e eu desisti. Me convenci de que às vezes, eu realmente fosse uma pessoa ruim. Me convenci de que a maior prova de amizade que eu poderia fazer por você era me afastando mesmo.

Por um tempo acreditei ser uma pessoa ruim. Acreditei em tudo de ruim que diziam sobre mim. E falar nisso, mesmo após anos, ainda engasga um pouco o choro na garganta. O tempo passou, mantive algumas amizades daquela época, e conheci novas pessoas. Amizades essas que me fizeram feliz novamente, que me mostraram que sim, eu era uma pessoa boa. Com a ajuda deles, tirei todo aquele sentimento encrostado nas paredes escuras do meu coração, e deixei que ele fosse luz novamente. Aceitei quando me ofereceram ajuda para me reerguer do chão, e levantei mais forte.

Escrevi meu primeiro livro nesse meu momento de superação. Larguei tudo que me fazia mal, desapeguei. Faculdade, namoro, e sentimentos ruins que insistia em abraçar. Acreditei no meu potencial, e me permiti ser aquela pessoa confiante que você conheceu. Acho que foi por isso que meu livro fez tanto sucesso. Minha primeira sessão de autógrafos foi linda, você fez falta. Todos as pessoas que eu amava estavam lá. Na época meu avô estava nas últimas do seu câncer, mas mesmo com muita dor, foi lá na livraria me ver. Ficou sentadinho o tempo todo, ainda sem entender o porquê tanta gente estava indo ali ver a sua neta. Você tinha que ver, esse foi um dos momentos mais incríveis da minha vida! Seu primo foi lá me dar um abraço, e confesso, todas às vezes que nos encontrávamos, doía mais um pouquinho. Ele me lembrava você, claro, nós três sempre fomos muito amigos. E estar perto dele sempre me fez bem, porque ele me contava em meio a assuntos aleatórios, como você estava. Acompanhei sua vida quietinha, de longe. Com medo de que você soubesse da minha curiosidade, e ficasse brava por isso. Eu só queria saber se você estava bem, feliz. Se o seu namoro estava dando certo, e se ele te tratava como você merecia ser tratada. Se tinha amigas. Se elas eram suas amigas de verdade, mesmo.

De vez em quando ficava sabendo de alguma fofoca, e logo abria a agenda do celular pensando pra quem iria contar. Droga. Minhas novas amigas não conheciam algumas histórias do meu passado. Diversas vezes me peguei contando uma história antiga para elas, só para depois contar alguma novidade relacionada, e poder desabafar com alguém. Mas acho que elas nunca entenderiam Thomas Hobbes. Ou a minha mania de chamar os garotos que me relacionava por nomes nada a ver para que ninguém entendesse de quem estávamos falando.

No meio de tudo isso várias pessoas tentaram envenenar a nossa amizade. Por que? A gente já nem conversava mais, era como se nunca tivéssemos sido sequer amigas. Então porque inventar coisas, colocar palavras na sua boca, e até mesmo na minha? Tudo isso para estragar ainda mais? Para trazer mais dor à duas pessoas que se amaram muito? Para tentar apagar o passado que foi tão bom?

Tentaram. Mas não conseguiram. Eu podia até acreditar por um momento, mas logo depois dizia para mim mesma "Duvido que ela falaria isso de mim". E a vida continuava.

Não posso dizer que em todo esse tempo em que ficamos afastadas, não fui feliz. Talvez eu tenha tido os momentos mais felizes da minha vida nesses últimos anos. Você também deve ter tido, sei que teve. Mas sempre teve um buraquinho, aquele vazio, o lugar cativo na fileira da frente dos que torciam por mim. Nunca perdi as esperanças de que um dia voltássemos a conversar, mas confesso que achei que isso fosse impossível. Ou era o que eu dizia em voz alta pra não querer parecer tão trouxa aos olhos das pessoas. É, acho que era isso mesmo. Eu tinha vergonha de dizer que se você aparecesse de novo na minha vida, eu estaria de braços abertos. Porque eu estaria.

Eu estava.

Acordei um dia desses com uma mensagem de 99 linhas sua. Tremi dos pés à cabeça. Olhei pro meu namorado assustada (nós agora moramos juntos), sem saber o que falar. O sorriso no rosto. Eu não tinha nem lido a mensagem, mas só de ver o seu nome, fiquei feliz. Na mensagem, você abriu o seu coração. Chorei quietinha, escondida no banheiro aqui de casa. Me emocionei de verdade ao ler que você sentiu saudades. Eu também senti. Sentia. Sinto... Te respondi com uma mensagem maior ainda (agora sou escritora, né), e logo depois já estávamos conversando. Talvez ainda um pouco sem jeito uma com a outra. Só faltávamos falar "Olá, boa noite. Segue em anexo meu pedido de desculpas". Até que te enviei um áudio falando pra você deixar de ser besta (eu sempre falo isso, incrível), pra que voltasse a falar normal comigo. Sem formalidades. Você disse que tentaria. Tive medo, será que conseguiríamos? Depois de 5 anos? Com todas as mudanças? Com todo nosso amadurecimento? Com toda dor que sentimos?

E para nossa surpresa, sim. No primeiro dia que voltamos a nos falar, senti que os 5 anos nunca tinham se passado. Voltei no tempo. Nós voltamos. Com o poder do amor, com o poder de uma amizade verdadeira. Lá em cima eu disse que acredito que nossa briga tenha tido um propósito maior, e talvez tenha tido mesmo.

Nossa briga nos fortaleceu, e me fez saber que nunca, nunquinha mais, quero me afastar de você. Mesmo que você faça birra, bata o pé, e diga que me odeia. Eu ainda vou bater na porta da sua casa. Mesmo que você grite, passe jogando o cabelo, e finja que não me viu. Eu ainda vou te enviar uma mensagem tentando te fazer rir. Mesmo que você diga que não quer me ver nunca mais. Eu ainda vou te amar, e fazer com que você me ame de volta. Na força mesmo. Tá avisada. Nem que eu precise te trancar no portão da minha casa.

Sei que 5 anos parece muita coisa, e é. Mas o que são 5 anos para a vida que teremos pela frente? Quando tivermos 70 aninhos, e formos duas velhinhas loucas e fofas, vamos nos lembrar desses 5 anos com um sorriso no rosto. O que são 5 anos perto do que temos pela frente? Eu estou aqui. Sou sua melhor amiga. E nunca mais vou deixar que você se vá de novo.

Toda loira precisa da sua morena. Toda menina precisa da sua melhor amiga no dia do seu casamento. E eu preciso de você, aqui comigo. Sendo minha Fefix de sempre, falando com voz irritante, e rindo de coisas que ninguém mais ri.

ps. eu adoro colocar ps

ps2. não acredito que te abracei de novo depois de tanto tempo

ps3. sabia que o texto "Minha ex melhor amiga" é o mais lido do blog?

ps4. obrigada por não ser mais "Minha ex melhor amiga"

Da sua melhor amiga, Isabela <3

Leia o primeiro texto aqui.

Escrito por Isabela Freitas

Isabela Freitas tem 25 anos, mineira, atualmente em São Paulo, mas vive mesmo no mundo da Lua. Gosta do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas. Ah, ela adora signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. Autora dos livros "Não se apega, não" e "Não se iluda, não", e você pode comprá-los aqui. Juntos eles já venderam 500.000 exemplares e até hoje eu não acredito nisso.

LOUCURAS DE AMOR QUE (QUASE) TODA MUNDO JÁ FEZ (OU FARÁ ALGUM DIA)

Quando estamos apaixonadas queremos de algum modo demonstrar esse amor. Com palavras e atitudes, o importante é fazer com que algo invisível como o sentimento, tome forma e seja visto. As loucuras de amor são uma forma de fazer com que o amor ganhe formas. Às vezes de modo bem sucedido ou um fiasco total. O importante que demonstrar é uma das coisas mais prazerosas no amor, independente do resultado. E quem nunca fez uma loucura de amor? Quem nunca fez, não sabe o que está perdendo! #euadoro #eumeamarro

Por isso, conversando com meus amigos, encontrei um bando de loucos (que nem sempre são corinthianos), mas que me contaram seus casos. Como eu não sou cofre para guardar segredos, vou espalhar! #isittoolatenowtosaySORRY

  • CONHECER A FAMÍLIA

Desde quando conhecer a família do (a) namorado (a) é uma loucura de amor? É uma forma de dar forma ao amor pelo outro e uma loucura por motivos que irei destacar. Namoro se resume a duas pessoas e lá vai você conhecer pai – mãe - tio cachaceiro – prima - cunhado tarado - vizinha fofoqueira - cachorro que já morreu-cachorro que está vivo – cunhada – madrasta - a amante - o filho bastardo da família do seu atual. Se você está namorando sério ganhou de brinde a família do seu amor para opinar no namoro de vocês, a “obrigação” em ter que participar dos eventos coletivos, amigos secretos sem a menor graça, quando não aquelas ligações para desejar feliz aniversário para alguém que você tem pouca intimidade para falar um Oi que dirás o resto.

Um bom caminho é a amizade, sem forçar barra. Na amizade todos esses brindes indesejados do relacionamento vão se tornar verdadeiras gostosuras! Agora, para conquistar essa amizade não vá inventar de fazer bolo com a mãe do namorado se você nem sabe cozinhar para fazer média com a coroa que NÃO VAI DAR CERTO! Ou você, que quer conquistar o sogrão, chama o velho para fazer um churrasco, sendo que você não sabe nem a acender uma brasa! Tenta a amizade de maneira suave e sincera, sendo VOCÊ MESMO. Por mais babaca-imbecil-legal-gente boa que você seja, elas têm que gostar de você do jeito que você é (e vice-versa).

Obs: Se o namoro não tem chance de vingar, não faz isso, sua louca! Por que além de terminar com o boy, você tem que terminar com os familiares dele também!

Obs 2: Conquista logo a sogra, que todo o resto fica fácil.

  • FAZER TATUAGEM

Já vi tantos casais que resolvem demonstrar o amor fazendo uma arte no corpo e a tatuagem é em 99,9999% dos casos a opção mais escolhida. Contudo, em 99,999999% não é lá a melhor coisa a ser feita. Você poderá se arrepender e cobrir tatuagem, que é um processo doloroso e traumático. Apagar então, uma fortuna. Então, pense muuuuuuuuuuito antes de fazer este tipo de loucura. Agora, amigo, se você estiver decidido a fazer uma tatuagem para sua amada, faça um símbolo, um desenho, por que caso o namoro termine, você não estará com o nome de um ex no seu corpo. Seja louco, mas não BURRO! #jápasseiporisso

  • GÊMEOS SIAMESES

Nada de ir para os programas do namorado com os amigos dele. Acha mesmo legal ver o boy jogando bola e falando bobagens e você lá na arquibancada com cara de cão de guarda? Piorou, imagine só, ele, indo ao shopping contigo quando você vai fazer compras ou ir ao cinema com suas amigas! Vamos parar com isso??? Casais! Melhorem! Mas Cal, se eu parar ele vai ficar muito solto, ele pode me TRAIR!

Anota ai:

“Trair e coçar é só começar e pode ser em qualquer hora e qualquer lugar.” Crispim, Cal, 2016.

Queridos, não adianta dar uma de siamês que traição é desvio de caráter e não oportunidade! Se o cara quer estar contigo, ele vai estar. Se quiser trair, vai trair. O importante é vocês viverem como um casal, ter seus momentos de amor, mas sem aquela cena clássica: Amor, vou ao banheiro, vamos comigo?

E lá estão os dois de mãos dadas no toilette. #mepoupem #piorqueéverdade

Muito cuidado na quantidade de aproximação, não podemos querer ser o outro. Apesar de vocês serem um casal, a individualidade de cada um deve ser preservada. Cadê a personalidade? Cadê ser VOCÊ MESMO? Você deve participar da vida do seu namorado e ele da sua, mas não se esqueça que você é você , e ele é ele.

Entendam a diferença entre estar com o outro, e estar contido no outro. Estar contido, aonde você for, vai ter o seu (a) amado (a) dentro de você, e isso é suficiente para serem um bom casal.

  • SE DECLARAR PARA SEU MELHOR AMIGO

Quem nunca se apaixonou por um amigo? #quemvaiseapaixonarpeloinimigo #temqueseroamigomesmo

Pior do que se apaixonar por seu melhor amigo é tentar demonstrar que está apaixonada. Geralmente, escondemos o sentimento, enterramos a sete chaves e a última opção é confessar. Só que nós não fazemos parte da minoria, nós, as pessoas que fazem loucuras românticas, nos declaramos! Compramos o perfume ou uma roupa que ele goste muito. Ou (na lata!) um coração que vem escrito: Eu te amo. Cartões com mensagens de amor e ele... NADA DE PERCEBER!

Aos garotos apaixonados pelas melhores amigas: vocês levam a garota na porta de casa, seguram a respiração quando abraçam, rola um beijo no rosto, e você confessa que você ficou com vontade de nunca mais lavar a bochecha na vida. Compra o chocolate que ela gosta, faz piadas para a amiga rir até chorar, e ela... NADA TAMBÉM! Quem nunca? #eunão #mecontaram

Depois de viver tudo isso o que lhe resta é a certeza que ou ele (a) ainda não sacou seu sentimento ou tão somente finge-se de desentendida (o). Pode bater na pessoa para ela sacar? NÃO! E o que acontece depois? Você vai fazer o que não fez, falar a verdade, que pode ser assim: Você é linda (o), eu gosto de você, mais do que eu queria gostar. Eu sei que você é meu (a) amigo (a), mas eu não consigo mudar o que sinto. Eu gosto de você, mais do que um sentimento de amizade. Acho que é amor.

Não tem como saber se ele (a) vai gostar, se vai se afastar de você ou casar contigo daqui a duas décadas. Fato é que às vezes externar o que sentimos é melhor do que ficar guardando dentro da cabeça e do coração. Se você não falar, a resposta sempre será NÃO. Ao passo do fazer, abrem as portas para mais duas opções, o TALVEZ e o (tão sonhado) SIM. #confessojáfiz #comigodeucerto #prontosoulouca

  • PRESENTES INUSITADOS

As vezes exageramos na dose do gostar de alguém. Queremos tanto que a pessoa amada saiba do seu amor por ela que acabamos errando na medida. Alguns exemplos: colocar carro de som na frente da casa da namorada, com direito a música romântica, fogos de artifício e buquê de rosas (hêeeeee coisa mar brega! môdels). Tem também os presentes bizarros como dar um dente seu para seu namorado. (HÃM?), uma mecha do cabelo cortado #desculpameubem, até um pingente com gotas de sangue (se você namorar um vampiro, pode dar). Pra que isso mesmo, hein gente?

Ainda tem aquele grupo de loucos que gostam de ser românticos com a conta bancária, como se pudesse comprar o amor. Esses são do tipo que compram um cachorro de raça rara e presenteiam. Ou aquele gato caríssimo e feio “bagarai” e entrega no dia dos namorados. Ou do tipo que gasta o salário inteiro em um presente, mesmo ficando o resto do mês na pindaíba. Compra um celular lançamento, um carro para a namorada (eu quero um namorado desses, que dá o carro, o gato eu dispenso!) e por ai vai...

Gente, vamos com calma. Existem milhões de formas de fazer loucuras ao presentear, mas na maioria das vezes seu parceiro quer atitudes e nem sempre presentes mais caros são os melhores. Sabe, aquela ligação telefônica? Só para dizer que gosta mesmo, que ama de verdade, aaaaaaah, essa loucura vale mais que um perfume caro.

Mas não vou ser hipócrita, eu aceito qualquer presente. Não estou aqui para recusar! Repetindo: Qualquer presente, menos o gato!

  • RECONQUISTAR UM EX

Loucura, romantismo, chame do que quiser, mas tem coisa mais insana do que tentar reconquistar alguém? Se o amor valeu a pena, se existe a possibilidade de volta, corra atrás do que você quer! Se ele (a) é seu (a) ex, você saberá bem exatamente o que fazer. Se você quem pisou na bola durante o namoro, saberá também o que não fazer para dessa vez dar certo. Agora se ele (a) não lhe quer de jeito algum, pare de dar asas em um relacionamento sem futuro. Nenhuma loucura será suficiente e você sairá menos machucado (a). Não vai nessa de “eu confio no meu taco”. Talvez ele (a) nem goste de taco! Perde tempo não! #focanadica

  • AUTORAL

Tem presente melhor do que dar algo inédito? Algo que ninguém poderá presenteá-lo (a) de igual modo? Por isso que apostar na produção própria é um trunfo inalcançável. Sou suspeita para falar, pois das loucuras de amor, essa é a minha favorita. Então gata, vá por mim, não há nada mais sincero do que tirar de dentro de você uma ideia e colocá-la em forma concreta.

Faça uma música, demonstre o que você sente em palavras e melodia. Você não sabe cantar ou tocar? Escreva uma carta, um poema! Hoje em dia as pessoas têm se apropriado de textos de outras pessoas, pensadores como Caio Fernando Abreu, Clarice Lispector e por ai vai, para demonstrar seus sentimentos. É válido, mas sejamos autorais também! Coloque no papel o que você sente e mostre para seu (a) namorado (a). Se for tão difícil assim, está bem, escolha uma música que defina suas sensações e peça para que ela (e) ouça, deixando claro que seria como se fossem suas palavras para ela (e). Reúna fotos de vocês juntos e faça um álbum. Em um quadro com imã magnético, talvez. #jáfizisso #sensaçãomaravilhosa Tente dar suas formas para seu amor e nada de control c + control v na ideia dos outros. Seja você autora das suas histórias e compositora das suas emoções.

  • VIAGEM

Vivemos em dias tão corridos, estressantes e sem muito momento para paz. Aproveite o caos para planejar um momento com seu amor. Viagem é uma das opções mais prazerosas e favoráveis. E desde quando viajar é loucura, Cal? Desde que essa bendita geração nossa se prendeu a mundos virtuais, relações cada vez mais distantes e jornadas de trabalho exaustivas.

Invista em vocês dois, em um momento longe dos seus amigos (pode ser com amigos também, mas faça a trip). Escolha um cantinho para vocês chamarem de SEU! Escolha uma cidade, um lugar que possam desfrutar da privacidade e do romantismo que viagens como essa pedem. Isso significa que você se preocupa com o relacionamento, que vocês precisam de momentos de muita paz e amor. E se possível for, com a menor quantidade de mídias/redes sociais possível.

  • ROMANTISMO A MODA ANTIGA

O romantismo virou algo brega ou fora de moda. Ser romântico é constrangedor e embaraçoso (lógico, para alguns não). Para nossa geração, demonstrar sentimentos é equivalente a sinal de fraqueza emocional ou carência. E como vamos continuar assim? Como vamos amar assim? Tá ficando difícil, galerinha.

Tem coisa mais gostosa do que fazer alguém feliz? Por que o medo? Faça alguém sorrir, ainda mais se esta pessoa te faz feliz também. Nada como a reciprocidade! Aposte no romantismo, à moda antiga. Café da manhã na cama, andar de mãos dadas ou abraçados. Pétalas de rosas no chão, velas e vinho para uma noite de amor. Abra a porta do carro, deixe-a entrar primeiro nos ambientes e por que não a cordialidade ou o cavalheirismo?! Sem segundas intenções, ou talvez pela louca intenção de fazer o outro FELIZ E PRONTO! Diga: EU TE AMO! (quando tiver certeza que ama) Não tenha tanto medo dessas três palavrinhas. Faça se você tiver a sinceridade e a coragem de assim fazer! Lembremos que o amor não sai de moda!

  • PEDIDO DE CASAMENTO – MORAR JUNTOS

Uma das sensações mais deliciosas do mundo é você demonstrar que quer passar o resto dos seus dias com a pessoa que você ama. Como também é maravilhoso ter a certeza que tem alguém disposto a estar ao seu lado por toda a vida. Então, caso tenha certeza, compre as alianças, seja de alumínio, de coquinho, de prata, de ouro, seja se ajoelhando, colocando dentro de uma taça de vinho branco, de um pedaço de torta, seja como for o pedido, faça-o! Por que não fazer? Não perca a oportunidade de sentir seu coração ser tocado por alguém ou de tocar o coração de alguém, isso dá sentido a vida.


Passeamos por este manicômio emocional, vimos coisas a serem feitas e não feitas também. Agora você pode estar pensando: Mas essas coisas todas nem são tão loucas assim! E já que não são, por que não praticá-las? Encontre-se com seus medos, suas insanidades e equilibre-se na corda-bamba das emoções e dê o formato que achar melhor para seu amor. O tempo passa tão rápido e perdemos várias chances de sermos plenamente felizes por medo de simplesmente arriscar. Se ser feliz inclui algumas loucuras, como as citadas acima, sejamos loucos de vez em quando! De gênio e louco, todo mundo tem um pouco. Não já citaram isso por ai?

Se você lembrou de alguma loucura que fez por amor, conte-nos nos comentários.

Escrito por Cal CrispimFalck

Sou musicista (sem banda)
Escritora (sem livro)
Professora de Educação Física (que ama batata... frita!)
Dependente química em Seriados e chocolate (sim, no plural!)
Colecionadora de livros, gibis e cds (aceito presentes!) 
Apaixonada por Beach Tennis (meu escritório é na praia;)
Adoro escrever (principalmente escrever o que penso entre parenteses). 
Soteropolitana, nascida e criada em Salvador-Bahia (com grande antipatia por axé e cia. ltda) 
Ciumenta com meus familiares, amigos e amores 
#soudessas #adorohashtag #xerudacal
Agora sim, me fale mais sobre você? ... 

NEM TUDO É GANHAR OU PERDER

Ele foi embora

Assim
Arrumou as malas e foi
Separou as camisas, as calças e guardou
Arrumou tudo, exceto o coração dela, que deixou bagunçado e em frangalhos
Definitivamente partido

Ela entrou no quarto, comprou e redecorou
Se livrou dos cheiros, cores e flores que estavam lá
Ligou o som com músicas desconhecidas no último volume e dançou
Dançou até suar, até as pernas doerem

Como se já não se importasse mais

Então o momento passou

Ela se deitou em sua cama nova
Com os lençóis novos
Mas surgiu outra novidade, algo que ela não havia comprado
O vazio

A ficha caiu
“Ele se foi”, ela sussurrou para si mesma
Colocou os fones e todas as músicas dos dois começaram a tocar e ela chorou
E lembrou
E se lamentou por todos os erros

E se lamentou pelo orgulho que não levava a nada

Se arrependeu de não ter atendido aquela ligação
De ter ignorado as mensagens
De não ter tido paciência suficiente
E depois se arrependeu de ter pressionado
De ter feito jogos de amor, esperando que ele se cansasse e ela fosse a vitoriosa
Se arrependeu de ter sido orgulhosa e mimada

Ela percebeu que há coisas que superam alguns princípios tortos
O amor é uma delas
“Sinto sua falta”, ela enviou
“Eu também. Achei que nunca mais veria uma mensagem sua”

Ambos sorriram

Ela finalmente entendeu
Entendeu que o amor não é um jogo
Não é sobre ganhar ou perder
É sobre compartilhar, empatar.

Daí ele voltou.
Eles usaram o quarto novo
Como novas pessoas

Renovados.

Escrito por Grazielle

Mineira, 23 anos, extremamente pisciana, advogada por graduação e escritora por amor no Blog Vigor Frágil.
Amante de sentimentos, sem saber ser metade. Apaixonada por música, alma, sorrisos, pôr do sol no inverno e literatura.
Quer ter sua história contada em forma dos meus textos?
Envie um email com seu desabafo para vigorfragil@gmail.com e vou escrever aqui sobre você!
 

Melhores filmes que estreiam em maio nos cinemas

O mês de maio começa com grandes e esperadas estreias do ano nos cinemas. De romances a aventuras, tem filmes com Natalie Portman, Jennifer Aniston, George Clooney, Katy Winslet e muito mais. Confira os melhores filmes que estreiam esse mês:

O Maior Amor do Mundo (05 de maio)

Com Julia Roberts, Jennifer Aniston e Kate Hudson, a comédia, do mesmo criador de Uma Linda Mulher, é uma celebração especial as mães de todos os tipos. A trama mostra o que acontece quando três gerações de mães e filhas se reencontram nas vésperas do Dia das Mães.

De Amor e Trevas (05 de maio)

Dirigido e estrelado por Natalie Portman, o longa é baseado na autobiografia do israelense Amos Oz. A trama se passa no final da década de 40, quando o Estado de Israel é instituído. Nesse cenário de mudanças, um garoto de 12 anos precisa lidar com o suicídio da mãe Fania Oz (Natalie Portman).

Angry Birds - O Filme (12 de maio)

O jogo que viciou crianças e adultos ganha sua primeira versão em animação. No filme, será revelado o por quê dos pássaros serem tão bravos.

O Conto dos Contos (12 de maio)

Uma interpretação livre dos famosos contos de Giambattista Basile, o longa conta três fábulas do livro Pentamerone, com reis, rainhas, fadas, magos, ogros e monstros terríveis.

X-Men: Apocalipse (19 de maio)

Ainda no passado, apenas uma década depois dos acontecimentos de X-Men: Dias de Um Futuro Esquecido, o enredo revela o mais antigo e poderoso mutante do universo - Apocalipse. Agora acordado, depois de milhares de anos, ele se tornou imortal e quer purificar a humanidade, criando uma nova ordem mundial. Cabe aos aliados do Professor Xavier garantir que isso não aconteça.

A Vingança está na Moda (19 de maio)

Estrelado por Kate Winslet, o filme segue a filha pródiga que retorna a sua cidade natal, depois de viajar o mundo, para cuidar da mãe. Com isso, ela transforma as mulheres da região, por meio de suas habilidades de costura.

Alice Através do Espelho (26 de maio)

Após passar os últimos anos navegando oceanos, Alice se depara com um espelho mágico que a leva de volta ao fantástico mundo de Wonderland. O longa é a sequência do filme Alice no País das Maravilhas, que foi lançado em 2010.

Jogo do Dinheiro (26 de maio)

George Clooney é Lee Gates, um guru financeiro, que faz sucesso devido ao seu programa de TV. É quando o jovem Kyle (Jack O’Connell), um dos seus telespectadores, perde todo seu dinheiro ao colocar em prática as dicas de Gates.

Qual estreia você está louco (a) para assistir primeiro?

Escrito por Isabel Tavares

Jornalista, apaixonada por histórias e pela arte de encantar pessoas através da escrita. Tenho 22 anos e amo moda, cinema, seriados e histórias encantadoras. Visite meu site: isabeltavares.com

Carta de quem te viu partir...

“Eu não queria que esta carta trouxesse qualquer tipo de tristeza, tão menos qualquer tipo de julgamento sobre o que construímos juntos até então. Queria expor aqui parte do que eu sinto sobre tudo, e enfim pagar aquela velha promessa de te escrever algumas palavras num papel em branco! É uma pena que você leve essas palavras como um adeus, mas nem por isso significa que chegamos ao fim. Quero que leve também como uma parte de mim, aquela parte que você sabe que jamais deixará de existir por você.

Sei que você sentiu medo assim que soube, mas as mudanças da vida são inevitáveis. Se ao aterrissar em solo desconhecido ainda persistirem os sintomas, pegue um bom livro, sente na praia, leia algumas boas palavras com o sopro da maresia nos seus ouvidos. Será terapêutico, eu te juro! Leve essa carta se for preciso! Se sentir saudades, se sentir-se insegura, eu estarei com você. Nossas promessas não serão apagadas, eu guardo bem as juras que faço. E apesar de que muito provavelmente não entraremos juntos no casamento de outono nas colinas, ainda existirá o ombro para chorar, a conversa para se jogar fora e as palavras bobas que sempre te fazem rir.

Dizem que grandes laços não morrem, e é exatamente isso que nós somos, um laço bem apertado e bonito, igual aqueles laços vermelhos robustos de presentes de natal. Você é afeto, riso e aconchego em uma simples lembrança, sentirei saudades! Ninguém é de ninguém nessa vida, meu anjo, mas meu amor ainda é seu, parte dele permanecerá sendo, e se um dia voltarmos a nos ver você verá a prova! Curta sua estadia nessa nova etapa, leve as coisas boas contigo para ajudá-la a construir novos castelos e laços bem vermelhos. Cante, dance e beije na boca. Essa última parte não me conte, mas beije! Faça tudo o que fazíamos juntos, se permita ser feliz, e me conte antes de dormir como foi o seu dia.

Nunca te escrevi por que sempre tive medo, sabe? De te ver partindo exatamente como está acontecendo agora. De me sentir sendo esvaziado por completo, de ser um livro sem palavras, um céu sem o azul, um coração sem amor. Mas afinal eu chorei te vendo pegando a estrada, e me perguntei incansavelmente se te disse todas as coisas que gostaria de ter dito, se consegui realmente te fazer feliz da maneira como gostaria, da maneira como você me fazia. Espero que sim! Mas que o futuro seja tão belo quanto nossos domingos no parque, quanto nosso dueto em sol menor nos acústicos de sábado à tarde. Tão saboroso quanto nossa janta de sexta à noite, nossos beijos pelos múltiplos cômodos da sua casa. Que apesar de não ser mais a sua casa, para efeito de boas lembranças será a nossa casa!

Me escreva! Quem sabe eu não pegue um ônibus numa sexta fria e apareça por ai, você me apresenta a cidade, me leva comer um bom hambúrguer, já que você é perita em lanches. Doutoranda em pastel de feira. Deve ser esse seu ascendente em strogonoff! Quem sabe não me apresenta o seu novo namorado, e a gente ri e se diverte. Apenas que não caia no esquecimento e nossas vidas divirjam para longe. Quero te ter por perto sim, ver você conquistando seus troféus, ultrapassando suas barreiras. Quero ver seus filhos crescerem.. Tá bom, tá bom! Sem filhos! (mas a aposta tá de pé. rs). Quero simplesmente poder continuar fazendo coisas por você que apenas eu seja capaz, quero continuar sendo especial ao nosso velho modo de ser.

Por favor, não se esqueça do nós. Que o amor transcenda a distância, que vença os ponteiros do relógio.

Nesse pedaço de papel um pouco do meu perfume, que dure o suficiente para que a saudade se cicatrize.

Eu te amo!

Seu eterno ‘chuchu’.”

Escrito por Kauê de Paula

23 anos, Engenheiro civil por formação e escritor por paixão. Adora uma boa leitura, séries e filmes. Exagerado, admirador do cotidiano e péssimo escritor de perfis.